4 de setembro de 2015

Resenha | Gelo Negro - Becca Fitzpatrick


Autora: Becca Fitzpatrick

Número de páginas: 304

Ano: 2015

Editora: Intrínseca

Skoob: AQUI
Sinopse: Britt Pfeiffer passou meses se preparando para uma trilha na Cordilheira Teton, um lugar cheio de mistérios. Antes mesmo de chegar à cabana nas montanhas, ela e a melhor amiga, Korbie, enfrentam uma nevasca avassaladora e são obrigadas a abandonar o carro e procurar ajuda. As duas acabam sendo acolhidas por dois homens atraentes e imaginam que estão em segurança. Os homens, porém, são criminosos foragidos e as fazem reféns. Para sobreviver, Britt precisará enfrentar o frio e a neve para guiar os sequestradores para fora das montanhas. Durante a arriscada jornada em meio à natureza selvagem, um homem se mostra mais um aliado do que um inimigo, e Britt acaba se deixando envolver. Será que ela pode confiar nele? Sua vida dependerá dessa resposta.


Vocês roubaram um Subway e atiraram em um policial na fuga.
 
Minha reação ao ler a frase acima!

O livro começa de uma maneira bem promissora. Há um assassinato e desde o momento em que a vítima é “capturada” até o momento em que sabemos que ela realmente vai morrer, há uma tensão bem interessante, tensão essa que faz a gente pensar “Opa, vem coisa boa por aí!“.

Só que de repente a história muda de foco e começa a mostrar Britt e Korbie, duas amigas que vão aproveitar o recesso da escola para viajar para as montanhas geladas do Wyoming, onde a família de Korbie possui uma cabana.

Korbie tem um irmão, Calvin, que já foi namorado de Britt, mas que a abandonou assim que entrou para a universidade de Columbia. Calvin é um experiente montanhista que conhece as montanhas como a palma da sua mão.

Um dos motivos que levam Britt a querer fazer essa viagem é a vontade de provar para Calvin que ela pode fazer quilômetros de trilhas pelas montanhas geladas…

No caminho para a cabana de Korbie, o tempo muda e, após uma tempestade de neve, Britt e Korbie ficam atoladas. Ela têm duas opções, ficar dentro do carro e congelar ou sair para procurar ajuda.

Após algum tempo as duas acabam encontrando uma cabana. Lá dentro há dois caras, Mason e Shaun. Tirando o comportamento estranho de Mason, que não queria que elas entrassem na cabana, eles pareciam realmente dispostos a ajudar, mas algumas horas depois as meninas descobrem que eles estão fugindo da polícia porque... roubaram um Subway!

Gente, para tudo! Não que roubar um Subway não seja crime, BUT SERIOUSLY? Será que Becca não poderia ter pensado em outra coisa?

Bom, continuando…

Mason e Shaun querem que as meninas os tirem da montanha. A nevasca os pegou de surpresa e eles acabaram ficando presos na cabana, sem mapa e sem equipamentos de neve. Britt inventa algumas desculpas - e algumas mentiras - para que eles deixem Korbie para trás e acaba indo sozinha com Mason e Shaun.

Havia sangue por toda parte. Nunca vira tanto antes. Afastei-me, zonza, com medo de desmaiar se olhasse por mais tempo. Meu corpo inteiro tremia de choque. Shaun havia acertado o guarda. Matado. Eu tinha que sair dali. Não podia deixar a tempestade me deter – tinha que correr.

Depois de alguns acontecimentos, Britt e Mason ficam sozinhos e o que acontece? Sim, isso aí mesmo que vocês estão pensando. Ela se apaixona por ele!

A partir desse momento, o livro, que de suspense já não tinha quase nada, vira um romance muito do enfadonho. São vários os capítulos que mostram apenas o flerte dos dois…

— Eu vi o jeito como você me olha, Britt. Você acha que vou protegê-la; que, caso se trate de uma obrigação moral, vou fazer a coisa certa. Não sou como Shaun, mas também não sou um cara bom.

E a descoberta do assassino, que era pra ser o grande ápice da história, acaba se perdendo no meio de tanta baboseira.

••••••••••

Eu estava muito entusiasmada para ler Gelo Negro. Ele já estava na minha lista desde o seu lançamento. Porém, infelizmente, não gostei do que li.

Quando li a sinopse pensei que o livro seria repleto de ação e tensão, mas o livro passa longe disso. Eu até agora não entendi o que Becca quis escrever. Quando lemos o primeiro capítulo temos a impressão que o livro será um ótimo thriller, mas depois ele passa a ser um romance sem pé e nem cabeça.

Eu sei que a Síndrome de Estocolmo existe, mas esse não era o caso, pois Britt só ficou em poder dos sequestradores por alguns dias. A própria Britt levanta essa questão, mas no final percebe que o que sente é atração física mesmo, pois Mason era alto, forte, estava com a barba por fazer, blablabla…

É tudo mundo previsível e irreal.

No final do livro descobrimos que Mason guarda um segredo e que ele estava nessa situação por um motivo, porém, mais uma vez, os motivos que o levaram a começar a andar com Shaun e sequestrar Britt são até nobres, mas infundados.

Em suma, Gelo Negro peca em prometer muito e cumprir pouco. Não vou falar que o livro é ruim, vocês sabem que eu não sou disso. Acho que cada um tem um gosto. Mas me permito dizer que o livro é fraco demais.

Observação: Conteúdo postado quando a plataforma do blog ainda era WordPress. Com a mudança, todos os comentários foram perdidos.

Nenhum comentário

Postar um comentário