28 de maio de 2016

O que conta o conto? | Pá de Cal - Gustavo Ávila

Autor: Gustavo Ávila

Número de páginas: 40

Ano: 2015

Publicação independente

Skoob: AQUI

Compre: AQUI
Sinopse: Seis pessoas acordam sem memória em uma vila. Cada uma delas em uma casa, no interior de uma estranha floresta artificial. Em cada casa há uma caixa trancada por seis fechaduras e uma carta, com uma das chaves e um bilhete que diz:

“Suas lembranças estão no interior desta caixa. Para abri-la você terá que reunir as chaves das outras cinco pessoas que estão na vila. Se uma pessoa reunir as seis chaves e abrir a caixa, um sistema irá destruir automaticamente o interior das outras cinco. Somente um poderá se lembrar quem é. Boa sorte.”

Descubra por que as seis pessoas estão nessa misteriosa vila. Quem conseguirá recuperar sua memória. Como ela fará isso. E, principalmente, a que custo.

Em Pá de Cal nós somos apresentados a seis pessoas, quatro homens, uma mulher e uma adolescente, não sabemos o nome de nenhum deles e nem eles sabem os próprios nomes. Na verdade eles não sabem de nada sobre suas vidas! Eles são chamados de acordo com o número da casa onde acordam. Número 1, Número 2, e assim sucessivamente.
Não vou falar sobre como isso ocorre e nem sobre o que eles encontram, porque isso já está na sinopse, mas vou colocar o início do bilhete para vocês ficarem mais curiosos!

A caixa que está a sua frente possui tudo que você quer saber. Suas lembranças. Seu passado. Quem é você. Se ainda não tiver saído de dentro da casa saiba que a vila onde você está possui outras cinco residências exatamente como a sua. Dentro de cada uma delas há uma outra pessoa que, assim como você, também não se lembra de nada. Nessas residências também há caixas como essa e uma carta com as mesmas palavras que você está lendo agora. E por que você precisa saber dessas pessoas? Porque elas também estão sabendo sobre você.

A partir daí, as seis pessoas têm que sair em busca das outras cinco chaves. E todas as seis querem a mesma coisa, reunir todas as chaves para poder abrir a caixa. Somente uma conseguirá, mas a troco de que?

••••••••••

Sentiu uma vibe meio Jogos Mortais? Pois é, eu também. Pá de Cal é um conto de quarenta páginas extremamente interessante. Ao ler esse conto eu senti coisas muito parecidas com as que senti ao ler Caixa de Pássaros. O medo da busca e do desconhecido. A vontade de fazer alguma coisa, mas a angústia de não saber exatamente o que fazer. Para onde ir? Por quê? Como? Quem? Sim, muitas perguntas!

Assim como O Sorriso da Hiena, Pá de Cal questiona o que as pessoas são capazes de fazer para conseguirem o que querem. Gustavo, mais uma vez, nos faz entrar na história, nos faz refletir sobre o que nós faríamos se estivéssemos no lugar de alguma daquelas pessoas. Quando algo muito importante está em jogo, do que nós somos capazes?

Os seis personagens são muito distintos, mas, por ser um conto, as personalidades não são muito aprofundadas, mas elas são nítidas, o que é bom. A escrita do autor e o modo dele nos transmitir a tensão da história funcionou melhor em O Sorriso da Hiena, o que não quer dizer que não funcionou em Pá de Cal. Mas como eu li ambos, não deu para não comparar. Porém, eu posso ter tido essa impressão pelo número mais enxuto de paginas, já que em O Sorriso da Hiena o autor teve mais espaço para desenvolver o seu incrível enredo.

Como era de se esperar, apenas um consegue abrir a caixa, o que nos leva ao final do conto. Achei a explicação surpreendente, não esperava aquilo. A ideia foi muito legal, só achei que precisava de mais algumas páginas para ser melhor trabalhada. A criatividade do autor, mais uma vez, chama atenção. Se você quer ler uma história curta, tensa e ágil, leia Pá de Cal!

Observação: Conteúdo postado quando a plataforma do blog ainda era WordPress. Com a mudança, todos os comentários foram perdidos.

Nenhum comentário

Postar um comentário