22 de novembro de 2017

Resenha | A Soma de Todos os Beijos - Julia Quinn


Livro cedido em parceria com a editora.

Autora: Julia Quinn

Série: Quarteto Smythe-Smith #3

Número de páginas: 272

Ano: 2017

Editora: Arqueiro

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Um brilhante matemático pode controlar tudo…

A não ser que um dia exagere na bebida a ponto de desafiar o amigo para um duelo. Desde que quebrou essa regra de ouro, Hugh Prentice vive com as consequências daquela noite: uma perna aleijada e os olhares de reprovação de toda a sociedade. Não que ele se importe com o que pensam dele. Ou pelo menos com o que a maioria pensa, porque a bela Sarah Pleinsworth está começando a incomodá-lo.

Lady Sarah nunca foi descrita como uma pessoa contida…

Na verdade, a palavra que mais usam em relação a ela é “dramática” – seguida de perto por “teimosa”. Mas Sarah faz tudo guiada pelo bom coração. Até mesmo deixar bem claro para Hugh Prentice que ele quase destruiu sua família naquele bendito duelo e que ela jamais poderá perdoá-lo.

Mas, ao serem forçados a passar uma semana na companhia um do outro, eles percebem que nem sempre convém confiar em primeiras impressões. E, quando um beijo leva a outro, e mais outro, e ainda outro, o matemático pode perder a conta e a donzela pode, pela primeira vez, ficar sem palavras.


Hugh não estava preparado para o olhar de Sarah. Ela ergueu a cabeça na direção da dele, os lábios abrindo-se como se tomasse fôlego, e naquele momento Hugh teria jurado que o sol nascia e se punha no sorriso dela.

Hugh Prentice é o filho mais novo do odioso marquês de Ramsgate e, por esse motivo, não teria direito de herdar a fortuna de seu pai, que iria toda para seu irmão mais velho, Freddie. Ele não tinha vocação para nenhum dos fins que geralmente aguardavam os filhos mais novos dos aristocratas ingleses, por isso começou a usar seu talento nato com números e memorização para se sustentar.

Ele se tornou uma lenda no piquet, um popular jogo de cartas da época, e estava para nascer aquele que ganharia uma partida contra Hugh. Até que, em uma noite de jogatina e muita bebedeira, Daniel Smythe-Smith, conde de Winstead, consegue tal proeza. Hugh não consegue aceitar tal afronta e logo acusa o até então amigo de trapaça.

Hugh começou a gritar. Não tinha a menor ideia do que estava dizendo, apenas que Daniel havia trapaceado, a rainha de copas tinha atrapalhado tudo e 306 vezes 42 sempre fora 12.852, não que soubesse o que isso tinha a ver com qualquer coisa. Mas agora havia vinho no chão, as cartas estavam por toda parte e Daniel estava balançando a cabeça e dizendo:
— Do que ele está falando?
— Não havia possibilidade de você ter aquele às — sibilou Hugh. — O às estava depois do valete, que estava perto do dez...
— Mas eu tinha — disse Daniel, encolhendo os ombros. E deu um arroto.

Em um ato de desatino e com a justificativa de vingar sua honra, Hugh convoca Daniel para um duelo. Esta sandice, claro, não termina bem, pois Daniel, acidentalmente, acaba atingindo a perna de Hugh, dilacerando-a e deixando-o coxo. O marquês de Ramsgate fica furioso, pois Hugh era sua única esperança de que seu título continuasse na família, já que Freddie não tem a intenção de se casar. E agora, depois do acidente, ele acha que o filho não será capaz de gerar herdeiros e por isso jura Daniel de morte. Para se safar desta, Daniel acaba tendo que ir embora da Inglaterra.


Hugh sabe que tudo não passou de uma grande confusão e que Daniel não tinha a intenção de lhe ferir, sendo assim, depois de muita procura, ele encontra Daniel e fala que ele pode voltar para Inglaterra com a promessa de que seu pai não irá mais importuná-lo. Mas a atitude de Hugh não é suficiente para aplacar a ira de Sarah Pleinsworth, prima de Daniel.

Sarah acaba de enfrentar três temporadas fracassadas, o que para ela é um terrível desalento, já que precisa urgentemente se casar para não ter mais que ser obrigada a tocar no terrível e já tradicional concerto anual das Smythe-Smith. E a jovem joga a culpa de tal fracasso em Hugh, que destruiu sua família e, em sua concepção, acabou com qualquer possibilidade dela fazer um bom casamento. Ela o despreza e não hesita em demonstrar seu descontentamento para com o cavalheiro.

A vindoura união de Honoria Smythe-Smith, irmã de Daniel, com Marcus Holroyd, conde de Chatteris, seria a oportunidade perfeita para mostrar para a sociedade inglesa que toda briga entre Hugh e Daniel já era coisa do passado. Hugh fora convidado e, mesmo achando que não seria bem-vindo, não poderia fazer a desfeita de recusar o convite. E qual não é a sua surpresa quando Honoria pede para que ele ocupe o lugar de um primo seu que não poderia comparecer, caso contrário, o lugar à mesa ficaria vazio. Hugh, educado como sempre, aceita; mas quando descobre que ao seu lado estaria Sarah Pleinsworth arrepende-se no mesmo instante.

Honoria também pede para que Sarah seja gentil com Hugh, que tende a ser um pouco isolado, principalmente depois de todos os acontecimentos. Sarah gostaria muito de recusar o pedido da prima, mas a ama e faria de tudo para vê-la feliz e satisfeita no dia mais feliz de sua vida... faria até mesmo companhia a Hugh Prentice.

Sarah manteve o sorriso no rosto. Por Honoria, tentaria agir de maneira civilizada com Hugh Prentice. Por Honoria, até mesmo sorriria para ele e riria de suas piada, presumindo que Hugh as fizesse. Mas, ainda assim, como era possível que Honoria não percebesse quanto ela o odiava? Ah, bem, não odiava. Reservaria o ódio aos verdadeiros maus. Napoleão, por exemplo. Ou a vendedora de flores que tentara enganá-la na semana anterior.
Mas Hugh Prentice era mais do que uma amolação, mas do que irritante. Era a única pessoa (fora suas irmãs) que conseguira enfurecê-la tanto que ela precisara se conter para não o agredir.

O que Hugh e Sarah não sabiam e não podiam imaginar é que esse pedido inocente - ou não - de Honoria mudaria para sempre suas vidas e a maneira como ambos se enxergavam.


••••••••••

Sempre que termino um Romance de Época delicinha como A Soma de Todos os Beijos me pergunto como pode haver pessoas que não curtem o gênero! 😂 Esse livro aqueceu meu coração e me proporcionou momentos super agradáveis, sendo aquele típico caso de leitura que fazemos sorrindo.

Hugh me conquistou desde sua pequena participação em Uma Noite Como Esta. Em um primeiro momento pode até não parecer, mas ele é uma pessoa muito altruísta e não precisa que ninguém aponte seus erros, pois ele é o primeiro a reconhecê-los; prova disso são suas atitudes para com Daniel. Em contrapartida, ele faz tudo com muita intensidade e tende a cometer certos exageros, principalmente quando seu intragável pai está envolvido na situação.

Sarah, por sua vez, não é uma personagem muito carismática, todavia, isso não foi um problema para mim, pois creio que Julia fez isso intencionalmente. Sarah pensa nela em primeiro lugar... mas quem disse que isso é errado? No livro anterior, quando ela inventa estar doente para não se apresentar com o quarteto (não considero isso um spoiler), eu até cheguei a achá-la egoísta, mas tocar no concerto anual da Smythe-Smith era algo que ela abominava, então como julgá-la? Nesse livro eu a compreendi mais e pude perceber que ela amava a família, ela apenas não gostava da tradição.

E sabe aquele ditado que diz "quem desdenha quer comprar"? Ele define perfeitamente o início do envolvimento de Hugh e Sarah. Eles passam de antipatia mútua à atração incontrolável naquela velocidade com a qual nós, amantes do gênero, já estamos acostumados, mas isso não soou-me forçado. Eles não se conheciam mais profundamente, por isso um tirava conclusões precipitadas sobre o outro.


Achei o desenvolvimento de todo o romance super fofinho e deixo registrado meu crush por Hugh, pois um homem lindo e que de quebra sabe fazer multiplicações de quatro dígitos de cabeça deve ser valorizado! 😅 E tipo... ele manca! Eu tenho uma coisa com personagens mancos, vocês não têm noção!

Já conhecemos os personagens secundários nos livros anteriores e queria ressaltar uma coisa muito legal nos livros do Quarteto, que é o fato das histórias serem contínuas e de isso ser bem perceptível. Dá para ler fora de ordem sem problemas, mas daria também para fazer um único livro com todas as histórias, pois elas se complementam de uma maneira muito bacana.

Mais uma vez destaco Francis, a irmãzinha mais nova de Sarah, como uma das melhores personagens. Ela já tinha roubado a cena no livro anterior e mais uma vez deu um show de fofura. Há um diálogo dela com Hugh que eu até li duas vezes de tão bonitinho que foi!

A edição da Arqueiro está ótima e dentre todas as capas do Quarteto essa é a que eu acho a mais linda! O livro tem páginas amareladas, de boa qualidade e não encontrei erros de revisão. A história é narrada em terceira pessoa, como já é característico da autora.


A Soma de Todos os Beijos é um livro que arranca suspiro e risadas, assim como todo Romance de Época deve ser.

Leia mais:

http://www.meuepilogo.com/2017/04/resenha-simplesmente-o-paraiso-julia.html
http://www.meuepilogo.com/2017/09/resenha-uma-noite-como-esta-julia-quinn.html

37 comentários

  1. Oi, Tami!
    Pra mim é difícil escolher qual capa mais bonita dessa série. Adorei todas!
    Amo um começo "quem desdenha quer comprar". Dá um toque a mais no desenvolvimento do casal.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro também, esse lance de gato e rato sempre me proporciona boas leituras!

      Excluir
  2. Oi Tami! Nunca li Julia mas sempre ouço elogios, isso é porque eu nunca me aventurei muito por esse genêro, a não ser quando li o príncipe dos canalhas e alguna coisa da Patricia Cabot. Mas enfim, primeira coisa que quero elogiar é a eloquencia da tua resenha e essas fotos que são de babar, deu todo o ar da graça. Acho bacana também quando os personagens secundários mostram destaque e dizem ao que vieram. Com certeza eu leria essa série depois de ler a sua resenha. Obrigada por partilhar.
    Um abraço da Equipe Amores e Livros. :)

    ResponderExcluir
  3. Oi Tami! Eu não li nenhum desta serie, mas sempre que leio as resenhas tenho a sensação de que são os romances mais meigos da autora. Bjos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não chegam a ser melhores que Os Bridgertons, mas são ótimos!

      Excluir
  4. Oi Tami,
    Ainda não li nenhum livro dessa série, tinha começado o primeiro da outra, mas tive de interromper haha
    Mas, parece ser um romance agradável, essas coisas de espadachin sos e como assim, vc tem crush nos mancos é?

    Hum, adivinha que vai espiar a página de resenhas, de Belo Desastre no Skoob, e dar uns prints =x

    bjs
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que vou me ver no Skooblario??? Hahaahahaahahah

      Excluir
    2. Será que vou me ver no Skooblario??? Hahaahahaahahah

      Excluir
  5. Que livro bonito, adoro diagramação caprichadas. Nem sabia que tem pessoas que não gosta deste gênero kkk
    Ainda não li nada da autora, mas não vejo a horar de poder sorrir com a escrita da Julia.
    As fotos estão um charme.


    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Tamires.
    Esse foi meu livro favorito dessa série. Amei o Hugh e queria ele para mim hehe. Foi o melhor romance de todos os quatro. E as meninas como sempre roubam a cena nesse e nos quatro livros hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também quero o Hugh pra mim, vamos dividir? Hahahaha

      Excluir
  7. Eu tenho vontade de ler toda a série desses livros, essa sua resenha então me deixou mais curiosa hahah. Adoro romance de época, realmente deixa a gente suspirando né
    Beijos,
    https://blogluanices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá!!

    Sempre que eu leio uma resenha de livro de época me questiono porque não leio mais o gênero, são leituras tão maravilhosas e suas resenhas só mostram mais isso. Ano que vem vou ler essa série com certeza e espero amar tanto quanto você.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois vou te questionar também: por que você não lê mais o gênero? Hahahahah

      Excluir
  9. Eu nunca li nada da Julia.. ela escreve muitos livros.. a coleção quase não tem fim para quem olha de fora kkkk..

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  10. Tenho que me aventurar nas leituras dessa autora, nunca li nada dela. :)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você curte o gênero vai gostar com certeza!

      Excluir
  11. Olá, Tamires :D

    Depois de Honoria e Marcus, o casal Sarah e Hugh é o meu segundo favorito, adoro esse livro e o relacionamento dos dois. A irmã tinha que ter um livro só dela. Parabéns pela resenha :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho que Francis merecia um livro só dela! <3

      Excluir
  12. Oi Tami, Francis é sensacional neste livro hehehehhe e eu adorei essa história tb, é o meu segundo preferido da série hehehehe é o tipo de romance que a gente termina com um sorriso no rosto! E amei as fotos

    Bjs Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como terminar um livro da Julia sem um sorriso no rosto, me diz? Hehhehehe

      Excluir
  13. Estou finalizando a série dos Brifgertons e já estou com o primeiro livro desta série na espera para mergulhar neste novo núcleo mais rápido possível. Estou empolgadíssima porque só tenho visto opiniões positivas e tenho certeza que a leitura me agradará muito.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. POIS é, eu não curto mesmo o gênero hahahahah mas sei que muita gente ama a autora e suas séries... eu não tinha visto resenha sobre A soma de todos os beijos, vejo mais da série Bridgerton...
    de qualquer forma, fico feliz que vc tenha curtido a leitura...
    bjs :D

    ResponderExcluir
  15. Heiii, tudo bem?
    Amooo demais todos os romances da Julia Quinn e me pergunto tb como alguém pode nao gostar do genero, é tao gostoso acompanhar aquele amor puro e cheio de expectativas ne?
    Adorei saber que o romance é tudo de bom e bem fofo, do jeito que gosto.
    Amei a dica.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  16. Esse é um dos livros da Quinn que estou louca para ler sua resenha só deixou um gostinho de mais vontade em mim.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi! Que bom que essa leitura foi assim tão positiva para você. Amo essas leituras que nos deixam com sorriso no rosto e que soam natural, mesmo com a rapidez do romance. Ainda não li essa série, e não sei se o farei logo, mas ainda assim a dica é muito boa para quem curte época.

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bem?
    Eu já li essa série toda e achei um amorzinho. Apesar do meu favorito ser o segundo, Uma noite como esta, eu também gostei muito dessa.
    O Hugh é realmente um personagem apaixonante e concordo com você que ele é bastante altruísta. Além disso, mesmo não tendo curtido muito a Sarah, adorei os diálogos dos dois e o modo como o romance foi desenvolvido.
    Também achei a Francis uma personagem que roubou a cena com tanta fofura. Aliás, um dos motivos para ter gostado tanto do Hugh foi o jeito atencioso dele com ela. Muito amor.
    Adorei a resenha e fiquei até com vontade de reler o livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Oi!
    Estou louca para ler esse livro, adorei a Francis no último livro ela é muito fofa hahaha.
    Essa série parece que fica melhor a cada livro, essa integrante do quarteto é uma das que mais estou curiosa para ver como vai se apaixonar por esse mocinho, porque ela é muito espertinha hahaha
    Espero ler ele em breve

    ResponderExcluir
  20. Olá! Adorei sua resenha. Estou com o primeiro livro dessa série aqui mas ainda não li. Preciso me adiantar pois acho que vou adorar todos os livros dessa série.
    beijos

    ResponderExcluir
  21. Oi Tami,
    Ainda não li nenhum dos livros desse quarteto, mas tenho vontade de fazer a leitura, pois acho a premissa muito interessante. A única coisa que não me anima muito é que todos os livros parecem partir do mesmo ponto e seguir a mesma linha. A diferença fica, apenas, a cargo dos personagens. Vou anotar a dica pra ver o que vou achar.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  22. Oi Tamiris,
    quero muito ler essa série, na verdade quero ler todos os livros dessa autora que estão sendo publicados aqui. Mas antes quero finalizar os Bridgertons. Tenho lido elogios maravilhosos as histórias do quarteto e adorei saber que os livros se complementam, amo quando isso acontece, da aquela sensação boa de familiaridade, né?

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  23. Oie amore,

    Ainda não li nada de época mas tenho visto excelentes comentários a respeito da Julia.
    Confesso que estou bem curiosa pra ler, ainda mais por essas capas lindas né!
    Adorei sua resenha e as fotos, parabéns!

    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  24. Oi Tamiris!

    Caramba! Estou muito animada para ler essa série da Julia e ler sua resenha só aumentou minhas expectativas. Você não imagina o quanto eu gostei de ler seus comentários sobre essa trama e ver o quanto ela a agradou. Em Janeiro irei começar e espero gostar tanto quanto você.

    Ingrid Cristina
    Blog Catarse Literária

    ResponderExcluir