3 de maio de 2018

Resenha | A Luz Que Perdemos - Jill Santopolo


Livro cedido em parceria com a editora.

Autora: Jill Santopolo

Número de páginas: 272

Ano: 2018

Editora: Arqueiro

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Lucy e Gabe se conhecem na faculdade na manhã de 11 de setembro de 2001. No mesmo instante, dois aviões colidem com as Torres Gêmeas. Ao ver as chamas arderem em Nova York, eles decidem que querem fazer algo importante com suas vidas, algo que promova uma diferença no mundo.

Quando se veem de novo, um ano depois, parece um encontro predestinado. Só que Gabe é enviado ao Oriente Médio como fotojornalista e Lucy decide investir em sua carreira em Nova York.

Nos treze anos que se seguem, o caminho dos dois se cruza e se afasta muitas vezes, numa odisseia de sonhos, desejo, ciúme, traição e, acima de tudo, amor. Lucy começa um relacionamento com o lindo e confiável Darren, enquanto Gabe viaja o mundo. Mesmo separados pela distância, eles jamais deixam o coração um do outro.

Ao longo dessa jornada emocional, Lucy começa a se fazer perguntas fundamentais sobre destino e livre-arbítrio: será que foi o destino que os uniu? E, agora, é por escolha própria que eles estão separados?


— Gabriel — falei, com a respiração entrecortada. — Você faz com que eu me sinta infinita.
Você inclinou a cabeça e me beijou com força.
— Você faz com que eu me sinta invencível — sussurrou.

Lucy Carter e Gabriel Samson se conheceram em seu último ano em Columbia, e exatamente no dia 11 de setembro de 2001, um dos dias mais sombrios da história dos Estados Unidos, se apaixonaram. Aquele acontecimento tão traumático fez com que eles questionassem muitas coisas, e ali, naquele momento, eles decidiram que fariam algo relevante em suas vidas. A conexão foi imediata, a paixão realmente aconteceu, mas aquele não era o momento propício para que eles ficassem juntos.

Eles se reencontram quase um ano após a formatura, bem no dia do aniversário de 23 anos de Lucy. Ela levou a sério a conversa sobre fazer a diferença e começa a trabalhar em uma produtora de programas infantis, idealizando projetos divertidos e instrutivos; animações com a capacidade de incentivar a cidadania e o respeito pelas diferenças. Gabe, como é mais comumente chamado, não conseguiu seguir o plano, mas reencontrar Lucy faz essa vontade, há muito adormecida, finalmente despertar. Ele larga o emprego de Consultor e começa a fazer cursos de fotografia, uma antiga paixão.


Tudo parecia estar perfeito. Eles se amavam, se apoiavam, se respeitavam e, acima de tudo, se orgulhavam do que estavam fazendo com suas vidas. Até que Gabe começa a sentir que o que estava fazendo não era suficiente.

— ... Percebi que, se eu quiser fazer a diferença, diferença mesmo, como você está tentando fazer com este programa, tenho que sair de Nova York. Minha câmera e eu podemos fazer muito mais em outro lugar.
...
— O que você quer dizer? E a gente?
...
— Eu... eu não estava pensando na gente... É meu sonho, Lucy. — disse você, com um tom suplicante. — Descobri qual é o meu sonho. Você não consegue ficar feliz por mim?
— Como posso ficar feliz com um sonho que não me inclui? — perguntei.

Aquele, porém, não era um sonho imediato. Os dois seguem levando suas vidas e Lucy chega a esquecer aquela conversa dolorosa. As fotos de Gabe começam a ficar conhecidas e uma delas chega a ser publicada no The New York Times. Só que o sonho de Gabe não fora esquecido, e a grande oportunidade que ele estava esperando finalmente aparece. Trata-se de um trabalho para a Associated Press onde ele teria que acompanhar as tropas americanas que estavam em missão no Iraque.

— Queria que você compreendesse. Eu não escolhi desejar isso. Queria não sentir que isso é algo que preciso fazer, que é a única maneira de me sentir completo. Eu nunca quis magoar você. Você não é o problema.
— Sim — falei. — Eu não sou o problema. Mas o problema não é só seu. É nosso. Você está nos destruindo.

Lucy sofre muito com a separação, mas aos poucos vai se reerguendo. É quando Darren Maxwell aparece em sua vida, cinco anos mais velho que Lucy e tão diferente de Gabe quanto o vinho da água. Ele espera pacientemente até que Lucy, que ainda está muito magoada, se sinta preparada para um novo relacionamento. O momento chega e, para a surpresa dela, se relacionar com Darren é muito bom.



Acontece que seu amor por Gabe foi algo incomensurável, e não importa o quanto ela ame Darren e seja amada por ele, a ausência de Gabe é algo concreto, algo que nunca a deixa completamente em paz. E é isso que vamos acompanhar... são treze anos de encontros e desencontros, lágrimas e sorrisos, amores e desamores, tudo isso em uma história que com certeza vai mexer com o coração de vocês.

— ... Alguns relacionamentos parecem um incêndio na mata: intensos, majestosos, irresistíveis, perigosos, capazes de te queimar antes que você perceba. Outros são do tipo fogo de lareira: sólidos, estáveis, confortáveis, acolhedores, nutritivos. ...
— Você e Tom são do tipo lareira? — perguntei.
Kate assentiu.
— Acho que sim. E é isso que eu quero: segurança, estabilidade, acolhimento.
— Acho que Darren e eu somos do tipo lareira — falei, remoendo o que ela dissera. — Mas Gabe e eu somos como um incêndio.

••••••••••

Assim que eu vi a comparação do livro de Jill Santopolo com Como Eu Era Antes de Você e Um Dia eu soube que precisava lê-lo. Comparações são sempre perigosas, mas se você curtiu os dois livros acima pode ler A Luz Que Perdemos sem medo, pois essa não é uma comparação aleatória.

Eu sofri, sofri acima de tudo por ter me identificado muito com a história. Em alguns momentos parecia que eu estava vivendo tudo novamente... as dores de Lucy eram minhas dores, seu pranto era meu pranto, e eu me lembrei de quanto o amor é efêmero e delicado.

É lindo pensar que no amor tudo é possível, mas infelizmente (ou felizmente, dependendo do ponto de vista) nem sempre as pessoas são capazes de tudo por ele. O ser humano não é feito só de amor, e aqui me refiro ao amor romântico; nós temos ideais, sonhos, vontades, desejos... por mais que a gente queira que as coisas deem certo quando estamos com alguém isso nem sempre acontece, pois essa pessoa também possui ideais, sonhos, vontades e desejos. E quando tudo isso não é compatível?

Gabe é filho de um pai abusivo que abandonou o lar quando ele era apenas uma criança. Sua mãe o criou com dificuldade, mas com muito amor. Ele é um homem muito sensível, apreciador de arte e poesia. Lucy é muito obstinada e é até mesmo por isso que partir com Gabe nunca foi uma opção, pois ela levava muito a sério o que fazia e estava se saindo muito bem. Ela não entendia o porquê de Gabe não poder fazer a diferença em Nova York, todavia, por mais dolorosa que fosse a iminência da separação, ela respeita a escolha dele, pois Gabe sempre respeitou as dela. Eles não sabiam que aquela conversa tão altruísta que tiveram no 11 de setembro iria separá-los no futuro. Eles são perfeitos como casal, são amigos, são amantes, mas tudo isso não é suficiente para mantê-los juntos.


A vida segue, ambos encontram outras pessoas e de certa forma há um triângulo amoroso, mas a autora soube trabalhar esse aspecto muito bem. Eu detesto o artifício, mas neste livro isso não me incomodou, pois foi uma coisa muito crível. Lucy é uma personagem muito sóbria e amadurece muito ao longo da história. Ela constrói uma sólida relação com Darren, que, por sua vez, é um ótimo personagem; com defeitos, claro, pois ninguém é perfeito, mas eu não consegui torcer contra ele e enfrentei uma grande batalha ao longo da história... Gabe ou Darren? A mensagem que a autora quis passar é clara: você pode ter perdido algo maravilhoso, mas a vida ainda te reserva coisas boas.

Os personagens secundários não têm grande destaque, entretanto, isso não prejudica a narrativa. O que eu mais curti neste aspecto foi o fato deles não julgarem as escolhas dos personagens principais em nenhum momento.

A edição da Arqueiro está impecável, a capa é linda e é feita de um material muito gosto ao toque, parece uma lixa, só que mais suave. As folhas são amareladas, a diagramação está confortável como sempre e encontrei apenas um errinho de revisão. Os capítulos do livro são curtinhos e a escrita da autora é deliciosamente fluida, a gente lê que nem sente. A história é narrada por Lucy, mas não vou nem entrar em detalhes sobre este aspecto porque quero que vocês sintam a mesma coisa que eu senti. Não é nada inovador, mas não deixa de ser uma escolha interessante.

A Luz Que Perdemos definitivamente é um livro que precisa ser lido por todos. Se você, assim como eu, já amou alguém incondicionalmente, mas o/a perdeu, leia esse livro. Se você tem a sorte de ainda ter essa pessoa na sua vida, leia também, para que você nunca trate seu relacionamento com condescendência, isso não leva ninguém a lugar nenhum. Nunca ache que tudo está garantido!

O livro foi um sucesso tão grande que os direitos já foram comprados e em breve estaremos vendo a história de Lucy e Gabe nas telonas. Fiquem ligados nas redes sociais do blog, pois assim que eu souber mais eu atualizo vocês. 😉


Ler este livro foi muito difícil, escrever esta resenha está sendo difícil. Um amor perdido nunca vai embora, ele apenas adormece. Porém, repentinamente, ele desperta e nos machuca. O coração às vezes sangra. O meu sangrou, mas ele está em paz, pois amou.


51 comentários

  1. Oi, Tami
    Quando você disse que esse livro era emocionante e vi que algumas pessoas falaram que ele serve pra chorar, já imaginei que alguém fosse morrer na história, e eu meio que estou evitando enredos assim porque eu já sofro demais na vida, quero sofrer por personagem por enquanto não haha
    Vou colocar a obra na minha wishlist, tenho certeza que vou me encantar com ela.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já curto uma sofrência, então se é pra chorar eu leio com gosto! hahaha

      Excluir
  2. Oi Tami, eu amo um romance, mas confesso que não gosto muito das lágrimas rsrsrs Eu comecei a ler a resenha já torcendo pelo Darren rsrsrs mas já no final cheguei a conclusão que foi ficar dividida na leitura. E que bom que vai ter adaptação para o cinema <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, acho que você vai ficar dividida sim!

      Excluir
  3. Oi, Tami! Tudo bom?
    Eu adoro um drama ao mesmo tempo em que fujo deles porque sou muito manteiga derretida e choro com uma facilidade que é assustadora ASUHUHASUHASUHAS Fiquei curiosa com a leitura, mas vou esperar a adaptação pra ver o quanto me abala.
    Adorei a resenha!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Tami,

    Parece ser um livro muito intenso no sentido de emoções.
    Gostei do enredo e pela comparações a outros livros me fez querer lê-lo.
    Vou colocar na lista de leitura com certeza.
    Bjs
    https://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Não gosto muito de ler histórias que vão me fazer sofrer.. aiai.. fico muito triste kkk. A capa desse livro é linda!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá, Tamires.
    É incrível como tem livros que mexem tanto com a gente. Quando comecei a ler sobre o enredo já pensei em Um Dia e por essa associação acho que não fiquei com vontade de ler. Não que eu não tenha amado o livro, mas acho que não é o momento certo de eu ler algo do tipo. Mas vou deixar anotado para uma futura leitura.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Não conheço, mas pelo pouco que li, é um livro bem "lameichas" e romântico. Mas daquelas histórias que se parecem imenso com a realidade e com o que grande parte das pessoas no real passam.

    XoXo
    - Helena Primeira
    - Helena Primeira Youtube
    - Primeira Panos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensando aqui no que seria lameichas... rs

      Excluir
  8. Oi, Tami!
    Socorro que eu já sofri só com a capa e essa sinopse. Será que vai ser esse que irá me fazer derramar algumas lágrimas? Cenas para as próximas leituras.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Logo você? Lady Stoneheart? Duvido! hahahahaha

      Excluir
  9. Oi Tami.
    Esse enredo promete ser daqueles apaixonantes mas também sofridos. Está na minha lista, mas confesso que não é um bom momento para esta leitura. Vou esperar mais um pouco para ler, pois sinto que ele irá me deixar muito mexida, e ultimamente, não estou sabendo lidar muito bem com estas emoções. Linda resenha! Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você aprecie quando for fazer a leitura, Lia.

      Excluir
  10. Quero para ontem!!!!!!!!!
    Oi Tami,
    Esse livro faz muito meu estilo e leria imediatamente.
    Aliás, a capa é bem envolvente também, tons lindos e delicados.
    Estou participando de um sorteio para ganhá-lo, quero para ontem com toda a certeza.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi carioca linda da poxa! <3

    Menina, desde quando vi a capa desse livro eu fiquei apaixonado, imaginando que seria mais um daqueles romances para tocar mesmo. Ontem fui à saraiva e o vi pela primeira vez. Cara, que textura de capa é essa? Amei forte. E pela primeira vez também (ontem) li a sinopse e confesso que nessa questão das idas e vindas eu lembrei de UM DIA mesmo. E foi isso que me deixou com mais vontade de ler.

    Achei linda sua resenha, romântica, reflexiva, com um tom lindo de desabafo.

    - Bjux,
    Diego || Blog Vida & Letras ♥
    www.vidaeletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desabafei super, né? hahaha Realmente mexeu muito comigo!

      Excluir
  12. É complicado quando apesar dos sentimentos, eles não são suficientes. Com romântica incurável sei que a vida não é cor de rosa e que somos mais do que beijos e abraços. Pelo que Vejo, a luz que perdemos trás isso a tona. Deve ser ótimo e triste ao mesmo tempo, verdade? Sobre as comparações é realmente perigoso, já li Como eu e era antes de você e gostei muito, será que esse de fato me encantará o tanto que o livro da Jojo me fez? Enfim, curiosidade está me matando. rsrs

    Beijos
    http://ventoliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, a comparação é mais no sentido da reflexão sobre a vida e os caminhos que ela toma, sabe? As histórias em si são bem diferentes, apesar de igualmente emocionantes.

      Excluir
  13. Oi Tami! Esse ano ainda não li um livro com uma história de amor daquelas de partir o coração. Parece que esse tem momentos desse jeito e fiquei bem interessada. Você me convenceu a ler. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  14. Oi Tami,
    Quando vi essa capa com efeito de final de Guerra Infinita já sabia que era treta. HAHA
    Fujo desses livros chorões, mas quero ler sim. Achei bonitinho como a história da Lucy se forma. E já imaginei mais ou menos o que acontece com o Gabe.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAAHHAHA "final de Guerra Infinita" eu estou é morta!

      Excluir
  15. Oi, Tami!

    Que resenha linda! Li esse livro recentemente também e a manteiga derretida aqui chorou um oceano com a história. Sinceramente acho que não tem nada a ver com Como eu era antes com você, passa longe, mas no quesito de emocionar, se iguala bem, porque eu sofri tanto com Gabe e Lucy quanto sofri com Clark e Will. É o tipo de história que te faz ao mesmo tempo lembrar do próprio passado e refletir sobre o futuro e muitas pessoas que passaram na nossa vida né. Lindo e triste demais <3

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é exatamente no sentido da emoção que vem a comparação, as histórias são muito diferentes mesmo, mas as reflexões acerca das escolhas se assemelham bastante. Para toda escolha há uma consequência, e é aí que começa...

      Excluir
  16. Adorei a resenha e assim que vi esse livro fiquei curiosa, a capa chamou minha atenção. Espero que a adaptação para as telas do cinema fique o mais fiel possível ao livro.
    Bjs
    https://eternamente-princesa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi, Tamires.
    Meu exemplar chegou nessa semana e já está aqui na fila.
    Sua resenha me deixou ainda mais animada!!
    Acho que vou passar na frente! Rs...
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  18. Olá Tamires,

    Esse está na minha lista de desejados desde que foi anunciado pela editora, essa é a primeira resenha que leio dele e já me deixou ainda mais curioso....bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oie Tami =)

    Vi a divulgação desse livro, mas a sua é a primeira resenha dele que eu leio. Parece ser uma história emocionante, daquelas que fica com a gente por um bom tempo.

    Vou adicionar a minha já pequena lista de leitura rs...

    Beijos e uma ótima semana;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  20. Me identifiquei com Gabe, mesmo tendo feito Lucy sofrer. Amei a temática do livro, essas idade e vindas da vida sempre me tiram lágrimas. Nem preciso dizer que amo os livros que foram comparados com esse, então é certo eu gostar da leitura, ainda mais com essa mensagem que a autora passa. Quero ler.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Oie!

    Já tinha visto a capa dessa obra por ai, mas nunca havia lido nada sobre ela realmente, parece ser uma história bastante emocionante, mas infelizmente a proposta da autora não despertou meu interesse, estou procurando no momento outras obras/gênero para ler, mas com quem gosta irá amar a leitura!

    Bjss

    ResponderExcluir
  22. Tami eu não sei se é a tpm, a sua resenha ou o livro em si mas to aqui chorando. Como eu era antes de você foi um livro que me emocionou demais, e lendo sua resenha percebi que terei os mesmos sentimentos com A luz que perdemos. Espero ler o quanto antes, sei que vai ser um baita chororo mas a gente ama essas coisas né?

    ResponderExcluir
  23. Olá Tami!
    Esse livro me deixou cheia de questionamentos. Quanto mais lia, mas ficava dividida sobre que fim esses personagens deveriam levar, mas não estava preparada para aquele final tão devastador.
    Senti por Gabe, senti por Darren e senti por Lucy!
    Uma leitura para muitas reflexões.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  24. Oiii tudo bem??

    Estou doida para ler esse livro, adoro essas histórias, e a me lembrou um pouco de Dani Atkins, não sei, teria que ler pra saber.
    Adorei a resenha e fiquei mais interessada ainda.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  25. Olá, tudo bem?

    Pela sua resenha, o livro me parece bem intenso, sofrido, doloroso, confesso que gosto de livros que nos fazem sentir bastante a história, mas também que estou em uma fase da vida em que estou bem sensível, então vou anotar a indicação, apesar de não curtir os livros mencionados pela comparação, a premissa desse me chamou a atenção.

    Beijo!
    Ana Luz

    ResponderExcluir
  26. Tamires, esse livro está n alista das minhas próximas leituras, mas confesso que estou bem apreensiva porque ei que chorarei muito em função da identificação. Já perdi algumas pessoas importantes e isso fará com que o enredo converse intensamente comigo.
    beijos

    ResponderExcluir
  27. Oi Tamires! Que bom que você gostou tanto assim da leitura! Não li os livros da comparação, mas vi os filmes, e apesar de ter gostado muito, foi um sofrimento bem grande também! Espero que a leitura deste livro não seja uma daquelas que me fazem chorar e soluçar, pois eu sou bem molenga. Gostei de como foi abordado o amor, em como podemos encontrar, mas perder, em todas as escolhas e consequências. Gostei muito da dica e espero ler em breve, como também ver a adaptação.


    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  28. Gostei muito do enredo dessa obra, fiquei com vontade de ler. Mas ao ver que foi comparado a Um Dia, fiquei meio que de nariz torcido, pois é uma obra de leitura enganchada para mim. Contudo, a minha sorte é que sei que comparação não é sinônimo de a obra ser igual. Pois realmente me interessei muito em ler a obra algum dia. Bexus :*

    ResponderExcluir
  29. Não sou grande fã de obras emocionantes, acho bem chatinas, mas sua resenha está ótima e fiquei até com vontade de ler essas livro pelo enredo em sí. Adorei.

    ResponderExcluir
  30. Não sou grande fã de obras emocionantes, acho bem chatinas, mas sua resenha está ótima e fiquei até com vontade de ler essas livro pelo enredo em sí. Adorei.

    ResponderExcluir
  31. Já estou com medo de ler e sair com o coração partido, rsrs. Parece ser um romance muito bom e trazer reflexões sobre o amor de uma forma mais realista. Quando eu tiver coragem para ler essa história que me parece não ter o final feliz como gosto, certamente lerei. Ótima resenha.

    ResponderExcluir