22 de abril de 2019

Resenha | O Destino das Terras Altas - Hannah Howell


Livro cedido em parceria com a editora.

Autora: Hannah Howell

Tradutora: Thaís Paiva


Série: Os Murrays #1

Número de páginas: 272

Ano: 2019

Editora: Arqueiro

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Quando o destino coloca Maldie Kirkcaldy na mesma estrada que sir Balfour Murray e seu irmão ferido, ela lhes oferece seus serviços como curandeira. Ao saber que tem em comum com sir Balfour um juramento de vingança, decide seguir com ele para cumprir a sua missão.

Mas ela não pode lhe revelar sua verdadeira identidade, sob o risco de ser acusada como espiã. Enquanto luta para negar o desejo que a dominou assim que viu o belo cavaleiro de olhos negros pela primeira vez, Maldie tenta a todo custo conservar o aliado.

Balfour, por sua vez, sabe que não pode confiar nela, mas também não consegue ignorar a atração que nasceu entre os dois. E, ao mesmo tempo que persegue seu objetivo de destruir Beaton de Dubhlinn, promete descobrir os segredos mais profundos de Maldie e conquistar o seu amor. Para isso, não deixará que nada se interponha em seu caminho.


Ele era dela. Completamente. Tivera certeza disso no instante em que dois corpos viraram um só.

Escócia, 1430. Os Murrays e os Beatons, clãs seculares, estão em guerra há alguns anos por conta de um affair entre o falecido senhor de Donncoill e uma das esposas do senhor de Dubhlinn. Deste romance nasceu Eric que, por ser um bastardo, foi abandonado para morrer em uma encosta entre os dois territórios. Felizmente o bebê foi encontrado a tempo e foi levado para Donncoill, onde cresceu cercado de amor e carinho.

Depois deste incidente, Beaton tentou durante anos ter um filho homem com suas esposas, mas não teve sucesso. Agora, perecendo de uma doença que o está corroendo aos poucos, o senhor de Dubhlinn precisa de um herdeiro. É aí que ele resolve sequestrar Eric para legitimá-lo, alegando que na época do abandono estava cego de ciúmes.

Os Murrays, claro, ficam consternados. Balfour Murray, agora senhor de Donncoill após o falecimento do pai, logo trama uma missão de resgate para salvar o irmão. Porém, assim que chega nos limites de Dubhlinn, os Murrays são pegos de surpresa pelos homens de Beaton. O clã de Balfour sofre muitas perdas e Nigel, irmão de Balfour e Eric, fica gravemente ferido.


Maldie Kirkcaldy estava escondida no bosque que margeia Dubhlinn quando a batalha começou. Ela também tem seus motivos para querer Beaton morto, sendo assim, aproveita a oportunidade e se revela aos Murrays oferecendo seus serviços de curandeira. Seu objetivo é usar o ódio dos Murrays por Beaton a seu favor. Ela acompanha os Murrays até Donncoill e lá permanece, ajudando na convalescença de Nigel e os demais feridos. Porém, ela não contava que teria que lidar com os avanços de Balfour, que fica encantado por ela.

Maldie ofegou com uma mistura de choque e exasperação quando, de repente, ele a tomou nos braços.
— O senhor acabou de se desculpar humildemente pelo insulto, no entanto agora tenta me ofender mais uma vez.
— Não, estou tentando beijá-la.

Maldie até tenta resistir, afinal, um romance poderia distrai-la de seus objetivos, mas Balfour torna a tarefa de evitá-lo praticamente impossível. Os dois engatam um romance, mas não demora para que as coisas comecem a se complicar, já que um dos espiões de Balfour em Dubhlinn é assassinado e ele começa a desconfiar que há alguém em Donncoill mandando informações para Beaton. E como Maldie é super misteriosa quando o assunto é seu passado, Balfour começa a desconfiar justamente dela! Maldie poderia contar a verdade, porém, desconfia que no momento em que ela saísse de sua boca, Balfour lhe viraria as costas.

Ele tinha certeza de que a amava, e isso o aterrorizava. Sentia vontade de se declarar, mas tinha medo de revelar essa fraqueza. Rezava para que ela não fosse uma espiã, depois desejava que ela confessasse a traição. Desejava que ela fosse embora e morria de medo de que ela partisse. Queria Maldie fora da cama dele, porém a mantinha nos braços a noite toda. Balfour estava tão dividido por emoções conflitantes que temia ficar louco.

Para provar sua inocência sem ter que revelar seu passado, Maldie bola um plano louco que pode custar sua vida. Agora Balfour terá que correr contra o tempo se quiser recuperar a mulher que ama e o irmão, ambos em poder de seu maior inimigo. 

••••••••••

O Destino das Terras Altas abre a série Os Murrays, nova aposta da Editora Arqueiro para sua coleção de Romances de Época. Foi a minha primeira experiência com as Highlands, mas infelizmente a história não foi tudo aquilo que eu estava esperando. A proposta da trama é até boa, há um núcleo familiar bem forte, onde o sangue não fala mais alto do que os laços afetivos, mas o desenvolvimento dessas relações deixa muito a desejar.


Vamos começar falando do romance entre Balfour e Maldie, que acontece na velocidade da luz. Hoje em dia eu nem ligo tanto para isso, porém, considerando que a personagem tinha toda uma questão com honra e pudor, ela caiu na lábia de Balfour muito rápido. Este, por sua vez, utilizou-se de justificativas nada honrosas para "reivindicar" Maldie para si, o que, ao meu ver, contrariou toda a base da relação dos Murrays. Para não ser injusta, devo salientar que o próprio personagem questiona seus rompantes, mas reconhecer um erro não o torna menor. A rapidez com que tudo acontece tira do leitor a oportunidade de torcer para o casal dar certo. Claro que há uma intriguinha aqui e outra ali que colocam em cheque os sentimentos de ambos, mas isso não compensa a falta de timing.

Outra coisa que me incomodou foi a importância dada a assunto banais e a falta de aprofundamento nas tramas que poderiam render embates mais interessantes. A guerra entre os Murrays e os Beatons, por exemplo, é muito boba. O vilão da história é uma chacota, o motivo da animosidade entre os clãs é risível e todas as justificativas usadas para mantê-la são muito banais e facilmente questionáveis.

Sobre Maldie, a personagem possui um dom interessante, mas que é mencionado muito superficialmente. Não compreendi qual foi a intenção da autora ao criá-lo, visto que ele não é útil em nenhum dos poucos momentos relevantes da história. Há também o ensaio de uma conspiração dentro do clã dos Murrays, onde há o levantamento da hipótese da existência de um segundo traidor, mas este plot acaba sendo esquecido no churrasco.

Maldie, isoladamente, é uma boa personagem. Ela teve uma infância complicada, foi mantida longe dos seus e foi literalmente criada para matar. Ela é forte e decidida, mas é facilmente manipulável; foi manipulada por sua mãe e, mais tarde, por Balfour. E aqui não estou questionando a veracidade dos sentimentos dele para com ela, e sim a facilidade com a qual ele consegue contornar todo e qualquer questionamento levantado pela personagem.

Balfour pode até ter seus méritos, mas possui muito mais deméritos. É, como já mencionei, manipulador; além de egocêntrico, possessivo e cabeça dura! Não gostei dele e torci para que Maldie ficasse com Nigel, o melhor personagem da história... e olha que ele passa 90% do livro de cama fazendo vários nadas! Além de Nigel, o único personagem secundário que merece ser mencionado aqui é Eric, o irmão sequestrado. Eric é um menino doce e tem muito potencial, porém, é inocente demais. Não acho crível um menino, criado em um clã de homenzarrões que vivem em guerra há décadas, ser tão dócil.


A Arqueiro vem arrebentando nas capas de seus livros e em O Destino das Terras Altas o capricho se repete. Estou amando o cuidado que eles estão tendo com cada um de seus lançamentos, dá gosto de ver! A história é narrada em terceira pessoa e a diagramação está confortável como sempre. Ainda que a leitura não tenha sido aquilo que eu esperava, a escrita da autora compensa as falhas da narrativa. Não há diálogos muito interessantes, mas a história se desenrola facilmente, sem maiores problemas.

O Destino das Terras Altas não conseguiu me conquistar, mas ainda há salvação. Nigel tem potencial de protagonista e acredito que seu livro, A Honra das Terras Altas, ainda sem data de lançamento, vai ser infinitamente melhor!


25 comentários

  1. Uma pena essa história não ter surpreendido você, fiquei apaixonada por essa capa!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  2. Que pena que o livro teve algumas falhas. Acho a capa dele tão linda!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Tami!
    Eu confesso que a sinopse em si nem me agradava mas me desanima muito mais o fato de nao ter um vilao justo. Ja perde total comigo. Porque ja formo a ideia de q os personagens vao ficar sem um conflito em si.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um "vilão", quando existe, tem que ser bem desenvolvido.

      Excluir
  4. Oi Tami!
    Eu adorei muito a capa desse livro 😍
    Vc falou uma coisa interessante, q o leitor gosta de torcer pro casal ficar junto, e é verdade! O insta love nos tira esse prazer, hahahah. Mas confesso que tbm me desanima quando ficam fazendo doce e demora muito p/ as coisas acontecerem kkkkkkk
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Tami!
    Realmente as capas que já anunciaram são lindas mesmo, mas eu não tenho muita vontade de conferir a série. Nem é pelo tamanho; é mais pela escrita da autora, que não ouvi muitos elogios.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nem conhecia a autora antes do anúncio da série! Hahahah

      Excluir
  6. Oi Tami! Eu comprei esse livro por dez reais em uma promoção do Submarino, pois quero conhecer a escrita desta autora. Romances das Highlands geralmente são difíceis para mim, mas vou ver se esse me agrada. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  7. Oi, Tami!

    Que pena que a história deixa a desejar :( não curto quando o romance acontece assim rápido, gosto de acompanhar a coisa toda sendo desenvolvida, é bonito de ver e traz uma sensação boa no final. Vou te falar que faz tempo que não leio romance de época, e os últimos que li também não foram uma leitura 100% positiva. E olha que a editora caprichou com a edição, a capa ficou incrível!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho tido problemas com o gênero ultimamente também...

      Excluir
  8. Oi, Tami! Tudo bom?
    Essas capas da Arqueiro são maravilhosas demais, eu apaixonei quando vi dessa série! Uma pena que o conteúdo não é tão bom quanto a promessa dele :/
    Detesto quando se constrói essa coisa de 'guerra' e rivalidade e ai no fim parece roteiro de novela ruim, aff.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi Tami! Eu adorei a capa, achei o enredo interessante e gosto do gênero, mas por conta das ressalvas acho que deixarei passar a leitura, confesso rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  10. Oi Tami
    Não é o primeiro livro sobre as highlands que eu desisto de ler. Antes eu gostava, hoje em dia as histórias não estão fluindo mais. Acho que o ambiente muda tanto que eu não consigo mais gostar kkk é uma pena que você não tenha curtido tanto também.
    Beijo!

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vou continuar tentando porque eu sou brasileira e não desisto nunca. Hahahaha

      Excluir
  11. Olá, Tamires.
    Eu já li uma outra série da autora e gostei bastante, por isso estava bastante interessada nessa. Mas agora lendo sua resenha não sei se quero mais. Nossas opiniões sobre o gênero são muito parecidas e fiquei em dúvida se compro ele ou não.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que a série pode melhorar, por isso vou dar uma chance.

      Excluir
  12. Oie Tami =)

    Nunca li nada da autora, mas sempre vejo resenhas bem positivas das obras dela. Confesso que estava bem curiosa para ler essa série, já que a premissa mostra ser bem promissora, mas depois de ler a sua resenha fiquei na dúvida.

    Beijos;***
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenta ler a prova que a editora disponibiliza, de repente você curte. :)

      Excluir