24 de julho de 2019

Cinema | O Rei Leão


Título original: The Lion King

Lançamento: 18 de julho de 2019

Duração: 1h 58min

Direção: Jon Favreau

Gênero: Animação, Aventura, Drama

Elenco: Donald Glover, Chiwetel Ejiofor, John Oliver, James Earl Jones, John Kani, Alfre Woodard, JD McCrary, Shahadi Wright Joseph, Billy Eichner, Seth Rogen, entre outros.

Saiba mais: IMDb - Filmow
Sinopse: Simba é um jovem leão cujo destino é se tornar o rei da selva. Entretanto, uma armadilha elaborada por seu tio Scar faz com que Mufasa, o atual rei, morra ao tentar salvar o filhote. Consumido pela culpa, Simba deixa o reino rumo a um local distante, onde encontra amigos que o ensinam a mais uma vez ter prazer pela vida.


Eu tenho algumas lembranças muito nítidas da minha infância, lembro claramente de algumas situações marcantes como se elas tivessem acontecido ontem. Lembro de quando ganhei o Wally, meu primeiro cachorro. Lembro de quando fiquei internada pela primeira vez. Lembro de me esconder quando meu avô chegava aqui em casa para que ele pudesse me procurar. E, entre outras coisas, lembro da primeira vez que fui ao cinema, com apenas seis anos.

O filme em questão era O Rei Leão, que estava em cartaz em um cinema de rua aqui no meu bairro, que por sinal nem existe mais. Lembro do cinema estar lotado, de ter gente sentada até no corredor (antigamente os cinemas vendiam ingressos para quem não se importava em sentar no chão) e lembro de como foi mágico aquele momento.

Ganhei o VHS verdinho assim que ele foi lançado e assisti ao filme repetidamente. Quando minha sobrinha mais velha nasceu eu tinha apenas oito anos, e lembro de assistirmos ao filme inúmeras vezes quando ela já ficava paradinha prestando atenção.

Hoje em dia não considero O Rei Leão minha animação favorita da Disney, esta é O Corcunda de Notre Dame, mas é inegável que ele marcou a minha infância. E a criança que vive em mim, infelizmente, não gostou do que foi feito neste "live-action".

O hiper-realismo do filme, que é tão perfeito que faz a gente esquecer que não são animais de verdade, é o maior trunfo e o maior defeito de O Rei Leão. A ambição de fazer uma coisa tão impecável se sobrepôs ao que o filme tinha de mais bonito.

O que eu mais li desde que o filme estreou foi: o filme perdeu a mágica!


E sim, ele perdeu. Essa mágica em questão é a dramaticidade e a emoção. A animação dava a liberdade de coisas absurdas serem feitas, além de dar expressões aos animais. Imaginem assistir a um filme com atores que fazem sempre a mesma cara. Chato, né? A falta de complexidade cênica atrapalha e, juntando isso com a péssima direção de dublagem, o filme torna-se apenas... ok.

Por conta desta falta de expressividade, nenhuma cena atinge seu potencial máximo. Fica-se na expectativa de um clímax que nunca chega. Imagino que os responsáveis se depararam com a escolha de Sofia. Emoção sem hiper-realismo ou hiper-realismo sem emoção? Optaram pela segunda opção, e quem perde é esta geração que, como bem disse a Luiza na crítica dela, não será impactada por esta história. Prova disso foi a pergunta que fiz ao meu sobrinho assim que o filme terminou.

E aí, gostou?
... Aham.

Eu não vou deixar minha nostalgia encobrir os claros defeitos que o filme possui. Eu gostaria muito de vir aqui e vomitar arco-íris em cima da produção, mas meu senso crítico não permite.

Não vou falar sobre o enredo porque todo mundo já conhece, né? Houve algumas adições bem-vindas, não nego, como, por exemplo, uma motivação mais sombria para as atitudes de Scar. Neste filme fica claro que as atitudes dele para com Mufasa vão muito além da inveja. Nala também ganhou um destaque mais relevante, sendo a voz da resistência na pedra do reino. Outra coisa que me agradou foi o fato de o lar de Timão e Pumba ter ganhado mais habitantes, ficou muito mais divertido.

Agora, a dublagem... misericórdia. Que falta fazem Paulo Flores, Jorgeh Ramos e Garcia Junior! Os dois primeiros, infelizmente, já faleceram, mas o último está bem vivo! Não entendo qual foi a necessidade de escalar Ícaro Silva, que é engolido em todos os momentos, seja cantando ou apenas dialogando. O Mufasa de Saulo Javan é apático, já o Scar de Rodrigo Miallaret não possui o deboche característico do personagem. Agora, de quem foi a brilhante ideia de chamar a IZA? Adoro a cantora, ela é uma fofa super talentosa, mas dublando simplesmente não dá. Ela não tem timing e o sotaque dela chama muito a atenção!!! Nessa farofa toda salvam-se apenas as crianças João Vitor Mafra e Carol Roberto, que dublam Simba e Nala quando filhotes, e Glauco Marques e Ivan Parente, Pumbaa e Timão respectivamente.

As músicas icônicas permanecem. O curioso é que fiquei toda arrepiada quando as escutei no Spotify assim que foram liberadas, mas no filme não foi a mesma coisa. Em O Que Eu Quero Mais é Ser Rei, a falta da psicodelia, do balé dos animais, faz muita falta. Já em Nesta Noite o Amor Chegou, o que faz falta são as interações e brincadeiras entre Simba e Nala. E a Hula? Cadê a Hula? Não tem! Aliás, Timão, cuja característica era o exagero dos movimentos das mãos e braços, está engessado. Um suricato qualquer sem nenhum diferencial. O destaque positivo fica por conta de Ciclo Sem Fim e para a nova roupagem de Hakuta Matata, que não perderam tanto em termos cênicos.



O Rei Leão está visualmente deslumbrante. Desde o vento que movimenta o pelo dos animais ao balançar das orelhas para espantar algum inseto. Mas se fosse isso o mais importante bastava ligar no Animal Planet... só não ia ter musiquinha! ¯\_(ツ)_/¯


16 comentários

  1. Oi Tami, tudo bem?
    Que pena que o filme não funcionou pra você.
    Pra mim o de 94 segue sendo melhor, mas esse ficou muito bom na minha opinião. Apesar de menos expressivo, devido ao hiper-realismo, acho que a trilha sonora e a história em si seguem emocionantes.
    Em relação à dublagem, vi no idioma original e gostei. Os pontos fracos foram Simba e Nala mas, de resto, achei as performances muito boas.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  2. Oi Tami, td bem?
    A fita VHS verde eu tinha! ❤ Repetia esse filme direto, o Rei Leão 2 tbm! São minhas animações favoritas da infância!
    Sinceramente, eu acho q nem o filme de 94 tenha o msm impacto para a geração de hj, sabe?
    Eu ainda não assisti o live action, farei isso, mas lá no fundinho do meu coração tenho noção de que essa nova experiência pode não ser tudo isso XD
    Bjs
    A Colecionadora de Histórias - Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh eu acho que teria sim. Quantas animações de hoje em dia conquistam as crianças? Veja aquela chatice de Frozen, por exemplo! Hahahah

      Excluir
  3. Oi, Tami!
    Por ser essa coisa de live-action, eu sabia que não teria toda aquela coreografia da fia, infelizmente.
    Como já te falei, apesar da dublagem da Iza, eu curti até
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Oi, Tamires!
    Ainda não tive oportunidade de assistir o filme.
    Uma pena que você não tenha gostado tanto assim.

    Beijos
    Construindo Estante

    ResponderExcluir
  5. Oi Tami,
    Como comentei em outro blog, não fui criada em um ambiente Disney, então acho meio engraçado os surtos e brigas. Muitos clássicos da Disney eu ainda nem vi, então são como qualquer outro filme pra mim.
    E falando na própria Disney, ficou tão real o visual que tá parecendo um documentário que eles fizeram sobre os felinos da África, tempo atrás.
    E falando da dublagem, uma coisa: do pouco que eles liberaram da Bey eu não curti, pq parece q ela tá seduzindo o Simba kkkkk.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também vi alguns vídeos da dublagem da Beyoncé e não gostei. Nem da dela nem da do Donald.

      Excluir
  6. É uma pena a experiência não ter sido boa para você :(
    Eu assisti semana passada e senti vontade de chorar do início ao fim. Por mais que tenha faltado alguns fatores que só são possíveis na animação, a trilha sonora, a história em si foram incríveis. Mas live-action é isso, é realidade, acredito que o filme realiza o desejo das pessoas que já imaginaram o rei leão na vida real.

    Beijo
    http://www.leiapop.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá, Tamires.
    Eu fico empolgada quando anunciam live-action dos filmes que assistimos tanto. Mas nunca vou assistir hehe. E esse ainda estou pensando. Minhas amigas assistiram e todas reclamaram do Ícaro. É uma pena porque como você disse, as crianças de hoje não terão a mesma experiência.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  8. OI Tami
    Eu tô repensando se vou assistir ou não, porque a questão da dublagem me preocupa muito. Sou muito apegada ao original e me incomodei quando não contrataram dubladores profissionais para fazer isso, e sim cantores ou atores. Acho que erraram feio e olha que eu nem vi o filme ainda haha
    Beijo!
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Tami! Eu gostei da Iza e do trabalho dos dubladores de fato, mas a voz do Ícaro pra mim foi a pior... e realmente o filme carece de emoção. Não tá ruim, mas longe de superar o primeiro.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  10. eu tbm fui ver o filme e apesar de ter seus defeitos sim (detestei a representação tão decrépita do Scar que é um dos meus viloes favoritos) gostei bastante do filme

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir