26 de março de 2020

Resenha | De Repente Uma Noite de Paixão - Lisa Kleypas


Livro cedido em parceria com a editora.

Autora: Lisa Kleypas

Tradutora: Ana Rodrigues

Número de páginas: 272

Ano: 2020

Editora: Arqueiro

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: Não há espaço para romance na vida da escritora Amanda Briars. Reconhecida no meio literário londrino, ela realiza as próprias fantasias através das personagens que cria em suas histórias de amor. Em nome da liberdade, está satisfeita em viver na solidão.

Amanda só não quer completar 30 anos sem nunca ter experimentado o prazer, e a solução mais discreta é contratar os serviços de um profissional. Quando o homem aparece à sua porta, a atração entre os dois é evidente, mas, para frustração dela, ele interrompe a noite de paixão no meio e vai embora.

Uma semana depois, ela o reencontra em um jantar e descobre que Jack Devlin é, na verdade, seu novo editor. Amanda fica mortificada.

Porém as lembranças daquela noite permanecem vivas na mente dos dois, e basta uma centelha para que o fogo entre eles se reacenda. Só que Jack, filho rejeitado do nobre mais notório de Londres, tem o coração endurecido e não acredita no amor, enquanto Amanda resiste ao desejo crescente em nome de sua independência.

Quando o destino entrelaça suas vidas, suas convicções mais profundas entram em choque. Agora os dois precisam decidir se, depois de conhecerem a verdadeira paixão, conseguirão voltar a se satisfazer com menos que isso.


Ela se sentia dividida entre o alívio e o terror, e tinha a terrível desconfiança de que estava cometendo o maior erro de sua vida.

Amanda Briars, uma escritora em ascensão, está prestes a completar trinta anos e se recusa a chegar virgem nesta idade. Para resolver esta situação, ela decide procurar Gemma Bradshaw, uma das mais notórias cafetãs de Londres, dona de um dos bordeis mais famosos da cidade. Amanda está interessada em pagar pelos serviços de um amante profissional, e espera a ajuda de Gemma para encontrar o candidato perfeito, que deverá lhe visitar bem no dia de seu aniversário. Na fatídica data, um belo homem bate à sua porta, mas Amanda já não está tão certa de seu plano. Ela acha que foi vítima da própria impulsividade e de uma carência momentânea, mas isso não lhe impede de ficar impressionada com o porte e a beleza do homem que aparentemente fora enviado por Gemma.

Seria ótimo comparecer a festas e saraus na companhia de alguém que amasse. Ter alguém com quem debatesse ideias, com quem compartilhar as coisas. Alguém para lhe fazer companhia nas refeições e a quem se aconchegar na cama para afastar o frio. Sim, a independência era o melhor caminho, mas nem sempre o mais confortável. Tudo tinha um preço e Amanda comprara a própria autonomia com uma boa dose de solidão.

O visitante revela ser Jack, mas não dá a Amanda maiores detalhes. Ele parece fascinado por ela, e por mais que tente resistir, ela não consegue se manter inabalável por muito tempo. Depois de uma conversa repleta de insinuações sedutoras, Jack e Amanda dividem um momento quente e avassalador, porém, para frustração da dama, Jack não consuma o ato e lhe deixa sozinha, afogueada e ainda virgem.

Amanda não consegue parar de pensar no misterioso Jack e em tudo o que poderia ter acontecido entre eles, mas sabe que trata-se de um prostituto e que nunca o verá novamente. Alguns dias depois, em um jantar oferecido por um dos membros de seu círculo social, Amanda fica em choque quando se depara com o homem que lhe concedeu uma das melhores noites de sua vida. Ela fica mais estupefata ainda quando descobre que Jack é, na verdade, o famoso editor Jack Devlin, cuja personalidade implacável era conhecida por muitos do meio.

Amanda só o conhecia de nome e fica ultrajada quando descobre que ele foi procurá-la aquela noite para tratar de negócios. Ela acha que ele se aproveitou da situação, mas ele lhe lembra que não fez nada contra sua vontade. Sem ter como negar, Amanda decide engolir aquilo que ela considera ser uma humilhação e pede segredo, já que sua reputação estaria em risco caso algo viesse à tona.

Apesar dos pesares, Jack consegue convencer Amanda a trabalhar com ele. Sua intenção é lançar como um folhetim um dos primeiros romances da escritora, Uma Dama Incompleta. Para isso, eles precisarão trabalhar juntos em algumas edições, para deixar os capítulos do livro perfeitos para serem lançados nesta modalidade. Com a proximidade, a atração latente entre eles se torna algo quase incontrolável, e não demora muito até que ambos sucumbam à ela.

Maravilhada com a descoberta de tantas sensações, Amanda propõe que eles tenham um caso com prazo de validade. Deste modo, eles poderiam aproveitar tudo o que o outro tinha a oferecer e pular fora antes que as coisas saíssem do controle. Acontece que as coisas, claro, saem do controle, e agora Amanda e Jack terão que lidar com as consequências de suas escolhas.

— E se nenhum de nós dois quiser terminar o relacionamento depois de três meses?
— Melhor ainda. Eu preferiria terminar querendo mais do que arrastar o relacionamento até estarmos enjoados um do outro. Além do mais, nossas chances de sermos flagrados aumentam com o tempo e... bem, eu não tenho a menor vontade de me tornar uma pária social.
Jack a fez encará-lo e ela percebeu que ele parecia estar dividido de algum modo entre achar graça e se irritar.
— Ainda vou querer você daqui a três meses — disse ele. — E quando esse momento chegar, me reservo o direito de tentar fazer você mudar de ideia.
— Pode tentar quanto quiser — informou Amanda, com um sorrisinho. — Mas não vai conseguir, eu sou muito determinada.
— Eu também.

 ••••••••••

De Repente Uma Noite de Paixão é um romance de época que poderia facilmente se passar por um romance contemporâneo, e não pensem que isto é uma crítica, muito pelo contrário. Assim que li a sinopse, percebi que a história não seria ambientada naquele lugar comum do gênero com o qual estamos acostumados. Este standalone de Lisa Kleypas tem como cenário um lado muito diferente do século XIX, um que mostra a classe trabalhadora, que nos conta um pouquinho de como era o mercado editorial da época e que possui uma protagonista que quer ser dona da própria vida, do próprio dinheiro e de sua própria sexualidade.

Amanda não é a primeira mocinha impetuosa do gênero, mas sem dúvida tem uma personalidade única e muitíssimo interessante. Logo de cara já nos deparamos com ela dentro de um prostíbulo fazendo arranjos para conseguir perder sua virgindade. Uma atitude impulsiva e escandalosa, mas, convenhamos, corajosa. Por que somente as mulheres casadas poderiam conhecer os prazeres do sexo sem serem julgados por isso? Amanda não é uma dama conformada, nunca foi. Sempre quis se destacar por seu talento como escritora e conseguiu tal proeza, mas acabou deixando a vida pessoal em segundo plano. Prestes a completar trinta anos, ela resolve que não abrirá mão de saber como é estar nos braços de um homem.

Claro que seus planos não saem como o planejado, de outro modo não teríamos história. Sua primeira interação com Jack é engraçada, mas confesso que de início fiquei um pouco receosa. Pensei que a autora iria enveredar por um caminho perigoso, mas felizmente isso não acontece. Jack é sedutor e tem um senso de humor bastante peculiar que quase beira a soberba, fazendo com que ele lide com o mal entendido com graça e sedução.

Assim que descobre que o prostituto fujão era, na verdade, Jack Devlin, considerado o nome do momento no mercado editorial da época, Amanda fica estupefata. Jack, claro, não perde a oportunidade de implicar com a dama. É nítido que o fato de não terem consumado a noite os consome, por isso as interações entre os dois são sempre repletas de tensão sexual, o que adoro!

Jack é o que podemos considerar um novo rico, algo que sabemos que não era bem visto naquela época. Filho bastardo de um conde, ele foi jogado em um internato super violento e sobreviveu. Quando saiu de lá, criou a Devlin's, uma loja, biblioteca, papelaria e editora. Um império que desperta a admiração de uns e a inveja de outros. Sua relação com Amanda, que começa de uma forma tão curiosa, passa pela relação de trabalho, já que ele está interessando em publicar um dos primeiros romances dela, mas não demora para que ela logo se transforme em outra coisa.

E é neste momento que Amanda nos surpreende mais uma vez, se permitindo viver o momento sem se preocupar com convenções sociais. Tudo com cautela, claro, mas ela quer aquilo e não vai mais negar. Os dois juntos são uma coisa, há muita química e o fogo é real! 🔥 Como é muito livre, a personagem se propõe a experimentar de tudo um pouco, mas aqui deixo uma ressalva sobre a quantidade de cenas sensuais... menos é mais. E claro que dessa relação carnal surge um sentimento, algo para o qual nenhum dos dois estava preparado, cada um pelos seus motivos.

Não posso deixar de mencionar que Jack enaltece Amanda sempre que tem uma oportunidade. Ele elogia sua inteligência e a coloca para cima a todo momento, falando o quanto ela é forte e capaz. Meninas, não desejem menos do que isso! 👍 Mas gostaria de apontar também que muitas coisas seriam resolvidas com uma conversa franca. Me irrita um pouco algumas forçadas de barra para justificar um mal entendido, mas é algo tão corriqueiro nos livros que a gente lê e só revira os olhos, né? Lisa é uma das minhas autoras preferidas e não é sempre que ela se utiliza deste artifício, por isso nem me prendi muito neste detalhe. No mais, ela conduziu a história de uma maneira muito gostosa, nos mostrando um lado menos glamoroso, mas ainda assim muito interessante, da Londres do século XIX.

De Repente Uma Noite de Paixão não é um livro com muitos personagens. A história é bem concentrada nos protagonistas e os coadjuvantes não tem muita relevância, apesar de serem carismáticos. Mas aqui deixo minha menção honrosa a Charles Hartley, um cavalheiro super amável que possui um caráter ímpar e que merecia muito um livro só dele. 💓

A Arqueiro, mais uma vez, arrasou na edição. A capa é lindíssima e lembra um pouco o estilo das capas da série Os Números do Amor, que eu amo. Internamente temos uma diagramação simples e bem feita, além das páginas amareladas e da fonte confortável. Dividido em quinze capítulos e um epílogo, De Repente Uma Noite de Paixão é narrado em terceira pessoa e tem aquela atmosfera única que só a autora sabe trabalhar.

Para não perder o costume, Lisa Kleypas me surpreendeu positivamente mais uma vez. Se você ainda não conhece a escrita da autora, aproveite este standalone deliciosamente envolvente para fazer isso. Tenho certeza que você vai gostar e que você vai sair correndo para colocar a leitura de todos os seus demais livros em dia.


17 comentários

  1. Oi
    acabei de terminar um livro da autora, quero muito ler esse ai, desde que tive contato com os romances de época da autora estou super viciada, parece ser bem envolvente e que bom que gostou dessa leitura e também que bom que é um livro único.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá, Tamires. Tudo bem por aí?

    Apesar do livro não ser de um gênero que costumo ler, pela sua resenha percebi que há pontos que me agradariam. Acho extremamente válido o personagem masculino enaltecer a personagem feminina, até porque a sociedade em que vivemos permanece bem machista e evolui muito devagar nesse quesito. Os pontos que te desagradaram também me desagradariam, aposto que se eu lesse a obra iria concordar contigo. Deve ser o signo (também sou leonino). Seguindo o blog :)

    Abraços!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre bom ler histórias onde o homem vê a mulher como um ser pensante e capaz!

      Excluir
  3. Oi, Tamires como vai? Confesso que romance de época não é um gênero que eu leia com frequência, de todos os gêneros literários existentes o que menos leio é o romance de época. No entanto sua resenha está tão bem feita que conseguiu despertar meu interesse no livro. Presumo ser uma leitura agradável e provavelmente me agradaria se o lesse, mesmo que não totalmente. De todo modo para quem aprecia e costuma ler com frequência este tipo de livro, a experiência é bastante satisfatória. Amei sua resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Adoro esses casos com prazo de validade que a gente bem sabe como termina. Adorei Amada, e achei bem interessante toda essa tensão carnal entre os dois.
    Mas não iria ler, não gosto muito de erotismo não.

    ResponderExcluir
  5. oi Tamires
    para os apaixonados por romances de epoca ler uma resenha assim e puro deleite
    ja vai para a lista que nao para de crescer

    ResponderExcluir
  6. Olá, Tamires.
    Eu comprei esse livro em uma promoção e veio até o brinde junto hehe. Mas coloquei lá na estante para esperar na fila. Mas agora lendo sua resenha acho que vai ser meu próximo romance do gênero porque além de ser volume único achei o enredo bem interessante. Quanto ao ponto negativo citado, acontece em tantos livros que a gente até releva mesmo hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi, Tamires!
    Eu não sou muito fã de romances históricos, mas sempre acho importante as autoras trazerem protagonistas fortes e de certo modo, à frente das suas épocas.
    Outro ponto que também é importante é a autora introduzir um personagem masculino respeitoso.
    Gostei muito da sua resenha.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/2020/03/resenha-comissao-chapeleira-livro-2.html

    ResponderExcluir
  8. Oi, Tamires.
    Já li esse livro e me identifiquei com a sua resenha. Também gostei bastante da história e tive essa sensação de que a trama poderia perfeitamente caber em um romance contemporâneo!!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bom?
    Li esse livro e concordo com cada um dos pontos elencados na resenha. Amei demais a leitura e também concordo com o que falou sobre o Jack, mulher nenhuma devia aceitar menos que o tratamento que ele tem com a Amanda, enaltecendo as qualidades dela sempre, colocando-a para cima. Resenha incrível como sempre, Tami <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oiii,

    Eu tenho alguns livros da Lisa na lista para poder ler, mas nossa sua resenha me deixou louca para conferir este kkkkk já quero saber o quanto as coisas vão dar errado, e mal posso esperar para conhecer este mocinho que não tem problemas em enaltecer a inteligencia da mocinha. Mas principalmente, eu fiquei curiosa para saber onde foi parar o prostituto nesta história, ele nunca apareceu? kkkkk

    Beijinhos...
    equipenerd.com.br

    ResponderExcluir
  11. Ainda não tive oportunidade de ler nada da autora, mas confesso que sempre fico curiosa, principalmente por tantos elogios. O fato do livro não apresentar inúmeros personagens já é um ponto positivo. Fico feliz que a obra tenha te surpreendido positivamente. Fiquei ainda mais curiosa.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir