29 de maio de 2019

Netflix | O Mundo Sombrio de Sabrina - Parte 2


Título original: Chilling Adventures of Sabrina

Lançamento: 05 de abril de 2019

Episódios: 9

Duração média: 1h

Criador: Roberto Aguirre-Sacasa

Gênero: Horror, Fantasia, Drama

Elenco: Kiernan Shipka, Ross Lynch, Lucy Davis, Chance Perdomo, Michelle Gomez, Jaz Sinclair, Tati Gabrielle, Adeline Rudolph, Richard Coyle, entre outros.

Saiba mais: IMDb - Filmow
Sinopse: Tentando encontrar seu lugar no mundo, confusão é um ingrediente que nunca falta no caldeirão da Sabrina. Após assinar o Livro da Besta, a jovem bruxa tem dificuldades para equilibrar a vida entre os mortais e seu lado obscuro.


No último final de semana, maratonei a segunda parte de O Mundo Sombrio de Sabrina. Confesso que enrolei um pouco, pois a TV do meu quarto queimou e eu não gosto de assistir nada pelo notebook, mas foi só assistir ao primeiro episódio para me socar mentalmente por não ter feito essa maratona logo quando os episódios foram liberados!

Se na primeira parte Sabrina (Kiernan Shipka) estava tentando lutar contra sua natureza, ficando dividida entre seu lado mortal e seu lado bruxa, nesta segunda temos uma Sabrina bem mais confortável com sua dualidade. Ela assume de vez sua magia e passa a frequentar a Academia de Artes Ocultas em tempo integral. Porém, quanto mais se distancia de seu lado mortal, mais suscetível às influencias do Lorde das Trevas ela fica.


Eu adorei a mudança da personagem! Sabrina começa a gostar do poder que possui, mas ainda assim tenta lutar como pode contra uma profecia que é o ponto central destes novos episódios. A personagem ganha uma malícia muito bem-vinda, característica que abre um novo leque de possibilidades a serem exploradas. Kiernan Shipka segue ótima como a jovem bruxa e segura as pontas com muita propriedade.

Achei interessante essa divisão nítida que fizeram, com a primeira parte sendo focada no lado humano de Sabrina e esta segunda sendo focada em seu lado bruxa. Adianto que não são lados excludentes, muito pelo contrário; mas serve de termômetro para ver qual deles têm mais apelo junto ao público.

Gostei de ver que seguiram batendo na tecla da validação da mulher. Assim como na primeira temporada, nesta segunda vemos muito empoderamento feminino e críticas ao machismo e à misoginia. A série também seguiu com a transição de Susie (Lachlan Watson), que agora atende pelo nome de Theo. A abordagem foi muito feliz, super natural, não houve nenhum drama exagerado. Lachlan, aliás, está muito bem na pele de um homem trans. Há alguns diálogos muito bons acerca da transexualidade do personagem, apesar do termo nunca ser mencionado.

Nesta segunda parte descobrimos o motivo de tantas coisas bizarras acontecerem em Greendale e também temos a inserção de novos personagens super promissores como é o caso de Lúcifer (Luke Cook) e Dorian (Jedidiah Goodacre). Este primeiro aparece pouco, mas já deixa um super gostinho de quero mais. É preocupante torcer a favor de Satã? 😂

© Netflix
Como eu disse anteriormente, o foco desta segunda parte é o lado bruxa de Sabrina, logo, Roz (Jaz Sinclair), Susie/Theo e Harvey (Ross Lynch) têm pouco tempo de tela, todavia, eles têm papel fundamental em um momento crucial da trama. Mas quem rouba a cena mesmo é a maravilhosa Lilith (Michelle Gomez)! Lilith nada mais é do que uma mulher que cansou de ser manipulada e agora quer tudo o que lhe foi prometido. Michelle Gomes está sensacional e é impossível - pelo menos eu acho - não sentir alguma simpatia pela personagem. Lilith está mais acostumada com os mortais e com a cascata de sentimentos que os rodeia. Às vezes um lado mais humanizado vem à tona, tornando-a uma personagem muito mais complexa e interessante.

Os outros membros da família Spellman têm tramas próprias agora. Zelda (Miranda Otto), Hilda (Lucy Davis) e Ambrose (Chance Perdomo) têm seus próprios dilemas e suas tramas não giram somente ao redor de Sabrina. Sinto que Zelda está trilhando um caminho perigoso, caminho este que mais para frente pode vir a se tornar um problema. Hilda foi um pouquinho subaproveitada desta vez, o que é uma pena, pois a personagem é um doce e tem grande potencial. Ambrose, por sua vez, vira uma espécie de capanga de Padre Blackwood (Richard Coyle), algo que, claro, não termina bem.

E por falar em Padre Blackwood, ele está ainda mais sedento pelo poder, tentando colocar-se, inclusive, acima de Satã. Prudence (Tati Gabrielle) também quer poder e ascensão, mas o que os difere é o que eles são capazes de fazer para alcançar aquilo que almejam.


E o romance, Tami? Tem romance! Após o término do namoro com Harvey, Sabrina engata um namoro com Nick (Gavin Leatherwood). Harvey, por sua vez, começa a se interessar por Roz. Acho esta nova configuração muito mais interessante e espero de verdade que ela não mude, pois eu sou oficialmente #teamSabrick.

No mais, O Mundo Sombrio de Sabrina mantém a qualidade e entrega bons episódios. A fotografia, bem como os figurinos, continuam ótimos, seguindo a vibe dos anos 60. Porém, como bem sabemos, a série bebe de diversas fontes e ninguém sabe ao certo a década em que é ambientada. A soundtrack segue uma delicinha, se vocês quiserem ouvi-la é só clicar AQUI.

A Netflix já confirmou que O Mundo Sombrio de Sabrina terá pelo menos mais duas partes. As gravações já começaram e a terceira deve estrear ano que vem. Será que vai rolar um crossover com Riverdale? Vamos aguardar.


16 comentários

  1. to adorando assistir Sabrina no Netflix e achei essa segunda temporada ainda melhor que a primeira! super já to esperando pela proxima!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Oii Tami

    O Harvey então ja era? Oh coitado, mas o Nick realmente é interessante. Eu por enquanto só assisti a primeira temporada, mas tenho visto resenhas maravilhosas sobre essa segunda e ja estou bem curiosa pra conhecer mais desse lado bruxa poderosa e empoderada da Sabrina. Gostei de saber que a série segue mantendo uma boa qualidade e não decaiu com essa nnova temporada.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já era, já eeeera, não... só vendo pra saber. Hahaha

      Excluir
  3. Oi Tami,
    Eu também sou #TeamSabrick *-*
    Faltam 5 episódios para eu terminar essa segunda parte e estou enrolando.
    Não sou uma fã da Sabrina em si, mas eu gosto tanto dos secundários que faz a série valer a pena!
    beeeeijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você curte a série mesmo sem gostar tanto dela.

      Excluir
  4. Oi, Tami
    No início eu tava relutante em relação a Harvey não ficar com a Sabrina, mas com os episódios seguindo só fui achando o primeiro muito trouxa e torcendo muito pelo Nick. Achei essa temporada muito gostosa, foi bem legal. Mas preciso ressaltar que o Sr. Satã é muito feio KKKK Imaginava um cara mais gostosão, ok.
    Beijo!

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu ainda não assisti essa série, então estou meio perdida nas suas ressalvas. Mas mesmo assim fiquei com vontade de ver, gosto das análises que vejo sobre Sabrina, agora só me falta separar um tempo pra assistir por completo. Adorei o post!

    Beijo
    http://www.leiapop.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Tami! Tudo bom?
    Menina me perdi TANTO no mundo das séries que passou primeira e segunda temporada de Sabrina e eu ainda tô tentando me atualizar em The Walking Dead você veja bem a situação da pessoa...
    Eu ainda quero ver Sabrina, mas agora só nas férias e_e

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vixe, tô atrasada em TWD desde a penúltima temporada, não tenho mais paciência.

      Excluir
  7. Oi Tami, tudo bem?
    Odiei o romance Ros e Harvey. Achei a maior "furação de olho" ever hahaha! Fazia pouquíssimo tempo que eles tinham terminado, e ainda por cima era uma das BFFs da Sabrina. Achei bizarro e, na vida real, terminaria real a amizade com alguém assim hahaha!
    Fora isso, adorei a temporada/parte 2. Achei bem instigante, apesar de muito focada nesses romancezinhos adolescentes (que, particularmente, não curto).
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois eu achei muito bom. A série trabalha a boa relação entre as mulheres, até mesmo a relação de Prudence com Sabrina é agridoce. Seria muito incoerente causar atrito entre amigas por causa de macho. Antes todos fossem evoluídos assim. Rs

      Excluir
  8. Terminei de ver esses tempos e gostei d+! A parte mais teen com os amigos mortais da Sabrina me deixa um pouco entediada, mas as partes relacionadas ao "mundo sombrio" são fantásticas =D

    ResponderExcluir