16 de setembro de 2019

Resenha | Lelicot: O Deserto de Cinzas - Thuany Barbosa


Autora: Thuany Barbosa

Série: Lelicot #1

Número de páginas: 417

Ano: 2019

Publicação independente

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: A resistência vem de onde menos se espera.

Todos se lembram quando a família de Crica foi assassinada pelo rei. Alguns dizem ainda ouvir os gritos, mas não ousam tocar no assunto. Tudo foi esquecido e a garota foi enviada para cumprir pena nas minas, onde possivelmente morreu. Ninguém se atreveu a proteger qualquer um deles.

Mas Gavião Cinza, seu amigo de infância, um menino mendigo, jamais a esqueceu. Ele cresceu e se tornou membro da resistência ao rei, a Ordem Secreta dos Murmuradores. A corrida para impedir que a Ordem seja revelada vai forçar Gavião a reviver seu passado mais doloroso. Ele vai buscar a verdade sobre a morte da amiga. Afinal, alguns dizem que ela está viva.

A verdade demanda coragem e a luta até o fim.

Será que ele será capaz de lutar por tudo o que acredita para salvar aqueles que ama?


— Às vezes podemos simplesmente derrotar o medo, vencê-lo extirpando o que nos faz mal. E às vezes, precisamos aprender a conviver com ele.

Após ser suspeito de atentar contra a vida Klauss, o príncipe de Cicári, Gavião Cinza deixou seu nome para trás, transformou-se em um mendigo e passou a se esconder inclusive daqueles que mais amava. Membro da Ordem Secreta dos Murmuradores, Gavião Cinza estava infiltrado no palácio e poucos eram aqueles que sabiam de suas motivações. O atentado só poderia ter sido causado por um dos seus, mas se não fugisse, ele seria morto antes de conseguir encontrar o culpado.

A função da Ordem era a manutenção da veracidade dos fatos, não deixando que as origens daquele novo mundo fossem esquecidas. As histórias do antigo território eram protegidas e os livros, documentos, e tudo que contasse a antiga história, eram mantidos em absoluto sigilo. Porém, quando o roubo de um livro ameaça colocar a existência da Ordem em risco, Gavião Cinza precisa entrar em ação novamente.

Gavião Cinza nunca se recuperou completamente da perda de Crica, sua amiga de infância que foi capturada e levada para as minas, onde possivelmente veio a falecer. Ávido por respostas, ele começa a investigar os podres de dentro para fora da Ordem com a ajuda de Pipo, seu padrinho que também é um Murmurador.

Conforme vai descobrindo a corrupção dentro da Ordem, Gavião precisa lidar com o surgimento de Nathália, uma Beija-flor de Farimo que quer levá-lo para seu reino a fim de que ele a ajude a destituir do poder uma rainha tirana. No processo, ele descobre coisas que nunca poderia imaginar.

— Somos apenas sobreviventes em Cicári, e sabemos que desconfiança, inteligência e até medo garantem o que comer, mas caráter? Isso não tem a ver com a sobrevivência, Pipo.

••••••••••

Lelicot: O Deserto de Cinzas é o livro de estreia da autora nacional Thuany Barbosa. Uma fantasia interessante e criativa que conseguiu me deixar curiosa apesar da linha temporal, às vezes, prejudicar a compreensão dos acontecimentos. Ao conversar com a autora sobre a leitura, descobri que ela não teve betagem, o que fez com que eu compreendesse mais as lacunas da história.

Este primeiro volume da trilogia Lelicot é bem introdutório, mas seus acontecimentos muitas vezes minuciosos são essenciais para a evolução da narrativa. O que me convenceu a fechar a parceria com a Thuany foi o fato dela ser fã de Erika Johansen, autora de uma das minhas trilogias fantásticas favoritas: A Rainha de Tearling. Durante a leitura, pude constatar que realmente ela bebeu dessa fonte e temos um teor maniqueísta interessante.

Essa divisão de opostos existe muito mais em relação aos reinos, mas os personagens não são completamente bons ou completamente ruins. Essa dualidade sempre rende boas histórias, pois considero uma característica muito mais próxima da realidade do ser humano.

Gavião Cinza não é um protagonista simpático, admito. Algumas vezes seu ego o torna um tanto quanto intragável, mas sua personalidade, sua busca por respostas e sua sede por justiça rendem bons momentos. Os pormenores de sua origem ainda estão um pouco nublados para mim, mas acredito que Thuany vai esmiuçar melhor a relação do personagem com suas origens nos próximos volumes.

Há muitos personagens secundários, uns mais interessantes e outros nem tanto. Aqui destaco Nathália, uma Beija-Flor de Farimo, que vem a ser uma espécie de amazona. Super estratégica e inteligente, ela e Gavião Cinza têm embates interessantes, e como os dois possuem personalidades fortes bem parecidas, há todo aquele hate-to-love que a gente adora. Outro que merece ser mencionado é Pipo, padrinho e única figura paterna na vida de Gavião Cinza. O afeto entre eles não é descrito, mas é facilmente observável.

O teor político-social da história é interessante, mas senti falta de algumas explicações. A trama é majoritariamente ambientada em Cicári, que, pelo que eu compreendi, faz parte de um conglomerado de reinos que surgiram após uma Revolta Comunista. É mencionada também a tomada da Amazônia pelos Estados Unidos, o que nos leva a crer que a trama é ambientada no que antes era a América do Sul, até mesmo porque o Chile é citado. A ausência de respostas é justificada pelo fato das histórias do antigo território serem protegidas pelos Murmuradores, porém, me senti meio perdida no meio de tanta suposição. A própria Ordem dos Murmuradores também não tem muito destaque, mas são as traições e manipulações de seus membros que ajudam a dar ritmo à história.

Lelicot: O Deserto de Cinzas é narrado em primeira pessoa pelo protagonista. Eu li a ARC disponibilizada pela autora, então não posso me ater aos erros de revisão encontrados. A escrita da Thuany é criativa e só não foi mais fluida por conta da falta de betagem, tenho certeza. A capa é super bonita! Eu adoro essa ilustração, pois ela possui a atmosfera da história.

O livro termina deixando muita coisa no ar e dá para perceber que teremos muitas respostas pela frente. É uma história que com certeza deu muito trabalho para ser escrita e que com uns ajustes aqui e ali vai ficar ainda melhor. Thuany já está trabalhado na sequência e agora é aguardar para ver como Gavião Cinza vai lidar com o encontro daquilo que tanto buscava.


24 comentários

  1. Oi Tami, me pareceu uma boa fantasia, com certa complexidade, inclusive. No momento a pilha de livros não me permite ler, mas parece bom!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tami!

    Ainda não conhecia a obra nem a autora, mas achei essa capa magnífica, e a premissa bem interessante também! Só pela quantidade de páginas dá pra ver que a autora se dedicou bastante e que aproveitou bastante de sua criatividade. Fiquei curiosa!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oii!
    Não conhecia a autora, mas parece uma história envolvente. Faz muito tempo que não me dedico a ler fantasia, mas são histórias que nos cativam e instigam a criatividade.

    Gostei bastante da resenha!

    Beijos
    www.ventodoleste.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Tami! Vou esperar sair os demais volumes para saber se a história evoluiu bem, então decido se vou conferir. Pelo visto a história tem um bom potencial. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  5. Oi!

    Eu li o livro e gostei muito, adoro fantasia. Acredito que quem leu O Nome do Vento ou o Trono de Vidro deva se interessas e gostar também.

    Achei a leitura bem fácil e rápida (mesmo com 400 páginas hehe), as doses de ação e romance achei na medida também, recomendo!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Tami! Tudo bom?
    Eita que 400 páginas é um monstrão! Faz tempo que não pego uma fantasia grande assim pra ler, tô bem enferrujada (se o livro tem mais de 300 páginas minha preguiça tem falado mais alto UHASUHUHASUHASUHAS).
    Mas que legal a estreia da autora, espero que ela faça muito sucesso com a obra! E espero também poder ler algum dia.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Tami,
    Que pena que o livro pecou um pouco na questão temporal e explicações. Eu li um livro de fantasia nacional com temática politico-social e senti o mesmo "problema", acho que, em partes é a betagem, que poderia deixar a história mais redonda.
    Não obstante isso, eu fiquei intrigada para fazer essa leitura, vou dar uma olhada na Amazon para comprar e, quem sabe, ler :)
    Beijos,
    https://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi Tami!
    Eu gostei da premissa do livro. Me lembrou muito Uma Chama Entre as Cinzas mas confesso que fico com ressalvas quanto aos pontos negativos que voce falou. Acho que teria problema com esse protagonista.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Concordo plenamente com vc, essa dualidade entre personagens que não são totalmente bons e nem totalmente ruins deixa a história muito perto da realidade, não é algo clichê, o que me faz criar curiosidade pelo livro.
    Talvez essa ausência de respostas e tantas suposições sejam todas resolvidas nos próximos livros. Também não gosto de ficar com dúvidas, mas como esse livro faz parte de uma trilogia, não dá pra fugir disso né?!
    Amei a resenha.
    Beijo,Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  10. Oi Tami!
    A capa é bem bonita mesmo!
    Tô evitando começar trilogias/séries, maa super leria! Tô querendo mesmo entrar mais nos universos fantásticos!
    Tomara q a autora consiga boas leitoras betas p/ os próximos volumes, é um processo que ajuda muito o autor!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Tami.
    Gostei bastante da proposta do enredo e acredito que gostaria da leitura também apesar das falhas iniciais. Algo que tenho certeza que deve ser melhorado nos próximos volumes.
    Fiquei interessada, ainda mais pelo protagonista. Ando mais entusiasmada com protagonista antipáticos do que com mocinhos legais.
    Adorei a resenha.
    Beijos.
    Blog: Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  12. Oi, Tami!
    Realmente uma falta de revisão complica a história, mas que bom que não influenciou tanto. Porém esse Gavião Cinza, sei não...
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. Participe!

    ResponderExcluir
  13. Amei sua resenha, Tami. Confesso que até gostei da premissa do livro, mas depois fiquei meio confusa com a história. Não gosto quando precisamos ler a sequência para entender o que aconteceu.

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  14. Fico bem incomodada com histórias que deixam pontas soltas,mas sossego em saber que há continuação haha

    Beijo
    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  15. Oi, Tami!
    A premissa é realmente instigante, seria algo que eu leria facilmente. Apesar das ressalvas, a trilogia parece ter um bom potencial.

    Beijos
    Construindo Estante || Instagram

    ResponderExcluir
  16. Olá, Tamires.
    Não sei se leria esse livro. A história não me interessou tanto assim. Achei bem confusa na verdade. Mas vou esperar pelo segundo livro e vou ver se me aventuro.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  17. Oiii Tami

    O problema de séries e trilogias é justamente o primeiro volume que é sempre bem introdutório, às vezes isso é um pouco frustrante, mas sabe que eu gostei bastante da premissa desse livro? Vou adicionar ele na minha listinha pra ler assim que puder, é um estilo de estória que eu gosto.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  18. Oii, como vai?
    Quando comecei a ler a resenha, imaginei que o livro já fosse uma sequencia mas ver que é o primeiro me deixou surpresa. A história parece bem interessante, adoro fantasia e saber que os personagens não são divididos perfeitamente entre mocinhos e vilões me fez ficar ainda mais interessada na leitura. Tomara que nos próximos volumes ela consiga betagem para ajudá-la na fluidez do romance porque a história parece muito boa.

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Gostei muito da resenha. Gêneros desse tipo são meus favoritos, mas ultimamente tenho livro coisas mais leves. Vou pesquisar mais sobre e ver se leio qualquer dia.
    Adorei a resenha
    Bjs
    L de Saturno

    ResponderExcluir
  20. Oi Tami,
    Eu gostei da proposta e da possibilidade de crescimento.
    Não conhecia a obra, nem a autora. Desejo muita sorte para ela nessa fase de construção da série!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. Hey Tami! Tudo bem?
    Adorei a ideia do livro. Ultimamente a escrita nacional vem ganhando bastante espaço com os meios de divulgação. Recentemente li um livro bem parecido com esse, da série Argentum, que tinha os mesmos prós e contras kkkk
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!

    | Blog Misto Quente | Siga no Instagram | Curta no Facebook |

    ResponderExcluir
  22. Oi, Tami!
    Uma pena que ficaram lacunas pela falta de betagem, mas parece ser uma trama bem interessante. Pra ser sincera, eu não sei se leria no momento, mas quem sabe mais pra frente, né?
    Mas vamos falar a verdade: que capa, hein?! Menina, amei demais!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  23. Oi Tami,

    Confesso que achei a história um pouquinho confusa, mas tem uma trama até legal.
    Não conhecia a autora, mas desejo muito sucesso para ela e espero futuramente a resenha do segundo para ver se eu leria a obra, pois fiquei meio receosa.


    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  24. Oi
    não conhecia, que bom que curtiu a leitura e parece até ser interessante, espero que a autora consiga desenvolver bem os proximos volumes.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir