1 de março de 2020

Netflix | Por Lugares Incríveis


Título original: All The Bright Places

Lançamento: 28 de fevereiro de 2020

Duração: 1h 47min

Direção: Brett Haley

Gênero: Drama, Romance

Elenco: Elle Fanning, Justice Smith, Alexandra Shipp, Kelli O'Hara, Lamar Johnson, Virginia Gardner, Luke Wilson, entre outros.

Saiba mais: IMDb - Filmow

Sinopse: A história de Violet e Theodore, que se encontram e mudam a vida um do outro para sempre. Enquanto lutam com as cicatrizes emocionais e físicas de seu passado, descobrem que mesmo os menores lugares e momentos podem significar algo.


Por Lugares Incríveis contém gatilhos relacionados a saúde mental, violência doméstica, distúrbios alimentares e luto! ⚠ 

Por Lugares Incríveis era uma das adaptações mais esperadas no meio literário. Falo com honestidade quando digo que assisti ao filme de coração aberto, querendo curtir e querendo descobrir que amor é esse que os leitores sentem pela história. Sempre falo que há uma linha muito tênue na abordagem de uma temática tão delicada quanto esta, por isso evito ler a maioria dos livros juvenis que falam sobre suicídio.

Apesar de não ter lido, já pesquisei e fiquei por dentro das alterações feitas por Jennifer Niven e Liz Hannah, as responsáveis pelo roteiro. Aliás, esta é uma questão curiosa, pois, como a autora estava diretamente envolvida no projeto, imaginei que o que seria entregue em tela teria um impacto positivo nos leitores, que não foi o que aconteceu. Como eu não gosto do gênero, muitas vezes fico na defensiva em relação a minha própria opinião, achando que talvez eu possa estar de implicância. Porém, depois de uma conversa com minha Monalisa (conhecida por vocês como Luiza Helena), descobri que no Twitter havia muita gente que não estava nada contente com a adaptação. De fato!


Pincelando o enredo bem basicamente, o filme conta a história de Violet Markey (Elle Fanning) e Theodore Finch (Justice Smith). Ela, perdida em seu luto pela irmã morta em um acidente de carro. Ele, perdido dentro da própria mente. Violet está se isolando do mundo, mas Finch acaba convencendo-a a fazer dupla com ele em um trabalho de Geografia onde eles teriam que visitar e discorrer sobre as maravilhas de Indiana. Aos poucos, Finch vai conseguindo fazer Violet se abrir e perceber que há muitas coisas pelas quais vale a pena viver, todavia, nem sempre ele consegue seguir sua própria ideologia.

Por Lugares Incríveis é raso e um desserviço à causa a que se presta! Um filme superficial e muito, mais muito equivocado. Desde o artifício do uso de uma âncora humana, que no caso é o que Finch se transforma para Violet, até o não desenvolvimento do transtorno bipolar do personagem; o que temos é uma chuva de nada com coisa nenhuma, acompanhados por um roteiro fraco, atuações medianas que se destacam em raros momentos, uma fotografia pobre, um figurino entediante e uma trilha sonora monótona.

Me contaram que muita coisa importante foi excluída ou alterada na adaptação. Uma delas, por exemplo, é a existência da mãe de Finch, que tem um papel importante no livro. Isso realmente é algo estranho no filme, onde a mesma é apenas mencionada e aparece apenas em um derradeiro momento. Se a intenção foi transformar Kate (Alexandra Shipp), irmã do personagem, em uma figura materna e responsável, o tiro saiu pela culatra. De acordo com a Lu, Embry (Keegan-Michael Key), o conselheiro de Finch, era muito importante na luta diária de Finch com ele mesmo, mas no filme é um inútil. Ou seja, não há um adulto responsável na vida deste adolescente, não há alguém que seja - ou tente ser - para ele aquilo que ele está tentando ser para a Violet. Ahhh, mas a Violet... não, a Violet nada! Violet vem depois, o transtorno dele o acompanha há quanto tempo?

Achei a abordagem do transtorno de Finch muito irresponsável. Quem leu ainda tem o embasamento da história, mas para quem, assim como eu, conheceu a história através do filme, o vácuo é enorme. Ele mesmo fala em um determinado momento que não quer se definir, mas se não há uma voz explicando ao espectador ou ao menos uma autorreflexão do personagem acerca de seus monstros internos, o que fica é um enorme vazio e um sentimento de desesperança para aqueles que talvez possam estar passando pelas mesmas coisas, sabe? Isso é um perigo!

Como eu disse mais acima, as atuações são bem medianas, com muitos altos e baixos. Justice Smith é o que mais se destaca positivamente. Senti que a falta de desenvolvimento das fases maníacas e depressivas do personagem foram ruins muito mais por um erro de direção e roteiro do que por um erro do próprio ator, que faz um bom trabalho nos momentos em que o roteiro permite. Elle Fanning, que também é produtora do filme, conseguiu trabalhar bem o luto de Violet, transmitindo uma apatia que chega a ser incômoda, mas não entrega nada além disso a não ser uma cena forte ao final do filme. Ali eu me arrepiei! No mais, os demais personagens não servem para nada.


Não tenho muito mais o que falar acerca de Por Lugares Incríveis. Fico aliviada de ver que há tanta gente enxergando as falhas perigosas que esta produção possui. Não chego a colocá-lo no mesmo patamar de desserviço de Os 13 Porquês, mas a Netflix precisa ficar atenta ao que está entregando aos jovens quando o assunto é suicídio e transtornos em geral.


25 comentários

  1. Oi Tami, tudo bem? Eu ainda estou endo o filme, quando vejo na Netflix demoro muito pra terminar, até o momento eu estou gostando das atuações, mas não tenho uma opinião formada rsrsrs mas levarei tudo em consideração

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Oi Tamires. É bem dificil para falar do filme e do livro porque não li. Lembro que desde a época que só tinha o livro, já avisavam dos vários gatilhos que ele tem, e agora com o filme a opinião tá bem inflamada. Eu tenho muita vontade de ler e assistir em seguida (espero não tomar nenhum spoiler até lá).
    Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então é melhor tomar cuidado com as redes sociais...
      hahahah

      Excluir
  3. Oi Tami!
    Eu to chocado com a nota.
    Eu confesso que gostei muito do livro apesar das ressalvas. Mas eu nunca espero que seja fiel a obra entao pretendo ainda ve. Inclusive ainda nao assisti pq nao estou me sentindo confortavel, mas assim que tiver ok verei.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha questão não foi a fidelidade, até mesmo porque não li e não tenho como colocar na balança. Minha maior questão foi a irresponsabilidade com que o tema foi abordado...

      Excluir
  4. Oi, Tami!

    A sua resenha disse tudo. E isso porque o livro você nem leu! É bom ter a opinião de quem teve o filme como primeiro contato. Eu li Por lugares incríveis, livro que se tornou um dos meus favoritos, e já pelo trailer eu imaginei que a adaptação, além de não chegar aos pés do livro, também seria leve e não possuiria a mesma carga emocional e de informações necessárias para compreensão a respeito do que Finn estava passando, seu transtorno. Parecia simplesmente um filme água com açúcar, um romance do qual você assiste pra relaxar, e se depara com um final assustador e mal explicado. É mesmo irresponsável jogar uma premissa dessa, sem tentar abordá-la da forma correta. Netflix anda pecando bastante mesmo. E nem sabia que a autora havia participado da produção, aí piorou então né haha mas achei mesmo sua resenha perfeita, concordo total.

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você compreendeu meu ponto de vista, Carol. <3

      Excluir
  5. Oi Tami!
    Ontem quando vi seu stories fiquei bem desanimada com o filme, mas eu li esse livro logo que foi lançado, lembro que gostei muito mas não recordo tudo do enredo por isso pretendo ler novamente.
    Mesmo assim, concordo com seu posicionamento quanto a responsabilidade de quem é responsável pela comercialização desse tipo de adaptações, são temas importantes e que merecem um cuidado muito grande.
    Sabemos que adaptações nunca ficam 100%, mas algumas realmente ficam extremamente abaixo do esperado e me pergunto o porquê de modificarem tanto o enredo principal ou os assuntos e personagens mais pertinentes e parece que nesse filme ocorreu aos montes.
    Uma pena!

    Beijos!

    Camila.
    https://www.bookobsessionblog.com/

    ResponderExcluir
  6. É uma pena que não tenha funcionado para você. Vi muitas pessoas elogiando e eu ainda não assisti nem li, portanto bem posso opinar. Porém parece não fazer meu tipo de filme.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  7. Oi Tami! Vi algumas pessoas elogiando e é uma pena que não deu certo para você. Eu gostei bastante do livro e não vou assistir o filme, prefiro guardar a história original comigo e não me decepcionar com esta versão. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  8. Estou vendo muitas pessoas postarem fotos desse filme, mas ainda não o vi. Uma pena o filme ter decepcionado você, isso me desanimou um pouco, estava bem ansiosa para assistir. ❤

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Tami!
    Bem.. tu ja sabe minha opinião, então..
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Amei a resenha, eu ainda não assisti o filme porque não li o livro. Estou na dúvida do que fazer, sei que se assistir o filme não vou querer ler o livro depois mas, fiquei bem curiosa.
    Beijocas.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não li o livro, mas acho melhor você optar por ele, hein?!

      Excluir
  11. Olá, Tamires.
    Cheguei no serviço hoje e uma amiga veio me questionar sobre o filme. Porque tinha falado do livro para ela e ela achou a história do filme bem diferente do que eu tinha falado. Por isso que não gosto de adaptações. Mas nem pretendia assistir mesmo porque já chorei o suficiente com o livro. E também se fosse hoje acho que nem leria porque estou fugindo de livros assim.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi um povo que leu passando pano pra adaptação, mas a maioria das críticas do povo que leu e não gostou são bem embasadas, viu? Melhor você ficar com a lembrança boa, porém dolorosa, do livro mesmo.

      Excluir
  12. Oi, Tami
    Eu não assisti e não li o livro, só minha irmã e ela achou o livro ótimo, mas pelas resenhas eu tô bem decepcionada e com pouca vontade de assistir infelizmente. Já li obra da Jennifer que eu gostei muito, mas é uma pena que nas adaptações não tenha ficado legal.
    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazer o que, né? E o pior é que ela estava envolvida...
      ahahaha

      Excluir