25 de agosto de 2017

Resenha | Dias Nublados - Dany Fran


Livro cedido em parceria com a autora.

Autora: Dany Fran

Número de páginas: 280

Ano: 2015

Editora: Empíreo

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Às 8h55 de uma segunda-feira de carnaval, Izadora Morgan Luchetta viajava por uma rodovia estadual do Paraná. Artista plástica, seguia com a certeza de retomar a Florença, onde faria, em breve, uma exposição. Mas, naquela mesma hora, em outra estrada, um caminhão perde o freio no instante em que a irmã mais velha de Izadora e dois amigos passavam indo para a praia. Eles nunca mais viram o mar. E Izadora não voltou para a Itália.

Um minuto e a vida que tinha deixado de existir. Izadora encontra um quarto vazio e uma casa às escuras. A cada dia, retomar a inspiração parece mais surreal. Até que Paolo bate à sua porta. E a paixão, quase secreta, vira tudo de cabeça para baixo novamente.


Nem sempre nos damos conta de que o medo de perder o que não se tem pode ser mais que um escudo, pode ser uma arma poderosa que mata antes mesmo de nascer.

Izadora Morgan Luchetta é uma jovem Artista Plástica que está prestes a realizar o maior sonho de sua vida: expor em uma importante galeria de Florença, Itália. Estava tudo praticamente certo para a inauguração da exposição, mas um triste acontecimento faz com que a mesma seja adiada por vários meses. Sentindo-se um pouco perdida com esse golpe do destino, Izadora decide voltar ao Brasil para passar um tempo com a sua família que, por sinal, tinha lhe dado um susto recentemente.

Respostas. Às vezes, passamos uma vida em busca de algumas que jamais serão decifradas.  Pelo menos não de maneira concreta. Outras vezes, depois de muito procurar, encontramos. E aí desejamos não tê-las.

Chegando ao Brasil, Izadora reencontra Luna, uma antiga amiga que a convida para participar da organização do Encontro de Artes que aconteceria em Curitiba, sua cidade natal. Pela primeira vez desde que soube do adiamento de sua exposição em Florença, Izadora sente-se animada e mergulha com tudo naquela nova oportunidade. Inicialmente ela só participaria da organização, já que teria que voltar para a Itália para preparar sua exposição, mas todo o envolvimento no evento desperta nela a vontade de fazer parte daquilo tudo. Então, como se o destino estivesse a par de seus desejos, ela recebe uma ligação da Itália e depois de algumas considerações resolve adiar sua exposição por mais um tempinho, pois assim poderia estar presente no encontro que estava ajudando a organizar, mas mal sabia ela que esse novo adiamento seria o último e que ela nunca mais voltaria para a Itália.


No carnaval de 2005, algo terrível muda a vida de Izadora para sempre e faz com que ela comece a questionar sua vida e suas atitudes. Ela permanece no Brasil e torna-se professora, algo que ela nunca almejou em sua vida. A jovem começa a viver no piloto automático, e a garota apaixonada e entusiasmada que ela era, aparentemente, desaparece. 

Ultimamente, eu deitava e levantava me sentindo exatamente igual. Meio exausta. Não é fácil se sentir meio o tempo todo. Meio filha, meio irmã, meio artista, meio amiga, meio amante, meio alegre, meio infeliz, meio deslocada, meio desconectada com todo o resto.

É quando Paolo entra em sua vida. A Izadora que ela era antes de tudo acontecer parece despertar e ela começa a entender que as perdas que sofremos não são necessariamente punições... muitas vezes elas são um grande aprendizado.

••••••••••

Dias Nublados foi uma leitura diferente. Confesso que estava esperando uma coisa completamente oposta àquilo que encontrei. Pensei que o livro abordaria mais o romance e a maneira como o amor é capaz de salvar alguém, mas não foi nada disso, ou pelo menos não foi apenas isso. Temos sim uma mulher que passou por uma grande perda e que redescobre o gosto pela vida ao encontrar um grande amor, mas temos outras coisas mais importantes. O resuminho da história ficou até menor do que costuma ficar, mas achei que esmiuçar mais o enredo poderia estragar certos aspectos da leitura.



Izadora é uma personagem pouco carismática, mas acredito que isso tenha sido proposital. A autora vai mostrando a jornada da personagem rumo ao amadurecimento e para isso é preciso que a personagem apresente algumas nuances mais infantis. No começo temos uma Izadora extremamente mimada e egoísta, uma jovem que quer tudo ao mesmo tempo e que não aceita muito bem quando as coisas não acontecem da maneira que ela quer. Algumas de suas reações me aborreceram bastante, principalmente o modo como ela lidava com sua família, mas só ao longo da narrativa é possível compreender que aquela personalidade não é aleatória. É interessante também a maneira com que a autora trabalhou os acontecimentos, fazendo com que tudo parecesse mesmo ironias do destino trabalhando para fazer com que tudo desse certo ou errado na vida de Izadora.

Infelizmente não senti empatia pelos personagens secundários, o que é uma pena, e achei que algumas partes do desenvolvimento da história pecaram no excesso de divagação. Alguns diálogos e algumas passagens soaram um pouco destoantes, como a menção de Celestino de Jesus, um dos artistas convidados para o Encontro, e também o drama do passado de Luna, que, ao meu ver, não acrescentou muita coisa ao enredo.


Acho a capa muito bonita e tem tudo a ver com a história. Achei alguns errinhos de revisão e o texto tem alguns problemas estruturais, mas não é nada muito grave. O livro tem um teor artístico bem presente e isso pode incomodar quem não é muito familiarizado com o tema. Como meu pai é Artista Plástico, estou acostumada com conversas que têm o mesmo teor, sendo assim, essa característica da narrativa não me atrapalhou, até curti. O livro é narrado em primeira pessoa, a diagramação é confortável e no início de cada capítulo temos uma ilustração que deixa o livro mais delicado.

Dias Nublados tem alguns defeitinhos, mas apresenta algumas reflexões interessantes. Será que estamos sendo gratos por aquilo que temos? Por que sempre estamos querendo mais e mais? Vale pensar a respeito.

26 comentários

  1. Oi, Tamires. O enredo do livro infelizmente não me interessou, acho que a palavra que define a premissa pra mim é morna. E com sua resenha agora, não sei bem se conseguiria desfrutar dessa leitura.
    Um beijos
    http://www.leitoraencantada.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem problemas, Mi... a história tem que chamar nossa atenção mesmo! ;)

      Excluir
  2. Olá Tamires, estava com saudades de suas resenhas... não conhecia o livro e nem a autora, sua resenha me deixou um pouco com dúvida: me interesso ou não por essa história? Ultimamente andamos um pouco exigentes com as leituras que encontramos, falando por mim, penso que existe tanto do mesmo no mercado que vale a pena dar uma chance ao desconhecido e talvez tirar dali algo bom, essa leitura me parece um pouco disso, um terreno desconhecido...
    Mais uma vez preciso dizer que suas resenhas são sempre maravilhosas e sinceras, adoro isso.

    Beijos
    Dani Cruz
    blogemcomum.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dani, quanto tempo! Obrigada pelos elogios. <3

      Excluir
  3. Oi Tami!
    Eu também esperava outra coisa da obra. Não achei ruim, só diferente do que eu buscava. E confesso: eu queria me emocionar, mas isso não aconteceu :(
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, ainda não conhecia esse livro. A protagonista parece passar por situações bem complicadas com a família, uma pena que a obra não lhe tenha cativado tanto em alguns pontos.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oiii Tamires

    Que pena que faltou sentir essa empatia pelos personagens. Às vezes um livro é diferente do que a gente espera e surpreende a gente positivamente, outras vezes é bem o contrário. Não é exatamente o tipo de livro que costuma me picar a curiosidade, tenho uma opinião ainda incerta sobre ele..

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Alice, algumas vezes colocamos na cabeça que a história vai por um caminho, mas ela acaba indo por outro completamente diferente.

      Excluir
  6. É um livro que me chamou a atenção inicialmente, mas não sei se leria. Acredito que os personagens tem que ter algum significado, mesmo os coadjuvantes e quando eles apenas aparecem para destoar a história, me irrita. Por isso, hoje não é um livro que eu leria hoje.
    Mas é nítido que ele parece trazer várias reflexões para o leitor (o que é maravilhoso), então, sim, eu possivelmente poderia lê-lo um dia.

    Adorei conhecer seu blog e sua resenha é muito bem escrita e bem verdadeira. Eu realmente gostei!
    Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou e obrigada pelos elogios! ♥

      Excluir
  7. Oi Tami, tudo bem?
    Às vezes é bom ser surpreendida por um enredo diferente do que a sinopse aponta, às vezes não.
    Achei o tema interessante, mas por algum motivo a história não me deixou curiosa. =/
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  8. Oi Tami, tudo bem? Eu acho que é bom ler coisas diferentes e nos surpreender, mas confesso que inevitavelmente eu fujo de autores que adoram uma divagação hehehehehe

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahah eu não ligo muito, desde que a divagação chegue a algum lugar. No caso das desse livro algumas chegam e outras não. ;)

      Excluir
  9. Oi, Tami!
    Vou confessar que acho essa capa muuuuito estranha.. sei lá, acho que é a combinação das cores com esse marrom nas árvores. Não sou muito fã da cor então...
    Sobre o livro, eu vi umas resenhas por aí, mas ele nunca me chamou muito atenção. Sabendo que a protagonista não é muito carismática não ajuda muito também...
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra ao livro Depois do Fim autografado
    Participe do sorteio de aniversário do Balaio de Babados e O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura, Lu? Eu acho bonita. É como se fosse uma pintura e até meu pai, que é do meio, curtiu. hahahahah

      Excluir
  10. Oi Tamires,
    Gosto de livros que nos fazem refletir, mas esse em si não despertou o meu interesse sem falar que a protagonista me pareceu ser bem chatinha. Então não seria um livro que eu leria.

    *bye*
    Marla Almeida
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá Tamires! Tudo bem?
    Tinha ficado interessada ao ver a sinopse, mas aí fiquei meio decepcionada com o que falou sobre a protagonista e também que tem alguns defeitinhos.. uma pena!
    beeijo

    https://lecaferouge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas tenta ler, Tamara... vai que você curte? :D

      Excluir
  12. Olá, Tamires.
    Nossas opiniões foram bem parecidas nos dois livros das autoras. Infelizmente porque foram os livros responsáveis por eu perder parceria com a editora já que não gostaram que eu não gostei hehe. Eu não gostei da Izadora, achei ela muito egoísta e não vi mudanças nela ao longo da história.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura, Sil? Que bobeira, a gente pode ter opinião, né?

      Excluir
  13. Oi Tamires.
    Eu achei que o livro tem uma boa premissa, e que poderia render uma ótima história, mas pelo jeito não funcionou bem assim pra você. Eu não leria no momento, mas deixarei anotado, pode ser que no futuro eu queira ler algo diferente.
    Bjus
    Doces Letras

    ResponderExcluir