29 de janeiro de 2016

Resenha | Insônia - Mari Scotti


Autora: Mari Scotti

Número de páginas: 344

Ano: 2015

Publicação independente

Skoob: AQUI
Sinopse: Suzanna perde os pais com oito anos de idade e foi a única sobrevivente do acidente que matou seus pais. Foi salva por alguém que ninguém acredita existir.

Quando está perto de completar dezoito anos, coisas estranhas passam a acontecer. Dois rapazes surgem em sua vida, são misteriosos e parecem saber muito mais sobre ela do que deveriam.

Ela precisa escolher entre um ou outro, mas não sabe que essa escolha mudará sua vida para sempre.


Levantei o rosto encarando-o, milhões de perguntas passavam pela minha mente, mas eu continuava sentindo que nada fazia sentido.

Suzanna é uma jovem de dezessete anos que perdeu os pais muito cedo em um acidente de carro. Desde o ocorrido, ela vive com os avós paternos em uma casa bem confortável. Suzanna tem dificuldades para dormir. Ela acorda todos os dias às três da manhã e simplesmente não consegue mais pegar no sono. Para se distrair, enquanto todos estão dormindo, Suzanna vai para o quintal do vizinho, pois neste local há uma árvore na qual ela gosta de se recostar para ler ou escrever.

Ela nunca foi pega por ninguém, sempre entrou e saiu sem ser vista. Até que um dia ela sente a presença de alguém e se depara com um rapaz muito bonito e misterioso. Esse rapaz é Pietro, e não demora muito para que os dois se envolvam. Só que Pietro tem umas atitudes estranhas, que começam a intrigar Suzanna. Mesmo com a estranheza e a mudança repentina no humor e no comportamento de Pietro, Suzanna vai ficando cada vez mais apaixonada por ele. Até que surge Arthur.

— Sempre que ouvir a voz, feche qualquer entrada para a rua, para fora da casa, entendeu?

— Entendi… Mas…

— Você vai lembrar?

— Vou, mas Pietro…

— Suzanna, não acredite no que ele diz.

Arthur entra na vida de Suzanna como um novo colega de classe e desde o primeiro dia já chama a atenção da menina. Ele é todo seguro de si e chega até a ser arrogante, o que deixa Suzanna muito irritada. Para completar, Arthur quer fazer parte da vida de Suzanna de qualquer maneira e, assim como Pietro, ele tem umas atitudes muito estranhas. Ele sabe muitas coisas que Suzanna tem certeza que nunca mencionou e responde perguntas que Suzanna só fez em pensamento.

Suzanna começa a fazer muitas perguntas, tanto para Arthur quanto para Pietro, e acaba descobrindo que ela não é quem pensa que é, e que está correndo um grande perigo. Descobre também que o acidente que matou seus pais não foi bem um acidente, que isso tem a ver com sua origem.

Não acreditei no que estava vendo. As casas ficavam cada vez menores abaixo de nós, não havia vozes ou cheiros, nenhum som além do vento sendo cortado por duas asas enormes que batiam no ar.

Arthur diz que Suzanna não deve confiar em Pietro. Pietro diz que Suzanna não deve confiar em Arthur. Ambos dizem querer ajudá-la a entender sua nova realidade. Suzanna sabe que um dois dois está mentindo, que um deles é o vilão da história, mas quem?

••••••••••

Insônia é o primeiro livro de uma série sobrenatural chamada Nefilins, que fala sobre anjos e demônios.

Confesso que a primeira metade da leitura foi um pouco difícil pra mim. Não conseguia sentir empatia por Suzanna. Eu a achava volúvel e infantil. Ela tinha atitudes e pensamentos que não condiziam com sua idade e isso me incomodou bastante. Outra coisa que me incomodou – e que me incomoda nos livros em geral – foi a rapidez com que ela se apaixonou por Pietro e depois por Arthur. Só que há uma explicação para isso, o que fez com que eu entendesse e relevasse essa parte.

Arthur e Pietro são bons personagens. Senti muita simpatia por um e muita antipatia por outro. Mesmo sem saber quem era o mocinho e quem era o vilão, eu já tinha minha opinião formada e não a mudei mesmo depois de descobrir a verdade. Falando nisso, tenho que elogiar a capacidade que a Mari tem em confundir o leitor. Quando eu achava que fulano era o mocinho, o ciclano vinha e mostrava-se bom e atencioso. Aí quando eu achava que ciclano era o bonzinho, ele fazia uma coisa totalmente errada e eu voltava a achar que fulano que era bom…e assim foi até meados do livro! 😀

Uma outra coisa que me incomodou, mas isso é uma coisa pessoal, não um defeito do livro, foram as descrições. Suzanna descreve muitas coisas, até os movimentos que ela faz com o corpo, e eu não sou muito fã disso. Mas como eu disse, isso é uma coisa MINHA, muitas pessoas gostam.

A história demorou um pouco para pegar ritmo, mas depois da metade do livro as coisas ficam frenéticas e a leitura fluiu muito bem. O primeiro livro termina com um grande gancho para o segundo volume, Sonhos, deixando a gente com vontade de continuar a leitura no mesmo instante.

Não esperem muitas respostas neste livro. Como eu disse, a Mari gosta de confundir a gente. Quando Suzanna descobre a resposta de uma pergunta, mais cinco surgem! Mas tenho certeza que ao longo das continuações todas elas serão devidamente respondidas. 😉

A Mari me forneceu o ebook do livro. Encontrei alguns erros de revisão e pontuação, principalmente no uso da vírgula, mas não é nada muito grave. E essa capa? Lindíssima, não é?

Em breve lerei Sonhos e virei contar para vocês o que achei da continuação da saga de Suzanna, Pietro e Arthur!

Observação: Conteúdo postado quando a plataforma do blog ainda era WordPress. Com a mudança, todos os comentários foram perdidos.

Nenhum comentário

Postar um comentário