27 de janeiro de 2020

Resenha | Cilada - Harlan Coben


eBook cedido em parceria com a editora.

Autor: Harlan Coben

Tradutor: Marcelo Mendes

Número de páginas: 397

Ano: 2019

Editora: Arqueiro

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Ninguém consegue escapar das próprias mentiras.

Haley McWaid tem 17 anos. É uma aluna exemplar, ama esportes e sonha entrar para uma boa faculdade. Certa noite, quando ela não volta para casa e três meses transcorrem sem que se tenha nenhuma notícia, todos na cidade começam a imaginar o pior.

O assistente social Dan Mercer recebe um estranho telefonema de uma adolescente e vai a seu encontro. Ao chegar ao local, é surpreendido pela equipe de um programa de televisão, que o exibe em rede nacional como pedófilo. Inocentado por falta de provas, Dan é morto logo em seguida.

Wendy Tynes, a repórter que armou a cilada para Dan, se torna a única testemunha de seu assassinato. Wendy sempre confiou nos fatos, mas seu instinto lhe diz que Mercer talvez não fosse culpado. Agora ela precisa descobrir se desmascarou um criminoso ou causou a morte de um inocente.

Na investigação dos dois crimes, verdades inimagináveis são reveladas. Todos têm algo a esconder e os segredos se ligam em um elaborado mosaico.


Dizem que a liberdade tem seu preço. A justiça também.

Wendy Tynes é uma apresentadora de TV especializada em atrair pedófilos para armadilhas orquestradas por ela. Na maioria das vezes, ela mesma se faz passar por uma menina menor de idade, atraindo assim a atenção dos abusadores. Quando os mesmos aparecem nos encontros marcados, eram emboscados por câmeras de TV, tendo sua imagem e seus crimes hediondos expostos para todo o mundo.

Dan Mercer é um assistente social que trabalha diretamente com jovens problemáticos em situação de vulnerabilidade. Certa noite, ele recebe um telefonema de um número desconhecido. A voz feminina alega ser Chynna, uma das meninas a quem ele prestava auxílio, e ela pede socorro. Sem pestanejar, Dan parte para o endereço fornecido, porém, ao chegar lá, é surpreendido por Wendy Tynes acusando-o de ser um pedófilo.

Em outra parte da cidade, Marcia McWaid acorda e não encontra sua filha mais velha na cama. Inicialmente ela não se preocupa, pois a filha já poderia ter acordado, mas ao entrar no quarto e constatar que tudo estava exatamente do jeito que ela havia deixado, Marcia começa a se desesperar. Haley, uma jovem tranquila, atleta e aluna exemplar, desaparece sem deixar rastros.

Três meses depois, Dan Mercer é inocentado de todas as acusações devido a inconsistências probatórias. Com o desfecho do caso, Wendy é demitida e deveria esquecer o caso Mercer, mas sente que ainda há alguma coisa mal explicada. Após receber um telefonema de Dan, que agora, apesar de absolvido, precisa ficar mudando de endereço por ser uma persona non grata, Wendy vai ao seu encontro. Chegando ao local, ela presencia o que inicialmente seria o assassinato de Dan, porém, nenhum corpo é encontrado. Apesar de não haver vestígios a não ser um pouco de sangue, Dan Mercer é dado como morto.

O caso Haley, que seguia sem solução após três meses, sofre uma guinada quando o celular dela é encontrado em um quarto de hotel que fora ocupado por Dan. Tudo parecia apontar para um erro da Justiça, que deveria ter condenado Dan ao invés de inocentá-lo. Mas mesmo com tudo apontado contra, Wendy sente que há muito mais coisa por trás do caso Mercer. Usando seu tino investigativo, Wendy se aprofunda no passado de Dan e descobre uma rede de mentiras, acobertamentos e retaliações.

Wendy tem muitas perguntas e não vai descansar até ter respostas para todas elas. O que realmente aconteceu? Onde foi parar Haley McWaid? Seria Dan Mercer culpado ou vítima de uma grande Cilada?

Queremos confinar as pessoas em categorias bem definidas, anjos ou monstros, mas quase sempre o buraco é mais embaixo: a verdade está em algum lugar entre os dois extremos. E esse é o problema. Os extremos são bem mais fáceis.
••••••••••

Não muito tempo atrás, tive meu primeiro contato com a escrita de Harlan Coben através do livro Confie em Mim, que foi uma excelente leitura. Sendo assim, decidi que daquele dia em diante daria mais chances ao autor, e foi o que eu fiz com a leitura de Cilada.

Mais uma vezes temos duas linhas de investigação, a que trata sobre o caso de Dan Mercer e a que trata sobre o caso de Haley McWaid. Ambos se conectam, o que não é nenhuma novidade para os fãs do gênero e do autor, então o que vamos acompanhar são os desdobramentos da investigação, policial e pessoal, que levarão até essa fatídica descoberta.

Como já mencionei, esse foi apenas meu segundo contato com a escrita do autor, mas já pude observar que ele gosta de usar certos padrões em sua narrativa, o que nem de longe é incomum entre os autores. Um deles já mencionei acima, o outro diz respeito aos seus personagens, que são sempre falhos e questionáveis, levando-nos muitas vezes a duvidar de suas verdadeiras intenções.

O grande exemplo aqui é Wendy Tynes, a repórter que emboscou Dan Mercer. Wendy é viúva e ainda guarda muito rancor a respeito da mulher que foi responsável pela morte de seu marido, o que se reflete diretamente em sua personalidade. Se formos levar em consideração a natureza de sua profissão e sua linha de abordagem, a frieza até que é uma característica bem-vinda; porém, é algo que a impede de agir com mais empatia. Para ela o que conta é o instinto, que é o que faz com que ela entre de cabeça no caso de Dan Mercer assim que ele é inocentado.

Dan é um personagem de nuances muito sutis e nada comuns, o que, a princípio, depõe contra ele. Assim que é dado como morto, há uma reviravolta que suja ainda mais o seu nome, que é quando o celular de Haley é encontrado no quarto de hotel que ele recentemente havia ocupado. Wendy não sabe muito bem o porquê, mas sente que precisa fazer justiça à memória de Dan, por mais que tudo depusesse contra ele.

Quando começa a se aprofundar em sua investigação, Wendy se depara com coincidências curiosas e muito suspeitas. E é a partir daí que a história dá uma guinada bem interessante, que vai desde o consumo de bebidas alcoólicas na adolescência até os impactos negativos que o marketing viral pode trazer para nossas vidas. A partir do momento que as histórias se entrelaçam e das descobertas de Wendy, o que temos é uma chuva de reviravoltas.Todavia, é aí que a história fica devendo, pois por mais interessantes e bem orquestradas que todas elas sejam, houve, na minha opinião, uma falta de coesão bem pronunciada entre todas elas.

Há motivos para alguns deles parecem fora do contexto, mas outros não. Foi como se eu estivesse zapeando pelos canais de uma TV onde, a cada dois canais que estavam sintonizados, havia um que estava fora do ar. Acho que essa é a maneira mais didática de expressar o que eu senti ao chegar na parte mais pauleira da história. Há inteligência e sagacidade, mas não há naturalidade.

Mesmo com a ressalva, a leitura de Cilada foi frenética. Como fiz a leitura do eBook, eu não tive noção do tamanho da história e fiquei muito surpresa ao ver que li quase quatrocentas páginas tão rapidamente!

Há diversos outros personagens além de Dan, Wendy e Haley, mas não tem como falar sobre todos. Seria algo contraproducente e poderia até vir a atrapalhar a experiência de vocês com uma possível leitura. Porém, adianto que, apesar da quantidade, todos têm sua devida função; uns são mais importantes, outros menos, mas todos têm relevância e são importantes para o desfecho da trama.

A versão digital de Cilada está muito bem formatada e não lembro de ter encontrado erros de revisão. A tradução de Marcelo Mendes é ótima, consegui captar o mesmo tom utilizado em Confie em Mim, o que é muito bom.

Em suma, Cilada foi uma leitura que começou boa e foi decaindo ao longo do caminho. Mas isso nem de longe diminui minha empolgação. Mesmo conhecendo o autor há pouco tempo, já consigo enxergar todo seu potencial. Harlan ainda aparecerá muito por aqui esse ano, podem escrever!


20 comentários

  1. Olá, Tami.
    Eu nunca li nada do autor mas sei que a Mari é completamente apaixonada pelas obras dele. Não sei bem se eu leria, eu não curto o gênero e tenho certeza que pelos pontos levantados não faria muita diferença para mim ler a obra.
    Beijo!
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tami! Tudo bom?
    Nunca li nada do Harlan, mas até tenho vontade. Só tá faltando uma história que me fisgue do tipo PRECISO de respostas (porque com thriller ou é isso ou eu nem desço pro play UHASHUSHUAHUASHSUA). Eu gosto muito das capas dos livros dele, é um aesthetic tão bonito!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Uma pena esse livro ter sido bom no início e depois ter decaído. Odeio quando isso acontece. Mas que bom que você não desanimou com as obras do autor! ❤

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Às vezes acontece, mas ele tem muitos livros escritos, tem muita água pra rolar ainda.

      Excluir
  4. Olá, Tamires.
    Esse foi meu primeiro contato com o autor e acabei me apaixonando por ele. Na época estava bem dificil de achar livros do gênero no mercado e quando encontrei ele fiz a festa hehe. Mas suas histórias são meio mirabolantes mesmo e surreais em alguns casos hehe. Espero que goste mais dos outros que ler dele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu problema nem foi as mirabolâncias,e sim o elo entre elas.

      Excluir
  5. Não é um estilo de leitura que eu faça com frequência, nem sei se iria gostar, mas achei o enredo interessante e parece ser envolvente.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Tami,
    Que pena que você não curtiu tanto, apesar da empolgação presente.
    Não li muito do Harlan, mas esse é um dos meus favoritos dele.
    Adoro que ele é muito o doido dos plot twists.
    Quero tanto que a Netflix faça adaptação tbm.
    A Wendy é uma personagem bem difícil de simpatizar mesmo.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu até que não tive problema com ela apesar da frieza. O meu problema mesmo foi a falta de naturalidade das conexões dos plots. Mas o próximo será melhor!

      Excluir
  7. Oii, como vai?
    Nunca li nada do autor, acredita?
    Uma pena que não tenha sido tão bom assim, é meio decepcionante, né?
    Pretendo esse ano, finalmente ler algo dele.

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse caso não foi decepcionante porque a história em si é interessante.

      Excluir
  8. Oii Tamires, tudo bem?
    Eu nunca li nada do Harlan Coben, mas acompanho uma menina no YouTube e ela é apaixonada por ele. Tanto é que fiquei com vontade de ler algo dele porque acho que gostaria muito de livros assim. E essas novas capas dos livros dele estão muito mais bonitas. As outras eram meio estranhas.
    Beijos
    https://blog-apaixonadaporpalavras.blogspot.com/2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então você precisa dar uma chance para ver no que vai dar. ;)

      Excluir
  9. Oi, Tami!
    Ganhei de presente esse livro, mas na edição antiga. Vou tentar encaixar alguma TBR durante o ano
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  10. Oi Tami! Este eu não li, mas uma moça que trabalha comigo leu estes dias e disse que virou a noite com ele. Estava toda animada. Eu quero conferir e espero que me agrade. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  11. Oi, Tamires, também tenho me aventurado com Harlan Coben, estou no terceiro livro dele, e gostando! Também mal vejo as páginas passarem, a leitura flui e é mesmo boa, mesmo sob ressalvas. Abraço, Leitora Viciada

    ResponderExcluir