16 de março de 2020

Cinema | O Homem Invisível


Título original: The Invisible Man

Lançamento: 12 de março de 2020

Duração: 2h 04 min

Direção: Leigh Whannell

Gênero: Horror, Mistério, Sci-fi

Elenco: Elisabeth Moss, Oliver Jackson-Cohen, Harriet Dyer, Aldis Hodge, Storm Reid, Michael Dorman, Benedict Hardie, entre outros.

Saiba mais: IMDb - Filmow
Sinopse: Quando o ex abusivo de Cecilia tira a própria vida e lhe deixa sua fortuna, ela suspeita que a morte dele tenha sido uma farsa. Quando uma série de coincidências se tornam letais, Cecilia trabalha para provar que está sendo caçada por alguém que ninguém pode ver.


Antes dos cinemas terem sido fechados como medida de precaução contra a propagação do Corona Vírus, fui conferir um filme muito aguardado por mim. Mas de antemão aviso: caso você queira assistir a este filme, não assista ao trailer, pois praticamente todos os momentos cruciais da história são entregues de bandeja ao espectador, tirando toda a graça da produção.

Em O Homem Invisível, filme baseado na HQ de H.G. Wells, nós vamos conhecer a história de Cecilia Kass (Elisabeth Moss), uma arquiteta que não exerce a profissão e que está vivendo um relacionamento extremamente abusivo. Seu marido, Adrian Griffin (Oliver Jackson-Cohen), controla todos os aspectos de sua vida; o que ela come, o que ela veste, onde ela pode ir e até mesmo dita a maneira como ela deve se comportar. A gota d'água para Cecilia é quando Adrian começa a pressioná-la para engravidar. Ela sabe que, se isso acontecer, nunca mais conseguirá se ver livre dele.

Deste modo, ela planeja sua fuga noturna e com a ajuda de Emily (Harriet Dyer), sua irmã, consegue se afastar do marido. Cecilia se esconde na casa de James (Aldis Hodge), seu amigo de infância, mas não consegue se sentir segura. Sua liberdade só parece real quando ela recebe a notícia da morte de Adrian, que tira a própria vida e lhe deixa toda sua fortuna.

Pouco tempo depois, Cecilia começa a sentir que está sendo observada apesar de não ter ninguém ao seu redor. Coisas estranhas também começam a acontecer, coisas estas que fazem Cecilia parar para pensar. Adrian, que era um cientista, estava projetando um traje invisível. Tudo leva a crer que ele conseguiu finalizar sua pesquisa, forjou sua morte e agora está lhe atormentando. A grande questão é: como provar que você está sendo perseguida por alguém que ninguém pode ver?


O Homem Invisível não é uma obra prima da sétima arte. No quesito relacionamento abusivo e sensação de perseguição iminente, considero Dormindo com o Inimigo, protagonizado por Julia Roberts e Patrick Bergin, muito mais tenso. Mas o filme tem sim seus méritos!

No filme de Leigh Whannell, toda a questão da invisibilidade é abordada de uma maneira bem superficial e nada verossímil, mas o que faz o filme ser bom é o fato do verdadeiro vilão ser a relação abusiva, e não o abusador. O gaslighting, e não o manipulador. A sensação de insegurança de Cecilia, brilhantemente interpretada por Elisabeth Moss, é o que se destaca; são as consequências de uma relação tão traumática o verdadeiro destaque de O Homem Invisível.

Mesmo depois da aparente morte de Adrian, Cecilia não se sente segura. As marcas de seu odioso relacionamento caminhariam com ela durante muito tempo. O filme acerta ao mostrar o descrédito que mulheres recebem em situações como a que a personagem estava enfrentando, onde era necessário ver para crer. Sua palavra e evidências não eram suficientes, e isso se estende até as coisas tomarem proporções absurdas.

Como eu disse acima, a invisibilidade de Adrian não é nada crível, mas considerando todas as opções que justificariam tal transformação, escolheram aquela que não abusa tanto da inteligência do espectador. Muito melhor do que, por exemplo, o artifício usado em O Homem Sem Sombra, filme protagonizado por Kevin Bacon, em 2000.


No quesito atuação, já elogiei Elisabeth Moss acima, mas qualquer elogio é pouco para esta mulher. Indo desde a acuação até a insanidade, a performance da atriz vai num ascendente fenomenal e assustador. Dos olhares às expressões, a atriz consegue passar para o espectador toda a carga sentimental de Cecilia. Sentimos o que ela sente, sinal de um trabalho belissimamente executado.

Senti, porém, um monopólio cênico da personagem. Queria ver mais de Adrian, que tinha muito mais a oferecer se a condução de sua morte/invisibilidade tivesse sido desenvolvida de uma outra maneira. Menos jump scares e mais explicações e motivações. Isso fica ainda mais nítido quando um pequeno vislumbre do Adrian que atormentava a protagonista, exercendo sobre ela todo o seu poder de manipulação, nos é apresentado. No mais, os outros personagens são bem dispensáveis e nem vou perder tempo discorrendo sobre eles.

Em suma, O Homem Invisível, mesmo com falhas, é uma produção que vale a pena. Espero que continue em cartaz quando essa quarentena acabar, pois vale o ingresso.

Assistam ao trailer por sua conta em risco. É repleto de spoilers! 😉


11 comentários

  1. Oi, Tami
    Eu achava que esse filme seria igual o outro Homem Invisível, mas acho que esse é bem melhor KKKKKK Eu preciso assistir! Gosto desse tipo de suspense, e como não assisti muito o trailer acho que posso me surpreender. Mas se caso não der, vou vir aqui te pedir spoiler kkkk
    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Tami,

    Que bom que gostou do filme no geral apesar das ressalvas.
    A trama é bem interessante e estou curiosa para conferir, agora é torcer para esse vírus ir sumindo e os lugares voltarem a funcionar normalmente.

    Bjs
    https://diarioelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Tami!
    Deus me free desse filme KKKK. Eu vi só o trailer quando fui assistir Aves de Rapina e mds naaam, da pra mim nao. A agonia dessa mulher sofrendo feito o cao em cada cena. Nem pensar. Mas que bom que foi bom. Pelo menos valeu o ingresso.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Tamires,
    Eu já tinha visto o trailer antes e fiquei pensando se valia a pena, depois da sua resenha me deu vontade de ver ;)
    Obrigada ^^
    Bjos
    http://www.kelenvasconcelos.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii Tamires, tudo bem?
    Esse filme realmente não faz o meu estilo, por isso irei passar longe. Mas parece ser uma ótima opção para quem gosta do tipo.
    Beijos
    Três de Dezembro

    ResponderExcluir
  6. Olá, Tamires.
    Eu achei que o filme fosse ser no estilo do citado O Homem Sem Sombra e não tinha me interessado em assistir. Mas com esse negócio de ser mais voltado para o relacionamento abusivo vou querer ver.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi
    eu vi o pessoal comentar desse filme, mais nem sabia sobre o que falava, deve ser complicado assistir na tela esse relacionamento da protagonista, mas deve ser um filme interessante.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi Tamires, tudo bem?
    Que bom que apesar das ressalvas, no final temos um bom filme. Eu assisti a versão com Kevin Bacon, então em algum momento vou querer assistir essa nova versão.

    *bye*
    Marla
    http://loucaporromances.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Tami,
    Trailers me desanimam exatamente pelos spoilers. Tem filmes que são contados na íntegra, então eu evito ver também.
    Porém, fora isso, eu queria ver o filme, ainda mais por ser uma adaptação, só que com os cinemas fechados, vou ter que esperar lançar no NOW.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Não sabia que era baseado em uma hq, ainda não vi o filme nem sei se vou conseguir ver.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  11. Oi Tami!
    Quero muito assistir esse filme, confesso que tenho mais vontade por causa da atuação da atriz, ela dá um show em O conto da Aia então to bem curiosa aqui. Ainda bem que não me recordo do trailler hahahaha
    Beijos!

    Camila.
    https://www.bookobsessionblog.com/

    ResponderExcluir