21 de junho de 2017

Resenha | Na Escuridão da Mente - Paul Tremblay


Livro cedido em parceria com a editora.

Autor: Paul Tremblay

Número de páginas: 266

Ano: 2017

Editora: Bertrand Brasil

Skoob: AQUI

Compre: Americanas | Submarino
Sinopse: A vida dos Barrett é virada do avesso quando Marjorie, de 14 anos, começa a demonstrar sinais de esquizofrenia aguda. Depois que os médicos se mostram incapazes de deter os acessos bizarros e o declínio de sua sanidade, o lar se transforma em um circo de horrores, e a família se vê recorrendo a um padre da região. Acreditando que seja um caso de possessão demoníaca, o padre Wanderly sugere um exorcismo e entra em contato com uma produtora que está ávida para documentar tudo.

Com o pai de Marjorie desempregado e as dívidas se acumulando, a família hesitantemente aceita, sem imaginar que A Possessão se tornaria um sucesso imediato. Quinze anos depois, uma autora best-seller entrevista Merry, a irmã mais nova de Marjorie. Ao se recordar dos acontecimentos de sua infância, uma narrativa alucinante de terror psicológico é desencadeada, levantando questões sobre memória e realidade, ciência e religião... e sobre a real natureza do mal.


Ele se recompôs, recitou o Pai-Nosso e leu o Salmo 54: "Ele recompensara com o mal os meus inimigos. Destrói-os em tua verdade."
Assim que terminou o salmo, emendou direto em uma oração isolada que, pela primeira vez, foi direcionada ao espírito maligno dentro de Marjorie.

Os Barret não estão em seu melhor momento. John Barret perdeu o emprego há pouco mais de um ano e desde então não consegue arrumar outra coisa. A situação financeira da família está apertada e isso começa a afetar o relacionamento de com John com Sarah, já que ele, desiludido com o desemprego, começa a se apegar mais à religião, fato que passa a incomodar sua esposa. O casal têm duas filhas, Marjorie, de catorze anos, e Meredith, de oito. E é quando coisas estranhas começam a acontecer com Marjorie que a vida desta família vira de cabeça para baixo.

Marjorie vem apresentando um comportamento muito estranho e arredio que está afetando até seu relacionamento com Meredith, de quem era muito próxima apesar da diferença de idade. Preocupados, seus pais levam a menina ao médico e ela começa a fazer um tratamento para o que todos acreditam ser um caso agudo de esquizofrenia. Mesmo com o tratamento, Marjorie não apresenta sinais de melhora, sendo assim, seu pai, cada vez mais beato e preocupado com a filha, procura a ajuda do padre Wanderly, pároco da igreja que frequenta. É quando John sugere que Marjorie pode estar possuída por forças demoníacas.

Naquela noite, de pé na entrada do quarto de Marjorie, quando não sabia nada sobre terrores noturnos e gesso velho, eu a vi pendurada na parede como uma aranha. Sua colagem circular de pôsteres, sua coleção de partes corporais brilhantes, era sua teia, e ela pairava sobre o centro. Seus braços e pernas estavam abertos, com suas mãos, punhos, pés e tornozelos afundados nas paredes como se a absorvessem lentamente. Marjorie se contorcia e retorcia no lugar, seus pés a uma altura similar à minha do chão.


Uma produtora de TV está muito interessada em documentar o caso da menina e, com um empurrãozinho de padre Wanderly, John e Sarah, cada vez mais atolados em dívidas, concordam com a produção de A Possessão, uma espécie de reality show. Aos poucos, o programa vai ganhando muitos fãs, mas há quem seja contrário a tudo aquilo. O dia a dia da família passa a ser documentado e transmitido para todo o país.

Com a piora da situação de Marjorie, padre Wanderly propõem um exorcismo, que seria o último artifício para tentar salvar a alma atormentada da menina. Aos poucos, todos começam a se preparar para o fatídico dia, mas eles certamente não estavam preparados para o que iria acontecer.

Seus olhos se abriram e então se reviraram para trás, exibindo aquele branco brilhante e horrível com vasos vermelhos e intrincados. Ela riu, gemeu e disse em um suspiro bem baixo "Ah, meu deus, ah, meu deus, ah, meu deus...". Em seguida, algo que não deveria fazer sentido ou que pode ter sido "Eu ainda posso ouvi-los". Seu corpo tremeu e ela urinou e defecou bem ali no corredor.

Agora, quinze anos depois, Rachel Neville, uma escritora de best-sellers que está escrevendo um livro sobre os Barret, está entrevistando Meredith, que, por sua vez, tornou-se uma jovem muito peculiar. Meredith começa a relembrar aquela época, onde, aos oito anos, presenciou o início do fim. Com as lembranças vem a indagação: será que Marjorie estava realmente possuída?

••••••••••

Sempre que vejo livros com propostas parecidas com a de Na Escuridão da Mente eu automaticamente penso em cabeças girando e vômito verde sendo expelido. Mas este livro vai muito além, pois, na minha concepção, o que é realmente perturbador nesta história não é o texto em si, e sim o que está subentendido. O propósito de Na Escuridão da Mente é ser um livro cuja leitura incomoda o leitor. E lhes digo que Paul Tremblay obteve êxito em sua empreitada e, se você for do tipo que se impressiona facilmente, este livro não é para você, já que ao longo de suas duzentas e sessenta e seis páginas há passagens bem fortes e inquietantes.


 Os personagens são construídos de uma maneira muito interessante e verossímil. É possível sentir várias coisas pelos Barret: dó de Meredith, que mesmo tão pequena está tendo que testemunhar sua irmã e melhor amiga definhando; raiva de John e Sarah, de John principalmente, por não enxergar que todo aquele circo não só está fazendo Marjorie piorar como também está afetando Meredith; incredulidade em relação a padre Wanderly, pois que raio de padre é esse que quer atenção da mídia para um caso como aquele?

O livro é narrado de uma maneira muito interessante, onde quem nos conta a história é Meredith. Ela mergulha nas suas lembranças e faz um relato minucioso de todos os acontecimentos. Uma história como esta contada por uma criança é ainda mais perturbadora, não acham? Temos também postagens de um blog especializado em terror chamado A Última Finalista, que destrincha todos os episódios de A Possessão e vai nos mostrando outra perspectiva, por isso há aquela dúvida em torno do que era e do que não era real.

O texto de Paul tem nítidas referências a filmes e livros de terror famosos, mas isso não foi feito arbitrariamente, já que a própria história questiona a veracidade de toda aquela situação através das postagens do blog. Estaria Marjorie apenas reproduzindo algo que ela já havia visto ou lido? Paul constrói e desconstrói seu texto de maneira inteligentíssima, fazendo-nos ficar com aquela sensação de... "será"?


A capa do livro tem tudo a ver com a história, ela me dá uma sensação de medo e solidão. Sempre que eu pegava o livro para ler já entrava no clima só de olhar pra ela. As letras que formam o título têm uma textura parecida com a de cola quente, o que dá um efeito bem bacana. O livro possui folhas amareladas, de boa qualidade, com fonte e diagramação confortáveis. Também não encontrei erros de revisão.

Eu gostei muito da história e dei três estrelas apenas porque em alguns momentos há uma incoerência no tom na narrativa, pois, como já mencionei, conhecemos a história através das lembranças de Meredith, e achei algumas de suas atitudes e modos de se expressar não condizentes com as de uma criança de oito anos. O final, que é bem interpretativo, não me agradou completamente. Mas essas pequenas ressalvas não desmerecem o todo.

Na Escuridão da Mente cumpre bem seu propósito, e se até Stephen King, mestre do terror, teve medo desta história, quem sou eu para não ter?

41 comentários

  1. Oi, Tami!
    Livros com esse propósito mesmo de incomodar o leitor não funciona comigo. Eu acho tudo muito forçado e não consigo me envolver com a história. Só lembro do fiasco que foi Diário de uma Escrava.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Três Anos do blog A Colecionadora de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há escritas e escritas, né? Eu pelo menos não achei nada forçado nessa história. ;)

      Excluir
  2. Ola
    Pelo que pude compreender, é uma história com passagens bem inquietantes né? E eu adoro esse elemento, apesar de que espero que isso seja bem trabalhado, se não pode nem dar certo aos olhos do leitor. Sua resenha é a primeira que leio e acho que a premissa é bem intrigante, por isso gostaria de ler sim, sem contar que é um genero que eu gosto muito.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem trabalhado sim, Fernanda. Deixa a gente com aquela pulga atrás da orelha.

      Excluir
  3. Oi tudo bom?
    Acredito que esse livro não é pra mim não, histórias com um enredo perturbador não fazem meu estilo.

    Mas mesmo assim sua resenha ficou ótima.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Tami!
    Engraçado que eu curto muito filmes de terror, mas quando se trata de leituras nesse gênero, não consigo me empolgar! rs
    Não sei se leria o livro, mas sua resenha está ótima e clara como sempre!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Tamires. Você é que nem eu, se leio terror no título, já imagino a menina do Exorcista. Enredos assim me chamam bastante atenção, mas eu tenho um certo medo de ler histórias do tipo, talvez por não estar ainda acostumada, não sei.
    O fato é que gostei da sinopse mas não sei se leria kk provavelmente não, mal consigo terminar as histórias com finais felizes, mas vou usar sua resenha para indicar a obra para alguns amigos.
    Beijo.
    Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  6. Oi
    eu me interessei ao ler a resenha, mas esse livro não é pra mim, acho que se se ler ele não conseguiria nem dormir, ainda mais porque não gosto muito de histórias no estilo de terror, mas que bom que gostou de ler.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá, Tamires.
    Essas passagens fortes que você se referiu tem a ver com coisas de demônios? Porque se tiver eu não quero ler hehe. A história me interessou. Eu gosto de livros assim que mescla o suspense entre o passado e o presente. E por falar em lideres religiosos que querem a atenção da mídia, nem tem isso hoje em dia hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Sil. Nós temos muitos exemplos na vida real e isso também me revolta. Por isso que fiquei revoltada com o padre Wanderly! hahahaha
      Sobre as passagens fortes... há aquela dúvida sobre ela estar ou não possuída, então ela faz coisas bem estranhas, que alguém possuído provavelmente faria, entende? E essas coisas incomodam, deixam a gente desconfortável, talvez a passagem mais forte seja uma que ocorre na hora do exorcismo, mas não é algo traumatizante! hahahaha

      Excluir
  8. Oie Tami =)

    Ai eu não curto muito histórias que tem esse pezinho no terror não rs... Acho que se ler algo assim fico uns bons dias sem dormir direito.

    Mas fico feliz que apesar das partes incoerente você conseguiu aproveitar a leitura ^^

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro terror, levar susto é comigo mesmo! hahahah

      Excluir
  9. Se só as suas fotos e resenha já deram um calafrio, imagino ter o livro em mãos! Gosto muito desse tipo de leitura, e entendo o que você quer dizer com a intenção do autor de deixar o leitor agoniado/perturbado através da escrita. Fiquei muito curiosa quanto ao "será?", mas pelo que percebi, no final não há uma resposta. A questão ainda fica no ar. E imagino que a narração seja exagerada mesmo pra uma criança de 8 anos, mas pelo que compreendi, não é a Meredith mais velha que conta a história, baseado nas lembranças que tinha? Se for o caso, até faz sentido a linguagem mais madura..


    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é isso mesmo, mas nós meio que voltamos no tempo, sabe? Ela não narra em terceira pessoa, como se ela fosse um personagem. É ela mesma, em sua versão de 8 anos, que narra... como se fosse um flashback, sabe? É meio complicado de explicar! hahahaha
      Sobre o final aberto é como eu disse na resenha... ele é interpretativo, talvez para você ele seja fechado, quem sabe?

      Excluir
  10. Oi, Tami!
    Menina gostei da sinopse do livro e fiquei bem empolgado quando você comentou a questão da filmagem como uma rede social e a questão do padre. Vejo isso muito como uma crítica aos costumes da atualidade, onde tudo é mostrado para obter ibope mesmo quando ultrapassa o que é ético (a questão do padre permitindo a exibição do processo).

    Acho que quero ler.

    Bjux
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá Tamires...
    Minha nossa que livro é esse menina?
    Quando comecei a ler a sua resenha, pensei erroneamente que se tratava de um suspense, mas conforme fui lendo percebi que definitivamente esse livro não pra mim não. Eu sou muito medrosa e me impressiono fácil com determinadas coisas... Mas já enviei uma mensagem a uma amiga falando sobre essa obra, é o tipo preferido dela.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahaha Sem problemas! Realmente não é um livro para qualquer um.

      Excluir
  12. Deus meu esse livro parece ser incrivel *--*
    Já amei a capa e o que a historia propõem me prendeu logo na sinopse
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oie...
    Adorei sua resenha! A obra tem uma premissa bastante interessante e é bem diferente do que estou acostumada a ler!
    O fato de fazer o leitor sentir essa sensação de medo e solidão me deixou curiosa e agora quero ler.
    Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oiii!!!
    Eu sou dessas que não tem estômago e nem coragem para ler esse livro kkkk, mas conheço pessoas que adorariam fazer essa leitura. Eu fiquei chocada, como assim a família permite o problema da filha ser exposto para todo o país? E que tipo de padre é esse que pensa em fazer um exorcismo em último caso? Nossa, temos muitas pessoas podres nessa história hein? Se eu não fosse tão medrosa eu leria, ainda mais por saber que a história é contada pelo ponto de vista de uma criança, mas estou querendo continuar dormindo kkkk só por isso eu não leria, mas vou indicar para amigos que amam esse tipo de livro e tenho certeza que será um prato cheio para eles. E claro, vou expor suas ressalvas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oie!
    Confesso que não é m livro que eu costume a ler, mas mesmo assim, fiquei interessada em ler.
    E gostei do qe colocou como ressalva, assim já sei o que esperar da trama. Vou anotar essa dica, pois posso a vir a começar a leitura dessa trama.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Eu já havia ouvido falar desse livro e já tinha me interessado, mas não sabia tanto sobre. Depois de ler essa resenha já fico com medo de ler, mas ao mesmo tempo ainda tem aquela empolgação de querer ler ele todinho haha
    Nunca li nenhum livro do tema, mas eu lembro que quando criança adorava histórias de terror e thriller, assim como ainda gosto até hoje, mas acho que atualmente não tenho mais tanto contato com tais histórias.
    Adorei demais o texto, obrigada pela dica, quando tiver a chance com certeza vou ler!
    Beijos,
    As Meninas Que Leem Livros~

    ResponderExcluir
  17. Olá! Bacana que a capa combina com a história. Bom que o livro foi além da sua concepção. Personagens bem construído faz toda diferença. Acho interessante quando usa referências de outras obras relacionadas, desde que não copia e saiba usar. Que bom que você gostou da história. Sua resenha até despertou um pouco de curiosidade, mas ainda não sei se leria por conta do enredo perturbador, mas que sabe talvez eu leia. Beijos'

    ResponderExcluir
  18. Oi Tamires,
    amei sua resenha, está magnífica e instigou ainda mais o meu desejo de ler esse livro, quase o solicitei a editora, mas acebei escolhendo outros títulos que queria muito ler, agora estou um pouquinho arrependida, mas ainda há tempo é certeza que vou solicitá-lo na nova news porque preciso descobrir tudo o que está por trás dessa história que não tenho dúvidas deve ser assustadora;

    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Oi, Tamires!
    Eu não consigo ler nenhum livro de terror e só de ler sua resenha jé percebi que vou passar bem longe desse haha
    Eu passo muito medo e fico sem dormir MESMO! haha Bem louca.
    Porém, parece ser uma leitura interessante.
    Beijos


    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  20. Olá, tudo bem?
    Uau, adorei a resenha, ficou muito detalhada e completa.
    A história parece ser bem interessante e confesso que fiquei com um certo receio, livros assim me deixam bem apreensiva e com um pouco de medo.
    Quero muito saber o que essa menina tem!!!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  21. Oi, Tamires!
    Nossa, a premissa dessa história é bem interessante né? Eu raramente consigo ler histórias de terror/suspense porque sou muito ansiosa, mas confesso que sua resenha me deixou bastante intrigada, principalmente por ser contada pela criança (que parando para pensar, é muito perturbador mesmo). Vou indicar para uns amigos que curtem terror e conhecem meus gostos, ai dependendo do veredito deles, penso melhor sobre ler ou não haha
    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Oie! Tudo bem?

    Esse é o tipo de livro que com certeza passo a dica correndo e sem olhar para trás! Tenho pavor de histórias desse gênero, já tenho dificuldade em dormir de noite pensa lendo essa obra!?

    Bjss

    ResponderExcluir
  23. Olá Tamires,
    Quando vejo obras como essa penso o mesmo que você: vômitos, cabeças girando e tudo o mais. Acho interessante ler essas resenhas, pois mostram que alguns livros vão além. Pela sua resenha não senti medo, nem um leve arrepio, mas se o mestre do horror teve medo, como você disse, quem sou eu?
    Quero ler o livro para entender as sublinhas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Estou cada vez mais louca para ler este livro <3 adoro o gênero terror, e essa parece ser uma trama muito bem trabalhada. O fato de você dizer que é uma história que impressiona bastante me deixou ainda mais curiosa, pois penso que livro de terror é para impressionar e dar sustinhos mesmo hahahaha. Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  25. Oi Tamires
    Não conhecia esse livro, mas simplesmente adorei.
    Gosto de livros com essa temática de possessão, principalmente quando fica aquela dúvida no ar.
    Concordo com você: Se até King teve medo, imagina eu?
    Já anotei a dica para ler!
    Beijinhos
    Rizia Castro - Livroterapias

    ResponderExcluir
  26. Olá Tamires! Tudo bem?

    Menina!
    Esse livro não é pra mim, sou do tipo das que se impressionam com facilidade, não leio e nem assisto filmes de terror, tenho um medo danado!

    Mas adorei saber que o livro traz vários diferenciais, como a analise da personagem dos filmes, achei bem legal!

    Sua resenha está incrível, eu que sou medrosa demais para conseguir utilizar a sua dica kkk

    Beijos
    Jess

    ResponderExcluir
  27. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que não costumo ler livros desse gênero, mas esse chamou muito a minha atenção desde quando o vi pela primeira vez e lendo sua resenha agora fiquei ainda mais animada, pois parece ser uma boa obra, mesmo ela tendo algumas incoerências e um final que não te agradou. Enfim, espero fazer a leitura desse livro em breve e gostar da mesma.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  28. Oi, Tami!
    É um livro forte, né? Não sei se é o tipo de livro que eu leria.
    Sou tão fraquinha que me abalei até com Objetos cortantes rs
    Mas por outro lado achei a proposta incrível.
    Deu uma vontade danada de ler!
    Adorei suas fotos!

    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  29. Oi Tamires, tudo bem?
    Uau que livro é esse? Eu já tinha ouvido falar sobre o livro e para ser sincera eu não sabia do que se tratava exatamente, mas gostei muito da premissa, e saber que o livro não é para os fracos me anima mais, até imagino o que irei encontrar nessas páginas, uma obra perturbadora sempre me atraiu. Ótima resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir