23 de fevereiro de 2015

Resenha | Ugly Love - Colleen Hoover

Título: Ugly Love

Autora: Colleen Hoover

Número de páginas: 336

Ano: 2014

Editora: Atria Books
Sinopse: Quando Tate Collins conhece o piloto de aviōes Miles Archer ela sabe que não foi amor à primeira vista. Eles nem ao menos se consideram amigos. A única coisa que Tate e Miles têm em comum é uma atração mútua inegável. Assim que seus desejos são revelados, eles percebem que têm o plano perfeito. Ele não deseja o amor, ela não tem tempo para o amor, então só resta o sexo. O acordo pode ser surpreendentemente longo com tanto que Tate consiga seguir as duas únicas regras que Miles tem para ela.
 

Eu não sei o que eu esperava desse livro. Eu confesso que comecei a leitura com um pé atrás. Eu tenho a tendência de rejeitar tudo o que é muito popular e, de uns tempos pra cá, só se falava em Colleen Hoover e seus livros espetaculares. Custei a dar um crédito… até coloquei Métrica, Pausa e Essa Garota na lista do Skoob, mas sempre postergava.

Aí começaram a falar de Um Caso Perdido, de como ele era maravilhoso, de como Collenn sabia contar uma história… então parei, analisei e resolvi dar um crédito, mas não quis começar por um livro cujo feedback já era positivo, que todo mundo já tinha lido! Quis uma leitura crua, onde eu poderia formar a minha opinião baseada somente na leitura do livro. Por isso escolhi Ugly Love, e que escolha certeira!

O livro começa com a mudança de Tate para o apartamento de seu irmão, Corbin, em São Francisco. Corbin é piloto de avião, assim como era o pai de Tate, e assim como é Miles Archer, amigo e vizinho de Corbin que Tate conhece - não nas melhores condições - no dia de sua mudança.

O começo do - se é que se pode chamar assim - relacionamento é um pouco complicado. Tate e Miles sentem-se atraídos um pelo outro, mas ao mesmo tempo não querem se envolver com ninguém, Tate por estar focada em sua carreira e Miles por um trauma do seu passado. Miles é ainda mais radical, ele diz que nunca mais vai amar alguém! Mas a atração entre eles é tão poderosa que chega a ser palpável. Sendo assim, eles chegam a um acordo: sexo sem compromisso. Simples, não é? Não, nem um pouco!

Antes de começarem o “relacionamento”, Miles diz para Tate que tem apenas duas regras:
  1. Nunca pergunte sobre o passado.
  2. Nunca espere um futuro para eles dois.
Tate tem uma personalidade muito forte. Ela se sente atraída por Miles e não tem medo de mergulhar de cabeça no que quer! Ela quer Miles e sabe que Miles se sente da mesma forma. O acordo verbalizado parece ser muito simples, mas, assim que eles começam a colocá-lo em prática, Tate percebe que cumprir as duas únicas regras de Miles vai ser mais difícil do que ela imaginava.

Miles é sério, incrivelmente profissional, sisudo e quase nunca sorri. Mas ao mesmo tempo é carente, frágil, triste… aquele personagem que você quer colocar no colo sem nem ao menos saber o motivo de sua aflição. Sofri muito com ele, e quando descobri o motivo de tanta tristeza e amargura eu me inundei em lágrimas! Miles não se acha merecedor do amor, ele precisa de redenção, mas antes ele precisa deixar alguém perfurar sua armadura.

Rachel é uma personagem que conhecemos nos capítulos narrados por Miles. Eu tive MUITA raiva dela! Mas isso foi só até eu entender o motivo dela ter feito o que fez. Corbin, irmão mais velho de Tate, é aquele irmão superprotetor do qual você não consegue ter raiva, sabe? Ele é um ótimo irmão e um ótimo amigo para Miles. Um outro bom personagem é Cap, o antes chefe da manutenção e agora “ascensorista” do prédio onde todos moram. Prestem bem atenção nos conselhos de Cap, aquele ali é o que podemos chamar de homem sábio!

A princípio, Ugly Love pode parecer clichê e mais do mesmo, mas eu garanto, não é! Colleen realmente sabe o que faz e eu me rendi! O livro nos mostra que o amor vale a pena, vale cada lágrima derramada, vale cada noite mal dormida. Nos mostra que o amor cura, cura aquilo que antes parecia impossível. O amor faz aquilo que era feio ser bonito novamente!

Observação: Conteúdo postado quando a plataforma do blog ainda era WordPress. Com a mudança, todos os comentários foram perdidos.

Nenhum comentário

Postar um comentário