25 de março de 2019

Resenha | Em Silêncio - Leddy Harper


Autora: Leddy Harper

Tradutoras: A.J. Ventura e Bianca Carvalho

Número de páginas: 351

Ano: 2019

Editora: Cherish Books

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Quando criança, Killian Foster sobreviveu ao inimaginável. Mudo e cheio de cicatrizes, ele passa a maior parte do tempo sozinho, com seu caderno de desenhos, na floresta atrás da casa de sua tia.

Até que surge Rylee Anderson...

Quando Rylee vê Killian pulando a cerca da casa ao lado, ela o segue, despreparada para o garoto que encontra e para a relação que se desdobraria nos próximos sete anos.

Ou o silêncio que se seguiria...

Lutando entre o ódio de seu passado e a promessa de seu futuro, Killian deve fazer escolhas que poderiam afetar mais do que apenas ele. Opções que testariam o limiar entre o certo e o errado. Decisões que poderiam romper o vínculo com o único amor que conheceu.

Ódio ou amor.
Vingança ou perdão.
Silêncio ou sua própria voz.


Ele baixou a testa na minha e fechou os olhos. Nesse momento, ele era tudo que eu me lembrava. Ele era a síntese dos meus sonhos, minhas esperanças, minhas orações. Ele estava aqui. Eu estava aqui. Nós estávamos juntos novamente. Nada mais importava.

Quando tinha apenas oito anos, Killian Foster sofreu um trauma que o acompanharia por toda sua vida. Ele encontrou os pais brutalmente assassinados por três elementos que, não contentes com a atrocidade que tinham cometido, resolveram marcar o menino para sempre. Agora órfão, Killian mora com Elise, sua tia materna, e devido às marcas físicas e psicológicas que carrega, não frequenta a escola e não possui nenhum amigo. Ele também não fala, pois internalizou algo que lhe foi dito no dia da terrível tragédia. Sua única válvula de escape são seus desenhos, algo no qual ele é muito bom. O tempo passa, e aos onze anos Killian conhece aquela que seria sua salvação, mesmo que, naquele momento, ele não soubesse disso.

Aos dez anos, Rylee Anderson vê um menino indo em direção ao bosque do bairro onde mora. Movida por sua curiosidade, Rylee o segue e se depara com um menino mudo, dono de uma feia cicatriz em forma de sorriso em seu belo rosto. Ao contrário do que Killian imaginava, Rylee não sai correndo quando o vê nem o olha com repulsa. Ela começa a conversar com ele e é paciente quando descobre que sua única forma de comunicação é através da escrita. Daquele dia em diante, os dois tornam-se inseparáveis.

Gostava de como ela falava comigo, mesmo quando eu não dizia uma palavra sequer, além das palavras que escrevia no papel. Ela não parecia se importar. E nunca me julgou.
Ela me aceitou.
Por inteiro.

Com o passar dos anos, o que era uma bela e pura amizade torna-se algo mais. Killian e Rylee se apaixonam e fazem planos de partirem juntos assim que ela terminar o ensino médio. Porém, os fantasmas do passado de Killian insistem em lhe assombrar. Mesmo sofrendo, ele decide partir para encontrar sua redenção, para poder voltar inteiro para Rylee.


Cinco anos se passam, e durante todo esse tempo Rylee não recebe nenhuma notícia de Killian. Ela nunca o esqueceu, a dor é muito forte para fazê-lo, mas mesmo sofrendo, ela tenta refazer sua vida e começa a namorar Josh, um lutador que não poderia ser mais diferente de Killian.

Josh está invicto há muito tempo... até que Happy aparece. O misterioso lutador derrota o namorado de Rylee, deixando-o transtornado. Quando Rylee chega para consolar Josh, ela se depara com seu algoz. Happy é Killian, aquele que partiu seu coração.

Quando reencontra Rylee, Killian fica muito dividido. Ele não esperava passar tanto tempo longe, pois pensava que encontraria sua redenção rapidamente, podendo voltar para os braços de sua amada para assim seguirem com seus muitos planos. Mas sua busca por justiça levou mais tempo do que ele imaginava... e agora parece ser tarde demais.

Se quiser reconquistar Rylee, Killian terá que fazer uma escolha. O amor ou a vingança? O passado ou o presente? Sua voz ou seu coração?

Eu amava Killian. Sempre amei. Provavelmente sempre amaria. E eu sabia que o que eu sentia por Josh não era o mesmo. Não era amor. Na maioria das vezes, não era nem luxúria. A verdadeira razão pela qual eu estava com ele era porque eu sabia que, se ele me deixasse, se ele decidisse ir embora sem uma palavra, eu não ficaria arrasada. Minha vida não acabaria. Eu me levantaria na manhã seguinte e continuaria vivendo.

••••••••••

Em Silêncio foi lançado recentemente pela Cherish Books e logo de cara chamou minha atenção por eu achar a proposta parecida com a do livro A Voz do Arqueiro, trama de Mia Sheridan que é um dos meus livros favoritos da vida. Os livros, entretanto, não poderiam ser mais diferentes, o que não é uma coisa ruim, claro, mas tive algumas ressalvas, principalmente em relação a Killian.

Eu estava adorando o personagem em sua infância e adolescência. Mesmo com seus problemas, com sua dificuldade de socialização e sua personalidade arredia, Killian mantinha uma inocência muito bonita. O desenrolar de todo seu relacionamento com Rylee, desde que eram apenas amigos até o momento em que começam a se envolver, foi sempre pautado no novo, na descoberta, na novidade. Ele aprendia sozinho o que outras crianças aprendiam em grupo, e isso fez com que eu sentisse muita ternura por ele.

Quando se torna adulto, porém, Killian se transforma em uma pessoa com a qual eu não simpatizei. Até tentei levar em consideração sua infância traumática e não ortodoxa, mas não consegui fechar os olhos para algumas de suas atitudes e falas, por isso, da segunda metade do livro em diante, não consegui aproveitar tanto a história.

Rylee, por sua vez, conquistou minha simpatia. Quando criança, a personagem tinha um coração enorme. Ela nunca se abalou com a aparência de Killian nem com o fato dele ser praticamente um recluso. Ela lhe estendeu a mão no momento em que ele mais precisava, em uma linda demonstração de amizade. Eu sempre digo que nós podemos aprender muito com as crianças, e na primeira metade de Em Silêncio vemos uma clara demonstração disso.

O envolvimento dos dois, ainda que precoce, começa de uma forma pura e ingênua. Eles descobrem tudo juntos, o que faz com que eles fiquem ainda mais ligados um ao outro. Quando Killian parte, Rylee perde sua essência, sua pureza, seu altruísmo... quando ele retorna, não há na superfície nenhum vislumbre da Rylee que ela costumava ser. Para resgatá-la, Killian precisará ir mais além, mais fundo.

Acompanhei com receio o fato dela se colocar em um relacionamento claramente abusivo apenas pelo fato de Josh ser o total oposto de Killian. Temi por sua segurança física e mental, já que a maior parte dos abusos eram psicológicos. À medida que a história vai se desenrolando, vamos conhecendo mais os meandros de seu relacionamento e vamos compreendendo também as motivações de Josh.

E se eu amei o relacionamento de Killian e Rylee quando eles eram mais novos, o mesmo não pode ser dito sobre quando eles se reencontram. Há muita mágoa, muito sofrimento... o que não seria um problema se eu não tivesse me incomodado com a forma como Killian lidou com tudo aquilo. Seu sentimento de posse em relação à Rylee me deixou com uma sensação desagradável, mesmo diante de todo o contexto poético utilizado pela autora.

A trama da busca de Killian por sua voz, literal e figurativa, é interessante, mas senti falta de um aprofundamento e fiquei confusa com a linha temporal na hora que as coisas começam a se encaixar. Senti também falta de personagens femininas, principalmente uma amiga com quem Rylee pudesse contar. Ainda assim, Leddy Harper conseguiu mostrar que o melhor caminho é o da luz. Mais vale o amor de quem nós amamos do que a vontade de fazer justiça com as próprias mãos. É como dizia o grande filósofo Seu Madruga: a vingança nunca é plena, mata a alma e envenena.


O eBook está disponível para venda e também para empréstimo no Kindle Unlimited, como todas as obras do catálogo da Cherish Books. A formatação está ótima, assim como a revisão. Lembro que teve gente torcendo o nariz para a capa quando fiz a postagem de apresentação do livro, mas eu particularmente achei bem bonita, e olha que não sou lá muito fã de caras descamisados em capas de livros. Porém, sabemos que tudo é uma questão mercadológica do gênero, então tentem se basear mais na sinopse do que na capa e procurem resenhas do livro. Se o livro for inédito no Brasil, joguem uma resenha gringa no tradutor do Google caso não saibam inglês. Não perca a oportunidade de fazer uma excelente leitura apenas porque você não curtiu a capa! 😉

Em suma, Em Silêncio é uma história sobre o poder curativo do amor e o poder destrutivo da vingança. É uma história sobre redenção e sobre perdão. Mesmo com as ressalvas, foi uma leitura fluida e agradável que eu não deixo de recomendar.


32 comentários

  1. BOM DIA TAMIRES
    A unica coisa que me impede de ler um livro é a sua sinopse POR EXEMPLO livros de fiççao cientifica vampiros ,zumbis ,viagem no tempo .DO CONTRARIO a capa é que menos importa até porque não vou ler a capa e sim o livro
    É a segunda resenha que leio desse livro e percebo que mesmo com os pontos negativos que voce citou vale a pena ler o livro e entender a mensagem que a autora passa ,
    DICA ANOTADA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Eliane. A capa pode até ser um fator importante, mas o que conta mesmo é a história.

      Excluir
  2. Hey Tami! Tudo bem?
    Confesso que a capa também conta alguns pontos na leitura que escolho, mas essa de longe não é feia não. Não entendo pq as pessoas torcem o nariz kkk
    Quanto ao livro, eu não o conhecia, mas curti a trama pelo que deixou mostrado na sua resenha.
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!

    | Blog Misto Quente | Siga no Instagram | Curta no Facebook |

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também conta para mim, mas não é fator excludente na hora de escolher a leitura.

      Excluir
  3. Oi, Tami! Tudo bom?
    Ihhhh que esse macho com passado sombrio se tornando um babaca parece o tipo que eu perderia a paciência FÁCIL. 2019, GENTE, BORA USAR UM ARQUÉTIPO NÃO-ESCROTO PRA PERSONAGENS TRAUMATIZADOS QUE TAL????
    Não conhecia o livro, mas pelo que tu falou não é leitura pra mim e pros meus nervos :P

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Que resenha maravilhosa! Acho que o livro ia me ganhar principalmente pelas entrelinhas. AMEI saber da linha figurativa da trama e das mensagens que percorrem nelas. Uma pena que o livro não trouxe tanta representatividade feminina e nem conseguiu o aprofundamento desejado, mas a indicação foi linda, como sempre.

    semquases.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, faltou uma representatividade feminina para deixar a trama mais equilibrada.

      Excluir
  5. Oi Tami, tudo bem? Adorei o parágrafo ao final alertando para não se focar na capa que pode incomodar o leitor (o que de fato aconteceu comigo, porque estou cansada dessas capas apelativas do gênero, apesar de entender o caráter mercadológico como citou), mas apesar disso a trama não parece ter muita inovação nos seus elementos e desenvolvimento e, confesso, não me interessei muito não, então vou deixar a dica passar dessa vez.
    Beijos, Adri
    Espiral de Livros

    ResponderExcluir
  6. Olá, Tamires .
    Eu até tento, mas não consigo ver além desse tipo de capa. Acho que é um livro que não lerei. Ele tem tudo que me irrita em livros do gênero. E se você que gosta não gostou tanto assim, eu nem vou me aventurar.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi Tami,
    Eu gosto de livros assim, não nego, só que sabe quando você lê tantos em sequência que eles perdem um pouco a graça?
    Preciso respirar um pouco antes de voltar ao gênero.
    Porém, vou repetir: acho um máximo todos os livros da Cherish estarem no unlimited.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Tami
    A sensação que me dá quando a gente gosta de um personagem mas ele acaba indo por outros caminhos e atitudes é realmente desagradável. Acho que essa é a palavra certa pra definir o que eu sinto em alguns livros e o que você sentiu. Pelo enredo eu já sei que vou pensar no mesmo que você. Principalmente sobre o sentimento de posse, isso tem me irritado muito nos livros que leio e não sei porque as autoras ainda insistem em usar esse subterfúgio pra mostrar que o mocinho ama e deve ficar com a protagonista.
    Ainda não sei se leria mas gostei do enredo.
    Beijo!

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Essa capa está bem interessante 😇
    Pena essa relação meio abusiva e tóxica, infelizmente isso tem sido recorrente nos livros dentro do género :/

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  10. Oi Tami,

    Achei a capa bem bonita, uma pena ter gente que não curtiu.
    Lendo a sinopse eu me recordei da Voz do Arqueiro, mas bom saber que as histórias não se parecem.
    Apesar das ressalvas, gostei da premissa.
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  11. Oi Tami! Me parece ter um drama um pouco forte segundo o enredo, mas acho que tb não iria curtir o protagonista. Quem sabe o próximo da autora eu leia.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  12. Oiii Tami

    Não conhecia o livro mas parece ser bem especifico pra quem é habituada a ler livros mais cheios de drama e romance. Eu te entendo vc ter gostado do personagem em sua infancia, mas depois de adulto não ter tido o mesmo carisma pra ti, e acho que por não ter gostado tanto dele talvez vc tenha tido tb dificuldade em se afeiçoar pela relação do Killian e da Rylee. Realmente a presença de uma amiga talvez deixasse a trama mais leve. Não sei, te confesso que não seria um livro que eu leria, não é meu estilo, ams talvez funcione pra outros leitores.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, com certeza. Eu em muitos momentos preferi que a Rylee ficasse sozinha...

      Excluir
  13. Oi Tami!
    Quando eu vi a premissa da primeira vez fiquei bem curiosa!
    Uma pena q os personagens tem esses problemas com as atitudes na fase adulta, mas apesar das ressalvas, eu não descartaria a leitura!
    Seu Madruga muito sensato, disse tudo! hahahah
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi, Tami!
    Menina, a Pri até me indicou esse livro, mas fico com o pé meio atrás sabe... Meio que saturei dessa do mocinho com passado traumático e atrás de vingança.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  15. Oi Tami! Eu tinha ficado interessada por também achar a premissa parecida com A Voz do Arqueiro, mas agora sabendo que não chega perto, acho que vou passar.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cida, eu esperava encontrar algo semelhante, mas nem por isso foi uma leitura completamente desperdiçada. Tive ressalvas, mas no final foi ok.

      Excluir
  16. Não conhecia esse livro, adorei a resenha e a capa é chamativa, gostei.

    https://umagarotasemdestino.blogspot.com/2019/03/livros-que-li-esse-ano.html

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    É a terceira resenha que leio desse livro, as duas apontavam os mesmos pontos fracos que a sua, o que são pontos que me desanimam muito. Amei a resenha, super bem escrita e detalhada.

    Beijão!
    Lumusiando

    ResponderExcluir