3 de julho de 2017

Resenha | A Melodia Feroz - Victoria Schwab


Livro cedido em parceria com a editora.

Autora: Victoria Schwab

Série: Monstros da Violência #1

Número de páginas: 384

Ano: 2017

Editora: Seguinte

Skoob: AQUI

Compre: Americanas | Submarino
Sinopse: Kate Harker e August Flynn vivem em lados opostos de uma cidade dividida entre Norte e Sul, onde a violência começou a gerar monstros de verdade. Eles são filhos dos líderes desses territórios inimigos e seus objetivos não poderiam ser mais diferentes. Kate sonha em ser tão cruel e impiedosa quanto o pai, que deixa os monstros livres e vende proteção aos humanos. August também quer ser como seu pai: um homem bondoso que defende os inocentes. O problema é que ele é um dos monstros, capaz de roubar a alma das vítimas com apenas uma nota musical.

Quando Kate volta à cidade depois de um longo período, August recebe a missão de ficar de olho nela, disfarçado de um garoto comum. Não vai ser fácil para ele esconder sua verdadeira identidade, ainda mais quando uma revolução entre os monstros está prestes a eclodir, obrigando os dois a se unir para conseguir sobreviver.

 

Quando os sunais se entregavam, vidas chegavam ao fim. Não havia regras, não havia limites: os culpados e os inocentes, os monstros e os humanos... todos pereciam. 

Após seis anos de intensa batalha, Veracidade foi dividida em duas. O sul pertence a Henry Flynn, homem justo que procura proteger todos que estão a sua volta. O norte pertence a Callum Harker, um homem cruel que só concede sua proteção àqueles que podem pagar por ela. Os dois territórios coexistem, mas a animosidade entre eles nunca se dissipou. Nessa nova realidade, cada ato de violência gera um monstro que será diferente dependendo de seu catalisador, ou seja, dependendo da gravidade do crime haverá o nascimento ou de um corsai ou de um malchai ou de um sunai.

Os corsais são os monstros mais comuns, nascendo de atos violentos e não letais. Eles se alimentam de carnes e ossos e vivem nos espaços subterrâneos, pois não gostam da luz do sol. Os malchais nascem dos homicídios, se alimentam de sangue e gostam da noite, sendo a maioria deles aliados de Harker. Já os sunais nascem de mortes em massa e são a espécie mais rara. Eles têm aspecto humanoide e se alimentam com as almas dos pecadores, fazendo-as vir à superfície com seus dons musicais. Há apenas três sunais e eles estão sob a proteção de Flynn, que os trata como filhos.

Monstros grandes e pequenos, cadê?
Eles virão para comer você.

Corsais, corsais, dentes e garras,
sombras e ossos abrirão as bocarras.

Malchais, malchais, cadavéricos e sagazes,
bebem seu sangue com mordidas vorazes.

Sunais, sunais, olhos de carvão,
com uma melodia sua alma sugarão.


August Flynn é um dos raros sunais e quer ser mais útil para a FTF, a força-tarefa que protege a Cidade Sul, mas Flynn é totalmente contra o envolvimento do "filho", pois teme que algo de ruim possa acontecer com ele, entretanto, para aplacar a frustração de August, Flynn acaba dando a ele uma missão: passar a frequentar uma escola do outro lado da fenda a fim de vigiar Kate Harker.

Kate, como o sobrenome não nega, é filha de Harker e é dona de uma personalidade forte e portadora de uma rebeldia desmedida. Ela frequentou seis escolas nos últimos cinco anos e fez de tudo para ser expulsa de todas elas, tudo para fazer com que o pai a levasse para mais perto dele, pois o que ela mais queria era ter a chance de mostrar para ele que ela tinha o sangue dos Harker, queria mostrar que ele podia ter orgulho dela, mas como ela faria isso estando tão longe dele? Depois de quase colocar fogo em sua última escola, ela acaba conseguindo fazer com que seu pai a traga de volta para a Cidade Norte.

— ... Quantos morreram na última vez que sucumbiu? Oito?
O número forçou passagem pela garganta de August.
— Nove — ele sussurrou.
— Nove — repetiu o irmão. — Nove vidas inocentes. Tudo porque você se recusou a se alimentar. — August se abraçou. — O que você quer? — Leo o repreendeu. — Ser normal? Ser humano? — Ele pronunciou a palavra como se sujasse sua lingua.
— É melhor do que ser um monstro — August murmurou.

Passar para o outro lado da fenda pode ser muito perigoso, mas com um pouco de cuidado, August - que quando está do outro lado se chama Frederick -, consegue se misturar com os humanos; tudo o que ele precisa fazer é evitar que vejam suas marcas - que contam os dias em que ele está sem sucumbir às trevas - e que tirem fotos dele, já que nelas seus olhos parecem dois buracos negros.

As coisas estão caminhando perfeitamente bem e August até faz uma espécie de amigo, mas quando Kate começa a se aproximar e a interagir com ele sem saber de quem se trata ele percebe que a menina não é uma pessoa tão detestável quanto aparenta. Só que Kate é esperta e aos poucos percebe que há alguma coisa errada, mas quando decide agir descobre que não era August quem ela deveria temer, e sim aqueles que desejam o fim da trégua entre os dois lados da cidade.

Juntos, Kate e August se unirão e tentarão a todo custo manter a ordem das coisas... antes que seja tarde demais.


••••••••••

Esse foi o meu primeiro contato com a escrita da autora Victoria Schwab, que por sinal estará presente na Bienal do Livro no dia 10 de setembro. Victoria também é autora de A Guardiã de Histórias e Um Tom Mais Escuro de Magia.

A Melodia Feroz é uma história esforçada, pois podemos observar analogias muito bem colocadas assim como uma ótima construção dos personagens. A relação do bem contra o mal ficou bem delineada e houve também uma boa abordagem da luta entre essência e definição. Se de um lado temos uma humana por definição que quer mergulhar nas sombras em busca de reconhecimento e autoafirmação, do outro temos um monstro por definição que faz de tudo para não sucumbir às trevas que o habitam e faz o que pode em busca de redenção. Humanos monstruosos e monstros humanizados... curioso, não?

Ver Kate tentando se tornar algo que não é me deixou muito irritada, pois seu pai, a quem ela queria desesperadamente agradar, não dá a mínima para a menina, mas mesmo assim ela quer mostrar que é valiosa, que pode se tornar tão boa ou melhor - nesse caso pior -  do que ele. Já August é uma graça de personagem e é praticamente impossível não sentir empatia por ele. Vê-lo tentar não se tornar o que de fato é, um monstro, é muito bonito. Percebam que temos dois personagens lutando contra aquilo o que são, mas podemos ver nitidamente quem está sendo bem-sucedido. 

Kate e August são ótimos personagens e são polos totalmente opostos, mas é como diz o ditado: os opostos se atraem. Porém, se você estiver esperando um romance pode esquecer! Temos uma faísca de algo mais, mas é só. Esse é o segundo livro que leio em pouco tempo onde a autora focou no que realmente era importante para o desenvolvimento da narrativa e deixou o romance de lado.

Os personagens secundários são bons, principalmente Ilsa e Sloan, uma sunai e um malchai respectivamente, mas achei que faltou um pouco de desenvolvimento. Alguns personagens têm envolvimento direto nos acontecimentos mais relevantes da história e senti que eles ficaram muito aquém de seu potencial.

No geral eu gostei da história, entretanto, senti que faltaram respostas sobre o que aconteceu antes da sociedade ser o que é, mas não vou falar que isso é um defeito da história, isso é mais algo pessoal, pois sou aquele tipo de leitora que gosta de saber dos fatos tintim por tintim. A Melodia Feroz é uma distopia com características de urban fantasy e em determinado capítulo Victoria até menciona que Veracidade é hoje o que antes fora Kentucky, Missouri, Illinois e Iowa, e também dá um vislumbre sobre o que aconteceu, mas é tudo muito superficial e essa abordagem "por cima" não me agrada em nenhum tipo de história.

A edição da Seguinte está lindíssima! A capa original foi mantida e ela tem tudo a ver com a história. O livro, que é dividido em seis partes muito bem fragmentadas, possui folhas amareladas e de boa qualidade. A história é narrada em terceira pessoa e eu não encontrei erros de revisão.


A Melodia Feroz é apenas o primeiro volume e achei que faltou um pouco de emoção, mas não vou julgar toda a história ainda, pois ela termina de uma maneira interessante e acredito que no segundo volume as coisas serão mais intensas e teremos mais algumas respostas.

43 comentários

  1. Oi, Tamires. Cê acredita que até agora eu ainda nem sabia sobre o que era a história do livro? Acho que quando o livro tem muita publicidade eu acabo perdendo um pouco o interesse, mas depois que li sua resenha com toda certeza vou procurar para ler, e olha que foi um dos primeiros livros de distopia que eu realmente sinto vontade de ler em.
    Beijo!
    https://leitoraencantada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tami!
    Menina, eu pulei tua resenha porque quero chegar limpinha pra essa história hahhahahah
    Eu gostei muito da Victoria como V.E... vamos ver se vai ser o mesmo sentimento como Victoria mesmo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. A capa desse livro é maravilhosa e a historia parece ser bem envolvente. Livros sem respostas são bem incômodos mesmo. Tudo precisar estar com a ponta fechada pra leitura fluir melhor. Mas ainda sinto curiosidade e pretendo ler o livro ;D
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Tami,
    Achei essa divisão das 'raças' [???] meio confusa. É por isso que não costumo ler muito fantasia, sempre acabo confusa kkkk. Porém tive a impressão que a narrativa sobre o August é mais interessante.
    Leticia que ficou com esse livro, de repente pego emprestado.

    tenha uma ótima terça =D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, Nana, a Victoria deixa muita coisa no ar, mas a divisão das raças ela explica direitinho! ;)

      Excluir
  5. Ola
    primeiro, devo dizer que essa capa é bem bonita e não sei como ainda não tinha conferido nada sobre o enredo. Essa é a primeira resenha que leio desta obra, e confesso estar meio dividida se gostaria ou não de fazer essa leitura, pelo menos no momento né. Ainda assim, é fato que a premissa chama muito a minha atenção e eu gostei de conferir as suas impressões justamente para compreender um pouco dos elementos trabalhados.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procura ler mais algumas resenhas para se decidir, tem muita gente que gostou bastante! ;)

      Excluir
  6. Olá, Tamires.
    Também sou dessas que gosta de tudo explicadinho hehe. Mas ainda com essa ressalva eu quero muito ler esse livro. A história me pareceu ser bem diferente de tudo que tenho lido. E só pelas resenhas que tenho lido acho que a história é muito "grande" e só lendo mesmo para entender tudinho hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente assim, Sil. Não tem como esmiuçar tudo na resenha, só lendo pra saber! hahaha

      Excluir
  7. Oi
    eu já li a guardiã de histórias, mas não gostei e até que estou vendo falarem bem desse livro, um lado bom e o outro não, parece ser cheio de aventura e que bom que gostou apesar de ter achado que faltava respostas.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena que não gostou de A Guardiã de Histórias, Denise.

      Excluir
  8. Oi Tamires que pena que vc não curtiu tanto, eu estou lendo outro livro da autora, O tom mais escuro da magia, e estou curtindo a narrativa dela! Lá no blog quem leu foi uma colaboradora e quem sabe depois eu tento esse tb!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu lerei esse em breve, Mi, estou só esperado chegar! ;)

      Excluir
  9. Oiii,

    Preciso dizer que esta capa é muito linda, e que pelas fotos a edição esta igualmente incrível. Eu gostei bastante da sua resenha, até mesmo os pontos negativos de não aprofundar em alguns personagens ou em como a sociedade ficou assim chamaram minha atenção, me prendeu e me deu vontade de conferir o que realmente acontece na história.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  10. Eu vi essa capa assim que foi lançado e pensei que, não importava sobre o que se tratasse, eu precisava ler, de tão linda que é, mas confesso que sua resenha me deixou com um pé atrás, pelo menos por ora. Ultimamente tô com problema de conseguir me prender à leitura, então se eu ler esse, que você disse que faltou emoção, acho que não vai me agradar tanto nesse momento.
    Mas vou guardar sua dica, já que você pretende ler a continuação!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas essa é somente a MINHA opinião, Carol. Procura ler mais algumas resenhas, pois muita gente adorou! ;)

      Excluir
  11. Oi Tami!
    Eu gostei da sua nota pro livro, qnd td mundo começa a falar bem assim eu desconfio, haha
    Mas a premissa dele parece ser bem original! Fi quei triste pela "falta" de romance, rs, pra mim é indispensável XD
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, eu adoro romance, mas onde ele é relevante! hahahah

      Excluir
  12. Boa tarde!
    Estou super curioso com esse livro, adoro histórias distópicas que envolvem seres sobrenaturais, com certeza são das minhas favoritas.
    Uma pena a leitura não ter funcionado 100% pra você, acho que você deve ter lido com grandes expectativas (e quem não fica assim com uma premissa maravilhosa dessa?).
    Suas fotos ficaram tão lindas quanto a capa.
    Abraços.

    Livroterapias

    ResponderExcluir
  13. Oi Tami!

    Quero muito ler melodia feroz, será um de minhas próximas leituras, muita gente fala bem dessa autora, mas sei que você não é a primeira a ter problemas com a obra, o que é uma pena, provavelmente vou me incomoda também por que adoro coisas muito be explicadinhas, sou muito curiosa, quero ler todos os livros dela, vamos ver o que eu acho, eu adorei a posposta da obra e esta capa e linda não é? Quem sabe no segundo livro não explica algo mais? sera? Adorei a resenha.

    Te indiquei no Prêmio Mistery *-* Resenha Atual

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa capa é maravilhosa mesmo! *---*
      Vou lá no seu blog ver! <3

      Excluir
  14. Olá, Tamirez! Tudo bem?

    Eu achei essa capa muito bonita, ficou bem feita. Eu não conhecia esse livro, pelo o que li na sua resenha você gostou da história, mas poderia ser melhor. Eu por gostar de distopia (ficção científica) vou dar uma oportunidade para esse livro, o que desanima um pouco é ser uma série.
    Bjus

    ResponderExcluir
  15. Oi Tamires,
    estou com esse livro aqui em casa e prendo lê-lo semana que vem. Tenho lido ótimas críticas que tem elevado consideravelmente minhas expectativas, amei sua resenha, foi super objetiva e me deu uma visão mais realista do que de fato se passa na história, agora mais do que nunca estou ansiosa para ler esse livro.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Olá!!

    Gostei muito da premissa do livro, já tinha visto a capa pelo Facebook e Instagram, mas nunca parei para pesquisar, nem mesmo a sinopse. Parece ser uma distopia beem bacana e original, mas já estou sofrendo por não ter romance (a loca do romance). Assim como você eu gosto de histórias bem explicadinhas, mas dependendo de como seja a narrativa não chega a me incomodar não. Vou procurar por ele na Bienal, porque agora as finanças para livros estão fechadas, mas anotei a dica e vou usar.

    Beijos e Sucesso

    ResponderExcluir
  17. Oi Tami! Eu curto demais os livros desta autora e os mundos que ela cria. A premissa desse livro é bem diferente dos outros dela que li e tomara que a sequencia chegue logo aqui.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  18. Olá e ai tudo bem? eu não conhecia essa história, parece ser uma história de fantasia bem interessante, a capa realmente chama muito a atenção, não sei se enquadra no tipo de livro que eu curto ler, mas já me surpreendi com livros de fantasia antes, eu não dava nada pro livro e no fim me apaixonei, então sempre é bom dar uma chance não é rs. Um beijo parabéns pela resenha.

    http://fonte-da-leitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi Tamires.
    A capa é linda! Ainda não li nada da autora, pois não sou muito chegada em fantasia. Gostei da premissa deste e sua resenha me despertou interesse. Porém o fato de ter que iniciar uma nova série, já me desanima um pouco. Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  20. Oi.
    Achei o enredo muito interessante. Principalmente pelo fato de os dois personagens principais tentarem ser algo que não são. Gostei tambem vou e a autora ter deixado o romance de lado. Muitos autores do genero se perdem por focar demais no romance e acabar deixando de lado outros aspectos importantes.
    Vou anotar a dica, pois adoro o gênero. Mas eu tambem prefiro quando aquele mundo é explicado tim tim por tim tim. Acho que sem isso não consigo entrar conpletamente na história.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Olá!

    Apesar da capa e sua resenha ser interessante!Não sei porque a história não me atraiu, primeiro porque acho tão clichê histórias de dois poderosos e tal e um cruel e outro não que não me atrai. Mas você conseguiu expressar perfeitamente o seu ponto de vista, e me venderia sim o livro hahahahaha. Parabéns Tamires você é uma ótima resenhista!

    Abraços
    Dicas Literárias

    ResponderExcluir
  22. Olá Tamires,
    Conforme fui lendo sua resenha fui me lembrando da minha decepção com Dezesseis. Os personagens são muito bacanas, mas faltou explicação para como a sociedade se tornou o que é, sabe?
    Fiquei curiosa para ler esse livro, pois ele tem uma premissa instigante, mas não gostei de saber que o mesmo acontece nesse livro. Será que é problema de distopias? rs
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  23. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH quero esse livro para ontem! Por favor alguém me dê ele de presente de aniversário! To aceitando! U.U
    Guria essa foi a primeira resenha que li sobre a obra e ja amei demais a proposta dela, com certeza no momento que eu realizar a leitura do livro irei amar o que encontrarei na história! Dica mais que anotada!

    Bjss

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Não me interessei por esse livro dessa vez porque os personagens não me atraíram. Achei legal o fato de ter essa divisão de "raças", mas mesmo assim não foi uma coisa que me atraiu.
    Outra coisa que me deixou sem vontade de ler, foi o fato da personagem tentar o tempo todo chamar a atenção do pai, e ele nem ligar pra ela.
    Vou deixar essa dica passar.

    ResponderExcluir
  25. Oii Tamires, tudo bem? Adorei conferir sua resenha, pois estou bem interessada em realizar a leitura desse livro. Já li um livro da autora (A Guardiã de Histórias) e amei muito. Gosto do fato de ela deixar o romance de lado em A Melodia Feroz, pois ela não fez isso no primeiro que li. A premissa é incrível e espero de verdade gostar da leitura, e que ela aborde melhor o mundo no próximo volume da série.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  26. Olá Tamires.
    Nossa, não conhecia essa nova série e eu achei bem interessante e diferente.
    A capa realmente é linda demais e chama a atenção. Gostei desse universo que a autora criou e a sociedade ao seu modo é bem diferente tbm.
    Geralmente os primeiros livros são um introdução, quem sabe as duvidas nas quais teve duvidas não sejam respondidas nos demais livros?
    Vou procurar um pouco mais dessa série.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  27. Olá!
    Achei o livro interessante logo a partir da ainops. Ainda não conhecia o livro. Tenho quase certeza que me estressaria com a Kate se ela agir como você falou, tentar ser alguém que não é. Eu esperava um romance entre os personagens, admito haha. Enfim, a resenha está maravilhosa e a dica incrível ❤️
    Um beijo

    ResponderExcluir
  28. Hey!
    Que capa fantástica! Achei a premissa muito boa, não conhecia a obra, mas fiquei bem interessada em ler depois que vi "focou na história e deixou o romance de lado", as vezes os autores se perdem no romance e esquecem o que realmente importa (recentemente tive um experiência assim e foi desapontador). Dica anotada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Olá! Não conhecia essa série, mas achei a premissa bem interessante.
    Adoro distopias e esses personagens complexos que se mesclam às linhas do bem e do mal!
    Dica anotada!

    Um beijo!

    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  30. Há alguns elementos nessa obra que me interessaram bastante, como personagens bem construídas e a luta do bem contra o mal. Achei interessante o contraponto entre humanos monstruosos e monstros humanizados. Vou anotar o livro para ler assim que surgir uma oportunidade. Gostei da resenha!

    Tatiana

    ResponderExcluir