9 de janeiro de 2019

Resenha | Um Acordo Pecaminoso - Lisa Kleypas


Livro cedido em parceria com a editora.

Autora: Lisa Kleypas

Tradutora: Ana Rodrigues

Série: Os Ravenels #3

Número de páginas: 304

Ano: 2018

Editora: Arqueiro

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Lady Pandora Ravenel é muito diferente das debutantes de sua idade. Enquanto a maioria delas não perde uma festa da temporada londrina e sonha encontrar um marido, Pandora prefere ficar em casa idealizando jogos de tabuleiro e planejando se tornar uma mulher independente.

Mas certa noite, num baile deslumbrante, ela é flagrada numa situação muito comprometedora com um malicioso e lindo estranho.

Gabriel, o lorde St. Vincent, passou anos conseguindo evitar o casamento, até ser conquistado por uma garota rebelde que não quer nada com ele. Só que ele acha Pandora irresistível e fará o que for preciso para possuí-la.

Para alcançar seus objetivos, os dois fazem um acordo curioso, e entram em uma batalha de vontades divertida e sensual, como só Lisa Kleypas é capaz de criar.


— Você é tão linda... tão preciosa para mim... Não estou lhe pedindo sua rendição. Estou lhe oferecendo a minha. Tem que ser você, Pandora... apenas você pelo resto da minha vida.

Para uma jovem com um tino comercial e empreendedor como lady Pandora Ravenel, passar pela temporada de eventos londrinos é um suplício. Para ela, aquele tempo gasto com frivolidades sociais poderia ser facilmente - e muito mais prazerosamente - empregado no planejamento de seu jogo de tabuleiros que estava em fase de desenvolvimento. Porém, lá estava ela sentada em um canto no baile de lorde Chaworth, fingindo uma torção no tornozelo para não ter que dançar com todos os cavalheiros solteiros do baile como desejava sua acompanhante, lady Berwick.

Lady Pandora Ravenel estava entediada.
Profundamente entediada.
Entediada até de estar entediada.
E a temporada social de Londres mal havia começado. Ela ainda teria que suportar quatro meses de bailes, soirées, concertos e jantares até que o Parlamento encerrasse os trabalhos e as famílias da nobreza pudessem retornar a suas propriedades no campo. Haveria pelo menos sessenta jantares, cinquenta bailes e só Deus sabia quantas soirées.
Jamais sobreviveria.

Quando Pandora pensava que não aguentaria ficar nem mais um minuto naquele baile sem morrer de tédio, Dolly, sua amiga, surge aflita comentando que perdera um dos brincos de safira da mãe de seu marido em um encontro clandestino com um de seus antigos pretendentes. Ainda que não aprovasse o comportamento de Dolly, Pandora se oferece para tentar recuperar a joia. Chegando ao local indicado pela amiga, Pandora localiza rapidamente o brinco atrás de um banco, porém, quando tenta se esticar para alcançá-lo, seu belo vestido fica preso em um dos arabescos do móvel. A jovem tenta se desprender de todas as maneiras, mas tudo o que ela consegue é rasgar seu vestido a cada nova tentativa. Quando ela começa a soltar alguns impropérios, eis que uma voz masculina se dirige a ela oferecendo seus préstimos.


Quando o rapaz, de quem Pandora não consegue ver o rosto, está tentando ajudá-la a se soltar, os dois são surpreendidos por lorde Chaworth, o anfitrião do baile, e pelo conde de Westcliff. Eles, obviamente, interpretam a situação de uma maneira completamente torta. E qual não é a surpresa de Pandora quando descobre que o homem que a ajudou é ninguém mais, ninguém menos, que Gabriel, lorde St. Vincent, filho de um dos mais notórios libertinos que Londres já conhecera e não muito chegado aos votos matrimoniais por si só. Mas ali, naquele momento, Gabriel soube que não poderia mais fugir deles, afinal, Pandora e ele foram pegos em uma situação deveras comprometedora, ainda que não estivessem fazendo absolutamente nada imoral.

Todavia, para o espanto de Gabriel, quando a palavra casamento é mencionada em uma reunião com os Ravenels, Pandora se transforma e recusa o enlace veementemente. Isso, é claro, chama a atenção do rapaz, pois não é todo dia que se vê alguém negando-se a se casar com um jovem e belo herdeiro de um ducado.

— Eu nunca quis me casar — continuou Pandora. — Qualquer pessoa que me conheça pode lhe dizer isso. Quando era pequena, jamais gostei de histórias sobre princesas esperando para serem resgatadas. Nunca fiz pedidos para estrelas cadentes nem arranquei pétalas de margaridas enquanto recitava "bem me quer, mal me quer". No casamento do meu irmão, distribuíram fatias do bolo para todas as jovens solteiras e disseram que, se colocássemos embaixo do travesseiro, sonharíamos com nosso futuro marido. Eu comi meu bolo. Até o último farelo. Fiz planos para minha vida que não envolvem me tornar esposa.

Pandora está irredutível, pois não quer ter sua liberdade cerceada, que era justamente o que aconteceria assim que os votos matrimoniais fossem proferidos. Ela e tudo o que possuísse passaria a ser de Gabriel; ele se tornaria seu dono, e isso era algo que Pandora não conseguiria aceitar, pois ela queria ser uma mulher independente, dona de seu próprio negócio e de si mesma.


Mesmo segura de sua decisão, Pandora sabe que a mesma afetará toda sua família, principalmente Cassandra, sua irmã gêmea, que não ia conseguir um casamento respeitável se mais um escândalo fosse ligado ao nome dos Ravenels. Para o alívio da jovem, Devon, seu primo, não a obriga a se casar com Gabriel imediatamente, mas pede que a prima ao menos aceite o convite do futuro duque para passar alguns dias em Heron's Point, a propriedade da família dele em Sussex. Assim, eles teriam a oportunidade de se conhecer e, quem sabe, ela poderia reconsiderar sua decisão, algo que Pandora, claro, achava impossível.

Assim que eles chegam em Sussex, Pandora se depara com um Gabriel muito diferente daquele homem com o ego ferido que vira da última vez. Ele é terno com seus pais, irmãos e sobrinho, e é muito mais simples do que um futuro duque deveria ser. Desde o momento em que se encontram, St. Vincent faz de tudo para diverti-la e deixá-la confortável. Já Gabriel, que havia começado tudo aquilo para cumprir com seu dever de cavalheiro, fica encantado com a excentricidade de Pandora, algo que, em um primeiro momento, o desencorajara. Pandora é inocente, dona de um espírito livre, e Gabriel não quer ser aquele que vai domá-lo: ele quer ser livre com ela e fará de tudo para provar que está disposto a lhe dar tudo aquilo que estiver ao seu alcance.

Mas a lei inglesa é implacável, e mesmo querendo ser o mais conivente possível com os anseios de independência de Pandora, Gabriel não pode lhe dar aquilo que ela mais deseja: autonomia!

— Mas você tem muita liberdade. Quando alguém tem só um pouco de algo, precisa lutar para não perder o pouco que tem. — Ao perceber que estava à beira das lágrimas, Pandora baixou a cabeça. — Você quer discutir o assunto, e sei que, se fizermos isso, você terá bons argumentos e fará parecer que não estou sendo razoável. Mas nunca poderíamos ser felizes juntos. Alguns problemas nunca poderão ser resolvidos. Algumas coisas a meu respeito nunca poderão ser consertadas. Casar-se comigo seria um acordo tão impossível para você quanto para mim.

No jogo do amor muito se ganha e muito se perde. O que Pandora estaria disposta a perder para ficar com aquele que conseguiu ganhar seu coração e de quem o coração agora à ela pertencia?

••••••••••

Quem diria que eu ia favoritar um livro protagonizado por Pandora Ravenel! Quem está acompanhando as resenhas da série sabe que o meu apreço pela personagem não era muito grande. Eu a achava extremamente infantil e confesso que comecei a fazer a leitura de Um Acordo Pecaminoso bem desconfiada. Porém, para a minha surpresa, me peguei apaixonada pela personagem logo no primeiro capítulo, quando ela consegue a proeza de se prender em um banco. Ali eu dei a primeira das muitas risadas que me acompanharam durante toda a leitura.


Lisa foi muito inteligente no desenvolvimento da personagem. Ela fez Pandora crescer sem perder a inocência, inocência esta tão pronunciada que, de fato, faz a personagem ter alguns rompantes muito infantis. Nos livros anteriores eram eles que mais se destacavam, mas aqui, com mais espaço para o desenvolvimento do seu arco, tive a oportunidade de conhecer um pouco melhor as situações que a personagem enfrentou na infância. Deste modo, nasceu uma empatia e uma admiração muito bem-vindas, que estavam ausentes durante a leitura dos volumes anteriores.

É clichê dizer isso, mas Pandora é uma jovem muito à frente de seu tempo. Ela queria empreender em uma época em que essa palavra sequer existia. Em uma época em que uma mulher ter seu próprio negócio era algo impensável e escandaloso. E ela estava pouco se importando sobre os julgamentos da sociedade, tudo o que ela queria era ser dona de seu próprio destino e do seu próprio dinheiro. Criativa e dona de uma imaginação super fértil, Pandora teria um grande futuro no ramo dos jogos de tabuleiro, nicho de mercado ainda novo na Inglaterra de 1876. Preciso mencionar também seu viés feminista e sua vontade de fazer as mulheres terem voz e oportunidades!

Gabriel. Ahhh, Gabriel! O novo lorde St. Vincent é infinitamente mais interessante que Sebastian, seu superestimado pai que vem a ser o protagonista de Pecados no Inverno, terceiro volume da série As Quatro Estações do Amor. Gabriel é até vendido como um libertino, mas está longe de ser um. Ele tem seus casos, mas seu posicionamento perante a situação em que é pego com Pandora logo mostra seu caráter. Libertino nenhum tomaria tal atitude sem questionar as intenções da mulher com quem fora pego, algo que Gabriel não faz em nenhum momento. Gabriel é um bolinho e eu poderia ficar falando dele sem parar, ele realmente ganhou meu coração. 💜

Gostei muito de como o relacionamento dos dois foi desenvolvido e de como os dois foram fazendo descobertas juntos. Ela descobrindo que amar e se sentir vulnerável de vez em quando poderia não ser tão ruim quanto pensava e ele descobrindo que não ter controle sobre tudo poderia ser uma aventura e tanto. Vê-lo tentando arranjar uma maneira de tornar possível os desejos de Pandora foi algo enternecedor. E eu gostei muito de ver a firmeza de Pandora, qualquer coisa além disso não seria condizente com sua personalidade. O amor tem que fazer a gente evoluir, não retroceder; e Pandora sabia que abrir mão de seus projetos seria um imenso retrocesso.

Minha única ressalva é em relação aos gostos "pecaminosos" de Gabriel, que não foram tão explorados quanto mereciam. Não vou entrar em detalhes, vocês vão entender o que eu estou dizendo quando fizerem esta leitura. 😈 Mas isso não afeta a qualidade ou o desenvolvimento da trama, era apenas algo que poderia acrescentar mais um diferencial nesta história já tão prafrentex.


Neste livro temos participações especiais de personagens queridos como Devon, Kathleen e cia, assim como de Sebastian, Evie e Westcliff, personagens da série anterior. Um Acordo Pecaminoso introduz também a história de Um Estranho Irresistível, quarto volume da série que será lançado mês que vem e que vai contar a história de Garret e Ethan. Há um mistério envolvendo este último e por isso reitero que essa série em particular precisa ser lida em ordem! Aqui também vamos conhecer Phoebe, a irmã de Gabriel que será par de Weston, irmão de Devon, no quinto volume da série. Já perceberam que está tudo em família, né? 😂😂😂

A Arqueiro vem fazendo um trabalho excelente com esta série. As capas são maravilhosas e as edições são super caprichadas, com lombadas coloridas que ficam lindas na estante! A diagramação segue o padrão da editora, com folhas amareladas e de boa qualidade. A história é narrada em terceira pessoa e não encontrei erros ou falhas de impressão.

A leitura de Um Acordo Pecaminoso foi muito gostosa! Eu não estava esperando nada e fui deliciosamente surpreendida. Fico impressionada de como o volume atual consegue ser sempre melhor que o anterior, a Lisa não deixa a peteca cair em nenhum momento. Leiam essa série, pois vocês não vão se arrepender!

Leia mais:

Um Sedutor Sem Coração Uma Noiva Para Winterborne

36 comentários

  1. Oi Tami!
    Esses casais de livros de época são sempre uma fofura. Eu não era tão adepto ao gênero não, mas ano passado li 2 para conhecer e curtir. Apesar de ainda não ter favoritado nenhum, eu me lascava de rir. Tem uma amiga que gosta muito dessa série e ela já tinha me indicado. Ta na listinha pra ler.

    Abraços
    David
    https://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles são sempre muito divertidos, David. Leia mais sim! :D

      Excluir
  2. Oi Tami, tudo bem? Depois dessa resenha MARAVILHOSA quero jogar todos os livros que estão na estante e me jogar nessa leitura o quanto antes, mas ainda não li a série das estações e sou meio chata com essas coisas, preciso e quero ler em ordem, por isso vou ler primeiro a outra série, pois já passei a dos Hathaways na frente!
    Quero conhecer esses personagens que tanta te marcaram e cativaram, acho fabuloso quando o autor consegue fazer o leitor mudar a opinião sobre um deles.
    Beijos, Adri
    Espiral de Livros

    ResponderExcluir
  3. Menina! Segunda resenha que leio do livro ejá estou me corroendo para ler essa série haha Parece tão legal! Sua resenha ficou maravilhosa, bem explicadinha. Espero conseguir ler esse livro pelo menos esse ano haha

    Jardim de Palavras


    ResponderExcluir
  4. Oiii Tami

    Essa é uma autora que nunca li mas vejo sempre resenha spositivas sobre as séries que escreve. Te falar que desanima começar mais séries, tenho tantas em aberto, mas estou de olho numa tetralogia das estações da autora que parece ser bem legal e, se eu gostar da escrita, quem sabe comece também essa, ando numa fase de históricos.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem a série dos Hataways, que vem antes d'As Quatro Estações do Amor. É bom ler em ordem! :)

      Excluir
  5. Me diz se tem como não amar os livros da Lisa? Só vejo comentários positivos sobre esse livro!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Tami,
    Que legal que as duas séries se ligam, mas notei que a leitura pode ser feita separada, de boa. Apesar que sei do seu TOC de ler tudo na ordem haha.
    E fiquei surpresa com esse lance dela ser empreendedora. Achei bacana e já meio que curti a personalidade dela. Essa cena do vestido parece ser bem engraçada. Esse lance de libertinos, nossa, as autora amam demais, sos.

    P.S.: Muito obrigada pela força lá no blog. Achei engraçado que pensaram que eu estava falando de relacionamento amoroso, mas era no geral mesmo. Amoroso já desisti faz tempo haha. Há anos não me envolvo assim e por isso te digo, que aproveite sua fase solteira pra se curtir, cuidar da sua mente, descobrir coisas novas e dar chance a outras que vc nem imaginaria gostar. Focar em vários filmes e sériezinhas também... dai o tempo vai passar, vc vai mudar e pensar: nossa, hoje em dia não seríamos compatíveis mesmo.

    Pede pra sua mana da Netflix arrumar uma assinatura na Globoplay pra você assistir Killing Eve haha.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser feita separadamente sim, mas como eu disse na resenha, eu não recomendo. Essa série parece até uma história ininterrupta, sabe? É melhor ler tudo na ordem! :)

      Excluir
  7. Oi Tami!! Eu ainda estou lendo, quase no final e posso dizer que estou adorando. Amei o crossover e a personalidade da protagonista. Lisa é demais!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Oi, Tami!
    Menina, eu estou enrolando MUITO para começar esses livros. Minha tia comprou o primeiro no dia da mulher e ninguém leu ainda. Mesmo com todos os comentários positivos sobre eles, estou com medo da minha ressaca desse gênero atrapalhe a minha leitura... Vamos ver!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem que tentar, Mari. O gênero vai fazer você se apaixonar novamente, você vai ver.

      Excluir
  9. Oie!
    Eu quero muito começar essa série, falam muito bem da autora. É ótimo quando a personagem surpreende no quesito personalidade, eu acho que eu adoraria essa protagonista porque ela é pra frente do seu tempo. Preciso muito de uma leitura gostosa, leve e que me faça rir. Com certeza esse ano eu leio pelo menos o primeiro livro da série.
    Beijos
    Our Constellations

    ResponderExcluir
  10. Hey Tamires! Tudo bem?
    Eu não conhecia o livro, mas adorei a sua resenha. É o tipo de protagonista girl power que eu muito admiro.
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!

    ~ Blog Misto Quente
    ~ Siga no Instagram
    ~ Curta no Facebook

    ResponderExcluir
  11. Oi, Tami!
    Mulher, nem vou rir da menina presa no banco porque eu mesma sou capaz dessas coisas
    Adorei tua resenha e a cada livro só me aumenta a vontade de começar a série, mas tenho que ler as das estações primeiro.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra a quatro livros e mais um kit de marcadores no instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tinha que ter lido As Quatro Estações do Amor primeiro, mas não sabia a ordem certa!

      Excluir
  12. Oi Tami! Eu li esses dias e gostei bastante, mas no meu caso o filho não superou o pai. Eu ainda prefiro o Sebastian e gostei muito de ter partes com ele e com a esposa. E fiquei bem curiosa sobre os personagens que irão protagonizar o próximo livro, a autora deixou um gancho bom para eles. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  13. Oi Tami, COM CERTEZA eu quero ler e ter esse livro na minha estante!!! Infelizmente, ainda só tenho o volume 1. Ficaram bem fofas as fotinhos que colocou na postagem.
    Bjs
    https://eternamente-princesa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi Tami, tudo bem?
    Pelo visto Gabriel sofre do mesmo mal de Devon, sendo vendido como "libertino" e "sem coração" mas na real sendo um crush e tanto. <3
    Que bom que Pandora melhora nesse volume. Eu acho a personagem super chatinha, apesar de já admirar sua vontade de ser independente.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que sua opinião sobrenela mude como a minha mudou! :)

      Excluir
  15. Oi, Tami! Tudo bom?
    Mais uma série que eu quero muito ler depois que me descobri fã de romance de época com a Tessa Dare.
    Adoro quando a personagem surpreende a gente; tu fica olhando pra ela de um jeito quando não tem o protagonismo, ai chega no papel principal e muda completamente de opinião. Sinal de que a autora arrasa no desenvolvimento de personagem.
    Espero conseguir encontrar uma boa promoção dessa série, oremos.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os primeiros estavam menos de 20 na Amazon um dia desse, fica de olho! ;)

      Excluir
  16. Oi, Tami! A TÃO ESPERADA RESENHA!!! Eu aqui amando a Pandora e você faltando bater nela, acho que me identifiquei com a personagem desde o início e imaginei que o livro dela seria bem forte.
    Eu não vejo a hora de poder ler a obra, infelizmente to sem grana pra comprar o livro, mas espero ler o quanto antes!

    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que a gente faz com criança malcriada? Dá palmada! Hahahahah

      Excluir
  17. Todas resenhas que estou lendo estão amando esse livro. Que bom que para você não foi diferente. Lisa sempre surpreendendo, fazendo um livro melhor que o outro.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  18. Olá, Tamires.
    Eu comecei essa série esse ano e esse livro será minha próxima leitura. Fiquei de cara com seu favorito porque li seus comentários sobre as gêmeas nas outras resenhas. Comentários que concordo por sinal. E uma coisa que vi nos livros dessa série é que os mocinhos não tem nada de canalhas, libertinos e afins. Pelo contrário hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir