4 de fevereiro de 2017

Resenha | Cujo - Stephen King


Livro cedido em  parceria com a editora. 

Autor: Stephen King

Número de páginas: 376

Ano: 2016

Editora: Suma de Letras

Skoob: AQUI

Compre: Americanas | Submarino
Sinopse: Frank Dodd está morto e a cidade de Castle Rock pode ficar em paz novamente. O serial-killer que aterrorizou o local por anos agora é apenas uma lenda urbana, usada para assustar criancinhas. Exceto para Tad Trenton, para quem Dodd é tudo, menos uma lenda. O espírito do assassino o observa da porta entreaberta do closet, todas as noites.

Nos limites da cidade, Cujo – um são Bernardo de noventa quilos, que pertence à família Camber – se distrai perseguindo um coelho para dentro de um buraco, onde é mordido por um morcego raivoso. A transformação de Cujo, como ele incorpora o pior pesado de Tad Trenton e de sua mãe e como destrói a vida de todos a sua volta é o que faz deste um dos livros mais assustadores e emocionantes de Stephen King.

 

— Mamãe — disse ele, pesadamente. — Como é que o monstro do meu closet conseguiu sair? Eu estou sonhando? Estou tendo um pesadelo?

Vic e Donna Trenton mudaram-se de Nova York para a bucólica Castle Rock, cidadezinha situada no estado do Maine. Eles tinham um filho de quatro anos chamado Tadder, ou Tad, como era frequentemente chamado. O menininho estava tendo dificuldades para dormir, pois falava que havia um monstro no armário do seu quarto. Seus pais, claro, desencorajavam essa ideia, falando que não havia monstro algum, mas na cabecinha de Tad quem estava em seu armário era o espírito de Frank Dodd, sujeito que havia aterrorizado Castle Rock há alguns anos.

Quando ainda morava em Nova York, Vic trabalhava em uma agência de publicidade e era muito competente no que fazia. Algum tempo depois, ele resolveu abrir sua própria agência e, junto com seu melhor amigo, Roger, fundou a Ad Worx. Os dois amigos chegaram a conclusão que o estado do Maine seria perfeito para sediar a empresa, sendo assim, os dois mudaram-se com suas respectivas famílias. Quem não gostou muito dessa ideia foi Donna. A mulher não conseguia gostar de Castle Rock, pois sentia falta de sua antiga rotina. Sentindo-se entediada, Donna acaba tendo um caso extraconjugal.

Nesta história também vamos conhecer a família Camber, composta por Joe, um mecânico machista e grosseiro, Charity, esposa submissa de Joe, e Brett, filho dos dois, que a cada dia se parece mais com o pai. Os Camber eram donos de Cujo, um enorme e dócil São Bernardo... até o dia em que ele é mordido por um morcego e contrai hidrofobia, mais conhecida como raiva.

O morcego se encolheu e mordeu Cujo, rasgando a pele sensível do focinho em um corte longo e curvo, no formato de um ponto de interrogação. Um instante depois, morimbundo, o morcego saiu voando aos trancos e barrancos para o fundo da caverna calcária. O estrago, porém, já estava feito: a mordida de um animal raivoso é mais grave perto da cabeça, porque a raiva é uma doença que afeta o sistema nervoso central. Cães, mais suscetíveis que seu donos humanos, nem sequer podem esperar proteção completa da vacina antirrábica, administrada por qualquer veterinário. E Cujo jamais fora vacinado contra a raiva.

Vic acaba descobrindo a traição de Donna, e isso acontece pouco tempo antes de uma viagem de negócios, pois a Ad Worx está enfrentando problemas com a iminente saída de seu principal cliente. Vic fica arrasado com essa descoberta, pois ama muito a esposa. Ela, por sua vez, aparenta estar muito arrependida. Vic vê nessa viagem uma oportunidade de colocar a cabeça no lugar para pensar no que fará a respeito do assunto. 

Charity consegue ganhar um dinheiro na loteria e resolve pedir permissão a Joe para viajar com Brett para Connecticut, mais precisamente para a casa de sua irmã, a quem não via há muitos anos. Estúpido como sempre, Joe nega em um primeiro momento, mas acaba cedendo. A intenção de Charity é tirar Brett de perto de Joe por um tempo para mostrar ao menino outras perspectivas de vida.

Ela sempre sentia um arrepio quando Joe levantava a voz daquele jeito para chamar o filho. Brett amava muito o pai, mas Charity nunca conseguiu saber com certeza se a recíproca era verdadeira. Era um pensamento terrível, mas era verdade. Certa noite, uns dois anos antes, ela tivera um pesadelo terrível, que achou que jamais esqueceria. Sonhou que o marido enfiava um forcado direto no peito de Brett. Os dentes varejaram o menino e furaram as costas da camiseta, erguendo aquele corpo como as varetas que sustentavam uma barraca a erguiam no ar.

Cujo está cada vez mais doente...

O carro de Donna está dando problemas, e não dá para ficar com uma criança pequena, para cima e para baixo, sem um carro. Antes de ir para o aeroporto, Vic fala para ela levar o carro na propriedade de Joe Camber para ele poder dar uma olhada. Vic parte e Donna fica sozinha com Tad e seus monstros imaginários.

Chega o dia da viagem de Charity e Brett. O menino percebe que há algo errado com Cujo, mas Charity diz que tudo vai ficar bem, que Joe vai cuidar do cachorro. Joe, por sua vez, quer aproveitar esse momento a sós para farrear com um amigo, mas acaba descobrindo sobre a doença de Cujo da pior maneira possível.

Donna coloca Tad no carro e sai rumo a propriedade de Joe. Chegando lá, obviamente, ela não encontra o homem, mas encontra um São Bernardo sedento por sangue. O cachorro começa a avançar em direção ao carro, chegando a jogar-se contra a lataria. Tad fica muito assustado e começa a gritar, pedindo para ir embora. É quando o carro enguiça de vez e não dá mais nenhum sinal de vida. Nem as buzinas de Donna parecem chamar a atenção de alguém, e, em uma época em que não havia celulares, Donna fica presa em seu carro com um menininho de quatro anos. Do lado de fora, Cujo fica esperando o momento em que Donna precisará sair, e ele não tem pressa...

Cujo se jogou contra a lateral do carro de novo. E de novo. E de novo. Agora o amassado na lataria era bem profundo. Cada vez que os noventa quilos do cão atingiam o Corcel, o carro balançava sobre os amortecedores. Cada vez que ouvia aquele baque pesado e surdo, Donna tinha certeza de que o cão tinha se matado, ou pelo menos desmaiado. E cada vez o cão voltava a andar até a casa para depois se virar e lançar uma nova investida. O rosto de Cujo era uma mistura de sangue e pelo. Por trás dessa máscara hedionda, os olhos, no passado mansos e castanhos, espiavam agora com fúria irracional.


••••••••••

Passei muito tempo sem ler algo do Stephen King. O último livro que li do autor foi Desespero, no longínquo ano de 2009. Quando vi que poderia solicitar Cujo não pensei duas vezes, pois seria uma ótima oportunidade para voltar a ler algo desse aclamado autor.

Confesso que em um primeiro momento a leitura não me prendeu. Stephen é muito detalhista e eu curto histórias mais sucintas, que não possuem muitos rodeios. Só que eu entrei na leitura com o intuito de gostar dela, pois eu já sabia que o estilo do autor era esse, então se eu me propus a ler eu tinha que enxergar além disso. A leitura foi um pouco arrastada por umas sessenta páginas, mas depois o ritmo foi melhorando eu mergulhei na história.

Eu concentrei o resuminho da história nas duas famílias, pois seus membros são os personagens mais importantes para a narrativa, mas em Cujo nós temos outros personagens, como o amante de Donna, que só está presente para desencadear toda crise entre o casal. Temos também Roger, que está na história para fazer o papel de melhor amigo mesmo, sem uma importância maior.

Donna é muito egoísta ao colocar a culpa de suas atitudes na mudança. Ela amava o marido, não duvidei disso em nenhum momento, mas achei-a covarde e mesquinha nesse aspecto. Vic, por sua vez, é comprometido com sua família e um pai e um marido super atencioso, em contrapartida, é uma pessoa passiva em sua vida privada, muito diferente de como é em sua vida profissional. Charity é a típica dona de casa submissa, que aceita tudo o que o marido fala e está acostumada com patadas e grosserias. Brett é um bom menino, mas como era de se esperar, vê no pai o seu herói, e não consegue enxergar que as coisas que Joe faz são erradas.

Cujo, o cachorro, possui pensamentos e eu achei isso muito interessante. Saber o que se passava na cabeça do cachorro foi essencial para dar o tom certo a essa história.

É interessante ver como todas as tramas se conectam direta ou indiretamente, e como, no fim das contas, todos são afetados pelos acontecimentos.Cujo é o cachorro dos Camber, mas quem mais acaba sofrendo com as consequências da doença do animal são Donna e Tad, mas Charity e Brett, mesmo estando longe, acabam sendo atingidos, assim como Vic. Tudo que podia dar errado, deu. É um emaranhado de desventuras em série, e sim, peguei a referência porque sou dessas. 😛

Algumas pessoas podem estranhar o fato de um cachorro ser o 'vilão" da história, mas Cujo, no fim das contas, é muito mais do que isso. A história fala sobre as nossas escolhas e de como elas fazem de nós o que somos e dos acontecimentos o que eles são, pois uma escolha errada ou uma titubeada podem mudar toda uma situação. Cujo fala também do livre arbítrio, do ser mau por escolha e do ser mau por uma fatalidade.

Eu não achei o livro aterrorizante, pois como falei na resenha de Jantar Secreto, são poucas as coisas que me abalam, mas eu com certeza não queria enfrentar o que Donna enfrentou. Se eu me alongar muito falando sobre o final e sobre o que eu achei dele eu vou acabar entregando o que acontece, então me limito a dizer que o final não poderia ter sido diferente do que foi, por mais que não tenha sido o que eu esperava.

Sobre a edição eu só tenho uma coisa pra falar: 😍

Um dos livros mais caprichados que eu possuo, sem sombra de dúvidas. A capa é dura e a pata que ilustra a mesma é em baixo-relevo, como se fosse uma pegada de verdade. A história não possui capítulos, ela é contada como se fosse um filme e toda mudança de cenário ocorre como se fossem cortes de cena. Pode soar cansativo, mas garanto, não é. Há pausas confortáveis que podem ser feitas entre uma mudança de cenário e outra.  As folhas são amareladas, a fonte possui um tamanho confortável e eu não encontrei erros de revisão. Ao final da história nós temos uma entrevista muito interessante com o autor e nela muitas coisas são abordadas, como seus vícios, seu processo de escrita e seu modo de lidar com as críticas.


Cujo ganhou uma adaptação em 1983. Tenham em mente que os recursos da época eram limitados. Assim que eu puder vou assistir e depois venho contar para vocês o que achei!

51 comentários

  1. Oi Tami, tudo bem?
    Tenho que admitir que acho meio esquisito o "vilão aterrorizador" ser um cachorro com raiva hahaha! Tudo bem que talvez existam elementos sobrenaturais (ou não), mas ainda assim eu não comprei muito a ideia.
    Mas a edição tá mesmo linda, daquelas para se colecionar mesmo.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tami!
    Menina, tu sabes que sou louca pelo King. Quero muito ler cujo, mas saber que não tem capítulos separando me deixou um cadinho decepcionada. Leituras assim são bem maçantes para mim.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Quatro Anos de Minhas Escrituras

    ResponderExcluir
  3. Oi, Tami!
    Já vi esse livro inúmeras vezes, mas não imaginava que o tal Cujo era um cachorro e, mais ainda, o vilão da história. Gostei do fato dele ter pensamentos, já li um livro assim (embora não de terror) e sei que isso faz muito diferença. Nem lembro quando foi a última vez que li algo do King, preciso mudar isso já!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  4. Oiii Tami

    NUnca li nada do King, apesar de ter o livro dele, It, como um eterno pendente da minha lista. Achei interessante o cachorro ser o vilão da história, original e diferente, muito o King mesmo. Fico feliz de saber que a leitura foi boa, vou anotar na listinha.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  5. Oi Tamires!
    King é meu autor preferido, porém ainda não li esse livro. Que linda essa edição, vou procurar!

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  6. Oi, Tamii!!
    Nunca li nada do King!
    Mas morro de vontade, tenho um amigo que é super fã e me atormenta para ler logo algo do autor, espero que seja esse ano.
    Adorei seu post!!

    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  7. Oi, Tami.
    Meu esposo está lendo esse livro e ta me enchendo o saco para ler também haha.
    Sua resenha me deu mais vontade afinal tá bem explicadinha , já meu esposo só quer que eu leia haha.
    Beijo

    Te Conto Poesia ♥

    ResponderExcluir
  8. Olá
    Eu nao conhecia esse titulo, mas fiquei bem interessada depois de ler seus comentários e a premissa parece ser ótima, ainda mais sendo do autor e por eu já ter tido ótimas experiências com ele, e por curtir o gênero também. Fiquei bem curiosa quanto ao desenvolvimento, seja pela parte da ambientação quanto personagens, entre outras características. Pelo que pude compreender por aqui, os elementos são ótimos. Espero poder ler em breve, e obrigada pela indicação!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  9. Olá.
    No meu caso eu passei um tempo mas longo que o seu, pois demorei 18 anos para ler algo do King. Li Misery em janeiro e achei muito bacana, e tenho que concordar que em certas passagens o autor se tornou bem detalhista em coisas não tão importantes. A proposta desse livro é bem bacana, e como esse autor é dos clássicos, a maioria de suas adaptaçoes são dos anos 80 e 90 e realmente os recursos da épocas são bem diferentes da cinematográfica de hoje. Adorei a resenha e pretendo muito ler essa obra. Até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Olá!

    Eu nunca li nada do King. Eu sei, isso é uma vergonha! Mas já ouvi falar muito dele e já até tive experiências com filmes adaptados dos livros dele e sei muito bem que essa coisa de por um cachorro como vilão é mesmo a cara do King. Só ele mesmo. hahaha'
    Eu me interessei muito pela trama, e por ser uma medrosa por natureza, adorei ler seu comentário dizendo que o livro não é tão aterrorizante assim. Esse ano quero me dedicar aos livros dele e, certamente, colocarei esse na minha listinha. Obrigada pela dica.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  11. Oi, Tamires!
    Tenho "Desespero" em dois volumes e capa dura, edição bem antiga, mas eu adoro. Não tive chance de ler ainda. Li poucos livros do autor até agora. :/
    Quando bati o olho em "Cujo" maravilhada com a edição. o/
    Mesmo tendo lido poucos livro do autor, já sei que ele gosta de detalhar e passear pela mente dos personagens, dando sempre profundidade a esses. Estou bem curiosa para realizar a leitura.
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Tami!! Tudo bem??

    Menina, que doideira! É a primeira resenha que leio e assim, me esclareceu MUITA coisa. Tô até apavorada aqui kkkkkk Pensei que fosse uma coisa, mas é outra. Por exemplo, o nome do cachorro. Pensei que fosse uma jogada aí do autor com o pronome "cujo", mas é só o nome dele mesmo. Não deve ser aterrorizante igual Joyland. Mas mesmo assim são histórias fantásticas e gostaria de ler Cujo um dia. Beijos,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
  13. Olá, Tamires.
    Essa capa parece estar maravilhosa mesmo. Não sou muito fã dos livros do autor. Acho eles extremamente enfadonhos nas primeiras 100 páginas. pelo menos todos os que li dele até agora foram assim. E olha que já li uns vinte livros dele. E também fico esperando sentir medo e nada. Mas achei o enredo desse interessante. Gostei de saber que dá para ver os pensamentos do cão e estou curiosa para saber o que aconteceu.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  14. Oie! Tudo bem?
    Eu já li outra resenha desse livro e sinceramente não lembro o que achei do livro na época, mas curti o seu ponto de vista e principalmente que o autor descreve os pensamentos do cachorro, mas não sei se leria o livro por agora, principalmente pelo tio King ser detalhista, mas está na lista!
    Bjss

    ResponderExcluir
  15. Uau, quero já ler o livro, adoro esse tema e estou com muita vontade de ler alguma coisa do King. Jura que não achou aterrorizante? Eu já fiquei apavorada só com o trailer do filme kkkkk Adorei a edição também <3

    Memórias de uma Leitora

    ResponderExcluir
  16. Oi
    Nunca li nada do autor, mas dentre as resenhas que vejo, este parece ser o livro mais estranho. Não faz sentido para mim que o vilão do enredo seja o cachorro, meio tenebroso demais rsrs.
    Não faz meu estilo de leitura e agora com a sua resenha, muito menos, não me atraiu.
    Mas preciso dizer que a sua resenha está muito bem escrita.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi! Essa leitura parece muito instigante. Todos os personagens parecem bem caracterizados, de um jeito que nos faz considerá-los em suas fragilidades e potencialidades. O casal vivendo um momento complicado, com traição e arrependimento, o cão com um misterioso comportamento e doente, o carro e a ida ao mecânico que culmina no entrelace de vários acontecimentos... Enfim, curti. Vou ler, espero, em breve. Confesso, flor, que a resenha me soou um pouco longa... :/

    Beijos!
    http://www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Oie Tami =)

    Tenho que confessar que o King é um autor que já tentei ler várias vezes e não consegui.

    Acho que narrativa dele não é para mim, sem falar que os livros dele tem um grande potencial de me deixarem morrendo de medo XD

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  20. Oi Tami,
    Acredita que nunca li nada do King?
    Mas já tenho alguns livros dele na minha lista para ler, só preciso arrumar um tempinho rsrs.
    A premissa é interessante, mas vou ficar com os outros que tinha em mente no momento.
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  21. Olá! Ainda não tive a oportunidade de ler uma obra do King. Sinto que estou perdendo meu tempo, pois pelo visto as histórias são muito interessantes, assim como os personagens. Tenho uma amiga que é "doente" pelos livros dele. Eu, em contrapartida, estou por fora das obras do autor e nem sabia que esse livro recebeu uma adaptação rsrs
    Adorei a resenha. Você se empolgou bastante para escrevê-la, hein? Pois é bem extensa, o que eu acredito que seja um ponto positivo, pois mostra seu envolvimento com a obra.

    Beijos!
    http://albumdeleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Oi! Parabéns pela resenha. Infelizmente não gosto do gênero escrito. Quem sabe no futuro mudo de ideia, nunca se sabe. Bjos <3

    Click Literário

    ResponderExcluir
  23. Oi, Tamires. Eu nunca li nada do autor então não sei bem o que esperar das obras dele, até porque detesto coisas detalhadas demais, então sempre fico com um pé atrás na hora de procurar algo para ler. Além disso, o gênero não é meu favorito, fico com medo de começar a ler e não conseguir prosseguir na leitura. Mesmo assim, quero muito conhecer a história de Cujo e seus personagens.
    Beijo! https://leitoraencantada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Não li muitos livros do Stephen King, mas todos os que eu li, eu gostei demais, então, já estou anotando esta dica aqui, porque não lembro de já ter visto o livro. Fiquei curiosa com a questão do cão ser o vilão e eu quero descobrir mais sobre isso.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Oi, Tami!
    Não li nada do King até hoje #SHAMEONME
    Mas é que ao contrário de você que não se abala por nada, eu me abalo com pouco. Sou medrosa para burro, hahaha.
    E dizem que Cujo é um dos piores para dar medo, não sei se me aventuro, não. Preciso começar por um mais leve.
    Achei super legal o fato do vilão ser o cachorro e ele ter pensamentos. Isso provavelmente deixa tudo mais interessante.
    E que capa realmente linda! Adorei ser baixo relevo como uma pata mesmo.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com
    www.livrosdateca.com

    ResponderExcluir
  26. Olá Tami,
    Olha na parte que você narrar o incio do livro eu já estava achando bem paradão e isso se confirmou quando você falou na sua opinião. Nunca li nada do Kings e acho que não vou começar por esse livro. Além de ser detalhista essa história com animal me deixa dividida, porque amo cachorro, mas sei que vou sentir muito ódio dele. rsrsrs
    O bom é que é um livro menos extensos que outros do autor então talvez tenha uma narrativa menos complexa.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  27. Oi, tudo bem?
    Acredita que nunca li nada do King? Apesar de ver várias pessoas elogiando os livros dele, nunca tive interesse. Não curto muito livros de terror e passo longe de qualquer um desse gênero hahaha. Por incrível que pareça, o único dele que tenho curiosidade é sua autobiografia "Sobre a escrita".
    De qualquer forma, adorei a resenha e o modo como você apresentou o livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. Olá Tami,
    Já li algumas obras do King e gostei do que encontrei, com exceção de Carrie, que achei bem ruim.
    Desde o 'boom' desse livro, estou curiosa para ber e essa curiosidade só aumenta a cada resenha. Gosto da ideia de um cachorro pensar e acho isso um ponto mega positivo para a estória.
    Achei legal, também, a trama se conectar, direta ou indiretamente.
    Espero ler em breve.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  29. Olá ♥
    Bom como sou uma pessoa muito medrosa não li nada do King, mesmo tendo uma certa curiosidade sempre deixo passar, pelo fato dele ser muito detalhista. A premissa desse livro é bem intrigante, fiquei curiosa em saber um pouco mais, não sei se leria pelo fato de não curtir muito o gênero, mas tenho que confessar que fiquei curiosa. Adorei a resenha muito bem elaborada. Beijos

    ResponderExcluir
  30. Essa edição está realmente linda demais!!! Toda vez que vou à livraria, pego o livro e fico namorando hahaha. Gostei de saber que há uma lição por trás da história, porque não é sempre que um livro de terror consegue fazer isso.
    Ainda não li nada do King, estou lendo o início de Misery e confesso que a história ainda não me pegou, vamos ver no que vai dar...



    ourbravenewblog.weebly.com
    Participe do nosso TOP COMENTARISTA valendo um livro JANTAR SECRETO do autor Raphael Montes :)

    ResponderExcluir
  31. Admito que apesar de gostar das histórias do SK, também tenho esse problema com a escrita densa e detalhista dele. Curto também coisas mais diretas, e quando vou ver já estou zzzz. Gostei bastante da premissa de Cujo, achei interessante que algumas partes tenham os pensamentos do cachorro, mas já tô vendo matarem o coitado no final kkkk

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  32. Olá Tamires,

    King e seu relacionamento com Maine (esse homem ama o estado, só pode!) rs.

    Gosto muito dos filmes e séries desenvolvidas pelos autor (Under the Dome é uma das favoritas), mas nunca tive a oportunidade de ler um livro dele. Estou até pensado que Cujo pode ser o primeiro.

    Achei a história envolvente, tensa e emocionante, recheada de dramas e complexos que retratam a vida real dos personagem com um toque de fantasia do imaginário. Um livro que com certeza vale a pena ler.

    Amei sua resenha (fui uma das mais completas e envolventes que lí nos últimos tempos)! Parabéns!!

    Beijinhos ;*
    Jessica Correa
    www.blogmodernagem.com.br

    ResponderExcluir
  33. Olá,

    Fiquei lendo sua resenha e sentindo toda a emoção que deve ser estar com essa obra em mãos. Gostei muito da construção dos cenários e claro, desses personagens tão diferentes e únicos. Fiquei curiosa pelo monstro no armário do garoto e claro, como não querer saber mais sobre Cujo e essa cena no carro, que está de arrepiar. Já queria ler este livro antes, mas com sua resenha fiquei ainda mais motivada. Vou comprar o meu exemplar para ler no carnaval e aproveitar mais uma vez, esse excelente universo criado por King.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  34. King e King. Não tem o que falar o cara é o cara sempre. Os personagens são sempre únicos e os enredos e tensões que ele cria deixam a gente sempre querendo mais. Não li ainda esse livro dele, mas li vários outros. E todos são ótimos!
    bjos
    www.causoseprosas.com.br

    ResponderExcluir
  35. Oiee Tamires ^^
    Não lembro de ter visto nada sobre esse livro antes, mas eu nunca li nada do Stephen. Tenho curiosidade de ler "Sob a redoma", porque gostava da série de TV, mas, fora ele, os outros livros do autor não me chamam a atenção. Isso porque eu não gosto muito do gênero. Mas achei interessante o autor ter deixado os pensamentos do cachorro.
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  36. oi, bacana ver que esse livro te cativou, apesar de o começo ter sido arrastado. Confesso que não li muitas coisas do king e não sinto muita vontade, mas acho que nessa história eu me sentiria como você, não me aterrorizaria, j[á que não sou facilmente impressionável. Espero que você volte a ler o autor ainda mais. Ah, e amei a história da entrevista que teve com ele.

    ResponderExcluir
  37. Oi, preciso dizer que por mais que a leitura tenha sido arrastada no início e depois melhorado para você, eu não dou conta de ler algo dele porque me irrita e não consigo gostar de tantos detalhes... A história também não me cativou e realmente acho que a Donna é fraca, por mais que a mudança seja difícil isso não justifica ela ter um caso, e só de pensar em um animal como vilão.. eu prefiro nem ler para depois não ter medo de qualquer cão que eu ver na rua... afinal me impressiono fácil com história assim. Você conseguiu apresentar a obra perfeitamente bem, parabéns, mas dessa vez eu passarei a dica! Mas fico feliz que você tenha gostado!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  38. Olá!
    Acredita que nunca li nada do autor? Mas morro de vontade de começar por esse que você resenhou, então você falar sobre o estilo de escrita do autor foi um ponto essencial para não desistir do livro por causa desse motivo. Achei muito interessante a gente saber também os pensamentos do cachorro e a importância disso para a história.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  39. Oi oi querida,
    Eu nunca me arrisquei a ler nenhum livro do Stephen. Mas com a sua resenha fiquei tão curiosa para conhecer o livro ,que acho que essa vai ser a minha próxima leitura. Fico muito feliz que você tenha gostado da adaptação do livro, pois é raro leitores gostarem... e espero gostar da leitura assim como você.

    P.S amei o seu templete do blog.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  40. Olá,
    Realmente a escrita do autor é bem detalhista, que pode afastar alguns leitores, as acredito que este seja uma principal característica dele que me chama atenção. Gosto de como ele explica tudo e deixa o leitor viajando pelas páginas. Realmente este não é a obra mais assustadora dele, mas amo de paixão.

    ResponderExcluir
  41. Ooi,
    Eu nunca li nada do autor, e eu seeei, isso é um absurdo! Como sou muito fraca para terror sempre acabo passando os livros dele para trás por medo de não conseguir dormir depois kkk mas estou juntando coragem para pegar um livro dele. Talvez Cujo seja uma boa opção para começar...

    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir
  42. Oi!

    To louca para ler esse livro, principalmente pelo fato do cujo ter pensamentos, adoro quando os autores colocam esse artificio em um animal e nos transmite. A história em si, me parece ser ótima. Adorei a sua resenha, espero ler logo. :)

    bjs!

    ResponderExcluir
  43. Oi, Tamires!
    Eu também não queria está na pele da Donna! Interessante o fato de Cujo, a cachorro possui pensamentos, acho que a leitura fica bem diferente assim, gosto de livros detalhados então acho que iria gostar!
    Mas um livro do King que entra para lista de leitura, nunca li nada do autor.
    Parabéns pela resenha!

    Beijos!
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  44. Oi
    nunca li nada do autor e esse livro é antigo né pela data do filme, parece ser algo legal, mas mesmo você não tendo achado assustador não sei se leria.
    Achei a capa bonita.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  45. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  46. Olá, tudo bom?
    Nunca li nada do autor e confesso que morro de medo das obras dele. Ao contrário de você, fico impressionada com qualquer coisa que leio ou vejo, então só por aí já acho que as obras desse autor não são para mim! rs Uma pena que o excesso de descrições não tenha deixado que você gostasse da leitura desde o começo, mas, achei bem interessante essa questão do cão ser o vilão da história e quis entender como isso funciona e como as histórias dos personagens se cruzam. Enfim! Quem sabe eu leia quando for menos medrosa? rs Adorei a resenha e as fotos!!

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  47. Oie
    parece ser uma ótima leitura até pq é o rei hahaha eu não tenho lido nada dele ultimamente por falta de tempo mas adorei a sinopse e sua resenha, parece ser uma bela opção de leitura

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  48. Olá!
    Eu sou suspeita pra falar dos livros do Stephen King, sempre que aparece um que eu ainda não conheço, eu já fico louca pra ler. Esse eu já conhecia, mas ainda não consegui comprar, afinal, os livros do autor, pelo menos nas livrarias da minha cidade, são bem caros. Eu não sabia que tinha uma adaptação, depois vou ver. Apesar dos recursos limitados da época, como você disse, eu adoro filmes mais antigos.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  49. Oi, tudo bem?
    Eu nunca li nada desse autor e confesso que não costumo muito ler esse tipo de história, mas tenho curiosidade em ler algo dele e ainda não conhecia esse livro. Achei a premissa muito interessante, toda essa coisa do cão com raiva, mas assim como você prefiro histórias mais sucintas e por isso acredito que também não iria me prender de início. Também achei bem interessante o cão ter pensamentos e a edição parece linda mesmo. Enfim, gostei bastante da sua resenha e espero ler esse livro um dia.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  50. Stephen King é um dos meus autores favoritos, mas ainda não li cujo! Li diversas obras e sou doida para ter essa edição de Cujo!

    Também não vi o filme, mas quando chegou no Brasil eu era muito pequena... Aí só sei o que me disseram, haha!

    Gostei muito da sua resenha, frisando as coisas importantes além da doença do animal. Por um momento, achei que o cachorro além da raiva ia ficar possuido pelo fantasma do passado, uahuahuah!

    Ótima resenha!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  51. Olá!
    É bem comum dos livros do King terem um início mais lento, acho que é da escrita dele mesmo, apesar de eu ter lido pouca coisa dele até agora. Não li muito porque não é meu estilo de história (terror, etc), mas gostei bastante dos que li. Adorei a participação do cachorro hahaha muito fofo
    Beijos,

    Luana

    ResponderExcluir