23 de maio de 2019

Resenha | A Criança do Fogo - S.K. Tremayne


Livro cedido em parceria com a editora.

Autor: S.K. Tremayne

Tradutora: Regiane Winarski

Número de páginas: 368

Ano: 2019

Editora: Bertrand Brasil

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: O marido perfeito. O enteado perfeito. A mentira perfeita? Quando Rachel se casa com o maravilhoso David Kerthen e se muda para Carnhallow, sua vida é tomada por luxos, romance e um carinhoso enteado, Jamie. Porém, sua nova casa e sua nova família estão cercadas de segredos e mistérios que ela nem sequer consegue imaginar.

O comportamento de Jamie começa a mudar, e suas perturbadoras profecias ameaçam abalar a sanidade de Rachel. À medida que o passado da família vem à tona, ela passa a questionar a verdade por trás da trágica morte da primeira esposa de David, temendo que a predição feita por seu enteado, de que ela irá morrer no dia de natal, se torne realidade.

Fantasmas habitam os corredores de Carnhallow, mil anos de história ecoam nos frios túneis, antes ricas minas de estanho e cobre, que se expandem sob a propriedade, e a vida que Rachel acreditava ser perfeita de repente se torna um terrível pesadelo.


Nas últimas semanas e meses, a Cornualha, ou Carnhallow, ou os Kerthen, de alguma forma me calaram. Ou talvez seja Jamie; o garoto absorve as minhas emoções, ainda que nós dois mal nos comuniquemos.

Rachel Daly conheceu e se casou com David Kerthen, que acredita ser o homem da sua vida, em um intervalo de tempo muito curto. Agora atendendo pelo nome de Rachel Kerthen, ela trocou sua animada vida em Londres por uma pacata vida na medieval Cornualha Ocidental, mais precisamente em Carnhallow, a propriedade centenária dos Kerthen cercada por minas de estanho que guardam muitas - e sinistras - histórias.

David, que é viúvo, é um renomado advogado corporativo e passa a semana toda longe de Carnhallow, voltando para casa apenas aos finais de semana. Enquanto está fora, é de Rachel a responsabilidade exclusiva de cuidar da propriedade, que está precisando de diversas reformas, e de Jamie, filho de oito anos de David com Nina, sua falecida esposa.

Quando conheceu Jamie em uma viagem de apresentações, Rachel sentiu uma conexão com o menino e achou que o papel de madrasta seria fácil. Porém, passar tanto tempo sozinha com o menino começa a ser uma verdadeira provação. O Jamie que ela encontra em Carnhallow não lembra em nada o menino sorridente que ela conhecera, muito pelo contrário. Jamie começa a demonstrar um comportamento perturbador, alegando que fala e que vê sua falecida mãe e descrevendo sonhos bizarros que tem com Rachel. Porém, nada disso chega perto da revelação que ele faz: ele afirma que Rachel vai morrer no Natal.

— Consigo ver uma coisa, uma coisa no futuro que é muito ruim. Muito ruim, muito ruim. Muito, muito ruim.
— Jamie, escute, são só fantasias, é só imaginação, porque você está triste.
Ele me encara diretamente, respira fundo e diz:
— Rachel, você não vai estar aqui no Natal. Não mais.
Eu olho para ele. O que ele quer dizer? Por que ele escolheu o Natal?
— Como é, Jamie? O que isso quer dizer? Claro que eu vou estar aqui no Natal.
Jamie respira novamente, não tão fundo, e diz muito lentamente, como se confessasse o segredo mais terrível:
— Você vai morrer no dia de Natal.


Rachel, claro, fica consternada, ainda mais pelo fato dele ter dito que ela morreria no Natal, exatamente o mesmo dia em que Nina faleceu sob circunstâncias misteriosas. Tentando saber mais sobre os meandros do falecimento da antiga senhora Kerthen, Rachel começa a fazer perguntas, perguntas estas que começam a incomodar David. Rachel também estranha o fato de David ser tão contrário a ida de Jamie a um psicólogo, chegando a demonstrar um comportamento violento.

Rachel tenta lidar com a estranheza de Jamie da melhor forma possível, mas o comportamento do menino começa a afetá-la, fazendo com que ela comece a questionar a própria sanidade. Ela não só passa a acreditar que vai morrer no Natal como também começa a ver coisas.

Ela vê Nina. Sente seu perfume. Ouve seus passos. E conforme o Natal vai se aproximando, as manifestações inexplicáveis em Carnhallow começam a piorar.

Estaria Jamie falando a verdade o tempo todo? Nina estava mesmo viva? Por que David mentiu? O que ele estava escondendo? E o mais importante de tudo: Rachel viveria tempo suficiente para descobrir as respostas de todas estas perguntas?

Mas, mesmo que explique alguma coisa, é tarde demais agora. O mistério foi além de Jamie. O mistério está em mim. Eu me tornei a fonte de escuridão. E de perigo.

••••••••••

S.K. Tremayne é autor de As Gêmeas do Gelo, livro que fez muito sucesso na época de seu lançamento. Eu até tenho o livro aqui, cujo exemplar ganhei em um dos Mochilões da Record. E foi pela hype criada ao redor do livro anterior que peguei A Criança do Fogo cheia de expectativa. Minha experiência, porém, foi muito aquém do esperado.

A Criança do Fogo até tem uma proposta interessante, mas seu desenvolvimento é confuso e muito, muito, muito repetitivo. A ambientação até me intrigou em um primeiro momento. De um lado temos Carnhallow, uma mansão secular, misteriosa e sombria. Do outro temos as dezenas de minas da propriedade, sinistras e repletas de mau agouro. Eu não ligo para narrativas descritivas, já falei isso para vocês. Todavia, fiquei muito entediada com as descrições dos arredores e do interior de Carnhallow, bem como com a repetição dos nomes e das características das minas.


Junte a ambientação problemática a personagens fracos e volúveis. É a receita certa para me fazer torcer o nariz. Eu li e reli a sinopse do livro várias vezes e não consigo conectar o que ela descreve com o que eu encontrei durante a leitura.

Rachel, David e Jamie são muito heterogêneos entre si, há tempos não me deparo com personagens tão desconexos. Nem pai e filho convencem juntos, há uma constante atmosfera de desconhecimento entre eles que chega a ser incômoda. Quando Rachel entra na equação a coisa fica pior ainda! Toda e qualquer interação sua com David e/ou Jamie é rasa e estranha, não há nenhuma fagulha observável de afeto, não são relações críveis, são forçadas e não acho que isso foi algo proposital dado os rumos da narrativa.

Ainda sobre os personagens, Rachel é a pior. Comecei a leitura pensando que teríamos uma criança capirota como peça central da narrativa, mas me permito dizer que Jamie é a pessoa menos interessante de toda a história. Tudo é sobre, para e por Rachel, cuja personalidade frívola não despertou em mim nenhuma empatia. A personagem é o que costumamos chamar de pé no saco: chata, mimizenta e irritante. David é um zero à esquerda, nem quando dá sinais de um provável desvio de caráter consegue ficar interessante. Seu comportamento durante toda a história é o mesmo de uma criança que acabou de perder o brinquedo. E Jamie... que decepção. Não vou nem me alongar muito sobre ele porque não quero revelar nenhum detalhe importante, mas eu esperava tanto desse menino...

Há ainda Nina, esposa falecida de David e mãe de Jamie que prometia ser uma peça importante no mistério que ronda Carnhallow e os Kerthen, porém, no fim das contas, acaba sendo apenas uma peça em um jogo cujo tabuleiro está torto e cheio de buracos.

Aí chegamos ao final do livro, e as respostas que deveriam me deixar boquiaberta só me fizeram revirar os olhos. Faz sentido? Faz. Mas é banal. Não justifica muita coisa e a impressão que fica é a de que o livro poderia ter metade do tamanho e ainda assim - com folga - daria para desenvolver o que S.K. Tremayne tinha em mente.


Apesar de todas as minhas ressalvas, tenho que elogiar o trabalho feito pela Bertrand Brasil. A edição de A Criança do Fogo possui em seu interior fotos que agregam bastante em termos de imersão. Por mais cansativa que a narrativa seja, é curioso poder observar no livro algo tão semelhante aos cenários que estão sendo descritos. Acerca do texto, a qualidade da tradução de Regiane Winarski é ótima! Imagino que não tenha sido um texto fácil de ser traduzido por conta dos altos e baixos do tom da narrativa. Narrado em primeira pessoa por Rachel, A Criança do Fogo possui capítulos que funcionam como uma contagem regressiva até o fatídico dia de Natal, mas o clímax que deveria haver ao alcançá-lo fica apenas na promessa.

Como vocês puderam perceber, a leitura de A Criança do Fogo não funcionou para mim. Acontece e faz parte. Porém, como vocês bem sabem, eu nunca desencorajo uma leitura. Não custa nada repetir que o que é ruim para mim pode ser bom para vocês e vice-versa. Deste modo, se você está pensando em ler, faça isso e tire suas próprias conclusões! 😉


44 comentários

  1. Oi Tamires, eu não conhecia o livro, confesso que a princípio não é aquele livro que me chama tanto atenção mas gostei muito da sua opinião sobre a leitura.
    Bjs
    https://eternamente-princesa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Tami,
    Que droga! Juro que esperava algo mais, pois a premissa desse livro me deixou bem ansiosa por lê-lo. Mas agora sabendo que o final não surpreende, desisto!
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. nem sempre as leituras funcionam mesmo, como vc disse acontece...

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. Oi Tami!
    Tao ruim quando o livro e decepcionante assim. Eu sinceramente fico com uma ressaca infeliz depois. Me senti muito assim com aquele da janela, infelizmente. Os plots nao me chocavam em nada.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu geralmente fico com ressaca quando leio um livro muito bom, quando é ruim quero ler logo outro pra esquecer! Hahaha

      Excluir
  5. Que triste que a história não foi satisfatória no final. Já sofri isso em algumas leituras, que tem todo aquele suspense e no final, a resposta é algo muito nada a ver o fraco.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz parte. Seria muito monótono se todas as leituras fossem maravilhosas, creio eu.

      Excluir
  6. Oiii Tami

    Poxa essa é a segunda resenha que leio comentando justamente o quanto a trama poderia ter sido boa mas se perde na confusão, que triste isso! Tenho esse livro aqui em casa, vou ler com as expectativas bem baixas, pelo visto o autor acabou desperdiçando bastante a boa idéia que poderia ter sido.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Torço para que sua experiência seja melhor que a minha, Alice.

      Excluir
  7. Oi, Tamires!

    É a segunda resenha que leio com comentários negativos sobre aspectos que fazem total diferença na narrativa. Pior que, pela sinopse, o livro tinha tudo para ser ótimo, uma pena que o autor não tenha desenvolvido muito bem, nem feito um final legal.
    Adorei a resenha!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A sinopse é ótima, uma pena ela ser melhor que o livro. Rss

      Excluir
  8. Oi Tami, bem eu já não tenho muito interesse no gênero, agora então, piorou, espero que a colaboradora Marise tenha uma experiência melhor.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Oi Tami,
    Uma pena que a leitura não funcionou. Eu ainda quero ler o outro do autor, espero curtir.
    Comecei a ler a resenha, vi a menção do menino, fiquei achando que ia ser maior criança anticristo sos... que escorregão.
    Mas fiquei curiosa pra saber se ela morreu msm hahaha

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  10. Oi Tami!
    Cara, eu li As gêmeas do gelo. Como pode os dois livros terem os mesmos problemas?! kkk O foco na ambientação sendo um porre, os personagens sendo difíceis de engolir, o final que até vai, mas não empolga... Isso me faz querer ficar longe desse autor, infelizmente!
    Bjs
    A Colecionadora de Histórias - Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiiiii, não fala isso que eu ia ler para tentar tirar a impressão ruim! Hahaha

      Excluir
  11. Olá, Tamires.
    Eu ia pegar esse livro para ler quando vi sua nota lá no Instagram e acabei deixando de lado. É uma pena porque a sinopse do livro prometia bastante. E como adorei As Gêmeas do Gelo achei que esse fosse ser maravilhoso também. Agora vou aguardar um pouco para ler e quem sabe eu acabe gostando hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  12. Oi
    Acabei de ler uma resenha mais ou menos positiva sobre esse livro, mas a menina meio que falou a mesma coisa que você, que a leitura é um pouco arrastada e repetitiva, mas vou acabar lendo pois estou bem curiosa para saber o que realmente vai acontecer no natal...
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa | Facebook | Twitter | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí, Renata. Leia sim! Espero que sua experiência seja melhor que a minha.

      Excluir
  13. Oi, Tami!
    Mirma, então... acho que vou passar essa dica porque tenho certeza que só teria raiva o livro todo hahahha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  14. Oi Tami! O livro anterior deste autor eu adorei, mas as resenhas que tenho lido deste novo não estão animadas. Eu pretendo ler em breve, espero não me decepcionar. Boa semana. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  15. Oi Tami
    Fui ler a resenha toda animada, ai me deparei com sua nota e murchei logo cedo. São pouquíssimos, quase raros, os suspenses que me deixam curiosa, mas já vi que essa história não convence então nem vou perder meu tempo tentando procurar spoilers e afins.
    Beijo!

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi, Tami!
    Li a sinopse e fiquei empolgada, só pra desempolgar logo depois ao ver as duas estrelinhas! Hahahahaha! Tramas repetitivas, personagens chatos, explicações bobas... São coisas que também costumam me desagradar, então provavelmente minha opinião seria bem parecida com a sua.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  17. Oi
    pena que a leitura dele não foi boa para você, é bom ler resenhas com pontos diferentes, já que li uma resenha mais positiva, pena que os personagens para você também não funcionaram bem, parece que a história prometeu e não cumpriu.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tive essa impressão, mas vi pessoas que curtiram.

      Excluir
  18. Bom dia Tamires,

    Essa é a segunda resenha que eu leio desse livro e ambas não foram tão positivas assim, a sua menos ainda, mas mesmo assim gostaria de conferir....bjs.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Oi Tami, tudo bem?
    Li resenhas positivas sobre o livro e fiquei bem curiosa.
    Porém, lendo sua opinião, acho melhor ir com as expectativas mais controladas, pra não me decepcionar. Ainda quero ler, mas terei em mente que existem falhas.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas de repente o que são falhas para mim podem não ser para você! ;)

      Excluir
  20. Oi Tami, tudo bem?
    Que pena que a leitura não funcionou para você!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  21. Amei sua resenha Tami, sempre sincera e tão bem escritas. Uma pena esse livro ser repetitivo e confuso, ele tinha tudo para ser incrível! ❤

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  22. Oi Tami,

    Uma pena que o livro não funcionou né?
    Eu esperava bem mais do final que o autor revelou e quando tudo ficou esclarecido eu fiquei, " Tá, mas cadê o resto que a sinopse prometia?"
    Uma pena mesmo que a história tenha tido esse rumo.

    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir