15 de maio de 2017

Resenha | Espada de Vidro - Victoria Aveyard


Livro cedido em parceria com a editora.

Autora: Victoria Aveyard

Série: A Rainha Vermelha #2

Número de páginas: 496

Ano: 2016

Editora: Seguinte

Skoob: AQUI

Compre: Americanas | Submarino
Sinopse: O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.

Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.

 

— Casa contra Casa, prateado contra prateado. Apenas os vermelhos permanecerão unidos. E venceremos. Norta vai cair, e vamos nos levantar, vermelhos como a aurora.

Resenha livre de spoilers!

Espada de Vidro retoma a história de Mare Barrow do ponto em que A Rainha Vermelha terminou.

Depois de conseguirem escapar da morte iminente no Ossário, Mare e Cal fogem junto com Farley, Kilorn e companhia rumo a Naercey, onde se juntariam aos outros rebeldes. Mas como desgraça pouca é bobagem, Maven os intercepta no meio do caminho e um confronto se inicia. Apesar de algumas perdas e de alguns feridos, eles conseguem escapar de Maven novamente e partem em um submarino em direção a Tuck, local onde a base da Guarda está estabelecida.

Mesmo tendo enfrentado seu próprio sangue, Cal ainda não ganhou a confiança dos vermelhos. Ao chegar em Tuck, ele é enclausurado pelo Coronel em uma prisão de pedras silenciosas, que o impedem de utilizar seus poderes. Mare não aceita essa prisão, sendo assim, com o auxílio de algumas pessoas, ela consegue invadir o local onde Cal está sendo mantido. Só que aparentemente ela é vítima de uma traição e acaba sendo presa também. Obviamente, eles não permanecem presos por muito tempo. Com a ajuda de seus aliados, eles conseguem fugir em um dos jatos da Guarda.


A primeira parada deles é em Harbor Bay, onde eles invadem a central de segurança para acessar a localização das pessoas presentes na lista de sanguenovos de Julian. É uma incursão perigosa, mas a missão é cumprida. Com as localizações em mãos, eles partem em busca dessas pessoas que, assim como Mare, possuem sangue vermelho e habilidades prateadas. Um exército de sanguenovos seria uma aquisição significativa na luta contra a tirania de Maven, e assim a caçada se inicia.

— Centenas de nomes, centenas de vermelhos com poderes. Mais fortes, mais rápidos, melhores do que eles, com o sangue tão vermelho quanto a aurora. — Meu fôlego vacila, como se soubesse que está na fronteira do futuro. — Maven vai tentar matá-los, mas se chegarmos primeiro, eles podem se tornar...
— O maior exército que o mundo já viu — completa Farley; seus olhos cintilam só de imaginar. — Um exército apenas com sanguenovos. 

Em cada vilarejo eles buscam um sanguenovo diferente, entretanto, essa busca nem sempre é bem-sucedida, afinal, Maven também sabe da existência dessas pessoas e não poupará esforços para capturá-las. Os rebeldes conseguem reunir uma boa quantidade de sanguenovos com as mais variadas habilidades. Muitos deles não fazem ideia do tamanho de seus poderes, então cabe a Cal a tarefa de treiná-los e fazê-los evoluir.

Em uma das buscas, Mare acaba conhecendo Jon, um sanguenovo com a habilidade de enxergar o futuro. Ele passa informações valiosas sobre Maven, Elara e sobre o presídio de Corros, onde certas pessoas, antes consideradas mortas, estão sendo mantidas reféns. Ele dá coordenadas importantes e previne Mare sobre seu destino.

— Atenha-se ao seu destino, Mare Barrow.
— Que é?
— Se levantar. E se levantar sozinha. — As palavras ressoam como o uivo de um lobo. — Vejo o que você pode se tornar: não apenas um relâmpago, mas uma tempestade. A tempestade que vai engolir o mundo inteiro.

Com as coordenadas de Jon, os rebeldes encontram Cameron, uma sanguenova com a habilidade de anular o poder de qualquer pessoa, seja ela prateada ou vermelha. E é com a ajuda dela que eles invadem o presídio de Corros.


Há uma grande batalha e muito sangue, vermelho e prateado, é derramado. Mare consegue salvar muita gente, mas acaba sofrendo uma terrível perda. Essa perda mexe muito com ela, que a cada dia está mais mergulhada em seu desejo de vingança.

— Ninguém nasce mau, assim como ninguém nasce sozinho. As pessoas se tornam más e solitárias, por escolha e circunstância. Esta última você não pode controlar, mas a primeira... Mare, temo muito por você. Fizeram muitas coisas com você, coisas que ninguém deveria ter de passar. Você viu coisas horríveis, fez coisas horríveis, e elas vão te transformar. Temo muito pelo que você pode acabar se tornando caso faça uma escolha errada. 

Após enterrar os mortos da batalha, Mare parte com seu grupo para o Gargalo a fim de salvar uma legião de jovens vermelhos que estão sendo usados como frente de batalha pelos prateados. Só que, mais uma vez, Maven toma a dianteira, e dessa vez Mare não terá como escapar.

•••••••••• 

Não é novidade para ninguém que eu não curti a leitura de A Rainha Vermelha. Achei a história extremamente sem identidade, já que é possível ver claramente de onde cada inspiração foi retirada. Espada de Vidro é melhor, mas ainda falta muito para a história caminhar sozinha. Junte isto ao fato de Mare Barrow ser uma protagonista sem nenhum carisma e teremos a receita perfeita para uma história repleta de altos e baixos.

Este segundo livro se concentra na busca pelos sanguenovos e isso é muito interessante no começo, mas chega um ponto onde a história se concentra apenas nisto e a novidade inicial torna-se previsível, pois a fórmula utilizada em todas as buscas é basicamente a mesma. Os poderes dos sanguenovos também deixam a desejar. Temos uma que consegue se transformar em qualquer pessoa (Mística, X-Men), um que consegue projetar ilusões (Senna e Zafrina, Crepúsculo), uma que consegue anular as habilidades alheias (Sanguessuga, X-Men)...

Em certo momento, Mare incorpora Katniss Everdeen e grava um vídeo convocando os vermelhos a se levantarem contra o rei! Estão compreendendo meu problema? Victoria tem todo o direito de se inspirar, afinal, grandes histórias nasceram de inspirações, mas gente, repito o que eu disse na resenha de A Rainha Vermelha: a arte da inspiração é criar algo diferente através de uma coisa já conhecida; e Victoria não consegue fazer isso. Se o leitor consegue enxergar de onde cada retalho foi retirado alguma coisa está dando muito errado!

Mare, como eu disse, não possui carisma. Ela é difícil de engolir e em certos momentos chega a ser soberba, achando que é a dona da razão e que seus raios podem resolver qualquer problema. Cal, por sua vez, ainda está divido entre o dever para com o sangue e o desejo de ver Maven pagar por suas ações. Falando em Maven, ele foi muito subaproveitado na história, aparecendo somente para desandar os planos dos rebeldes, mas creio que em A Prisão do Rei ele estará mais presente e será mais relevante. Já Kilorn resolve abrir seu coração de uma vez por todas e revela seus sentimentos em relação a Mare... eu tenho ojeriza de triângulos amorosos, então espero que o triângulo MaCaKi não seja levado adiante!!


Eu queria esmiuçar um pouco a mudança do comportamento de Farley e seu futuro entre os combatentes da guarda, mas para isso eu precisaria soltar alguns spoilers... então não vai rolar.

Dentre os novos personagens temos muitos nomes promissores como Cameron, uma garota tão petulante quanto Mare, o que vai fazer a relação entre elas ser bem complicada. Já Jon, o vidente, também é muito interessante. No final do livro há uma aparição dele e eu fiquei tipo "o que você tá fazendo aí, cara?"


Espada de Vidro tem problemas, mas esse volume consegue segurar o leitor através de toda a ação presente no livro. Por mais que os artifícios sejam repetitivos, é raro um capítulo não ter um acontecimento que afeta o andamento das coisas, e assim Victoria consegue fazer com que viremos as páginas. Ela, como roteirista, tem o dom de criar cenas bem estéticas, que conseguimos projetar de maneira bem vívida em nossa mente, e isso é uma coisa que eu curto bastante. Se no livro anterior eu achei que o fato dela ser roteirista a atrapalhou, nesse mudei de opinião.

A edição da Seguinte está um luxo só. Capa com um efeito metalizado, coroa em alto relevo, orelhas enormes, folhas amareladas e de boa qualidade. Encontrei alguns errinhos de revisão, mas não foi nada muito grave, e achei que ficou faltando um mapa de Norta e adjacências, pois nesse livro eles viajam muito e eu ficava perdida em toda aquela movimentação. Até peguei o exemplar de Coroa Cruel, que tem um mapa, para consultar, mas ficou meio contraproducente e eu desisti.


Espada de Vidro é um livro interessante e eu diria que ele não sofre da maldição do segundo livro, ele sofre da maldição da inspiração mal trabalhada, mas isso pode ser resolvido, basta Victoria querer!

Leia também:

http://www.meuepilogo.com/2015/08/resenha-rainha-vermelha-victoria-aveyard.htmlhttp://www.meuepilogo.com/2017/05/resenha-coroa-cruel-victoria-aveyard.html

44 comentários

  1. Oi Tami! O primeiro livro me passou a impressão de ser uma mistura de vários outros que li e não deu muito certo, esperava que os volumes seguintes trouxessem algo melhor, mas pelo visto não é bem assim.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas dê uma chance, Cida. Não é um livro ruim, tem problemas, mas também tem coisas legais! ;)

      Excluir
  2. Oi Tamires, tudo bom?
    O primeiro livro, pra mim, foi uma decepção monstruosa, mas o segundo me deixou NO CHÃÃÃO completamente. Devorei do início ao fim; achei que fugiu tanto dos clichês do primeiro volume, quase como se a Victoria tivesse falado 'quer saber? Vou virar a mesa e surpreender todo mundo'.
    Não achei a Mare tão Katniss gravando o vídeo porque esse recurso é usado em várias distopias, não é uma coisa exclusiva de THG - até porque se a gente for ver bem THG é a maior cópia de Battle Royale :P
    E eu acho a Mare muito melhor que a Catnip por um motivo: ela não esconde que é egoísta e nem fica tentando bancar a heroína. Tá só ali por sangue nos olhos <3
    O desenvolvimento do Maven é todo em A Prisão do Rei. Foi uma das melhoooores coisas do livro pra mim. Meu bebezinho <3
    Ótima resenha.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em momento nenhum eu mencionei exclusividade. Distopia é um gênero muito limitado, TODAS são parecidas! Eu comparei com a Katniss porque é uma distopia famosa, que a maioria com certeza leu.
      E JV realmente é inspirado em BR, a autora nunca negou, mas o que falta nessa série da Victoria sobra em JV, que é a identidade. Você pode ver semelhança, mas não fica pensando "ahhh, essa parte parece com aquela parte", "ahhh, essa parece com aquela outra"... e no livro da Victoria eu faço isso a todo momento! hahahaha
      Não gosto da Mare, ela se acha demais. Sinto por ela a mesma coisa que sentia pela Tris... por isso espero que elas tenham o mesmo fim! hahahahha

      Excluir
  3. Oi, Tami!
    Como te falei no instagram, quem aguenta Mare nesse livro merece um prêmio. Acho que nem o menino Jesus teria tanta paciência.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Dois Anos de Família Hallinson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode mandar meu prêmio então... aceito livros! hahahah

      Excluir
  4. Ola
    Mare é um tanto chatinha né?! Confesso que não fui muito com a cara dela desde o começo, mas a história em si vale muito a pena, sem contar que eu gosto das cenas de ação. Eu gostei mais do primeiro, só que esse também é interessante, mas admito que falta muita coisa por ai.. Essa edição é maravilhosa né <3
    Beijos, F

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já gostei mais desse do que do primeiro! :P

      Excluir
  5. Olá, tudo bem? Quero muito ler essa série, os livros devem ser muito bons... Adorei sua resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  6. Oi, Tami!
    Depois da leitura de A Rainha Vermelha eu desistir de ler a série.. Uma pena que as semelhanças com outras distopias não parem nem mesmo nesse segundo livro.. realmente não quero ler mais nada dessa autora por enquanto, rs.
    Beijos e ótima resenha.

    http://versosenotas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vou seguir firme e forte, Bahzinha. Vamos ver se ela consegue me surpreender. Em relação a esta série eu estou igual ao Tiririca, pior do que está, não fica! hahahaha

      Excluir
  7. Oie...
    Primeiramente, quero lhe parabenizar pela sinceridade na resenha... Vejo tantos elogios sobre a série que já estava achando que ela perfeita, livre de ressalvas haha...
    Ainda não li nenhum volume ainda, mas, ainda quero realizar a leitura da série para tirar minhas próprias conclusões. Fico feliz que tenha achado esse livro melhor que o outro, e creio que toda essa ação irá me agradar, mas, vou ficar com o pé atrás diante de suas ressalvas.
    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas sempre é bom ler e tirar as próprias conclusões mesmo, pois afinal o que é defeito pra mim pode não ser para você! :)

      Excluir
  8. Olá, Tamires.
    Eu amei A Rainha Vermelha e por tudo o que você disse na resenha acho que vou amar esse também. Engraçado é que conforme você foi colocando os pontos negativos, só fui ficando mais interessada hehe. Acho que quando não vai, não vai mesmo. Eu até hoje não entendo o que o povo vê em ACEDE, não vejo nada na história e muito menos no autor hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Oi
    que bom que pelo menos esse é melhorzinho em comparação ao outro, pena que continua achando a protagonista sem carisma, confesso que esse é uma série que tantos falam negativamente e que só por isso fico curiosa para assistir, mas pelo menos curtiu a leitura.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá.me senti escrevendo tua resenha kkkk
    Primeira Resenha que vejo tnwtos pontos negativos e me fez desejar ler o livro o mais rápido possível!
    Vc escreveu de uma forma que ao destacar estes pontos não colocando a obra como perfeita.me fez ter vontade de ler como algo prazeroso que vai me motivar a continuar a série e não largar ela pela metade .rsrsamei tua honestidade

    ResponderExcluir
  11. Hey, Tami sua linda!
    Basta ler suas resenhas para saber se devo ou não, ler certo livro. Com certeza essa série é uma das que vou passar longe. Muita gente amou, mas de acordo com as resenhas que tenho lido - especialmente as tuas, que são tão sinceras e objetivas - sinto que não é uma leitura para mim.
    Realmente, se o leitor consegue saber da onde a "inspiração" da autora veio, o negócio tá feio! haha. Admiro super sua determinação de continuar a leitura.
    Mil beijokas - Entre um Livro e Outro

    ResponderExcluir
  12. Oi, Tami. Só para deixar gravado o que já conversamos esse foi o livro que mais me agradou até agora. Dei uma estrela a mais que vc até. Já não conto mais com a questão da originalidade porque já aceitei que a história é assim e não tem jeito, então procuro focar em outras coisas, como ritmo da narrativa, que como você viu nesse livro é bem melhor e mais dinâmica.

    Pra não perder o costume...
    Prepare-se para o livro três. Kkkkkk

    Bjux.
    Di, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Di. Acho que o lema desse livro poderia ser "aceita que dói menos"! hahahahaha

      Excluir
  13. Oi Tami,
    Eu já nao curti tanto esse livro, achei a Mare tão chata que demorei um tempão para terminar a história.
    Falta muita carisma nessa personagem, porque esta dificil aguentar ela hahaha.
    Eu gostei do jeito que acabou a história, me deixou curiosa para ler o próximo.

    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Sabe aquele livro que só de olhar você sente que não vai gostar? Não existe nenhum motivo especial pra isso, mas nunca tive vontade de ler Rainha Vermelha, e depois da sua resenha, mantenho minha posição mais firme ainda hahaha uma pena que a autora se baseie demais em obras famosas. Se inspirar é uma coisa, mas deixar a referência muito óbvia realmente não cola. Mas veja esse segundo volume como um ponto positivo! Ela já deu uma melhorada, quem sabe o terceiro seja melhor ainda. Oremos!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é minha esperança, Carol.
      #Oremos! hahahah

      Excluir
  15. Oi!
    Confesso que não li muito da sua resenha, pois terminei o livro hoje e ainda estou digerindo os acontecimentos finais e toda a jornada que Mare passou nesse livro.
    Mas eu AMEI essa história, e estou louca para saber o que vai acontecer no próximo livro, espero ler ele muito bem breve.

    ResponderExcluir
  16. Olá,
    Poxa, tá aí uma série de livros que nunca tive vontade de ler, e, devo dizer que continuo sem querer ler ainda mais quando você relata que a autora não tem muita inspiração e acaba "pegando" alguns elementos de outros livro que, no caso foi Jogos Vorazes.

    Sua escrita é apaixonante e sua resenha foi ótima.

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Que pena que a leitura não funcionou tão bem para você! O primeiro livro eu adorei, mesmo com algumas cópias descaradas de algumas outras série, e posso ver que nesse volume isso ainda continua, mas estou bem curiosa para saber como a Guarda vai conseguir derrotar Maven. Adorei a sinceridade na sua resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Oiee Tamires ^^
    Menina, li a sua resenha e só agora lembrei do meu pobre "Espada de vidro" pegando pó aqui...haha' eu comecei a lê-lo uns meses atrás, mas não lembrava direito o que tinha acontecido no anterior, então o deixei de lado.
    Sabe que eu gostava do Maven no primeiro livro? Pois é. Gostei muito de "A rainha vermelha", mas, como você disse, dá para ver de onde vieram as inspirações, e isso incomoda um pouco. Uma pena que "Espada de vidro" tenha ficado na mesmice e te decepcionou :/
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, eu adorei o Maven no primeiro, e sabe que continuo gostando dele? hahahahaha

      Excluir
  19. Oiii!!
    Estou com o primeiro e o segundo livro para ler, mas tenho lido opiniões parecidas com a sua e isso tem desanimado um pouco. Quando eu for ler, vou sem expectativas, uma pena, eu acho que a história tem um potencial mas a autora usar situações de outros livros sem mudar nada... isso da uma boa desanimada. Mas, como já tenho os dois primeiros, vou arriscar ler, só que mais para frente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Olá,

    Gif do House *----------* sorry, mas é uma das minhas séries favoritas. Anyway, adquiri esse livro recentemente, mas desde que lançou que desejo ler. Mesmo a série não tendo lhe agradado, continuo com vontade de ler e espero (muito) que eu tenha uma opinião diferente da sua, pois estou bem empolgada para fazer essa leitura, a questão da similaridade com x-men não me incomodaria, porque gosto muito desse universo.

    ResponderExcluir
  21. Oie! Tudo bem?

    Acredito que já disse isso aqui numa resenha sua sobre essa coleção: quando ela era apenas uma trilogia a vontade de realizar a leitura era grande, mas depois das resenhas negativas, e de avisarem que haveria mais livros pela frente, desisti da ideia de realizar a leitura dessas obras, mas para quem gosta é uma ótima dica!

    Bjss

    ResponderExcluir
  22. Oi Tamaris!

    Menina, eu ganhei o primeiro volume, A Rainha Vermelha, em 2015 e até hoje não li. De jeito nenhum consigo incluir o livro na minha TBR do mês, preciso me esforçar mais.
    Confesso que fiquei um pouco (ou muito, haha) perdida em relação à trama e aos personagens. De qualquer forma, eu sinto que essa história irá me agradar muito, adoro distopias. Obrigada pela dica!

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  23. Oi Tamires, como está?
    Eu vou te dizer: acho a trama da série interessante e com certeza penso em ler algum dia, mas do jeito que eu ando lendo resenhas dela e elas não são positivas assim, fico com um pé atrás, mas até que eu entendo o fato da trilogia ter virado pentalogia porque com certeza tem muita coisa a ser trabalhada nisso embora eu admita que quatro livros seria o ideal, mas, isso é autora quem determina.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Olá!

    Nunca li essa série, conheço mais por nome e capa, mas sempre que vejo sobre me desperta certa vontade de pegar para ler. Irei sim um dia lê-lo, ainda esta na minha listinha :3

    Nicoli Alexandre - As Meninas Que Leem Livros.

    ResponderExcluir
  25. Olá,
    Vejo tantas resenhas muito positivas sobre A rainha vermelha que até me surpreendi ao ler que você não gostou muito pelo fato de a obra não ter muita identidade, sendo claras as inspirações para sua construção.
    Não sei se para mim seria um ponto negativo ou não. Ainda não li nenhum dos volumes da série, mas quero muito só que isso me desanimou um pouco.
    Um ponto que achei bem positivo e que acabou me animando em meio a tudo isso é que o livro apresenta bastante ação, o que torna a leitura mais dinâmica e prende a atenção do leitor.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  26. Olá Thamires,

    Visto que você não gostou do primeiro livro, e o último é um livro que está desagradando muita gente, não valeria a pena dar uma chance para essa série, mesmo você tendo gostado razoavelmente do segundo. Muito obrigada por ser sincera na sua resenha, isso sempre me ajuda quando os livros estão muito hypados, e agora com certeza eu não vou lê-los.

    Beijos e obrigada pela dica
    http://floraliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir