22 de julho de 2019

Resenha | Além do Oceano - Keira Andrews


Autora: Keira Andrews

Tradutora: A.J. Ventura

Número de páginas: 347

Ano: 2019

Editora: Cherish Books

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Dois caras héteros. Uma ilha deserta.

Mesmo que isso signifique deixar sua boy band no meio da turnê, Troy Tanner não vai assistir seu irmãozinho acabar com seu futuro depois que o vício destruiu seu pai. Em um jato particular que o levaria da Austrália para casa, ele e o piloto Brian Sinclair voam acima do vasto Pacífico Sul. Brian perdeu sua paixão por voar e alegria de viver após um acidente traumático, mas agora ele e Troy devem lutar para sobreviver quando um ciclone ataca sem aviso prévio.

Isolada a mil milhas da civilização, a água azul-turquesa e a praia de areia branca parecem paraíso. Mas apesar de poderem pescar e fazer fogo, a menor infecção ou bactéria pode ser fatal. Quando os dias se transformam em semanas sem nenhum sinal de resgate, Troy e Brian se aproximam e a amizade se transforma em desejo.

À medida que aprendem que a sexualidade é mais do que ser hetero ou gay e descobrem seu verdadeiro eu, o mundo que construíram juntos é jogado no caos. Se Troy e Brian saírem da ilha, o amor deles pode durar?

Este romance LGBT de Keira Andrews apresenta bissexualidade, encontrando amor onde você menos espera.


— ... Por que rótulos devem ser importantes? A única coisa que importa somos nós.

Troy Tanner está sob os holofotes desde sempre. Tyson, seu irmão mais novo, e Troy, foram criados por um pai que não descansou até fazer dos filhos um sucesso. Tudo começou com um programa de TV que foi super bem-sucedido. Logo depois, surgiu o que se tornaria uma das maiores boy bands do mundo, a Next Up. Os anos passam, e o pai de Troy e Tyson sofre uma overdose, mas não antes de ver os filhos se tornarem fenômenos mundiais. 

Infelizmente, Tyson começa a seguir os passos do pai dependente químico. No início eram apenas alguns baseados, coisa que Troy ainda tentava relevar, mas quando Tyson começa a usar drogas pesadas como cocaína e heroína, a coisa muda de figura. Primeiro Troy dá um aviso, fala que vai deixar a banda caso Tyson não pare de cheirar e de injetar, mas sua ameaça não surte nenhum efeito. Sendo assim, Troy não enxerga outra saída se não a de cumprir sua promessa. Deste modo, ele abandona a Next Up, que estava em turnê pela Austrália, e freta um jato particular para levá-lo de volta aos Estados Unidos.

Com uma respiração profunda, Troy virou-se para o elevador particular e apertou o botão de chamada. Ele poderia fazer isso. Ele tinha que fazer isso. Ele falhou com seu pai por não tomar uma posição, e ele, com certeza, não cometeria esse erro novamente.

O voo comandado por Paula Mercado, uma piloto muito competente, segue tranquilamente... até que uma tempestade muda os rumos da história. O avião perde altitude e nada do que Paula, ou o copiloto Brian Sinclair, façam parece surtir efeito. Com uma última manobra heroica que salva as vidas de Troy e Brian, mas não a sua, Paula consegue pousar o avião em uma ilha isolada no meio do Pacífico Sul.

As primeiras horas de Troy e Brian na ilha são muito conturbadas, pois ambos estão muito desorientados. Porém, Brian vai percebendo a gravidade da situação quando lembra que a tempestade levou o avião para longe da cobertura do radar. Um resgate não é impossível, mas é improvável.

Brian e Troy organizam os suprimentos que possuem e passam a tentar melhorar sua estadia na ilha. Como chove quase todas as noites, um abrigo é fundamental, então eles o constroem. Eles fazem algumas expedições em busca de alimentos e começam a pescar. Além disso, precisam evitar acidentes a todo custo, já que o estoque de medicamentos é super limitado e uma infecção pode significar a morte. Dia após dia, eles seguem uma rotina repetitiva enquanto esperam o resgate que nunca acontece.

Com a convivência, Troy e Brian se tornam grandes amigos. Quanto mais o tempo passa, mais confortáveis eles ficam, como se estivessem se conformando de que viveriam ali para sempre. Troy ainda se preocupa com Tyson, mas não há nada que ele possa fazer pelo irmão estando isolado daquela maneira. Com o passar das semanas, a amizade e o companheirismo se tornam algo mais. Tudo começa de uma maneira muito sutil. Uma mão que permanece no braço mais tempo do que o necessário, um elogio inesperado, um olhar mais apreciativo...

Tudo é muito confuso tanto para um quanto para outro, que sempre tiveram relacionamentos heterossexuais. Quando a atração se torna impossível de ser controlada, ambos se entregam de corpo e alma no que seria o relacionamento mais profundo de suas vidas. Porém, o que eles farão caso sejam resgatados? Como lidar com aquele sentimento desconhecido, mas tão bom? Será que o amor que sentem sobreviveria além do oceano?

— Quando caímos, comecei a viver novamente. Antes disso, eu era um sonâmbulo. Você me acordou, Troy. E eu não quero voltar a dormir.


••••••••••

Finalmente tive minha primeira experiência com a literatura LGBTQ+. Já li diversos livros que possuíam personagens LGBTQ+ como coadjuvantes, mas nunca havia lido uma história cujo o foco fosse um romance entre pessoas do mesmo sexo. Vontade nunca me faltou, mas eu sempre deixava para depois e esse depois nunca chegava. Vi a oportunidade perfeita para finalmente ler um livro do gênero assim que a editora parceira Cherish Books anunciou a publicação de Além do Oceano, e lhes digo que minha primeira experiência não poderia ter sido mais proveitosa.

Além do Oceano trata o romance entre Troy e Brian de uma maneira muito natural. Seja qual for o gênero e a orientação sexual das partes envolvidas, é chato quando tudo acontece muito rapidamente. Como boa parte do livro é ambientada em uma ilha isolada do meio do oceano, fiquei receosa de tudo ser desenvolvido rápido demais, mas não; Keira desenvolve os sentimentos dos protagonistas de uma maneira gradativa cujo ritmo é muito agradável.

Troy e Brian são inicialmente héteros (ou ao menos era o que eles pensavam 😅), por isso era importante fazer com que o leitor acreditasse no sentimento que estava florescendo. Era importante fazer a gente acreditar que eles se apaixonaram de verdade, que não foi apenas algo causado pelo tédio e pelo isolamento. Esse questionamento, inclusive, é feito pelos próprios personagens e eu achei muito pertinente.

Os protagonistas são ótimos isoladamente e como uma dupla. Pelo fato de fazer parte de uma boy band, espera-se que Troy seja um mauricinho deslumbrado, inclusive é o que Brian pensa dele antes de conhecê-lo melhor. Todavia, Troy não poderia ser mais responsável e cuidadoso para com os seus. Ele se preocupa com Tyson de uma maneira super paternal, ganhando em troca apenas ingratidão. Seu ultimato nada mais é do que sua última tentativa de salvar Tyson do mesmo triste fim que teve o pai deles.

Brian é uma pessoa super fechada inicialmente. Ele se mudou para Sydney após um acontecimento traumático e desde então nunca mais foi a mesma pessoa. Ele já se isolava antes mesmo do destino bani-lo para uma ilha no meio do Pacífico Sul. Brian, aos trinta e nove anos, é treze anos mais velho que Troy, que tem vinte e seis. Achei bacana a autora colocar essa diferença de idade, mostrando que nunca é tarde para a gente se autoconhecer.

E os dois juntos são fofíssimos! Como eu disse anteriormente, tudo acontece de uma maneira muito natural, tão natural que houve momentos em que eu quis que as coisas acontecessem logo! 😂 É muito bonita a forma como os dois se admiram, pois sim, há uma admiração mútua que nasce após ambos dividirem seus medos, sonhos, tristezas e alegrias. E é desta admiração que começa a nascer um sentimento novo, puro e assustador. Assustador pelo fato deles nunca terem cogitado um relacionamento homoafetivo. Assustador por não saberem se tudo o que estavam sentindo era real ou apenas uma consequência do isolamento. Assustador por eles não saberem como iriam lidar com tudo aquilo quando (ou se) fossem resgatados.

Os personagens secundários são bem coadjuvantes e não possuem muita relevâncias dentro da narrativa, o que para mim, neste caso especificamente, não foi um problema. Tenho apenas duas ressalvas que me impediram de dar nota máxima ao livro. Há toda uma questão em torno da bissexualidade. Até mesmo entre os LGBTQ+, há quem sempre deixe de lado e hostilize este grupo em questão. A autora, no quesito diálogo, não explorou muito a questão da orientação dos personagens e perdeu a oportunidade de prestar um serviço social bacana, já que tudo o que temos são homens que costumavam se relacionar com mulheres e que se veem, de repente, apaixonados um pelo outro. Não houve um aprofundamento e eu senti falta disso.

A segunda questão diz respeito a parte sexual da história. Conforme Troy e Brian vão ficando mais à vontade um com o outro, vão se permitindo mais. E as relações sexuais que começam super românticas, infelizmente, baixam de nível. Eu prezo sempre pelo bom gosto quando o assunto é descrição de cena de sexo, e no finalzinho achei que a autora foi perdendo o bom tom.

Além do Oceano possui uma capa muito bonita, a única coisa que me incomoda é que a mão de um dos modelos desapareceu. 😅 A edição digital está bem formatada e ainda há ilustrações no início e ao final de cada capítulo. A história é narrada em terceira pessoa e a escrita da autora é ótima, com certeza lerei outro livro dela quando tiver a oportunidade. Adorei a descrição das situações que ocorreram na ilha e consegui visualizar muito bem todos os cenários.

Além do Oceano me conquistou e com certeza recomendo a leitura. Espero que vocês se interessem e que deem uma chance para a história de amor de Troy e Brian.


23 comentários

  1. bacana conhecer esse livro, acho interessante que os romances abordem mais temas LGBT como esse

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. me parece um bom livro mas, confesso que não faz muito o meu estilo de leitura, fiquei feliz em saber que você gostou.
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Tamires!
    Ainda não conhecia o livro, mas como adoro romances me parece uma boa oportunidade para ler algo dessa temática.

    Beijos
    Eliana
    https://construindoestante.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Nunca li um livro LGBT, mas esse parece ser bem bacana. Que bom que ele te surpreendeu!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, Tamires.
    Você tem toque para detalhes nas capas né? hehe. Eu nem tinha reparado na mão antes de você falar. A primeira coisa que pensei foi que essa aproximação poderia ser por eles estarem isolados, ainda bem que essa parte fica bem explicado. Mas não sei se é um livro que eu leria. Diferente de você já li alguns livros com protagonistas LGBTQ+ e infelizmente não me dei bem com nenhum deles.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Oi, Tami!
    A história está bem boa mesmo... e esses coadjuvantes na verdade são participações especias hahahaha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha verdade! Os papagaios são mais relevantes do que eles! Hahahah

      Excluir
  7. Oi
    parece ser uma história interessante, os personagens LGBTQ+ de livro que eu li eram só secundários também, parece ser uma história legal, ainda mais por desenvolver o romance deles aos poucos.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Tami, devido a minha pilha de livros não lerei no momento e tb não curto tanto romances em terceira pessoa, mas gostei da premissa!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é meu estilo preferido de narrativa, mas não é um fator determinante para fazer ou não uma leitw.

      Excluir
  9. É legal quando o romance se desenvolve assim de forma tão natural, a história se torna crível para o leitor. Uma pena que as cenas íntimas perderam o bom tom no final, pois eu tbm gosto quando tais cenas são descritas de forma romântica e leve.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ☆ Tá rolando a SALE DE INVERNO da AMARO e seria ótimo se você clicasse em um dos links azuis desse texto para conhecer a loja parceira do blog>> Achadinhos de Inverno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena mesmo, mas não chegou a estragar a experiência.

      Excluir
  10. Primeira vez que vejo resenha sobre esse livro. Parece ser uma história linda e que envolve o leitor no romance. Adorei sua indicação!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Tami!
    Quem tira foto perfeita é ela <3 Ficou lindona demais!
    Eu gostei muito da premissa do livro, mas como comentei no insta, esse ano li bem poucos com essa temática. Por não me identificar muito com os dilemas dos protagonistas, acabo levando um pouco mais de tempo, além de que, romance nunca foi minha praia em si KKK.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir