28 de fevereiro de 2018

Resenha | As Coisas Que Fazemos Por Amor - Kristin Hannah


Livro cedido em parceria com a editora.

Autora: Kristin Hannah

Número de páginas: 352

Ano: 2017

Editora: Arqueiro

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Caçula de três irmãs, Angela DeSaria já tinha traçado sua vida desde pequena: escola, faculdade, casamento, maternidade. Porém, depois de anos tentando engravidar, o relacionamento com o marido não resistiu, soterrado pelo peso dos sonhos não realizados.

Após o divórcio, Angie volta a morar na sua cidade natal e retorna ao seio da família carinhosa e meio doida. Em West End, onde a vida vai e vem ao sabor das marés, ela conhece a garota que mudará a sua vida para sempre.

Lauren Ribido é uma adolescente estudiosa, bem-educada e trabalhadora. Apesar de morar em uma das áreas mais decadentes da cidade com a mãe alcoólatra e negligente, a menina sonha cursar uma boa faculdade e ter um futuro melhor.

Desde o primeiro momento, Angie enxerga em Lauren algo especial e, rapidamente, uma forte conexão se forma: uma mulher que deseja um filho, uma menina que anseia pelo amor materno. Porém, nada poderia preparar as duas para a repercussão do relacionamento delas. Numa reviravolta dramática, Angie e Lauren serão testadas de forma extrema e, juntas, embarcarão em uma jornada tocante em busca do verdadeiro significado de família.


 O amor pode nos ajudar a passar por dificuldades.
Mas também pode ser o motivo dessas dificuldades.

Angela DeSaria, mais conhecida como Angie, vem de uma tradicional e numerosa família de imigrantes italianos. Os DeSaria são barulhentos e enxeridos, mas ao mesmo tempo amorosos e compreensivos. Depois das filhas, o maior orgulho dos pais de Angie era o restaurante italiano da família. Enquanto suas irmãs, Mira e Livvy, aprenderam desde cedo a lidar com o DeSaria's, o mesmo não aconteceu com Angie. Permanecer na pacata cidadezinha de West End trabalhando em um negócio familiar não estava entre seus planos.

Angie vai para a universidade, se forma e se apaixona por Conlan, a personificação de tudo o que ela esperava em um homem. Eles se casam e passam a viver juntos em Seattle. De todas as metas que Angie traçou para si, a única que ainda não havia sido alcançada era a maternidade. Por algum motivo escuso, Angie não consegue levar as gestações adiante, o que se torna uma grande frustração. Ela sofre um aborto atrás do outro, e a cada aborto seu casamento se desgasta mais um pouco. Engravidar se torna uma obsessão, o que torna o sexo com Conlan algo programado e quase automático. O copo de decepções daquela união estava quase preenchido e a gota que faltava para fazê-lo transbordar vem em forma de tragédia, uma tragédia que ambos não conseguem superar.

Era incrível o tempo que se levava para desfazer uma vida. Assim que Angie e Conlan resolveram terminar o casamento, vieram os detalhes, como dividir tudo pela metade, principalmente as coisas indivisíveis, como casas, automóveis e corações.

Enquanto está lidando com os pormenores do divórcio, Angie recebe a visita de sua Mama e de suas irmãs, que não trazem boas notícias. Mama quer fechar o restaurante, que acumula prejuízos e quase não tem mais movimento. Angie sabe que o DeSaria's era muito importante para seu falecido Papa, sendo assim, quando sua mãe fala que talvez ela possa ajudar com seus conhecimentos em publicidade, ela chega à conclusão de que retornar para West End pode não ser tão ruim assim.


Angie começa a catalogar os problemas do restaurante, que não são poucos. Reerguê-lo não será tarefa fácil, mas ela está decidida a fazê-lo prosperar novamente. Seus problemas pessoais, claro não desaparecem do dia para a noite. Ela ainda ama Conlan, mas sabe que errou muito com ele e que o divórcio foi, em grande parte, sua culpa. Seu desejo de ser mãe também não diminui, e é aí que surge Lauren Ribido.

Lauren é uma jovem de dezessete anos que teve que aprender a se virar sozinha desde muito cedo. Sua mãe alcoólatra gasta com bebida e cigarro todo o pouco dinheiro que ganha trabalhando como cabeleireira e ainda culpa a filha por sua decadência. Lauren ama a mãe, mas sente-se muito desamparada. Praticamente toda a responsabilidade financeira do apartamento decrépito onde moram fica sobre os ombros da menina, que tem que se virar para fazer render o pouco que ganha trabalhando em uma drogaria.

É com o charmoso David Ryerson Haynes, com quem namora há três anos, que Lauren tem seus momentos de maior felicidade. Eles se conheceram na Fircrest, a rígida escola particular católica de West End onde Lauren estuda com uma bolsa de estudos que conquistou com muito esforço. David é filho de pais milionários e as coisas para ele são sempre muito fáceis. Seu lugar em Stanford está praticamente garantido, já Lauren precisa manter suas notas sempre altas para aumentar as chances de uma nova bolsa de estudos, agora em uma universidade. Sua intenção era entrar para a mesma universidade de David, mas Stanford é um sonho distante. Lauren teme profundamente a hora da separação, apesar das garantias de David de que tudo ficaria bem entre eles mesmo com a iminente distância.

Quando perde o emprego na drogaria, Lauren fica sem rumo, vagando pelas ruas de West End atrás de um novo trabalho, e é aí que seu caminho cruza com o de Angie. Assim que coloca os olhos na menina, Angie sente uma vontade urgente de ajudá-la. Em seus planos de reestruturação do DeSaria's há a contratação de uma nova garçonete, e, quando tem a oportunidade, Angie convida Lauren para trabalhar no restaurante.

Com o passar do tempo, as duas vão ficando cada vez mais próximas. Angie vê em Lauren a filha que nunca teve e Lauren recebe o carinho materno que nunca sentiu. Mas as coisas não são tão simples assim, já que a família de Angie não vê essa aproximação com bons olhos. Eles sabem o quanto ela sofreu e temem uma nova decepção. Já Lauren sabe que Angie não é sua mãe, mas é errado querer receber um pouco de carinho e atenção? É errado poder contar com alguém quando as coisas ficam difíceis? É errado desejar que as coisas fossem diferentes? Estaria ela traindo sua mãe?

Lembranças da noite invadiram sua mente. Uma estranha emoção acompanhou as imagens, em parte alegria, em parte tristeza. Não conseguia destrinchá-la.
Era só um restaurante, lembrou a si mesma. O lugar onde trabalhava.
Angie era sua chefe, não...
... sua mãe.
Lá estava o cerne da questão, o que a incomodava. Fazia tanto tempo que era solitária, e agora - de forma irracional - sentia que fazia parte de um lugar.
Mesmo que isso não fosse de todo verdade - e não devia mesmo ser -, com certeza era melhor do que o vazio de sua dura realidade.


Mas é quando algo inesperado acontece que as coisas se complicam de verdade. Angie vai receber uma proposta que pode mudar para sempre sua vida. Lauren, por sua vez, terá que escolher entre dois possíveis futuros. Juntas, essas duas mulheres irão descobrir que, dentre todas as coisas que podemos fazer pelas pessoas, perdoar é a mais nobre e a mais bela. E juntas elas também descobrirão que não há elo sanguíneo que se sobreponha ao verdadeiro significado da palavra amor.


••••••••••

LEIAM ESSE LIVRO!

Quis começar minhas considerações com a frase acima para o caso de você, leitor, por algum motivo, não chegar ao final dessa resenha. As Coisas Que Fazemos Por Amor será, com certeza, uma das melhores leituras que você fará na sua vida.

Kristin Hannah nos presenteou com uma história bela e sublime conduzida de uma maneira simples e envolvente, fazendo com que a gente crie uma intimidade muito bem-vinda com os personagens. As Coisas Que Fazemos Por Amor não precisou de uma trama mirabolante para tornar-se um dos meus livros favoritos. Seu grande trunfo é o fato de possuir uma história crível e personagens empáticos.

Foram vários os momentos em que me peguei pensando sobre o que eu faria se estivesse no lugar de Angie e Lauren, principalmente no de Angie. Eu quero muito ser mãe, pensar que talvez eu não consiga, por vários motivos, realizar esse sonho é quase sufocante, então como julgar as atitudes, mesmo aquelas mais egoístas, dessa mulher? Angie, como muitas pessoas, não soube a hora de parar, não soube aceitar o fim da linha, continuou insistindo em algo que estava lhe fazendo mais mal do que bem e como consequência acabou perdendo algo concreto e genuíno, que era seu casamento com Conlan.

Vemos a humanidade da personagem em diversos momentos, na sua frustração por não conseguir engravidar, no seu arrependimento por ter perdido o homem da sua vida, na inveja que tem das irmãs, que engravidam facilmente enquanto ela tem que sofrer tanto... e mesmo com tanta coisa desfavorável acontecendo em sua vida ela reúne forças para tentar se manter forte e ajudar a família em um momento de dificuldade.

Lauren, mesmo com seus dezessete anos, desperta na gente aquela vontade de pegá-la no colo. A menina passa por tanta coisa que é impossível não sentir vontade de acalentá-la, de falar que está tudo bem e que ela pode contar conosco. Doía em mim todas as coisas que ela ouvia da mãe, se é que se pode chamar aquilo de mãe! Entretanto, Lauren não se deixa abater pelos reveses da vida. Ela quer uma vida diferente, ela sabe que merece mais que aquilo, mas e quando a vida não coopera?


Seu relacionamento com David tinha tudo para ser problemático, porém, mais uma vez, Kristin acertou em cheio ao não transformar David em um boy lixo. Rico, bonito e com o mundo inteiro aos seus pés, quem iria apostar que ele se apaixonaria justamente pela bolsista pobre que mora na parte mais marginalizada da cidade? E vocês pensam que David sente vergonha da Lauren? Pois não sente! Ela a ama genuinamente! Não vou mentir e falar que ele não comete erros, ele os comete sim, mas é aquele tipo de erro que cometemos quando estamos tentando ajudar e não sabemos ao certo o que fazer.

E o relacionamento de Angie e Lauren não poderia ter sido melhor desenvolvido. Elas preenchem o vazio uma da outra, mas não se tornam substitutas, não ocupam um lugar que não é delas. Elas conquistam o próprio espaço na vida da outra sem se sobrepor à dor e à ausência, pois essas permanecem mesmo quando esmaecem. Esse carinho vai crescendo e se tornando um sentimento puro, verdadeiro e muito bonito.

Depois temos uma reviravolta na história, e daí em diante não posso comentar absolutamente nada, mas saibam que é algo muito delicado, que mudará a vida de ambas e que colocará tudo o que sentem uma pela outra à prova. Para ganhar, muitas vezes, nós temos que perder.

Os personagens secundários são ótimos e relevantes para a história. Livvy e Mira se ressentem um pouco de Angie pelo tratamento diferenciado que ela recebia do pai, mas na hora que as coisas ficam complicadas elas são as primeiras a lhe estender a mão. Já Mama tem um temperamento forte, mas um coração super mole. Ela ainda está em negação após a morte do marido, recusando-se a "deixá-lo ir". Papa, apesar de morto, é mencionado muitas vezes e é quase como se ele ainda estivesse ali. Conlan, por sua vez, é um dos personagens mais compreensivos que já conheci. Tenham certeza de que ele engoliu muitos sapos até chegar ao ponto de pedir o divórcio. Mas até que ponto podemos abrir mão da nossa felicidade tentando fazer outra pessoa feliz?

A resenha já está ficando enorme e eu queria ficar aqui falando, falando e falando sobre essa história. Se você chegou até aqui, muito obrigada! 😄 Não vou me alongar muito mais até mesmo porque tudo o que eu gostaria de abordar daqui pra frente seria spoiler, tudo o que eu posso fazer é falar para vocês darem uma chance para esta bela história.


A edição da Arqueiro está linda, adoro essa capa. As folhas são amareladas, de boa qualidade e, honestamente, nem lembro se há algum erro de revisão. Eu estava tão absorta na leitura que qualquer possível errinho passou batido. O livro é narrado em terceira pessoa e o foco se alterna entre Angie e Lauren e ao final ainda temos uma entrevista com Kristin, onde ela comenta algumas particularidades de As Coisas Que Fazemos Por Amor.

Essa história entrou para a minha seleta lista de livros para serem relidos. Sempre que eu me decepcionar e achar que o amor não vale a pena, abrirei esse livro e tomarei pequenas doses de esperança.

52 comentários

  1. Oi, Tami
    Eu já vi resenhas do livro mas confesso que não prestei muita atenção a obra, ou talvez eu não tenha sentido o que eu senti ao ler sua resenha. Sabe aquela vontade louca de querer ler o livro já? Pois é. Eu amo livros que abordam questões familiares, acho legal já que tanta gente passa por essas situações, então nada mais justo do que ler a respeito da vida real, certo?
    Vou anotar a dica para poder ler.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem bom que minha resenha despertou sua vontade de conferir a história, Mi. Fico muito feliz!

      Excluir
  2. Oi Tami, tudo bom?
    Não conhecia esse livro, mas com o título só consegui lembrar de Jaime Lannister, socorro :P
    No momento eu não tô no feeling desse tipo trama, apesar de adorar quando os livros abordam coisas mais cotidianas e 'alcançáveis' pra nós que estamos lendo. Que legal ter sido uma leitura tão ótima pra ti! Adorei os surtos *-* quando a história é boa assim mexe com o coração.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oiii Tami

    Essa é a autora de O Rouxinol e Jardim de Inverno né? Se sim tenho os dois livros dela pendentes pra ler e dizem que a escrita dela é emocionante.
    Eu gosto desses livros mais pé no chão, mais realidade de todos nós, de vez em quando é gostoso ler algo com o qual podemos nos identificar. Apesar de não ser um livro que esteja entre a sminhas prioridades, eu daria sim uma oportunidade quando surgir um tempinho extra.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ela mesma, Alice! Recomendo, acho que você vai gostar muito

      Excluir
  4. Oi, Tami!
    Vou te confessar que quando vi o laçamento desse livo eu não tive interesse em ler. Só li um livro da autora na vida, mas apesar de ter gostado muito achei a escrita dela bem lenta. Sendo assim, não tinha mais interesse em ler qualquer livro dela. Mas, sua resenha me convenceu de que vale a pena dar mais uma chance a autora. Fiquei super curiosa em conhecer o enredo e já senti a emoção só lendo suas percepções. Ótimaaa resenha!
    Beijos

    Versos e Notas

    ResponderExcluir
  5. Oi Tami!! Puxa, eu nunca li nada da autora, mas tenho vontade porque uma amiga ama os livros dela! Só de ler sua resenha dá pra sentir a emoção que o livro gera!!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Nossa tenho muita vontade de ler algo da Kristin, principalmente esse livro, só vejo elogios quanto a ele e suas histórias. Parece daqueles livros que você, sofre, fica triste, chora, um mix de sentimentos. Já quero.
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Ainda não tinha lido um parecer mais profundo sobre esse livro, mas já tinha me deparado com impressões sobre ele por aí. Para mim me pareceu um livro tocante e profundo. Bom para ser lido, contudo, em um momento em que a pessoa não esteja tão sensível. Pareceu um livro capaz de fazer o leitor se emocionar e muito.

    #leitoraconectada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho recomendável mesmo que a pessoa esteja sensível, pois é uma história repleta de esperança

      Excluir
  8. Tenho esse livro em ebook, está na minha lista de espera, nunca li nada da autora mas tenho muita curiosidade com a escrita dela! =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  9. Oi, Tami!
    Eu quero ler esse livro, leio coisas ótimas sobre ele nas resenhas alheias, além de ter essa história que envolve maternidade. Quero ser pai, amo criança, acho que quero ser pai e mãe... rs. Tudo junto. Então tramas assim me emocionam.
    E de fato é algo dramático, mas que parece bem real né? Gosto!

    Vou buscar um tempo pra ler.

    Bjux, bonita.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.vidaeletras.com.br

    ResponderExcluir
  10. Como vai? Quero ler esse livro. Está salvo na minha lista, mas sem previsão ainda. Sei que a escrita da autora é maravilhosa e curto muito essa pegada de personagens críveis, com situações que se confundem ao dia a dia muitas vezes e também com temáticas reflexivas.

    O e-book está no meu e-reader. Assim que der eu vou ler.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  11. Oiee Tamires ^^
    Eu tenho vontade de ler os livros da autora desde que começaram a falar do primeiro deles - a ser lançado por aqui -, mas ainda não li nenhum. Acho que, de todos eles, "As coisas que fazemos por amor" é o que mais me chama a atenção, principalmente por trazer duas mulheres completamente diferentes e que já sofreram muito, e que precisam lidar com tanta coisa. Fico feliz em saber que a história te encantou tanto ♥
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  12. Olá, Tamires.
    Eu só li um livro da autora até o momento, mas foi tão emocionante que ela entrou para a lista de meus autores favoritos. E esse já está na minha lista de desejados. Eu te entendo, quando gostamos tanto de um livro queremos ficar falando sobre ele o resto da vida e perdemos o controle da resenha hehe. O ruim é que depois o povo não lê a resenha inteira hehe. Assim que der vou ler ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Sil. O que não deveria acontecer, afinal, somos todos leitores... o que é uma resenha grande perto de um livro? Hahaha

      Excluir
  13. Olá Tamires! Tudo bem?
    Que arraso de resenha, hein! Adorei! E engraçado que eu não dava nada por esse livro... Achei essa capa pouco chamativa, parecia algo de receita, auto ajuda, sei lá.. mas olha só toda essa história por trás, quero muito ler! acho que trata de um tema que muita mulher tem medo né, vai ser uma leitura forte!
    beeijo

    https://lecaferouge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, é pq tem o restaurante... aí essa capa super combina! Hahaha

      Excluir
  14. É muito interessante quando o livro nos traz lições ou faz a gente se colocar no lugar do personagem para indagar sobre fatos e acontecimentos..

    http://www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  15. A gente sabe que gostou muito do livro quando não consegue parar de falar nele, não é? rsrs Eu te confesso que esse livro nunca tinha me chamado a atenção, nunca parei para saber do que se tratava. Mas, depois dessa sua resenha linda fiquei muito curiosa para conhecer melhor Lauren. E já amei essa sua família italiana! <3
    Eu nunca li nada da autora, mas já sei por onde começar.
    Beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  16. Olá! Muito legal a dica do livro, pela sinopse parecer ser bem dramático o desenrolar dos acontecimentos. Sua resenha ficou muito boa, só achei muito reveladora o narrar da história, quase por completo, fora isso, suas considerações finais foram ótimas. Vou deixar na lista de futuras leituras. Parabéns pelo blog!

    /Juliane
    Ler, Resenhar e Postar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não narrei a história quase por completo, amore. Te garanto que não contei nem 20% do enredo. Basta você olhar a sinopse e você perceberá! ;)

      Excluir
  17. Oi Tamires, tudo bem!!
    Ainda não li nada da autora, mas pela sua resenha dar pra perceber que a trama e tocante e nos faz refletir. Ótima resenha!!


    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi, Tami!
    Menina, esse livro realmente mexeu contigo hein?
    Adorei o David não ser boy lixo e só com isso o livro já ganhou alguns pontos comigo.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da Folia Literária 2018: cinco kits, cinco sortudos.

    ResponderExcluir
  19. Oi Tami!
    Nunca li nada da Kristin Hannah... apesar de ter muita vontade, leio bastante resenhas positivas dos livros dela...
    É tão bom quando um livro nos toca dessa forma né, com certeza uma ótima dica para nós...
    Beijos

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É maravilhoso ser tocada por uma história, é uma sensação muito boa!

      Excluir
  20. Vi sua animação no stories com esse livro e já fiquei com vontade de ler, uma amiga ama essa autora, sempre chora com suas histórias e me faz relatos emocionantes, no entanto, até agora nada havia me cativado, já essa história... Já adicionei ao meu carrinho, mesmo sabendo que vou odiar a mãe de Lauren.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Postei vários stories, eu tinha que parar de ler para ir lá desabafar! HahahHah

      Excluir
  21. Já tinha visto o livro e algumas resenhas, mas nenhuma se aprofundou a ponto de eu me sentir agoniada com Lauren e feliz por Angie a ter encontrado. Acredito que é exatamente essa humanidade dos personagens que me faz sentir atraída pela leitura. Dica reforçada.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Oi Tamires!

    Tudo bem? Eu já li algumas resenhas desse livro e tinha ficado bastante curiosa, mas não estou muito numa vibe de livros dramáticos neste momento (acho que estou com uma bela de uma ressaca literária!), mas tenho alguns livros da Kristin Hannah aqui em casa que quero ler esse ano, só não sei quando vai ser.

    Acho que em outro momento esse livro pode funcionar para mim, mas fiquei feliz com a sua empolgação na resenha, claramente você aproveitou de verdade essa leitura!

    Beijinhos - Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  23. eu tentei ler esse livro uma vez mais nao lembro oque me fez parar, enfim quem sabe eu nao tento de novo ler

    ResponderExcluir
  24. Oiiii,

    Nunca li nada da autora, mas achei muito interessante a ideia de uma obra que fale sobre amor sem que o foco seja o romance! Gostei da idei de o Boy a Lauren não ser aquele clássico menino rico e lixo, mas acima de tudo fiquei curiosa para saber quais os rumos as vidas delas irão tomar e se a Angie vai conseguir o amor romântico de volta.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  25. Oi
    você acredita que até hoje ainda não li nada da autora e olha que tenho curiosidade, esse pelo que falou parece ser incrível e uma história cheia de sentimentos. Já quero conhecer a história da Lauren que parece ser uma jovem batalhadora.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  26. Que hino de resenha!!!!
    Concordo com você que o enredo de um livro não precisa ser mirabolante e surreal para nos prender e sobretudo, nos fazer pensar em muitas coisas e nos torna uma pessoa melhor ao final da leitura. Li apenas um livro da autora, mas quero ler outros e este será o próximo.
    Adorei seus comentários sobre o livro!!!

    ResponderExcluir
  27. Oi Tami,
    Há muito tempo comecei a ler um livro dessa autora, mas não dei andamento por motivos de não me lembro mesmo. Eu gostei muito de conhecer suas impressões e fiquei muito curiosa para ler essa obra e conhecer Angie e Lauren, que parecem personagens maravilhosas. Eu adorei saber que você se viu pensando no que faria naquele lugar, pois esses livros entram em nossas vidas e ficam gravados, sabe? Amei sua resenha e amei o amor que você sentiu por esse livro. Claro que vou anotar a dica.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  28. Ola Tami, tudo bem?
    Menina, eu sou apaixonada por essa autora e pelos livros dela. Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro e pra falar a verdade, nem o conhecia. Entretanto, tenho que te dizer que amei a sua resenha e a premissa desse livro... vou adicioná-lo a minha lista de desejados!

    beijos,
    Mayara

    ResponderExcluir
  29. Oi.

    Quando este livro foi lançado, eu fiquei muito tentada a pedir, mas acabei solicitando outro no lugar. Agora lendo sua resenha quero comprar assim que tiver a chance. Gostei muito do enredo e tenho certeza de que será uma leitura maravilhosa.

    ResponderExcluir
  30. Eu já tive o prazer de ler esse livro,e sinceramente não tenho palavras para descrever o qto acho ele especial... A maneira simples e tocante com que a autora conduz a historia é sem igual... Foi o primeiro livro que li dela e pretendo ler muitos outros...
    Amei a resenha...

    ResponderExcluir