23 de dezembro de 2019

Resenha | Uma Herdeira Apaixonada - Lisa Kleypas

Sim, eu sumi! Faz quase um mês desde a minha última postagem, mas eu precisava desse tempo. Não quis dar nenhuma satisfação por aqui porque eu sabia que seria algo breve e eu realmente quis me desligar um pouco do blog. Por quê? Porque sim!

Passei os primeiros quinze dias de dezembro doente e um pensamento recorrente no início da enfermidade era: tenho que postar no blog! Eu estava cheia de dores, de cama, mas estava preocupada em produzir conteúdo por aqui. Eu estava frustrada por estar fraca e sem disposição para sentar e escrever... até que me deu um estalo.

Eu jamais quero que isso se torne uma obrigação, que se torne algo que eu tenho que fazer ao invés de algo que eu quero fazer, compreendem? Sendo assim, preferi dar um tempo até essa sensação de obrigação passar. E ela passou!

A última coisa que eu quero é que esse cantinho que tanto amo se torne um peso para mim. E eu sei de algumas pessoas que estão passando por um momento parecido. Não tenham receio! Se vocês acharem que precisam de um tempo, tirem esse tempo. Não se preocupem se as visitas vão cair, se vão perder o timing das resenhas... façam isso por prazer, o resto a gente recupera! 💜

Autora: Lisa Kleypas

Tradutora: Ana Rodrigues

Série: Os Ravenels #5

Número de páginas: 272

Ano: 2019

Editora: Arqueiro

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Viúva ainda jovem, Phoebe já viveu um grande amor e não cultiva mais ilusões românticas. Agora, ela precisa ser prática – e cuidar dos dois filhos pequenos e da propriedade da família. Mas quando vai passar alguns dias no Priorado Eversby, a bela dama se surpreende ao conhecer um cavalheiro incrivelmente charmoso.

Seu encanto se desfaz no momento em que ele se apresenta como ninguém menos que West Ravenel: o homem que tornou a vida de seu falecido marido um tormento. E ela jurou nunca perdoá-lo por isso.

West sabe que é um homem com um passado manchado e que não está à altura de uma mulher como Phoebe, mas, ao conhecê-la, é consumido por um desejo irresistível e um sentimento inteiramente novo. Sem terras nem fortuna, tudo que ele pode lhe oferecer é prazer. O que West não imagina é que, apesar da aparente ingenuidade, Phoebe está decidida a tomar as rédeas da própria vida. Será que essa paixão esmagadora será suficiente para superar os obstáculos do passado?


Não foi apenas desejo físico - embora o desejo fosse uma parte considerável da sensação. Em poucos dias havia se formado um vínculo entre eles. Um vínculo doloroso e inconveniente, que ela torcia para que não se prolongasse. 

Phoebe Challon e Henry Clare eram melhores amigos de infância, e foi através do amigo que Phoebe conheceu a má fama de Weston Ravenel. Quando Henry foi enviado para o colégio interno, ele contava, em suas correspondências, os maus bocados que Weston o fazia passar. Portador de uma saúde extremamente frágil, Henry logo foi retirado do colégio interno, mas nem ele e nem Phoebe, que anos depois de tornaria lady Clare, sua esposa, esqueceram as maldades do odioso Ravenel.

Henry não viveu muito, faleceu um pouco antes do nascimento de Stephen, seu segundo filho, deixando Phoebe viúva e Justin, seu primogênito, como herdeiro do viscondado com apenas quatro anos de idade.

Phoebe passa o período de luto na casa dos pais Sebastian e Evie, o duque e a duquesa de Kingston, porém, com o fim do período de recolhimento, ela precisa voltar para Essex. Nada foi oficializado, mas ela sabe que Edward Larson, primo de seu falecido marido, vai pedir sua mão em casamento assim que ela colocar os pés na Mansão Clare. Todavia, antes de Phoebe precisar encarar sua nova vida, ela precisa comparecer ao Priorado Eversby, onde vai acontecer o casamento de seu irmão Gabriel com Pandora... Ravenel!

Phoebe conheceu alguns Ravenels anteriormente, quando eles foram passar algum tempo na propriedade de seus pais. Weston não estava presente, porém, dessa vez, um encontro entre eles será inevitável. Lady Clare só não esperava que Weston Ravenel, arqui-inimigo de seu falecido marido, fosse se mostrar uma pessoa tão diferente daquela que Henry costumava descrever.

Phoebe ouvia com atenção, percebendo que Ravenel não apenas respeitava os arrendatários da propriedade como gostava deles sinceramente. Era uma pessoa muito diferente do que ela havia esperado. Não importava o que já tivesse sido um dia: o menino cruel e infeliz parecia ter adquirido a capacidade de empatia e compreensão. Não era um bruto. Não era um homem mau, de forma alguma.
Henry, pensou ela com tristeza, nosso inimigo está se mostrando terrivelmente difícil de odiar.

Com o passar dos dias, os sentimentos de Phoebe por Weston ficam cada vez mais confusos. Ela adora a forma que ele trata Justin e Stephen e se sente útil quando ele tenta lhe convencer a ficar à frente das funções da Mansão Clare enquanto Justin não pode fazê-lo. Ele alega que a maneira arcaica com a qual Larson cuida da propriedade vai fazê-la perecer a cada dia mais. Phoebe é cética quanto aos avanços da tecnologia, porém, quanto mais observa West trabalhando, mais aberta sua mente se torna.

Sem conseguir mais resistir à tentação, os dois se entregam a este novo e poderoso sentimento. West, entretanto, acha que não está à altura de Phoebe por conta de seu passado, o que faz com que ela a afaste repentinamente após um tórrimo momento de paixão. O dia do adeus finalmente chega e é encarado com pesar por Phoebe. A jovem viúva se vê dividida entre a indignação de se sentir usada e a tristeza de deixar West para trás. 

Quando chega em Essex, Phoebe descobre um novo propósito e se ocupa com o que pode para não pensar em West. Este, por sua vez, precisa se perdoar e deixar a pessoa que era para trás se quiser ficar com sua amada. Haverá um futuro para esses dois?

— Você é tudo em que eu penso. Tudo que eu vejo. Você é o centro de uma estrela, e a força da gravidade que me atrai cada vez mais, e não me importo nem um pouco se vou acabar incinerado.

••••••••••

Desde os primeiros livros, mesmo com as esparsas participações, Weston Ravenel era um dos meus personagens preferidos. Quando comecei a ler a série, seu livro sequer havia sido confirmado. O que mais tarde, felizmente, aconteceu. Com protagonistas bem desenvolvidos e apaixonantes, Uma Herdeira Apaixonada, quinto volume da série Os Ravenels, é uma delícia do início ao fim.

Confesso que no início me preocupei um pouco com o ponto de partida da narrativa. Tive receio de Lisa levar longe demais essa animosidade terceirizada que Phoebe sentia por West, mas a autora soube dosar bem até que momento isso seria aceitável. As interações entre os personagens são ótimas, repletas de tensão sexual do início ao fim. E o mais legal desta relação é o fato de West querer ajudar Phoebe a se tornar uma mulher independente, dona da própria vida e responsável pela própria fortuna.

A série Os Ravenels é ambientada em uma época em que a industrialização começava a dar as caras na Inglaterra. Muitos aristocratas e arrendatários relutaram em aceitar a modernização iminente de todos os meios de produção. Como consequência, muitos lordes começaram a quebrar e muitos arrendatários viram sua forma de subsistência ser engolida.

West, que era um libertino inveterado, provou que o trabalho dignifica o homem. Desde que Devon, seu irmão, se tornou o conde de Trenear, West passou a desempenhar o papel de administrador das propriedades mesmo sem saber nada sobre o assunto. Mas o que lhe faltava em experiência lhe sobrava em curiosidade e vontade. Visionário, ele desde o início compreende o que precisa fazer para o Priorado Eversby prosperar. Ao conseguir reerguer o condado, West ganha o respeito de muitos, inclusive o de Sebastian, pai de Phoebe, que vê em West muito de si. Mas o problema é que Weston não consegue respeitar a si próprio.

Phoebe apareceu pela primeira vez no livro Um Acordo Pecaminoso. No terceiro livro da série, a personagem passa uma imagem muito amargurada, mas não é o caso. Phoebe é introspectiva, mas possui um lado divertido que reserva apenas para os filhos, Justin e Stephen. Ela também possui um altruísmo muito bonito, assim como um lado sonhador que reluta em deixar transparecer.

Phoebe sempre teve um homem responsável por ela. Primeiro foi seu pai, depois, seu marido. Com o falecimento de Henry, ela sabia que era uma questão de tempo até se casar com Edward Larson. Daí surge West em sua vida, e ela não sabe como lidar com a mistura de sentimentos que sente por ele, principalmente pelo fato dele estimulá-la a tomar as rédeas da própria vida ao invés de se oferecer para fazer isso por ela.

Daí em diante, é uma chuva de bons diálogos alternados com momentos românticos e, claro, sensuais. Um diferencial bacana que temos aqui é a atmosfera familiar que Lisa faz questão de trabalhar sempre que West e Phoebe estão juntos em uma mesma cena com Justin e Stephen. Esses momentos são super ternos e fazem com que a gente torça ainda mais por essa relação.

Os personagens secundários já são velhos conhecidos de quem acompanha os trabalhos da autora. Temos participações de personagens da série As Quatro Estações do Amor e de personagens dos volumes anteriores da série Os Ravenels. Sebastian (o personagens mais superestimado dos Romances de Época) e Evie chegam a ter um capítulo só deles!

Duas coisinhas me incomodaram durante a leitura. A primeira delas foi o fato de Cassandra não aparecer. Ok, o livro conta a história de Phoebe e West, mas Os Ravenels possui histórias que são interligadas e que se cruzam em muitos momentos. Neste volume temos o casamento de Pandora e Gabriel, e Cassandra, gêmea de Pandora, seu braço direito desde o primeiro volume da série, não tem sequer uma ceninha, o que, para mim, foi estranhíssimo! Ao contrário de todos os protagonistas, Cassandra, personagem principal do próximo livro junto com Tom Severin, não teve seu plot introduzido. Até havia uma cena entre eles, mas ela só está presente em uma edição especial gringa e foi cortada das demais edições.

Outra coisa que me incomodou foi o fato de não haver um epílogo. Dentre os volumes anteriores, apenas Um Estranho Irresistível não o possui, o que não foi um problema para mim. A questão com a falta do epílogo neste volume foi a sensação de história inacabada que ficou no ar. Eu tenho certeza que Lisa vai começar a trama do sexto livro exatamente do ponto em que este quinto terminou, o que justificaria o término repentino, mas não posso ignorar o incômodo que isso me causou.

A edição da Arqueiro segue o padrão das anteriores. A capa é bonita, a diagramação é confortável, as folhas são amareladas e a revisão está muito bem feita. A história é narrada em terceira pessoa e ao final do livro ainda temos um mimo da autora que já virou tradição nessa série. Desta vez é uma receita de um dos pratos preferidos de Weston Ravenel.

Os Ravenels é uma das melhores séries de Romance de Época que eu já li! Saber que ela está terminando deixa meu coração super apertado, o que me consola é saber que Lisa ainda tem muita história para contar. 💜

Leia mais:

 Um Sedutor Sem Coração  Uma Noiva Para Winterborne Um Acordo Pecaminoso  Um Estranho Irresistível

32 comentários

  1. Oi Tami!
    Eu acho válido você tirar um tempo pra si mesma, até porque o blog tem que ser um canto de refúgio onde você possa extravasar, e não se sentir enclausurada. Vai na fé miga!

    Eu adoro essa série, a Lisa é uma das minhas autoras favoritas, mas ainda não pude ler essa obra. Eu gostei muito de ver a mudança do West desde o primeiro livro, e é muito bom ver que ele enfim encontrou alguém que aprecie sua mudança. Não vejo a hora de poder ler essa obra!
    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora já está tudo bem. Foi só uma fase. Algo natural após quase cinco anos de blog. Hahaha

      Excluir
  2. Olá...
    Ás vezes é preciso dar uma desacelerada mesmo, esse ano mesmo dei um baita tempo do blog e apesar de ter sentido falta de amigos que fiz por aqui foi um tempo que era necessário.

    Eu AMOOO os Ravenels!!! Esse livro está na minha lista de desejados e estou simplesmente loooooouca pra ler! Seus comentários a respeito me fizeram desejar a leitura ainda mais...
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu lembro do seu hiatus, Di. O bom é que a gente volta energizada! Agora passou e bola para frente.

      Excluir
  3. ola
    adorei ver essa dica de romance de epoca por aqui
    estou completando aos poucos a coleçáo dos Ravenels e depoia de ler a sua resenha fiquei com mais vontade ainda de ker essa serie
    desejo um feliz natal com paz e alegria
    nao posso deixar de exptessar minha alegria ao ver voce postando no blog espero sinceramente que voce consiga alcancar seu objetivo que e fazer desse cantinho um cantinho de prazer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele continua sendo, Eli. Eu dei esse tempinho justamente para ele não deixar de ser. <3

      Excluir
  4. adoro conferir as resenhas dessas romances históricos, e a gente mts vezes precisa sim dar um tempo do blog pra focar em outras coisas e que aqui seja sempre um lugar prazeroso

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada feito sem vontade é bom. Mas agora está tudo sob controle! :D

      Excluir
  5. Oi, Tami! Tudo bom?
    Eita, menina, fique bem! Não se esgota demais por algo que deve ser divertido, vai no seu tempo mesmo <3
    E esse livro aaaaaaaaaaa eu ainda tô no terceiro dos Ravenels, mas já me afundei na narrativa da Lisa e nos personagens dela então esse já tá no carrinho pra quando eu puder comprar! A falência dos romances históricos VEM.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Hey Tami! Tudo bem?
    Esse tempo é essencial pra gente, e fico feliz que tenha entendido e não se cobrado por isso. Está melhor de saúde?
    Não conhecia o livro, mas adorei a resenha.
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!

    | Blog Misto Quente |

    ResponderExcluir
  7. Oi! Concordo com você quanto ao blog. Tem que ser algo que gostamos de fazer. Eu adorei a sua resenha porque foi bem completa e interessante. Gosto muito de livros de época. Espero que esteja melhor de saúde também.
    Feliz Natal! Beijos

    L de Saturno

    ResponderExcluir
  8. Olá, Tamires.
    Desde que crie o blog ele sempre foi motivo de alegria na minha vida. Se isso mudar eu paro. Hoje em dia tem muita pressão por conta de parcerias e a gente fica preso a algo e acaba se estressando a toa. Quanto a resenha eu fiquei morrendo de medo de acontecer igual aconteceu com o Colin Bridgerton que foi maravilhoso nos livros dos outros e o dele foi bem decepcionante. mas pelo que li aqui não aconteceu. Isso da Cassandra não aparecer é bem estranho visto que ela é irmã da noiva e que em todos os livros a história já começou no livro anterior.

    Feliz natal!
    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né, Sil? As duas eram praticamente uma só nos livros anteriores e ela não tem nenhuma cena no casamento da irmã? Não curti! Hahahha

      Excluir
  9. Oi Tami! Não li toda a série ainda, mas o protagonista desse livro é alguém que chamou muito minha atenção nos outros volumes e o acho muito interessante. Sobre o blog, acho que se virar obrigação, para mim perde o sentido, já que criei pelo prazer de ter um lugar para falar de livros. Você está certa em tirar seu tempo, afinal todo mundo precisa respirar novos ares de vez em quando. Feliz Natal! Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Cida. Por isso preferi dar essa pausa antes de ficar mais e mais esgotada. Foi essencial e me deu uma boa renovada!

      Excluir
  10. Que ruim essa sensação de história inacabada. Triste.
    Mas apesar dos pesares, parece ter sido uma leitura boa.

    Feliz Natal e um ótimo 2020 para você!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi
    eu estou louca por esse livro, essa série foi uma grata surpresa em 2019, pena que ficou com a sensação de inacabado, mais espero que a autora de continuidade no próximo livro que confesso o da Cassandra é o que menos é esperado por mim, pois ela foi meio apagadinha dos livros anteriores.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Mas a Helen também era bem insossa e o livro dela foi maravilhoso. Vamos aguardar!

      Excluir
  12. Meu Deus, Lisa, desapega de Sebastian e Eve. Na moral.. só lembro que em Um Natal Inesquecível eles tiveram também um capítulo só pra eles que eu fiquei ?????????? totalmente desnecessário. Como eu estava conversando com a Pri, ela bem que poderia focar nos Hathaways que são bem mais interessantes que Sebastian...
    Enfim.. em 2020 eu deslancho nessa série
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  13. Oi Tami =)

    Quero muito dar uma segunda chance para a Lisa Kleypas, porque só leio resenhas maravilhosas dessa série. Eu não gostei do primeiro livro da série Hathawys e por isso, acabei meio que deixando os lançamentos da autora para lá.

    Mas estou achando que essa série vale apena. ^^ Vamos ver de 2020 é o ano que vou me encantar pela narrativa de Lisa Kleypas.

    Feliz Ano Novo!
    Que seu 2020 seja um ano incrível!;)

    Beijos;***
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não li Os Hathaways, por isso não posso opinar. Mas Os Ravenels é maravilhosa, eu daria uma nova chance...

      Excluir
  14. Oi Tami, realmente a Cassandra ficar de fora é bem estranho! E sei como é a falta de um epílogo. Fico feliz por ter aparecido o Sebastian e a Evie! Ainda estou no volume anterior, mas quero ler esse em breve!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  15. Oi Tami,
    Você já fez alguma dessas receitas? De vez em quando pego uns romances com receitas e torço o nariz, porque sou uma negação na cozinha. Só sei quebrar e queimar. haha
    Eu achei essa protagonista legal, toda madura, com filhos. Então imagino que o desenrolar entre eles permaneça assim, sem mimimi. E o boy querendo levantar outdoor pra ela... amooo.

    Tami a gente se cobra demais, independente do blog ou não. Vivo pensando em fechar, não só o blog mas tudo e sumir da internet. Chego ao ponto que penso que não tenho mais mente pra essas coisas. Moro demais na internet. Com isso decidi me afastar de tudo no fim de semana. Não atualizo o blog e tals, evito acessar redes sociais... viro lindamente a vagaba que só fica vendo série e filme o dia inteiro, mas ganho muito com isso. E começo a semana bem, com vontade de rever as leituras e o bloguinho. Se precisar quebrar a rotina, tudo bem também.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca fiz, Nana. Acabo esquecendo pq fecho o livro, coloco na estante e fim. Hahahha
      E olha, estou pensando seriamente em tirar finais de semana sabáticos. É muita informação o tempo todo, a todo momento e só coisa inútil na maior parte do tempo!

      Excluir
  16. Estou gostando tanto dessa série, não vejo a hora de sair o próximo, ansiosa por Cassandra e Severin <3

    ResponderExcluir