8 de outubro de 2017

Resenha | Sorrisos Quebrados - Sofia Silva


Autora: Sofia Silva

Série: Quebrados #1

Número de páginas: 232

Ano: 2017

Editora: Valentina

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Sorrisos Quebrados gira em torno de três personagens: a jovem Paola, a pequena Sol e seu pai, André. Os três são vítimas de violências distintas, que deixaram marcas profundas em cada um. Trata-se de uma história de superação de dores, magia, estrelas e de como importantes laços humanos podem se formar a partir da autoaceitação, da arte e da tolerância no cotidiano.


— A verdade reluz, mas durante o dia seu brilho não é forte o suficiente para fazer as pessoas olharem para ela. É na penumbra que a verdade é soberana. E mesmo quem não quer ver é obrigado, pois é a única que brilha.

Paola casou-se com um homem incrível, ou pelo menos era isso que ela achava. Todas as suas amigas tinham uma queda por Roberto, mas foi Paola a escolhida. Todos faziam questão de lhe dizer o quanto ela era sortuda e por algum tempo até Paola pensava o mesmo, só que Roberto começou a ficar muito ciumento e controlador... não demorou muito até as agressões começarem. Cansada de tanto sofrimento, Paola decide fugir no meio da noite. Por alguns minutos ela chega a pensar que seria bem-sucedida, mas Roberto frustra seus planos e comete uma das maiores atrocidades possíveis.

Paola sobrevive, mas não sem sequelas. Há aquelas físicas, que são feias e lhe roubaram a beleza, e as psicológicas, que lhe roubaram sua confiança e sua essência. Paola mora na clínica psiquiátrica na qual faz tratamento. Sua permanência lá é uma escolha, pois é um lugar que lhe transmite segurança, coisa que por muito tempo lhe foi entranha. Entre suas sessões de terapia, Paola usa a pintura para expressar seus sentimentos mais profundos. Em seus dias ruins, tudo o que ela consegue reproduzir são os horrores que viveu nas mãos de Roberto, o que a deixa muito perturbada. E é durante um surto que ela vê André pela primeira vez.

Choro e rio ao mesmo tempo.
Sou livre, mas neste dia estou mais presa a ele.
Caio de joelhos continuando a rir e a chorar diante das cores que me deram vida. E, quando olho em frente, imaginando o que de bom pode surgir no meu futuro — se um dia viverei sem sofrer; se um dia serei feliz —, não pinto mais.
Paro de gritar.
Engulo o choro e abro a boca num O. Na minha frente, com expressão de espanto, está um homem parado me olhando.


André é pai de Sol, uma linda menininha de quatro anos. Quando Sol era muito pequena, André estava em uma situação financeira muito difícil. Certa noite, com a menina ardendo em febre em seus braços, ele apareceu na clínica clamando por ajuda. Aquele não era o lugar adequado para os sintomas de Sol, mas Rafaela, dona do local, não lhe negou ajuda. Coincidentemente - uma coincidência dolorosa, infelizmente - Sol começa a se tratar na clínica algum tempo depois, e André, como forma de gratidão, começa a ajudar nas melhorias do local.

A primeira impressão que André tem de Paola não é das melhores, ele se assusta com sua aparência e com seu comportamento. O que ele não poderia imaginar é que justo aquela mulher descompensada conseguiria ajudar sua filha. Sol, que tem problemas de socialização, misteriosamente fica encantada por Paola e faz dela sua melhor amiga. Percebendo que Sol deixou um estranho entrar em sua vida, Rafaela propõe que ela comece a passar mais tempo com Paola, ideia que André aceita com um certo receio. Na medida em que observa o quanto Sol está melhorando, André começa a enxergar Paola com outros olhos.

Questiono-me se olho para ela sem sentir o impacto de suas feições cortadas porque me acostumei ou pela minha filha. Se o que me atrai nesta mulher que me assustou quando a vi é a sua delicadeza com a sol, ou se sinto curiosidade em tentar entender como alguém que sofreu algo tão macabro caminha na escuridão, não porque quer se esconder, mas para reluzir. Se toda a sua falta de beleza exterior é encoberta com tudo de lindo que traz dentro de si. 

Com o passar do tempo, Paola e André começam a se envolver. O sentimento que há entre eles é intenso e avassalador. Ambos entregam-se como se aquele momento fosse o último, pois sabem que são complicados demais para algo além daquilo. Paola começa a se enxergar como mulher novamente, algo que não fazia há muito tempo. Sua intenção não era se apaixonar por André, mas seu coração tinha outros planos.


André não quer se entregar por completo porque na única vez em que se apaixonou foi traído das piores formas possíveis. Tentando salvar um relacionamento fadado ao fracasso ele perdeu seus sonhos, seu dinheiro, sua dignidade e até mesmo parte de si. É por essas e outras que ele reluta tanto, todavia, ele não consegue ficar longe de Paola por muito tempo.

— Paola, fique. Só mais uma noite — pede na minha boca.
Permaneço segundos em silêncio, receando que possa sair por meus lábios o que grita em meu coração.
No meio dessa luta, o celular dele toca dentro de casa, mas ele não se move.
— Passe só mais uma noite comigo.
— É melhor atender antes que a Sol acorde — aviso, saindo sem vontade de seu colo.
Ele fica indeciso até perceber que a chamada vai persistir.
— Paola, fique — pede, antes de correr para casa.
Eu fico... olhando para a pulseira. Quando a vi, pesei em você. Percebendo que estou irremediavelmente apaixonada, e por isso decido ir para casa.
Hoje eu não conseguiria fingir que finjo.

Será o amor capaz de remendar os cacos das vidas dessas pessoas?

••••••••••

Sorrisos Quebrados possui uma história muito bonita e isso eu não posso negar. O livro já começa com um prólogo super original, chocante e assustador, mostrando que realmente não há limite para a maldade. Ao terminar o prólogo eu respirei fundo e pensei: "isso vai ser intenso!". Porém, infelizmente, o livro não foi tudo aquilo que eu imaginei.

O livro é muito bem intencionado, muito mesmo, e tem aquela pegada mais poética que vocês sabem que eu curto. Só que a partir de determinado momento achei que houve um excesso no uso de paradoxos e analogias, deixando o texto com um teor filosófico muito forçado. Outra coisa que me incomodou um pouco foi a estrutura do texto. A Sofia é portuguesa, logo, escreve em português; não sei até que ponto o texto dela foi trabalhado pela editora, mas em determinados momentos senti como se estivesse lendo diversos hipérbatos e por várias vezes eu que tive que reler alguns parágrafos para compreender a mensagem.

Também senti falta de um maior desenvolvimento em certos aspectos. O passado de André é mencionado e em determinado momento o ciclo se encerra, mas é totalmente repentino e breve. Uma outra coisa que não me convenceu envolve Roberto. Não posso entrar em detalhes, mas por mais que seja algo pertinente e que explica muita coisa, a forma como o fato foi revelado deixou muito a desejar.

Cheguei a conversar com alguns blogueiros que leram, pois eu queria saber se era um problema meu ou se alguém mais havia se sentido assim. Aparentemente o problema é meu, pois todos com quem conversei amaram e eu fiquei aqui me sentindo a diferentona! Acreditem: eu não queria ser! Eu queria entrar na hype, queria ter vomitado arco-íris, queria ter favoritado, queria mesmo, mas não rolou. Mas vocês viram lá em cima que mesmo assim eu dei três estrelinhas, né? E isso é mérito total dos personagens.

Posso não ter curtido a história como um todo, mas os personagens que Sofia criou são extremamente cativantes e empáticos. Paola é uma mulher que sofreu uma das piores agressões possíveis e este acontecimento lhe tomou partes de seu corpo e de sua alma. Ela é uma mulher muito solitária, desconfiada e triste, mas sempre tem um conselho valioso para dar. Já André amou uma mulher que lhe sugou tudo, inclusive a sua capacidade de acreditar no amor. Algumas de suas atitudes são bem questionáveis e senti raiva dele em alguns momentos. André não seria muito diferente dos personagens masculinos de NA que vemos por aí se não fosse por Sol, pois é ela quem o humaniza, é ela quem o faz querer ser uma pessoa melhor, é ela o seu maior amor e é por ela que ele vive. Sol é um anjinho, uma criança adorável, uma alma pura e inocente que se torna a ponte entre essas duas pessoas quebradas.

A edição da Valentina está maravilhosa! A capa é lindíssima e a diagramação super delicada. O livro possui páginas amareladas, de boa qualidade e é narrado em primeira pessoa pelos pontos de vista de Paola e André. Não senti aquela distinção entre as vozes, mas esse foi o menor dos meus problemas.


Gostaria de lembrá-los que esta é única e exclusivamente a minha opinião, ok? Se você sente vontade de ler o livro, LEIA! Sofia criou uma trama muito visceral, real e dolorosa, mesclando essas característica com as cores do amor e a esperança que vem com o mesmo. Há também uma mensagem muito bonita sobre a subjetividade da beleza e sobre a real morada da mesma. Essa foi minha primeira experiência com a escrita da Sofia e não será a última. Sofia é um ser humano incrível e não é porque eu me decepcionei com Sorrisos Quebrados que deixarei de ler seus livros. Um autor não é feito de um livro só (com exceção do John Green), e se esse não funcionou pra mim outro funcionará. 😉
 

36 comentários

  1. Oi Tami, tudo bem?
    Eu estou doida para ler esse livro.
    Vi muitas pessoas adorando ele.
    Adorei sua resenha, por sua sinceridade, até porque cada um tem um gosto, e cada um vai ter sua opinião.

    Beijos :*
    Say My Book
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tami!
    A tua opinião foi parecida com a opinião de uma outra amiga minha: achou a história legal, mas não toda essa coca-cola toda.
    Particularmente, eu não tenho muita vontade de ler esse livro, apesar de achar a capa maravilhosa.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  3. Oi Tami!

    Tudo bem? Eu vi que algumas pessoas adoraram o livro e outras falaram que é "muito barulho por nada". Eu honestamente tenho curiosidade de ler a obra porque fala sobre um tema muito pesado, mas eu até comentei isso em uma resenha recente: se a autora não tiver a sensibilidade necessária para desenvolver o enredo a história vai por água abaixo.

    Acho que o que mais me deixa curiosa sobre esse livro é a questão de que Roberto aparenta ser um cara legal e "bom partido", mas na verdade é um monstro. Isso é tão real que dói.

    Eu adorei saber que as personagens são cativantes, adoro quando são bem desenvolvidas e consigo sentir afinidade com ela, as histórias que você mencionou são profundas e eu adorei saber um pouco mais.

    A capa é uma perfeição à parte e a Valentina simplesmente arrasou nesse livro.

    Beijinhos - Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  4. Oi oi.
    Que pena que não favoritou, mas mesmo assim. Ostra como esse livro é rico em emoções.
    Amei tudo. Para mim um dos livros mais lindos que li na vida.
    Paola, André e Sol me conquistaram imensamente.
    E a escrita da autora, talvez por ser portuguesa, é mais "rica" em expressões de autores classicos e isso me cativou.
    Amei muito.
    E sim, autora é um ser humano de uma alma única. A gente percebe que escreve para ajudar, dar voz.

    ResponderExcluir
  5. Se a história é tão bonita quanto a capa, já ganhou um ponto.
    Tenho pra mim que se essa filosofia não for bem dosada a leitura se torna enfadonha, tem que ter uma certa sutileza para se tornar natural em meio aos diálogos.
    No mais eu quero muito ler e quero fazer isso com a mente super aberta para ver se me conquista.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Tenho muita curiosidade com este livro, a capa é muito linda e soube recentemente que ela é portuguesa e que publica livros no Brasil, vai agora finalmente ver os seus livros publicados também em Portugal.

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  7. Oi Tami, às vezes acontece em ser a diferentona mesmo rsrsrsrs ao menos a resenha é sincera. Realmente a premissa do livro é bem forte, mas por ser tão poético não sei se leria no momento. De todas as formas a capa e bem linda.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Oiee Tamires ^^
    É tão ruim quando todo mundo ama o livro e a gente não, né? Eu gostei muito desse livro, mas realmente, o começo é tão pesado e com uma carga dramática tão grande (juro que quase desisti de ler o livro depois daquela cena do cachorro) que a gente acaba esperando que o livro todo seja. Não foi uma leitura 100% para mim, mas eu gostei muito :)
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi Tami!
    "Ao terminar o prólogo eu respirei fundo e pensei: "isso vai ser intenso!" pensei a msm coisa, e n foi bem assim né, achei uma pena!
    "achei que houve um excesso no uso de paradoxos e analogias, deixando o texto com um teor filosófico muito forçado" achei a msm coisa, muita frase bonitinha, mas sem naturalidade o realismo!
    De resto que vc falou, não me senti tão incomodada... Mas acho que na minha resenha falei sobre outras coisas XD Dei 4 estrelas no final das contas!
    Ainda bem que a Sofia compensa, né? E tem outras obras dela para conhecermos ;)
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. A história parece mesmo ser muito bonita e compreendo as suas ressalvas, já que o exagero filosófico também pode atrapalhar a narração. Eu particularmente prefiro narrações leves e pouco complexas quando se trata de drama/romance, mas pelo visto isso não tira o mérito da história, o que me deixou bem curiosa pra ler!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Tami! Bem intencionado foi ótimo. Que pena não ter agradado você, eu não tenho interesse em ler no momento e agora a vontade diminuiu mais. A capa é linda, mas hoje em dia não estou me deixando mais levar apenas por isso. Bjos!!!

    ResponderExcluir
  12. Oi Tamires!

    Eu não conhecia o livro e muito provavelmente não pararia para ler ou conhecê-lo se não fosse a sua resenha. E acredita que fiquei um pouco interessada na história?
    Gosto de dramas que tenham um carga mais pesada, como parece ser a história da Paola. Porém, me preocupa esses detalhes da histórias que não te agradaram tanto...
    Mas quem sabe não tente ler?
    Adorei a resenha sincera!
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Tami, tudo bom?
    ABRAÇO; QUE ALGUÉM FINALMENTE ME ENTENDE AJKFNAOASASBOASGOU
    Guria, assino embaixo de tudo que você disse! Eu gostei do livro, mas tinha potencial pra muito mais :/
    Achei os personagens bem esteriotipados e rasos (especialmente o André e a Sol) e em vez de focar na parte emocional da protagonista, em toda a superação dela com aquele baita trauma, a autora acabou caindo pro velho e chato 'o amor cura' e aaaaaa não aguento. E achei o André um embuste, digo e repito.
    Isso do Roberto também achei bem desculpa esfarrapada que não colou. E também uma justificativa bem falha pra toda a situação envolvendo ele; pra mim, seria muito mais assustador uma realidade sem desculpa, onde ele tivesse feito aquilo só porque era abusivo mesmo (o que acontece em 99% dos casos, convenhamos). Enfim, como você disse: queria ter gostado e continuado na hype, mas pra mim foi 3 estrelas :/
    Ótima resenha!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi, Tami. Te entendo perfeitamente! Eu já vi diversas resenhas sobre a obra que foram maravilhosas mas até agora não senti vontade alguma de ler o livro. Talvez seja porque meu estado de espírito não goste muito de livros mais poéticos e afins, então eu fico com a impressão que a história vai se tornar um verdadeiro suplício para terminar com tantas expressões e pérolas em sua narrativa. Maaaas, agora deu um pouquinho de vontade de ler, então vou guardar a dica.
    Beijos!
    http://www.leitoraencantada.com

    ResponderExcluir
  15. Essa história teve um burburinho enorme na época da bienal, mas eu em nenhum momento fiquei afim de ler e ainda não estou. Eis que só vejo resenhas positivas e gente rasgando elogios, ainda assim não senti vontade de ler. E adorei ter lido sua resenha por esse motivo, porque vai diferente de tudo que já li e gosto disso. Adorei a resenha, de verdade.

    Beijocas :*

    Carla Felzemburgh
    www.sharingbooks.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oi Tamires!
    Eu também me sinto um ET quando só eu não gosto desses livros que viram queridinhos dos blogueiros hehehe.
    Uma pena que a história tenha se perdido em meio a essa intenção de "filosofar" demais.
    Vozes narrativas que se parecessem é algo que me incomoda demais!
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oi, Tamires.

    Vi essa semana uma pessoa dizendo o quanto amou esse livro. Quando vi Isso, fiquei muito interessada no livro. Agora lendo sua resenha, fiquei com o "pé no chão" com relação a esse livro. Gostei muito da resenha e da sinceridade. Quero muito ler o livro ainda, mas agora sei que não devo criar grandes expectativas quanto a obra.

    Beijos.

    www.livrosecafe.com

    ResponderExcluir
  18. Oi Tami,
    HAHAHA vc mencionou John Green eu tenho problemas com ele justamente por enfeitar demais as narrativas com 'frases feitas', em vez de contar o que se deve. Mas, sobre o livro da Sofia, gostei bastante dos temas abordados e espero ler em breve. Já simpatizei com a Sol, adoro livro com crianças fofinhas sem ser pedantes. Eu tinha pego o e-book gratuito na amazon, quando ela publicou sumiu da minha nuvem, não sei o que houve kkkkkkkk.

    tenha uma ótima quinta :D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  19. Oi
    tenho interesse em ler esse livro, mas foi bom que sua opinião foi verdadeira sobre a autora exagerar em algumas coisas.Olha essa é a segunda resenha que leio falando que o livro não foi tudo aquilo que o leitor esperava.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Oi Tami,
    Acho que esse livro me pegou desde o primeiro capítulo, eu tenho medo de cachorros (quando era pequena, um avançou em mim e fiquei traumatizada), então você imagina o quanto foi difícil ler? Logo de cara aquele tapa na cara.
    Não tinha como não favoritar, achei a escrita da Sofia com o coração.
    Uma pena que não funcionou para você, mas entendo.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Oi Tami!

    Primeiramente que pena que o livro não te agradou tanto, eu estou absolutamente louca para conhecer a história.

    Assim, acho que a premissa é muito interessante, um homem aparentemente bom se torna o maior pesadelo na vida da mulher depois que eles se casam. Isso é tão real que chega a doer só de pensar em quantas pessoas passam por esse tipo de situação diariamente.

    Eu fico feliz pelos personagens serem cativantes, mas essa questão de paradoxos e analogias realmente me desagradaria muito (ainda mais se usadas em excesso!). Também me incomodaria a resolução/apresentação de fatos de maneira muito corrida porque esse tipo de história requer uma sensibilidade e profundidade muito grande em seu desenvolvimento.

    Estou realmente na dúvida se quero ou não ler este livro. Vou buscar mais opiniões para ver se ajuda a me decidir.

    Beijinhos :: Aninha
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  22. Tudo que te incomodou foi que me fez apaixonar e favoritar essa história. Uma das mais lindas, tocantes e extremamente bem escritas que li. Autora sabe escrever sem cansar o leitor e achei que o objetivo da história não foram os porquês" mas como duas pessoas se reconstroem.
    Amei esse livro e não vejo hora de ler mais obras da autora.

    ResponderExcluir
  23. Olá, Tamires.
    Sabe que não sou fã do gênero e para eu ler tem que chamar muito a minha atenção hehe. E o que me chamou a atenção nesse infelizmente foi só essa capa e edição maravilhosa. Já a história não diferem muito dos livros do gênero. Quando vejo um livro que tenho vontade de ler sendo tão bem elogiado sempre fico com um pé atrás. Sempre sou do contra e acabo não gostando hehe. Vide ACEDE e Caixa de Pássaros hehe. Parabéns pela resenha, expôs sua opinião de maneira coerente e precisa.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  24. Oi Tami,

    A capa em si chama muita atenção para esse livro, uma pena em alguns aspectos não ter te agradado tanto.
    Espero ler futuramente.

    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  25. Oi Tami, tudo bem?
    Adorei sua resenha e a sua sinceridade nela. Ao contrário de você eu amei o livro. A história me tocou fundo porque na minha infância eu vive bem próxima de uma realidade assim. Eu gostei muito da narrativa mais poética e filosófica da Sofia e depois que a conheci pessoalmente me senti ainda mais apaixonada por ela. Uma pena que o livro não te tocou desta forma, mas é assim mesmo. Gosto é algo muito pessoal. E também já tive experiências assim, principalmente com os livros da Nora Roberts e Nicholas Sparks... kkkkkk
    Bjus lindona.
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  26. Oi, Tami!

    Eu gosto de livros que possuem um teor poético, e gostei da premissa. Acho que eu leria sim, mas sem criar muitas expectativas (fico frustrada quando algum detalhe da história não é totalmente esclarecido, como o passado do André que você mencionou).

    Beijos,
    Isa
    Viciadas em Livros
    Participe do Amigo Secreto Literário do Viciadas em Livros

    ResponderExcluir
  27. Oie, tudo bom?
    Eu gostei muito da resenha e da sua sinceridade, também sinto falta de desenvolvimento em alguns livros que leio, mas normalmente consigo relevar e curtir o que o escritor nos mostra. Espero poder ler em breve e ver se também serei a diferentona que não curtiu tanto, pois a hype tá gigante sobre esse título!

    ResponderExcluir
  28. Vendo essa capa eu não imaginava que a história seria tao pesada assim, meu deus, meu peito arfou! Acho que tratar agressão é sempre um tema muito delicado e que exige um grande manejo, talvez a autora tenha pecado por isso... Poxa vida. De qualquer forma, adorei sua resenha, foi muito sincera e levantou questionamentos importantes.

    ResponderExcluir
  29. Oi Tamires, esse livro está fazendo muito sucesso, principalmente depois que a autora se mostrou ser master fofa com os leitores. A trama é bem dramática e eu gosto de livros assim, mas talvez como você, eu viesse a sentir falta de mais informações sobre o passado do André.
    Dica anotada.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  30. Oie!

    Esse livro ainda não senti vontade de lê-lo, exatamente por todos estarem falando tão bem dele, que com certeza se eu chegar a realizar a leitura acharei algo que vai me fazer discordar de todos que já leram a obra, por isso passo a dica!

    BJss

    ResponderExcluir
  31. Ou Tami,
    Hahaha, morri com essa piada do final.
    A capa é realmente maravilhosa, disso nem tem como descordar. Sobre a obra, confesso que o início da sua resenha também me transparece algo como "vou ter que segurar meu forninho para essa história", mas me pareceu ter uma narrativa de impacto somente no início. Com certeza o desenvolvimento da obra demonstra muita sensibilidade e visão sobre os personagens, mas depois de uma entrada assim, preferiria que a história seguisse pelo menos um ritmo mais alternado, explorando o emocional de forma mais intensa.
    Bom, não sei se a obra faz isso com o decorrer da leitura, mas em primeiro momento, foi essa a minha opinião.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  32. Oi Tami, tudo bom? É tão chato quando isso acontece né? Estarmos cheias de expectativas com uma leitura e ela não funcionar tão bem para nós!Uma pena que a estrutura do texto tenha incomodado tanto e que o prólogo tenha dado a impressão de uma obra intensa que o desenvolvimento não acompanha =/ Apesar de todos os problemas, fiquei feliz em saber que os personagens te agradaram. Enfim! É um livro que quero muito ler, mas vou esperar as expectativas diminuírem antes de comprá-lo rs
    Adorei a resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  33. Oi, Tami.
    Tinha que vir ver a sua opinião sobre o livro e, olha, achei extremamente sincera e direta. Gosto assim! Não é porque todo mundo ama, que somos obrigadas, né? Eu odeio com todas as minhas forças Eleonor & Park, mas eu sou uma das poucas...rs
    Quero dar uma chance para essa leitura, mas desconfio que vou partilhar - e muito! - da sua opinião, mesmo porque você enalteceu algo que me ganha de coração: personagens bem desenvolvidos!

    PS.: também concordo com JG e juro por tudo que li todos os livros tentando me convencer que ele era alguma coisa, mas não rolou uma química entre nós, sabe?

    Bjs*.*
    MaH

    O que disse, Alice?

    ResponderExcluir
  34. oi Tami,
    Li esse livro quando ainda estava no frenesi dele vir para o Brasil. Confesso que gostei muito da história, mais do que você aparentemente gostou, mas, ao ler sua resenha, percebi que o livro não é tão perfeito quanto eu tinha pensado, sabe quando a gente faz uma resenha no calor do momento? Acho que isso aconteceu comigo.
    Gostei das suas impressões pois, acima de tudo, elas me fizeram pensar.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  35. Olá,

    Os comentários que li sobre essa obra foram em sua maioria positivos, ouvi também os negativos, mas não sou do tipo que se deixa influenciar por isso, na verdade até me da mais vontade de ler o livro, e assim tirar minhas próprias conclusões. Acho a capa desse livro linda! Espero ter a oportunidade de em breve conhecer essa história que me parece encantadora, apesar de tudo.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir