18 de dezembro de 2018

Resenha | Verity - Colleen Hoover


Autora: Colleen Hoover

Número de páginas: 250

Ano: 2018

Editora: Hoover Ink, Inc

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Lowen Ashleigh é uma escritora em dificuldades à beira da ruína financeira. Quando Jeremy Crawford, marido da autora best-seller Verity Crawford, pede a Lowen para terminar os livros restantes em um contrato que sua esposa permanentemente machucada é incapaz de cumprir, Lowen não tem outra escolha a não ser aceitar.

Lowen chega à casa dos Crawford com a intenção de ficar apenas uma ou duas noites - tempo suficiente para escrutinar o caótico escritório doméstico de Verity a fim de coletar todas as anotações e esboços que ela precisa para começar a escrever o primeiro romance. Mas quanto mais tempo Lowen passa com Jeremy Crawford, menos tem pressa para sair. Enquanto está lá, Lowen descobre um manuscrito oculto. Uma autobiografia contendo confissões arrepiantes que Verity planejava levar para o túmulo, incluindo a verdade por trás dos acontecimentos que transformaram suas vidas de cabeça para baixo. Uma verdade que, se revelada a Jeremy, devastaria ainda mais o já sofrido pai.

Lowen decide manter o manuscrito em segredo, permitindo que Jeremy continue acreditando que Verity é apenas uma inocente e infeliz vítima das circunstâncias. Mas à medida que os sentimentos de Lowen pelo pai e marido dedicado se aprofundam, ela se pergunta se manter Jeremy no escuro é do interesse dela. Afinal, se Jeremy lesse a autobiografia de sua esposa, a verdade perturbadora tornaria impossível para ele continuar a amá-la.


I'm beginning to think Verity writes from a villainous point of view because she's a villain. Being evil is all she knows.

Estou começando a pensar que Verity escreve sob um ponto de vista vil porque ela é uma vilã. Ser perversa é tudo o que ela sabe.

Lowen é uma jovem escritora que está à beira da falência. Ela passou os últimos meses cuidando da mãe doente e tudo o que recebeu quando a mesma faleceu foram mais dívidas. Com várias ordens de despejo coladas na sua porta, sua última esperança antes de virar uma desabrigada pode estar em uma reunião do outro lado da cidade, mas um acidente grotesco no meio do caminho faz o dia que era para ser promissor começar com ares de filme de terror. É sob essas circunstâncias traumáticas que ela conhece Jeremy Crawford.

Há uma tensão no ar durante todo o tempo em que os dois dividem o mesmo ambiente, enquanto ela limpa a sujeira deixada pelo ocorrido. Após umas poucas palavras trocadas, os dois seguem seus caminhos. Porém, qual não é a surpresa de ambos quando se veem na mesma sala de reunião de um elegante prédio em Manhattan.

Jeremy é casado com Verity Crawford, autora da famosa série de livros The Noble Virtues, sucesso de público e de crítica. Porém, após um terrível acidente, Verity não está em condições de terminar a série... é aí que Lowen entra. À princípio, Lowen recusa a oferta. Escrever três livros para finalizar uma já consolidada série é pressão demais para alguém com tão pouca bagagem, mas após Jeremy intervir falando que a própria Verity a escolheu, Lowen acaba aceitando a oferta.

Para poder mergulhar no mundo de The Noble Virtues, Lowen viaja até Vermont para passar alguns dias na casa dos Crawford. Até aquele momento ela não sabia da extensão dos ferimentos de Verity, por isso fica alarmada quando descobre que a esposa de Jeremy não fala, não anda, não responde a nenhum estímulo e provavelmente ficará assim para sempre. É em Vermont que Lowen também descobre detalhes de uma outra tragédia que ocorrera na vida dos Crawfords.

"Some families are lucky enough to never experience a single tragedy. But then there are those families that seem to have tragedies waiting on the back burner. What can go wrong, goes wrong. And then gets worse."
"Algumas famílias têm a sorte de nunca sofrer uma única tragédia. Mas há aquelas famílias que parecem ter tragédias esperando em segundo plano. O que pode dar errado, dá errado. E então piora."

Com a permissão de Jeremy, Lowen começa a vasculhar o escritório em busca de algum material que a ajude a compreender o processo criativo de Verity. Enquanto procura, Lowen acaba encontrando uma espécie de autobiografia de Verity. O que seria melhor para conhecer uma pessoa se não ler sua história escrita por ela mesma, não é verdade? Só que Lowen não tinha a mínima ideia de onde estava se metendo.

And here is where it gets real. The guts of my autobiography. This is the point when other authors would paint themselves in a better light, rather than throw themselves into an x-ray machine.
But there is no light where we're going. This is your final warning.
Darkness ahead.
E aqui é onde isso fica real. As entranhas da minha autobiografia. Esse é o ponto em que outros autores melhorariam suas imagens, em vez de se lançarem em uma máquina de raio-x.
Mas não há luz para onde estamos indo. Este é seu último aviso.
Escuridão à frente.

À principio, tudo o que Lowen encontra são relatos de uma pessoa egocêntrica, vaidosa e possessiva. Porém, à medida que a leitura avança, Lowen adentra nas profundezas de uma mente cruel e perversa. Se antes ela sentia empatia por Verity, após a leitura ela passa a achar que o acidente foi karma, merecimento. Aqui se faz, aqui se paga.

Com o passar dos dias, Lowen e Jeremy vão ficando cada vez mais próximos, e é aí que coisas estranhas começam a acontecer. Será que Verity estava realmente encarando Lowen? Como a TV da sala desligou sozinha? Era Verity parada na janela do seu quarto? O que Verity estava fazendo de quatro, no chão, olhando diretamente para a câmera de vigilância? Não podia ser. Verity não andava. Verity. Não. Se. Mexia. Algo muito errado estava acontecendo naquela casa... Lowen só não imaginava o quanto.

I've spent most of my life not trusting myself in my sleep. Now I'm starting to not trust myself when I'm awake.
Passei a maior parte da minha vida não confiando em mim durante o sono. Agora estou começando a não confiar em mim mesmo quando estou acordada.

••••••••••

Vocês estão cansados de saber que a Colleen Hoover é uma das minhas autoras favoritas. Eu compro os livros dela com meses de antecedência sem sequer saber sobre o que se trata, nem sinopse eu leio. Como Verity é uma publicação independente, não houve pré-venda do mesmo, mas assim que o livro foi disponibilizado no Kindle Unlimited eu parei todas as minhas leituras e furei a fila com gosto, pois sabia que este livro seria um divisor de águas. E eu estava certa! Com Verity, seu primeiro thriller, Colleen Hoover mostra que é uma das autoras contemporâneas mais versáteis em atividade.

Sei que a fama da autora é controversa - ela também sabe - e concordo que ela comete alguns escorregões aqui e acolá, eu mesma já me decepcionei; mas o que eu mais gosto nela é sua disponibilidade para ouvir seus leitores, admitir seus erros e consertá-los, como já aconteceu mais de uma vez.

De antemão aviso que Verity possui cenas muito gráficas e incômodas, principalmente no que se refere a assuntos relacionados à maternidade.

Esse é um daqueles livros que quanto menos a gente souber, melhor. Eu, por exemplo, sequer sabia que Verity era uma pessoa, logo, foi uma surpresa e tanto saber que uma das protagonistas dava nome ao livro e que ela era uma famosa autora que estava praticamente em estado vegetativo após sofrer um acidente automobilístico. Eu gostaria muito de discorrer sobre Verity, mas não posso. E olha que eu tinha muita coisa para falar. Porém, posso dizer que foram diversas as vezes em que me peguei arrepiada com somente um olhar, com somente sua mera presença. Suas palavras não são necessárias, pois tudo o que ela queria dizer está escrito em sua autobiografia, e são essas as partes mais perturbadoras da história.

Lowen também é uma personagem muito complexa. Ela sofre de sonambulismo e durante boa parte da história questiona a própria sanidade. Aliás, até nós, leitores, questionamos nossa sanidade! Li algumas passagens mais de uma vez porque pensei que tinha lido errado. Seriam aqueles acontecimentos misteriosos coisa da cabeça de Lowen? Será que ela estava sendo sugestionada pela autobiografia de Verity?

Jeremy me deixou desconfiada 100% do tempo. Ele é aquele tipo de personagem bom demais para ser verdade, sabe? Pai amoroso, marido paciente, pau para toda obra... se por um lado eu queria confortá-lo por tudo o que ele já havia sofrido, por outro eu queria confrontá-lo. Teria ele algo a ver com o acidente de Verity? Sua devoção à esposa é culpa ou amor incondicional?

Há também Crew, filho de Jeremy e Verity que fez eu roer todas as minhas unhas, ô criancinha arrepiante! Ele conversa com a mãe... mas a mãe não fala... então será que ele só imagina que está conversando com ela?

Eu sei, eu sei! É pergunta demais e opinião de menos, porém, não tem como eu falar NADA! Eu sempre bato na tecla da cortesia: não faça com os outros o que você não gostaria que fizessem com você. Então eu prefiro pecar pela falta do que pelo excesso, pois, na minha opinião, falar mais do que isso iria prejudicar a experiência de vocês.

Mas gente, tem um plot twist que WHAT. THE. FUCK!!!


Sabe aquela sensação de terminar um livro e não saber o que é real e o que não é? Então...

Eu li o eBook, que, como já mencionei, está disponível no Kindle Unlimited. O livro está muito bem formatado e nem percebi se tinha algum erro, já que eu estava ocupada demais tendo pequenos surtos e nem tinha como prestar atenção nisso. 😂 A história é narrada em primeira pessoa por Lowen e há os capítulos da autobiografia de Verity, narrados por ela. A narrativa deste livro, aliás, é de uma inteligência e ousadia que poucos autores possuem. O Grupo Editorial Record com certeza vai publicá-lo, mas não há nenhuma previsão de lançamento. E torço para que pinte um filme por aí, a história tem potencial para isso!

Insano, dúbio, intenso, frio, impiedoso, arrebatador. Verity mostra um outro lado da criatividade de Colleen Hoover, um lado que eu espero que ela mostre muitas e muitas vezes!

Observação: Traduções feitas por mim.

45 comentários

  1. Oi, Tami! Tudo bom?
    Se tratando de um livro da COHO aaaaacho que eu já deixei minha opinião bem clara sobre o que eu acho da autora, né? :v HUASUHSAUHASHUSAHUSAHUSAHU
    Vou até sair correndo porque infelizmente o ranço é maior do que qualquer curiosidade que eu possa ter. Essa aí só nascendo de novo pra eu chegar perto.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tami!

    Que loucura!! To chocada com a sua resenha inteira hahaha que história é essa meu deus! A Colleen também é minha autora favorita, mas acho que dessa vez ela conseguiu ir além. To doida pra descobrir mais sobre Verity e onde
    Lowen foi se meter!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Fiquei bem curiosa e ansiosa. Intenso define o livro. Esse é um gênero que amo e em se tratando de CoHo só posso esperar um livro incrível. Adorei.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Tamires.
    Diferente de você, nos últimos tempos estou fugindo dos livros da autora porque só tenho visto livros com relacionamento abusivo para pior. Mas esse eu daria uma chance por ser de outro gênero. Mesmo já tendo sentido uma traição ali coisa que não gosto. E até porque fiquei aqui mega curiosa para saber o que acontece nessa casa de verdade hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses dois livros mais recentes dela vieram com outra pegada, ela amadureceu muito a construção dos relacionamentos.

      Excluir
  5. Oi Tami,

    Ahh adoro os livros da Colleen ela sempre se supera. E esse parece que é tiro atrás de tiro. Já quero conhecer essa história e entender melhor essa Verity.

    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nada da Colleen, mas vejo sempre o pessoal comentando dos livros dela, vou dar uma chance nessas férias para esse livro!

    Iasmin Guimarães | E agora?

    ResponderExcluir
  7. Uauu Tami, que bom que vc gostou da leitura. Eu só li um livro da autora, mas foi o suficiente pra saber que ela sabe mexer com nossos sentimentos. Tomara que chegue logo por aqui!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Oi Tami! Alguns livros dela eu amo, outros já me decepcionaram, mas a curiosidade por saber o que ela vai apresentar prevalece e sempre leio tudo que é lançado. Eu fiquei curiosa com esse, mas essas cenas relacionadas a maternidade me deixaram desconfiada. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  9. Muito bom! Seu blog é muito bom mesmo, estou amando ler os seus artigos..

    Já salvei seu Blog em meus favoritos.


    Estou amando seu blog ❤️


    Meu Blog: Loteria dos Sonhos de Hoje

    ResponderExcluir
  10. Oi, Tami
    Você já sabe que eu não leio thrillers então.... só queria spoiler mesmo porque sou muito curiosa afff mas enfim, eu nunca imaginaria que a autora iria para outros caminhos, estou realmente surpresa com a coisa toda que a CoHo consegue criar. Ela é incrível!!
    Beijo

    http://www.capitulotreze.com.br

    ResponderExcluir
  11. Fazia muito tempo que não me interessava tanto por um livro como me interessei por esse, a história é maravilhosa!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Tami, tudo bem?
    Como uma graaande fã de thrillers, já fiquei SUPER curiosa. Ainda não li CoHo justamente pelos comentários controversos que encontro por aí (e também porque não sou a maior fã de romance contemporâneo do universo). Mas agora, com um livro intenso e misterioso assim, quem sabe finalmente eu leia.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  13. Achei muito legal da parte da CoHo se aventurar nos thrillers, estou bem curiosa pra ler Verity tbm!
    E estamos nessa vida pelos plot twists inimagináveis, não é mesmo? rs
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oie Tami =)

    A Colleen gosta de chocar seja para o bem ou para o mal rs... Estou com os últimos livros lançados da autora no Brasil para ler, então esse vai ter que esperar um pouco para a vez dele chegar.

    Fiquei curiosa demais para saber o segredos da Verity para deixa ele passar rs...

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  15. Adorei os pequenos surtos. Parece ser uma história muito legal. Adorei o que você contou, e o quanto você transmitiu ter gostado, através da resenha :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oi, Tamires! Tudo bem?

    Sério, eu não entendo como você consegue fazer resenhas assim, mas você me deixa ansiosa e parece que estou lendo o livro mesmo sendo só a resenha dele.
    Sério, nunca li esta autora e já ouvi tanto elogios quanto críticas em relação a ela e por algumas coisas, nunca me interessei muito. Porém, esta sua resenha me deixou confusa. De um jeito bom. No início, não me interessei, principalmente pelo Jeremy que por ser casado e parece se envolver com a outra (talvez não, né?) me incomoda. No entanto, depois no meio da resenha, vendo esta Verity que no início achei que nem ia ter importância, mas então pode ser tão ruim... Sei lá, a cada suposição que você fazia, mil coisas surgiam na minha mente e de verdade, mesmo não sendo um gênero que eu leio tanto, fiquei interessada. Quero que publiquem aqui e quero ler, espero me empolgar tanto com o livro quanto me empolguei com a sua resenha.

    Beijos,
    Blog Magia é Sonhar
    Canal Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
  17. Oi, Tami!
    Menina do céu, primeiro vou comentar que achei a quantidade de página tão curta...
    Segundo, eu já sabia que essa Verity era a autora e olha... estou bem desconfiada já de um monte de coisa.
    Vou colocar esse na tbr de 2019 junto com All Your Perfects e Tarde Demais.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Natal Literário 2018: 5 kits, 10 ganhadores. Participe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ultimamente alguns thrillers têm vindo com menos de 300 páginas. Achei um tamanho bom, ela conseguiu resolver tudo sem encher linguiça.

      Excluir
  18. Oi, Tami!
    Menina do céu, eu tive um treco quando vi que o livro já tinha sido liberado e só eu não estava sabendo hahaha Nem preciso dizer que ele vai furar a fila de vários, né? Acho que esse ano não rola mais, mas em janeiro eu leio ele com certeza!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  19. Oi, Tami!
    Terminei a leitura da resenha e a única coisa que consigo pensar é: EU QUERO.
    Me empolguei tanto com a sua animação que, com certeza, eu furaria a fila com gosto e colocava esse livro na frente.
    Fiquei muito curiosa.

    Beijos! Dear Masen

    ResponderExcluir
  20. Oi
    legal que ela escreveu um triller, parece ser uma história envolvente e cheio de desconfiança, que bom que gostou da leitura, espero que ele seja publicado por aqui também.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Oiii Tami

    Eu vi esse livro semana passada na blogosfera gringa e curti a capa, porém nem me liguei na sinopse pra saber de que se tratava. Hummm, eu gosto dos livros da Colleen, pra ser bem honesta acho que é uma das contemporâneas que mais gosto justamente por conta dessa versatilidade, os livros nunca são um igual o outro e ela busca mudar sempre a fórmula. Apesar do aviso das cenas gráficas, acho que leria, no momento em que me sentisse no hype pra dramas e romances mais sérios como os que ela escreve. Vou anotar pra 2019, vamos ver se consigo conferir

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  22. Oi Tami!!!!
    Que livro é esse meo Deus!!! Já tô doida pra ler depois da sua resenha!!! Parece uma obra bem diferente e eu adoro a escrita da autora
    Beijinhooo

    EVENTUAL OBRA DE FICÇÃO

    ResponderExcluir
  23. Olá Tamires,

    Esse é mais um livro que fico conhecendo aqui, parece muito bom e sua resenha me deixou curioso, não li nada da autora ainda e esse já vai pra minha lista...bjs.

    https://devoradordeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Li o livro em 1 dia. Como não ler o que a CoHo escreve em 1 dia. Ela com certeza é minha favorita de todos os tempos e para todo sempre. Foi o livro que menos gostei dela, mas mesmo assim vale cada minuto lendo. Meu preferido ainda é o All your perfects.

    ResponderExcluir