2 de maio de 2017

Resenha | Em Águas Sombrias - Paula Hawkins


Livro cedido em parceria com a editora.

Autora: Paula Hawkins

Número de páginas: 364

Ano: 2017

Editora: Record

Skoob: AQUI

Compre: Americanas | Submarino
Sinopse: Nos dias que antecederam sua morte, Nel ligou para a irmã, mas Jules, como sempre, não atendeu seu telefonema. Agora Nel está morta. Dizem que ela se suicidou. E Jules foi obrigada a voltar ao único lugar do qual achou que havia escapado para sempre.

Mas Jules está com medo. Com um medo visceral. De seu passado há muito enterrado, da velha Casa do Moinho, da certeza de que Nel jamais teria se jogado para a morte. E, acima de tudo, ela está com medo do rio, e do trecho que todos chamam de "O Poço dos Afogamentos"…

Com a mesma escrita frenética e a mesma caracterização precisa dos instintos humanos que cativaram milhões de leitores ao redor do mundo em seu explosivo livro de estreia, A garota no trem, Paula Hawkins nos presenteia com uma leitura eletrizante, que supera todas as expectativas, sobre as histórias que contamos de nosso passado e sobre o poder que elas têm de destruir nosso presente.

 

Ninguém gostava de pensar que a água daquele rio era infectada com o sangue e a bile de mulheres perseguidas, de mulheres infelizes; eles a bebiam todos os dias. 

Nel Abbott e Jules Abbott são irmãs. Muitas coisas aconteceram no passado dessas mulheres e essas situações fizeram com que elas se afastassem completamente. Nel até que tentava entrar em contato com Jules, mas esta nunca atendida suas ligações. Até que alguém telefona para Jules querendo falar a respeito de Nel. Jules pensa que a irmã está tentando chamar sua atenção e que se meteu em alguma encrenca, mas não. Nel Abbott está morta.

A linha inicial da investigação aponta a causa da morte como suicídio e tudo o que se sabe é que ela morreu no mesmo local pelo qual era fascinada: o Poço dos Afogamentos, situado no rio que rodeia o pequeno vilarejo de Beckford, Inglaterra. Nel tinha uma filha de quinze anos, e é por ela que Jules retorna ao vilarejo, onde jurou nunca mais colocar os pés.


Chegando em Beckford, Jules conhece Sean Townsend e Erin Morgan, detetives responsáveis pelo caso, e Lena Abbott, filha de Nel, que era uma cópia exata da mãe quando mais nova. Conforme vai sendo colocada a par da situação, Jules fica sabendo que houve outra morte recente no rio, a de Katie Whittaker, melhor amiga de Lena. Mais duas mortes para a conta de vidas tomadas pelo rio, sendo uma delas a de Lauren Slater, mãe de Sean, e é por isso que esses casos sempre mexem muito com ele.

Jules não consegue acreditar que Nel tenha se matado. Ela era muito passional, muito intensa e sim, era fascinada pelo rio e por todas as vidas que ele havia tomado para si, mas Nel Abbott não era suicida. E quando Jules descobre que a irmã estava escrevendo a história do Poço e de suas vítimas tem ainda mais certeza que algo mais aconteceu naquela noite.

Alguma coisa apertou dentro do meu peito. Fui para a cozinha e chorei. Se falhei com você, preciso saber como. Posso não ter amado você, mas não tolero a ideia de vê-la abandonada dessa forma, descartada. Quero saber se alguém lhe fez mal e por quê; quero que paguem por isso. Quero esclarecer tudo para que talvez você possa parar de cochichar no meu ouvido que não se jogou, não se jogou, não se jogou. Eu acredito em você, está bem?

Nel não era muito bem vista no vilarejo, era considerada liberal demais, uma péssima mãe. E quando começou a escrever a história do Poço dos Afogamentos despertou a ira de muitas pessoas, principalmente a dos familiares das vítimas. Mas Lena tem certeza de que a mãe se jogou, que se matou, que a abandonou. Ela tem motivos para acreditar nisso, mas se recusa a dividi-los com quem quer que seja. Sendo assim, a situação torna-se mais confusa a cada dia que passa.

— Você sabe o que eu acho estranho, Lena? Você não parece nem um pouco curiosa para saber o motivo pelo qual Katie fez o que fez, ou o motivo pelo qual sua mãe fez o que ela fez. Quando alguém morre dessa forma, a pergunta que todo mundo se faz é por quê? Por que fariam uma coisa dessas? Por que tirariam a própria vida quando tinham tantos motivos para viver? Mas você, não. E o único motivo, o único motivo, que me ocorre para isso é que você já sabe.

E é em cima disso que a história se desdobra. Nós conhecemos muitos outros personagens e o nível de envolvimento deles no caso. Acompanhamos também Jules recordando momentos de sua infância e juventude, momentos estes que foram os responsáveis pelo seu rompimento com Nel. A história nos mostra que as palavras não ditas têm mais poder de destruição do que aquelas que são berradas aos quatro ventos, e que fragmentos do nosso passado, muitas vezes, não passam de ilusões criadas para nos proteger.


Há quem diga que essas mulheres deixaram algo de si na água, outros, que a água retém parte do poder de cada uma, pois desde então tem atraído para suas margens as desventuradas, as desesperadas, as infelizes, as perdidas. Elas vêm aqui para nadar com suas irmãs.

••••••••••

A Garota no Trem foi uma das minhas melhores leituras de 2015. Foi um livro que li sem nenhuma pretensão e que acabou entrando para a lista de livros favoritos; logo, minhas expectativas para a leitura de Em Águas Sombrias estavam lá nas alturas. O segundo livro de Paula Hawkins não é nada daquilo que eu estava esperando, e se você, assim como eu, está esperando sentir as mesmas sensações proporcionadas pela leitura de A Garota no Trem, esqueça, pois os dois livros são como água e óleo. Agora você deve estar pensando que isso é uma coisa ruim, não é mesmo? Pois não, não é. 

Em Águas Sombrias possui uma história simples e complexa ao mesmo tempo e essa combinação mostrou-se muito inteligente e intrigante. Sua recepção tem sido controversa, muitas pessoas estão falando que o livro é ruim e confuso, direito delas, claro, mas eu lhes digo que de confuso o livro não tem nada. O que mais tem incomodado as pessoas, pelo que pude perceber, é a quantidade de pontos de vista que o livro possui: catorze. Às vezes a narrativa se dá em primeira pessoa, outras em terceira, e também temos fatos no passado e no presente. E não, não é confuso, é complexo, como mencionei acima, e essas são duas palavras BEM diferentes. Mas eu lhes digo que todos os POV se encaixam perfeitamente no propósito do livro. E que propósito é esse, Tami? A crítica ao machismo, ao patriarcado, e a falta de voz das mulheres na sociedade. 

Antes de entender uma crítica é preciso saber o que está sendo criticado, e como o machismo na nossa sociedade é faz de conta - SQN - fica difícil de enxergar aquilo que está bem na nossa cara.


Vi algumas pessoas falando que o livro tem bruxa, magia, really? Dar a entender não quer dizer que algo exista de fato. Vamos ao papel que o termo "bruxa" tem no livro: muitas bruxas eram condenadas apenas por não se encaixarem no padrão social da época, apenas por serem diferentes, por não aceitarem migalhas, por acharem que podiam mais, e as "bruxas" de Em Águas Sombrias foram condenadas pelo mesmo motivo. Por serem mulheres que queriam mais, em todos os sentidos possíveis.

O "misticismo" do livro está apenas em Nickie, uma personagem clarividente que auxilia alguns personagens. E não, ela não é bem explorada, mas isso é proposital, pois Nickie se esconde, só usa seu dom em doses homeopáticas e mesmo assim só depois de deliberar bastante.

Me deu uma imensa vontade de fazer um vídeo para poder falar sobre todos os pontos que estão apontado como defeito. Me deu vontade de falar "Eiii, não, vocês entenderam tudo errado!", mas quem sou eu para fazer isso? Se eu mesma digo para vocês não levarem a opinião de ninguém como verdade absoluta, nem mesmo a minha? 

Os personagens são muito bem construídos, mas são moldados no estilo Paula Hawkins, ou seja, dúbios. Dá pra desconfiar de todo mundo pelo menos uma vez. 

Então o livro não tem defeitos, Tami? Sim, tem. Paula algumas vezes se prolonga demais e isso acaba fazendo com que o texto fique um pouco prolixo, mas isso não desmerece o todo, são coisas pontuais. 



Não vou ficar falando muito mais sobre a história, pois não tem como, não tem como mesmo! São muitos POV, muitos acontecimentos, alguns flashbacks... não posso ficar destrinchando todo o enredo e não posso ficar explicando tudo, esse não é o propósito de uma resenha. O que eu posso fazer é falar para vocês lerem o livro, pois assim vocês podem tirar suas próprias conclusões.

A edição da Record está e maravilhosa, essa capa é um arraso e tem tudo a ver com a história. A diagramação é simples e confortável, só achei que as folhas poderiam ser um pouco mais grossas. As folhas são amareladas e não encontrei erros de revisão.

Em Águas Sombrias é um livro muito interessante que infelizmente não será compreendido pela maioria... uma pena. 

54 comentários

  1. Olá, Tamires :)

    AMEI sua resenha, parabéns ❤

    Desde que vi a capa, já queria muito o livro, está maravilhosa mesmo. Sua resenha é a primeira que estou lendo e fico muito feliz, pq se visse esses pontos negativos, com certeza iria perder a vontade de ler. Me parece bem mais interessante e profundo do que eu estava esperando, estou super ansiosa para ler agora, eu espero gostar também 😉😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou torcer para que isso aconteça, Jéssica! :D

      Excluir
  2. Tami, lindona!

    Agora eu entendi o que você disse a mim, a parte do "mastigado" hahahaha. 14 pontos de vistas? Uau. Acredito que as pessoas não esperavam que seria uma leitura complexa, apenas mais um livro com um suspense. Criou-se muita expectativa. Adorei sua resenha, conseguir compreender melhor e agora sei aonde vou pisar quando lê-lo.

    Arrasou!
    Beijos.

    Cindy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Cintia. Quando algo foge do que as pessoas consideram "comum" já há uma estranheza. Eu curti bastante, não fiquei nada confusa! Espero que você faça parte do meu time! hahaha

      Excluir
  3. Meu jesus, 14 pontos de vista é muita coisa!! Imagino que o que tenha deixado o pessoal confuso seja exatamente isso. Li um livro recentemente que era muito bom, mas o excesso de POVS tornou a leitura cansativa e às vezes eu nem sabia mais quem era a pessoa da vez que estava narrando. Mas gostei da sua ideia de vídeo, pode ser uma questão de percepção mesmo, talvez você tenha compreendido melhor que o resto, então um vídeo esclareceria bem, mais ainda que a sua resenha, que já ficou ótima!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muita coisa mesmo, mas Paula soube trabalhá-los muito bem.

      Excluir
  4. O famoso livro dos 14 pontos de vista hahahaha. Eu tô muito curioso pra saber como essa história vai se desenrolar, mesmo com um pé atrás, mal posso esperar começar a leitura. Espero gostar tanto quanto você e entender o propósito da história também. Prometo ter paciência e ler com atenção <3

    Ótima resenha, como sempre.

    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, sabemos que fim isso levou, né? rsss

      Excluir
  5. Oi! Não li o outro livro da autora. Mas o enredo desse me deixou curiosa. O que aconteceu a tantas mulheres. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Amei poder ler sua resenha, primeiro porque estava mesmo bem curiosa para ler algo sobre esse livro e depois porque meu exemplar chegou ontem e já quero ler o quanto antes. Fiquei apaixonada por essa capa e suas impressões me deixaram ainda mais motivada. Acho a escrita da autora muito envolvente.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  7. O livro que chocou geral pelos 14 pontos de vistas rsrs eu tirei ele da minha lista Justamente Por isto!Mas dia resenha me fez colocar ele no topo de novo RS gosto muito da escrita da autora mas acho que ela se perde as vezes com alguns detalhes que poderia ser mais direto e ela explica nos mínimos detalhes.esta capa é uam das minhas favoritas mexe com a imaginação de diversas formas positivas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ela realmente tem essa tendência, mas, como eu disse na resenha, esse "defeito" é pontual. Curto muito a Paula e espero que você tenha a oportunidade de ler o livro.

      Excluir
  8. Oi, Mi. Acho uma tristeza quando alguns leitores não conseguem entender o propósito do autor ao escrever uma história e automaticamente tacham o livro de ruim, somente porque elas não entenderam e acabaram não gostando. Eu acho legal quando tem muitos pontos de vista, ás vezes é confuso, mas quando você pega a manha, é mais difícil de perder. Não li nada da autora mas quero muito conferir essa obra.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Mi. Vou ficar na torcida para que você leia e curta a história!

      Excluir
  9. Oi, Tami!
    Gente, meu deficit de atenção atacou com esses 14 POVs. Acho que esse seria um ponto super negativo pra mim :(
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você consegue ler um livro de fantasia de mais de 600 páginas você consegue ler esse de 300 na boa, com 14 povs e tudo mais. ;)

      Excluir
  10. Oi Tamires!

    Tudo bem? Antes de mais nada que capa fantástica <3 fiquei completamente apaixonada por ela... Sobre o livro eu gostei muito da trama que parece ser envolta por mistérios e fico me perguntando porque Jules tem tanta certeza de que a mãe se jogou no poço.

    Tenho que admitir que tantos pontos de vista diferentes poderiam acabar me fazendo ficar muito perdida na história, apesar de adorar quando uma história não foca apenas na visão de uma personagem 14 é muita coisa e eu provavelmente me sentira lendo Game of Thrones, mas com menos páginas o que pode ser ainda mais confuso.

    Beijinhos - Jessie
    www.paraísoliterario.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade o nome da filha é Lena. ;)

      Olha, eu já li GoT, não até o final, mas até mais ou menos a metade. E são narrativas completamente diferentes, a de Paula é infinitamente mais simples, logo, a quantidade menor de páginas não prejudica o desenvolvimento.

      Excluir
  11. Oi
    toda vez que entro no skoob me depara com a divulgação dele, que bom que gostou da leitura e preciso ler para saber se vou entender, nossa 14 pontos de vsta é bastante.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É só ler com atenção que dá pra entender, Denise! ;)

      Excluir
  12. Oi Tami,

    Essa capa do livro me chamou muita atenção, mas já q sinopse nem tanto.
    Acho nesse momento eu não leria, estou em uma outra vibe. Mas não descarto a leitura.

    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então espera mesmo, porque para ler este livro tem que estar na vibe dele! hahahaha

      Excluir
  13. Tamiiiiiii, amei sua resenha. Já quero ler esse livro.
    Confesso que enquanto você falava apenas do enredo, meus olhos não tinham brilhado. Mas quando você começou a comentar sobre as críticas, sobre o propósito da obra e tudo o mais, cheguei a puxar o cartão de crédito ahhaha. Eu não resisto a uma obra com tanta crítica assim :) Com certeza lerei.
    E entendo sua vontade de fazer um vídeo no estilo que você falou. Morro de vontade de fazer isso às vezes :3 E às vezes eu faço mesmo kkk, mesmo que não publique. Ah, dá um alívio :)
    Beijoooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então bota esse cartão de crédito pra rolo! hahahaha

      Excluir
  14. Oi, tudo bem?
    Gostei muito da resenha, li esse ano A Garota No Trem e gostei bastante embora não seja meu gênero favorito. Quando soube desse livro, logo fiquei com vontade de ler pra conferir a escrita da autora e conferir também essa divergência de opiniões entre os leitores haha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou ficar torcendo para que você leia, Manuh! ;)

      Excluir
  15. Olá, Tamires.
    Eu nem tinha e ligado que era a mesma autora até você falar hehe. Quando li a sinopse lembrei de Garotas de vidro que tem essa mesma premissa mas a história é completamente diferente. Como a sua é a primeira resenha que leio dele, não sabia desses pontos negativos que o povo está falando. Eu me interessei por ele e é um livro que quero ler sim.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Sil, eu acho que você vai entender, porque você é o máximo! hahaha

      Excluir
  16. Oi Tami! Eu gostei do anterior da autora, mesmo muita gente tendo criticado. Este parece ser bem diferente e mais complexo e ainda assim em nada diminuiu minha vontade de conferir.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  17. Oi Tamires! Eu não conheço a escrita da autora, mas o fato de ser diferente do primeiro mostra que ela sabe escrever diferentes histórias. Detesto quando os autores parecem escrever as mesas coisas sempre. Mesmo tendo seus aspectos negativos achei, lendo a resenha, que os personagens são bem interessantes. Quero conferir o livro!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São BEM diferentes mesmo. Também curto bastante quando os autores não têm uma fórmula pronta, gosto quando eles surpreendem com algo totalmente diferente!

      Excluir
  18. Fiquei curiosa com essa leitura ♥

    http://www.gotasdecafe.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi!
    Para começar quero dizer que amei a resenha <3 ela soube bem como me deixar cheia de vontade de ler esse livro. Nunca li nada da autora, mas suspense é um dos meus gêneros favoritos e esse parece ser bem envolvente. Acredito que a questão dos vários pontos de vista não me incomodaria, não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que a minha resenha fez você ter vontade de ler o livro! \õ/ <3

      Excluir
  20. Oi!
    Parabéns pela resenha tão completa.
    Eu confesso que não me interessei muito pela garota do trem, pois não fazia muito meu estilo de leitura, mas fiquei bem curiosa com o lançamento desses.
    Agora quatorze pontos de vista, meu deus hahaha. Acho que eu me sentiria um pouco confusa também

    ResponderExcluir
  21. Tamires, tenho ouvido muitas criticas negativas para com o livro, o que claro, me dá um certo receio de ler, mas vou atentar para a conclusão da sua resenha, que fala que muitos não compreenderão a história e eu espero não ser mais uma.
    Adorei
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Nunca li nada da autora, mas tenho muita curiosidade e essa sua resenha foi o que precisava para colocar um livro dela na minha lista. Achei sensacional que o livro aborde e critique o machismo, e que várias obras atualmente também estão fazendo isso. Uma ótima dica de leitura para essa semana, que com certeza irei seguir.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  23. Olá!

    Adorei sua resenha! Vi uma blogueiro reclamando antes mesmo de começar sobre os 14 POVS e meu Deus, deveria imprimir a sua resenha e esfregar na cara dela , fiquei com tanta raiva pois a pessoa nem tenta e fala que é ruim kkkk

    Com toda certeza eu vou ler esse livro! tô muito curiosa!!

    Beijos
    Jess
    www.pintandoasletras.com.br

    ResponderExcluir
  24. Olá, Tamires!
    Fiquei um pouco intrigada com as 14 perspectivas. No entanto, a história do rio, juntamente com os pontos apontados por vc, que merecem uma compreensão e serem refletidos durante a leitura, transpassando o livro para mais do que uma história e sim uma narrativa a ser entendida, me deixaram curiosa para saber o que as pessoas tem tanto criticado que poderia na verdade, ser elogiado.
    Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  25. Gente!
    Seu eu já tava louca pra ler o livro, depois dessa resenha sei que preciso do livro pra ontem!
    Gostei bastante da sinopse e o enredo diferente envolvido. Esse clima de mistério, mais reviver o passado mais o clima de romance policial tem tudo pra me conquistar.
    É bom saber que é diferente de A garota no trem, sendo assim vou tentar manter minhas expectativas mais baixas pra não correr o risco de decepção.

    Uma Mãe Leitora

    ResponderExcluir
  26. Olá, tudo bom?
    Que resenha maravilhosa! Deu tanta vontade de ler esse livro. A capa é linda e a história é bem intrigante, ainda não conhecia. Adorei a maneira como você apresentou tudo. Muitos pontos de vista em um livro pode ser complicado, mas se bem trabalhado fica algo bem legal. Fiquei bem curioso.
    Até mais o/

    ResponderExcluir
  27. Oi Tami,
    Ter lido A Garota no Trem me deixou curiosa com outras obras da autora. Gosto que ela explora a maneira que - nós mulheres - somos atacadas e manipuladas. Fiquei bem curiosa em relação ao miticismo e já vou aí na sua casa pegar HAHAHA

    P.S.: Foi bem palhaçada mesmo que a Dark fez naquela história da parceria. TANTO que apelidei eles de Editora Quero Fã Clube kkkk porque é isso que querem né? Que os blogs percam o cronograma e virem fã clube.

    tenha uma ótima semana :D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  28. Oie! Tudo bem?

    Já li resenhas positivas e negativas sobre esse livro, mas a sua foi a melhor até agora, bem explicada e focada no principal do livro, eu amei a capa da obra, mas ainda não sei se lerei ou não, mas depois da sua resenha com certeza vou deixar o nome anotado para futuramente!

    BJss

    ResponderExcluir
  29. Oiee Tamires ^^
    Aah como eu quero esse livro ♥ Li "A garota no trem" recentemente e adorei, fiquei vidrada na história. Agora quero ler esse para ver se a Paula vai conseguir me surpreender. Essa foi a primeira resenha dele que eu li, e ver que aborda o machismo e a sociedade modelo patriarcado me deixou ainda mais animada. Aiaiai *-*
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  30. Oi Tamires,

    Confesso que você me deixou bastante dividido.Li algumas resenhas sobre esse livro que me desmotivaram bastante em comprar para ler, mas a sua resenha me deixou com um toque de curiosidade.
    Adorei a resenha

    ResponderExcluir
  31. O que eu mais gostei de ler em sua resenha é que esse livro e a garota no trem são como agua e oleo. Isso pq eu fiquei super curiosa com a premissa desse, mas não consegui chegar na metade do outro da autora - não aconteceu para mim e estava achando que esse nem deveria entrar na lista...
    Mas, os pontos que você comenta, o fato de terem bruxas no livro - e no sentido que vc coloca na resenha (de serem mulheres que saem do padrão convencional do que devem fazer/querer) me deixa ainda mais empolgada para arriscar a leitura.
    Fico com medo de ficar um tanto perdida com tantos pontos de vista, mas se eles se encaixam, acredito que isso será o menor dos detalhes...
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir