17 de fevereiro de 2020

Resenha | Onde Mora o Amor - Jill Mansell


Livro cedido em parceria com a editora.

Autora: Jill Mansell

Tradutora: Regiane Winarski

Número de páginas: 368

Ano: 2019

Editora: Arqueiro

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Dexter Yates adora sua vida despreocupada. Além de lindo e rico, mora em um apartamento chique de Londres e está sempre acompanhado de belas mulheres. Mas tudo se transforma da noite para o dia quando a irmã morre, deixando a pequena Delphi, de apenas oito meses.

Sem a menor ideia de como cuidar sozinho de um bebê, ele resolve se afastar da correria da cidade grande e se muda para seu chalé em Briarwood.

Dex não está acostumado ao ambiente intimista do vilarejo, em que todo mundo se conhece e todas as histórias se entrelaçam. Os moradores o recebem de braços abertos, sobretudo sua vizinha de porta, a talentosa quadrinista Molly, que se oferece para ajudar com Delphi. Ela tem um passado amoroso catastrófico e muita cautela, mas nasce entre os dois uma inegável conexão.

Se Dex vai conseguir se adaptar a essa nova vida e encontrar o amor verdadeiro, primeiro terá muito a aprender: sobre Molly, sobre Delphi, sobre os segredos dos outros e, principalmente, sobre si mesmo.


— Começou ali... foi crescendo... e agora a ideia de não ter você por perto é... bom, eu não suportaria. Eu te amo — repetiu ele, quase maravilhado. — Estou falando de coração.

Dexter Yates ama a vida que leva. Ele trabalha duro, ganha muitíssimo bem e por isso se permite levar uma boa vida, repleta de festas, luxos e mulheres. Devido a quantidade destas últimas, são muitas as confusões em que ele se mete, porém, ele não está propenso a mudanças. Em razão da agitação de sua vida, Dexter está à procura de um lugar calmo e idílico onde possa passar o tempo livre que lhe sobra e é assim que vai parar em Briarwood, uma cidadezinha com uma atmosfera muito forte de comunidade.

Dexter estava vivendo a vida que pediu a Deus até que uma fatalidade lhe atropela com tudo. Laura, sua irmã mais velha que tinha sido mãe há menos de um ano, falece subitamente deixando Delphi, uma bebê de apenas oito meses, sozinha no mundo. Quando descobre que era desejo da irmã que ele cuidasse de sua filha caso algo lhe acontecesse, Dexter fica descompensado. Ele tem certeza de que esta seria uma péssima ideia, mas Molly, uma das moradoras de Briarwood, lhe dá valiosos conselhos.

Após toda a buracracia da guarda temporária, Dexter abandona o emprego, vende seu luxuoso apartamento em Londres e se muda de vez para Briarwood a fim de criar Delphi em um ambiente mais adequado. Molly, que é sua vizinha, lhe dá a maior força e lhe ajuda no que pode, o que o deixa cada vez mais encantado. Pela primeira vez, Dexter se vê interessado de verdade pela essência de alguém, o que também o deixa muito confuso, afinal, ele estava acostumado a relações vazias e quase exclusivamente carnais.

Molly Hayes teve sua cota de relacionamentos fracassados e, quanto mais o tempo passa, menos propensa a começar tudo do zero ela se sente. Ela conhece Dexter em uma situação bem inusitada e fica intrigada com o jovem e belo londrino que quer uma casinha no campo. Quando ele lhe conta toda a situação envolvendo Delphi, Molly lhe encoraja e diz que ajudará no que for possível, e é exatamente isso que ela faz.

E é assim, de uma maneira super natural e bonita, baseada na ajuda e no incentivo, que começa a nascer uma nova família

— Olhe para mim, para a minha vida. Antes da Delphi, eu nunca sequer tinha segurado um bebê. Trabalho feito doido, às vezes a noite toda. Eu sou a última pessoa no mundo que alguém iria querer cuidando de outro ser humano. Seria um desastre.
— Você a ama? — perguntou Molly.
— A Delphi? Claro que amo, mas não é essa a questão. Sou egoísta, você não percebeu? Ela merece coisa melhor do que ficar presa a alguém como eu.
— É normal estar apavorado com a ideia de ser responsável por uma bebê. Mas, porque você a ama incondicionamente, vai fazer o que for necessário para que ela fique bem.

••••••••••

Acho que a esta altura do campeonato todos já estão à par da proposta da coleção Romances de Hoje, né? Porém, não custa nada repetir. A coleção Romances de Hoje aposta em histórias protagonizadas por mulheres que têm de lidar com questões super atuais e ainda têm a árdua tarefa de tentar conciliar família, carreira, saúde, sonhos, frustrações e etc. Até mesmo por isso eu fiquei confusa quando li a sinopse de Onde Mora o Amor, pois nela o foco é todo em Dexter, um homem. Mas não se enganem nem com ela e nem com meu resumo, pois na história de Jill Mansell não temos apenas o plot de Dexter e Molly, e até mesmo neste o foco não é nele, e sim nelas; Molly e Delphi.

Dexter começa a história sendo a epítome do homem fútil e narcisista: rico, bonito, preocupado com a aparência e cheio de mulheres aos seus pés. Em sua defesa devo falar que quando o assunto é sua família as coisas são bem diferentes e ele se doa por completo. Quando Laura falece repentina e tragicamente, Dexter fica completamente perdido, ainda mais quando descobre que cabe a ele a criação de um bebê, algo no qual nunca tinha pensado já que prezava muito sua vida de bon vivant.

O foco em Dexter se resume a isto, pois, assim que ele em chega em Briarwood, ele passa a admirar as mulheres daquela comunidade. Acostumado a apenas desejá-las, Dexter passa a ver as mulheres como pessoas, como seres pensantes e como valiosas adições à sua vida, sejam como amigas ou, no caso de Molly, um possível interesse amoroso. Isso sem deixar de mencionar Delphi que, afinal, é uma mulher. Como ele criaria uma mulher sem respeitá-las por completo? Não que ele as menosprezasse, longe disso; entretanto, com exceção de Laura, nenhuma outra mulher tinha sua genuína admiração. Dexter se redime e evolui sem perder as melhores características de sua personalidade, o bom humor e o sarcasmo.

Sua relação com Delphi é muito bonita, mas ele demora um pouco a compreender o mundo que a envolve. Após o susto inicial, ele assume com orgulho uma postura super paternal, coisa que ele sequer imaginava que possuía. E o bacana também é vê-lo enfrentando toda a barra que nós, mulheres, enfrentamos, pois sejamos honestas: o ônus da maternidade recai todo sobre nós!

E aí temos Molly, que possui sua cota de relacionamentos fracassados com homens dos mais curiosos tipos. Ela só atrai criaturas excêntricas e está ficando realmente cansada de sua má sorte nesse aspecto de sua vida. Como conheceu Dexter antes de Delphi chegar na vida dele, Molly pode acompanhar toda sua evolução. E se ela já gostava dele antes passa a gostar ainda mais, pois ele deixa de ser apenas mais um homem e passa a ser um homem que abandonou tudo para ser a melhor versão de si mesmo por causa de um pequeno ser humano.

Algo que eu achei bacana também foi o fato de Molly ser quadrinista e caricaturista, profissões com as quais eu nunca tinha me deparado na literatura. Não é um mercado fácil e ela vive sempre no limite do orçamento, até mesmo por isso dá aulas de desenho no café da cidade algumas noites por semana. Ela é batalhadora e muito esforçada, além de ser divertida e cheia de vida. Molly ama Briarwood e está sempre disposta a ajudar, sendo solícita com todos os vizinhos que tanto admira.

Frankie Taylor é um deles, além de também ser sua melhor amiga. É dela e de sua filha Amber o outro plot de Onde Mora o Amor. Um plot mais pesado que envolve mágoa e decepção, dando à história uma carga um pouquinho mais dramática, mas nada exagerado. Nesta parte da história, Jill aborda de uma maneira muito leve, porém certeira, o renascimento de uma mulher. É assustador ter que dar reset em uma vida, o que é basicamente o que Frankie faz. Esse acontecimento que pega Frankie de surpresa também afeta Amber, uma adolescente cheia de personalidade que está em uma fase que oscila entre a inconsequência e a responsabilidade. Ela sabe que determinada coisa não é legal. Porém, para chamar a atenção, vai lá e faz.

Onde Mora o Amor, claro, tem sua dose de romance, mas é o cotidiano de Briarwood e de seus moradores, incluindo os protagonistas, que se destacam. Molly e Dexter passam por muita coisa até se renderem um ao outro, mas Jill faz isso de uma maneira deliciosa, não deixando a história cansativa em nenhum momento. Eu fiquei tão absorta no livro que mal marquei quotes! A fluidez da narrativa me levava e eu só lembrava dos post-its quando dava uma paradinha na leitura. 😅 Com Onde Mora o Amor também pude conhecer e admirar uma outra faceta de Regiane Winarski quanto tradutora. Sei que o currículo dela é extenso, pois já pesquisei, mas meu contato com seu trabalho sempre foi através de gêneros mais tensos e sombrios. Ela arrasa igual!

Não vou me estender quanto aos outros personagens secundários, mas lhes digo que todos são maravilhosos. Jill explora facetas humanas e mostra também que estereótipos não estão com nada! O fato de uma mulher ser desinibida não significa que ela é fácil. O fato de um homem ser rico, bem-sucedido e lindo de morrer não significa que ele é um posso de segurança e/ou soberba.

Eu estou simplesmente apaixonada pela estética da coleção Romances de Hoje. Os livros estão super caprichados e possuem uma delicadeza que confere à coleção ainda mais identidade. Há ilustrações de balõezinhos no início de cada capítulo, que por sua vez são narrados em terceira pessoa, curtos e dinâmicos, com diversas mudanças de cenário. A diagramação da edição proporciona uma leitura confortável e não encontrei erros substanciais de revisão. Só não dei cinco estrelas por um pequeno detalhe que é até corrigido rapidamente, mas que não fez muito sentido dentro da história.

Onde Mora o Amor foi uma delicinha e me surpreendeu muito positivamente. Com certeza vou conferir os demais trabalhos da autora e espero que a Arqueiro aposte ainda mais em suas histórias.


30 comentários

  1. Oi Tami.
    Sempre gostei de livros que tem personagens secundários quase tão bem explorados quantos os principais. Me passa certa sensação de realidade que não somente me motiva a continuar com a leitura, como a buscar mais do autor.
    Ainda não conhecia esse livro - nem essa autora - mas fiquei entusiasmada com a proposta.
    Beijos.
    Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tamiiiiii!
    Eu ainda não li nenhum livro dessa coleção.
    Fico só babando e querendo todas.
    E achei a história desse a coisa mais linda.
    E fico feliz que você tenha gostado. Você é um bom termômetro, haha.
    Quero ver mais da relação de Dex e Delphi.
    E achei interessante Molly ser quadrinista. Realmente nunca vi personagem com essa profissão.

    Beijoooos

    Teca Machado
    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  3. Oii Tamii, tudo bem?
    Ahh, só pela capa eu já acho que seja uma leitura bem delicinha mesmo. Apesar de ter um pouco de preguiça de começar romances assim, a história acaba atraindo a nossa atenção e no final acabamos com um sorrisinho bobo no rosto.
    Achei muito legal o fato do protagonista masculino se transformar em função do bebê e tirar disso lições importantes. E também curti que temos outros personagens e temáticas além do romance.
    Espero conferir algum livro dessa coleção em breve,
    beijos
    Apaixonada por Palavras

    ResponderExcluir
  4. Fiquei encantada com a capa desse livro, muito linda. Já quero ler essa história! ❤

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. A capa é bem fofa, e a premissa já me chamou atenção também.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  6. Eu fico me perguntando por qual motivo ainda não comecei essa coleção. Mas é tantos livros para ler, que fica difícil ler tudo o que queremos. Esse e os outros livros estão na minha lista, só esperando para serem comprados.

    Beijos,
    Livros Engavetados

    ResponderExcluir
  7. Oi
    ainda não li nenhum livro dessa coleção, mais parecem ser bons romances, fora que as capas tem umas cores lindas, as personagens parecem ser bem interessante e gosto de ler história sobre família, amor.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. OI, Tami
    Eu tinha super me interessado a princípio por esse selo, mas aí comprei o primeiro da Jenny Colgan e o livro ficou pegando poeira aqui em casa, porque acabei não lendo. E tô meio relutante de ler os outros, fico sempre enrolando e no fim desisto, mas eu amo esse tipo de clichê, e vou adicioná-lo na minha lista.
    Beijo
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Legal ver que o livro é muito mais que um mero romance. Que dá para aprender muito com o cotidiano dos personagens e com a narrativa.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  10. Tami,
    Eu gostei bastante dessa história, acho a escrita da autora bem aconchegante e me simpatizei com todos os personagens. Mas no comparativo eu ainda prefiro Desencontros à beira-mar.
    A coleção realmente está linda e tenho adorado conhecer a proposta dessas autoras.

    Beijos!

    Camila.
    https://www.bookobsessionblog.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi Tami!
    Gostei muito da temática desse livro, parece ser uma fofura e com elementos que te deixam realmente absorto na leitura. Fiquei com vontade de conhecer os personagens.
    Vou colocar na listinha, ainda não li nenhum dessa coleção.
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oii, menina que livro lindo!!
    Também iria me apaixonar por um homem desses hahaha
    A história parece ser muito linda, e traz lições valiosas para vida.
    Esse é um dos livros que temos que ter na nossa estante em casa.
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  13. Oi Tamires,
    Não sabia sobre essa nova coleção de livros da Arqueiro, fiquei muito interessada em acompanhar. Amei a sua descrição desse livro e ele já está na lista ;)
    Bjos
    http://www.kelenvasconcelos.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá, Tamires.
    Ou seja, essa série Romances de Hoje é o antigo chick-lit que hoje acabou virando mais um comédia romântica do que era a proposta inicial hehe. Eu já li dois livros da autora, que gostei bastante. Mas não sei se vou ler esse ou os dessa coleção. Eu queria mesmo era por causa das edições. Mas como não tenho mais espaço aqui em casa preciso filtrar os livros que compro se não vou ter que doar depois de ler hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O chick-lit ainda existe e é diferente, tem uma puxada maior pro lado do humor. Este se encaixa em um gênero que lá fora é chamado Women's Fiction.

      Excluir
  15. Oi Tami, tudo bem?
    Que trama gostosa, parece realmente aquecer o coração conforme o casal vai se encaixando. Daria um ótimo filme de romance, hein?
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  16. Oi Tami! Pelo visto há uma evolução significativa dos personagens e relacionamentos e lendo a resenha deu para perceber que a autora soube conduzir bem a trama. Não nego que fiquei com vontade de ler. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  17. Oi Tami, tudo bem? Dessa coleção eu só li A pequena livraria dos sonhos e gostei bastante, acho que vou gostar desse também, parece uma historia gostosa de ler e adoro quando os personagem secundários são bem explorados!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  18. Oi Tami,
    Eu já li o outro romance da Jill que a Arqueiro publicou por aqui. Não foi um dos meus favoritos, mas como eu gosto bastante desse gênero e do estilo da autora, eu já comprei essa segunda obra. Não vejo a hora de ler!
    Se você gostou, fico ainda mais empolgada!
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Oie,
    Não conhecia o livro, mas amo romances e já me encantei por esse. Com certeza vou procurar.
    Também nunca li um livro com uma personagem quadrinista.
    Adorei.
    Beijo!!

    Grazy Carneiro
    Meus Antídotos

    ResponderExcluir
  20. Oi Tami,
    Já disse que quero conhecer todos dessa coleção. As edições são lindas mesmo, vi na Bienal.

    Gente, e essa premissa igual ao livro natalino da Lisa Kleypas... Mas ufa que o desenrolar é diferente.

    Adoro foco em coadjuvantes, principalmente quando apresenta discussões relevantes, mesmo que sejam pesadas.

    Fiquei curiosa pra conhecer o casal, e a bebê deve ser uma fofa. Ainda bem que não fizeram capa com ela. Hahaha


    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  21. OI Tami!
    Que história com um enredo gostoso... Pense que seria uma comedia romantica, mas na verdade, parece mais um romance atual com alguns elementos bem interessantes. Acho que Molly, Dexter e Delphi devem dar toda uma sensação de estar aproveitando um por do sol, gostei da sua resenha e ja quero ler tambem HHEHEHE

    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  22. Oii Tami

    Esse livro é tão do jeitinho que eu gosto que não sei porque ainda não li, acho que estava com receio mesmo. Essa coleção Romances de Hoje está perfeita, acho que todos os lançamentos estão na minha listinha. Feliz em saber que foi um romance tão bom, agora quero ler o quanto antes pra conferir também.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir