15 de junho de 2016

Resenha | Obsidiana - Jennifer L. Armentrout


Autora: Jennifer L. Armentrout

Número de páginas: 335

Ano: 2011

Editora: Entangled Teen

Skoob: AQUI
Sinopse: Começar de novo é um saco. Quando a gente se mudou para o interior, bem no início do último ano do colégio, eu já vinha me preparando para o sotaque caipira, o tédio, a internet lenta e um monte de chatices…Até dar de cara com o meu vizinho lindo, alto de dar tontura e com intimidantes olhos verdes.

Hummm…os prognósticos estavam melhorando. Até que…ele abriu a boca.

Daemon é irritante. Arrogante. Dá vontade de matar. A gente não se dá bem. Não mesmo. Mas, quando um caminhão quase me transforma em panqueca, o garoto literalmente congela o tempo com um aceno de mão e aí, bom, algo inesperado acontece.

O alien gato (meu vizinho) tem poderes!!!

Você me ouviu bem. ALIEN! A verdade é que ele e a irmã têm uma galáxia de inimigos que querem roubar seus poderes. O rastro que deixou em mim brilha como árvore de natal e isso não é nada bom. O único jeito de sair viva dessa é ficar colada em Daemon até a magia alienígena desaparecer.

Quer dizer, isso se eu não matar o cara primeiro.


Meu blog é melhor que o seu vlog!

Katy Swartz acaba de mudar-se com a mãe da Flórida para West Virginia, uma cidade tão pequena que possui apenas um semáforo. Após o falecimento de seu pai, a Florida não parecia mais um lar, a mudança era a coisa certa a fazer. Katy possui um blog literário, o Katy’s Krazy Obsession – como não amar? – e seus hobbies favoritos são a leitura, claro, e a jardinagem. Entediante? Não pra ela. Katy tem uma personalidade muito forte e não liga para o que os outros pensam.

Preocupada com a vida social de Katy, sua mãe acaba observando que na casa ao lado moram um casal de adolescentes e a incentiva a tentar fazer amizade com eles, afinal, seria bom conhecer alguém quando as aulas começassem. Um pouquinho a contragosto, Katy acaba seguindo os conselhos da mãe e vai pedir uma informação na casa ao lado para fazer um primeiro contato. Ela bate à porta e o garoto que atende é espetacular, mas o que ele tem de bonito tem de arrogante, pois lança o maior olhar de desprezo pra ela e a trata muito mal. Katy, que não leva desaforo pra casa, fala umas poucas e boas pra ele, o que faz o cara... rir! Furiosa, ela sai batendo pé é se arrepende amargamente de ter seguido os conselhos da mãe.

Katy acaba conhecendo Dee Black, a outra adolescente que vive na casa, que vem a ser irmã gêmea do crápula que abriu a porta, Daemon Black. Katy e Dee se identificam de cara e em pouco tempo já estão muito próximas, para desgosto de Daemon, que aparentemente tem um novo esporte favorito: insultar Katy a troco de nada.

I thought people in small towns were supposed to be nice, not act like the son of Satan.
Pensei que as pessoas nas cidades pequenas deveriam ser legais, não agir como o filho de Satanás.

Aquela rejeição toda não poderia ser gratuita, poderia? Durante um passeio com Daemon – forçado por Dee, diga-se de passagem – Katy percebe, pela primeira vez, que há algo errado com ele, pois o cara fica submerso durante muito tempo no lago onde foram mergulhar. Quando ela o questiona ele sai pela tangente, falando que ela está vendo coisas, mas Katy tem certeza de que nenhuma pessoa normal poderia segurar o fôlego por tento tempo! As suspeitas de Katy se confirmam quando ela, prestes a ser atropelada por um caminhão, é salva por Daemon, que simplesmente congela o tempo e a livra da morte iminente. Apavorada, Kat foge de Deamon e este, muito contrariado, é obrigado a contar a verdade pra ela: ele não é desse planeta.

Daemon stared at me hard. “We’re not from this planet.” Okay. There. He said what I’d pretty much already figured was the truth, but that told me nothing. “What are you? A vampire?” He rolled his eyes “Are you serious?” “What?” Frustration whipped through me. “You say you’re not human, and that limits the pool of what you can be! You stopped a truck without touching it.” “You read too much.”

Daemon olhou firmemente para mim. “Nós não somos deste planeta.” Ok. Chegamos lá. Ele disse aquilo que eu praticamente imaginei ser a verdade, mas isso não me dizia nada. “O que você é? Um vampiro?” Ele revirou os olhos “Você está falando sério? “O que?” A frustração percorreu o meu corpo. “Você diz que não é humano, e isso limita as opções sobre o que você pode ser! Você parou um caminhão sem ao menos tocá-lo.” “Você lê demais.”

Daemon explica para Katy que ele é um alienígena, mais precisamente um Luxen, um ser de luz oriundo de um planeta chamado Lux. Eles vieram para o planeta Terra em uma chuva de meteoros depois que o planeta deles foi atacado e destruído pelos Arum, seres das sombras e inimigos dos Luxen. Ele conta também que Dee e ele não são os únicos Luxen que moram em West Virginia. E onde há Luxen, há Arum, e agora Katy está correndo perigo, pois sempre que um Luxen usa o seu poder em uma pessoa, ele deixa um rastro de luz nela, e esse rastro de luz varia com a intensidade do poder que foi utilizado. Quando Daemon salvou Katy de ser atropelada pelo caminhão, ele usou uma quantidade enorme de poder, o que faz com que Katy fique brilhando como um raio de sol, somente aos olhos dos aliens, claro. E agora ela precisa ficar perto de Daemon até o rastro desaparecer, pois ele pode levar os Aruns diretamente ao seu encontro. Mas será que isso é uma boa ideia?

Dee met my stare. “They don’t need a reason, Katy. The Arum are evil. They kill us for our powers.” She paused, paling. “And they kill humans for the fun of it.”

Dee encontrou meu olhar. “Eles não precisam de uma razão, Katy. Os Arum são maus. Eles nos matam por nossos poderes.” Ela pausou, empalidecendo. “E eles matam humanos pelo divertimento.”

Uma guerra entre Luxens e Aruns, a luz e a escuridão, está prestes a acontecer. Concomitantemente, a guerra entre Katy e Deamon ganha contornos cada vez mais tensos. Será que eles conseguirão sobreviver à ambas?

••••••••••

Gostaria de começar as minhas considerações ressaltando que vi muito de Crepúsculo em Obsidiana. E antes que vocês falem alguma coisa, peço que deixem-me terminar minhas observações. 😉 O que vemos aqui é basicamente o mesmo “esqueleto”. Há a menina que mudou da cidade grande para a cidade pequena, o cara misterioso que evita a menina em um primeiro momento, o modo como ela descobriu que ele não era uma pessoa normal e até alguns traços da personalidade de Alice em Dee e de Rosalie em Ash, uma outra Luxen. Há algumas outras coisinhas aqui e ali, mas não vou ficar comparando, pois quem leu a saga Crepúsculo vai conseguir associar. O que eu quero ressaltar é que por mais que haja certas semelhanças, Obsidiana tem identidade, e isso fica ainda mais visível da segunda metade do livro em diante.

Todas as brigas, implicâncias e trocas de insultos entre Katy e Daemon poderiam ter feito o livro ficar cansativo, visto que estão presentes em praticamente todo o livro, mas pelo fato da escrita da Jennifer ser fluida, leve e divertida, isso não acontece. Falando em Katy e Daemon, quanta química, minha gente! Sabe aquele ditado que diz que quem desdenha quer comprar? É exatamente isso que vemos aqui. E antes que vocês pensem que o livro foca no romance dos dois eu aviso logo: não há romance! Não o romance propriamente dito. Há um interesse mútuo, mas o foco, pelo menos nesse primeiro volume, é a tensão entre eles, que está presente o tempo todo.

Os personagens são bons, entretanto, há um grande enfoque em Katy e Daemon, sendo assim, os outros personagens ficam um pouco estagnados em seus papéis de coadjuvantes. Porém, acredito que nos próximos volumes isso vai ser resolvido, visto que agora as coisas tendem a ficar mais complicadas e também pelo fato da introdução do relacionamento de Katy e Daemon já ter sido feita. Katy é ótima! Forte, decidida, fala o que pensa e não se deixa intimidar por Daemon. Isso sem contar que ela é blogueira literária, gente! Há diversas passagens onde ela fala sobre o blog dela e sobre seu amor pelos livros. E ela também tem uma blusa onde está escrito: Meu Blog é Melhor Que o Seu Vlog! Onde vende? Já Daemon é aquele personagem que amamos odiar! E sim, ele é lindo e maravilhoso, mas ele não é apenas isso!

Só tenho que fazer uma observação sobre Dee. Ela é uma fofa, extremamente simpática e... extremamente carente! Eu entendi a necessidade que ela tinha de ter uma amiga, mas me coloquei no lugar da Katy e fiquei sufocada! Sabe a Felícia? Às vezes ela possuía o corpo da Dee, tenho certeza! 😀

 Você tem que me amar! Você tem que me amar!

Os Arum não tiveram muito destaque. Jennifer apenas introduziu um pouco do que eles são, o que eles fazem e por qual motivo. Há confrontos, claro, mas são poucos. Porém, de acordo com o rumo que a história toma, tenho certeza de que isso vai ser melhor trabalhado nas continuações. Alguns outros aspectos do livro também chamam atenção, como o fato de haver um Departamento de Defesa que sabe sobre a existência dos Luxen e dos Aruns entre os humanos e também o verdadeiro motivo pelo qual Daemon não quer Katy por perto.

Eu não curto essa capa, já tinha até comentado isso na postagem de primeiras impressões. A Valentina manteve a capa original, mas mudou a disposição do nome da autora e colocou um verde mais aberto no nome do livro, o que fez com que eu desgostasse menos da capa nacional do que da capa original. Lembrando que eu não estou falando que a capa é feia, apenas não gosto de capas com modelos e esse olho aí é bem bizarro! 😛 A qualidade do ebook está ótima, só não gostei dos diálogos entre aspas, mas a versão nacional do livro usa travessões! \õ/

Em suma, Obsidiana é muito legal. Não é uma obra-prima da literatura, mas cumpre o seu papel de maneira muito satisfatória, eu não conseguia parar de ler! O livro termina com um cliffhanger esmagador, o que me fez ficar ansiosíssima para ler Ônix, o próximo volume. Devido ao seu grande sucesso, o livro vai ganhar uma adaptação cinematográfica, entretanto, não há informações sobre elenco ou diretor, apenas sobre a roteirista, que será Ava Dellaira, autora de Cartas de Amor aos Mortos.

Observação: Conteúdo postado quando a plataforma do blog ainda era WordPress. Com a mudança, todos os comentários foram perdidos.

Nenhum comentário

Postar um comentário