13 de abril de 2020

Netflix | Em Busca de Zoe


Título original: Saving Zoë

Lançamento: 12 de julho de 2019

Duração: 1h 35min

Direção: Jeffrey G. Hunt

Gênero: Crime, Drama, Mistério

Elenco: Laura Marano, Vanessa Marano, Chris Tavarez, Giorgia Whigham, Michael Provost, Nathaniel Buzolic, Ken Jeong, Annie Jacob, Evan Castelloe, entre outros.

Saiba mais: IMDb - Filmow
Sinopse: Faz um ano desde que sua irmã foi assassinada, mas Echo não consegue superar o ocorrido. A vida familiar está um caos, sua mãe toma muitos remédios e seu pai trabalha demais. No entanto, quando o antigo namorado de sua falecida irmã aparece com um diário, ela descobrirá muitos segredos escondidos.


Em Busca de Zoe contém gatilhos relacionados a abuso sexual e suicídio! ⚠ 

Em Busca de Zoe foi lançado em meados do ano passado, mas somente no início deste mês chegou ao Brasil através da Netflix. Trata-se de uma adaptação do livro homônimo de Alyson Noël, também responsável pela popular série Os Imortais. O filme não é uma obra prima, mas aborda temas relevantes ainda que com algumas falhas.

Aqui nós vamos acompanhar a história de Echo (Laura Marano), uma adolescente que está tentando voltar a vida normal após o brutal assassinato de Zoe (Vanessa Marano), sua irmã mais velha. O crime nunca foi devidamente solucionado e muito se especulou sobre o envolvimento de Marc (Chris Tavarez), ex-namorado de Zoe, no crime, mas não havia provas suficientes para incriminá-lo. Desde a morte da irmã, Echo tem se virado praticamente sozinha, pois a mãe vive dopada e o pai quase nunca está em casa.

No primeiro dia do ensino médio, Echo tem de lidar com as lembranças de Zoe e com os olhares de pena de todo o corpo discente do colégio. Tem de lidar inclusive com a presença de Marc, que fora inocentado e que agora frequenta o mesmo colégio que ela. Echo vive um dia de cada vez quase que no piloto automático, mas isso muda assim que encontra o diário desaparecido de Zoe dentro do carro de Marc. Em sua cabeça, essa seria a prova crucial para a condenação do rapaz. O que ela não sabia, porém, era que assim que começasse a ler o que a irmã escreveu, descobriria que nunca conheceu Zoe de verdade.


Zoe e Echo são o total oposto uma da outra. Enquanto Echo é obediente e introvertida, Zoe é expansiva e sociável. As duas nunca foram muito próximas e isto é o que mais consome Echo, que se culpa por nunca ter sentido um interesse real pela irmã. As duas se amavam, isto é fato, mas estavam naquela fase da vida onde não tinham nada em comum.

Tudo o que Zoe mais queria era se formar no ensino médio para aí então ir embora da cidade em busca da carreira de modelo e atriz que tanto aspirava. Muito festeira, era normal vê-la mentindo para os pais a fim de se divertir. O círculo social da personagem era bastante questionável e suas escolhas nem sempre eram as mais respeitosas e compreensíveis, mas nada justifica o fim que ela levou e nem os meios que levaram-na até ele.

Em Em Buca de Zoe vamos acompanhar a busca de Echo por respostas, já que nada do que faz parece surtir afeito em aplacar sua dor. Não saber o que aconteceu com Zoe está fazendo o que restou de sua família se acabar, nem as sessões de terapia familiar parecem ajudar, muito pelo contrário. 

Eu gostei bastante da dinâmica do filme. Echo vê a irmã e Zoe, apesar de morta, está presente durante toda a produção. Não se trata de um fantasma, e sim das lembranças de Echo que se materializam. Há também flashbacks que nos mostram o que aconteceu seguindo o ritmo da leitura que Echo faz do diário de Zoe. Conforme vai mergulhando nos segredos obscuros de Zoe, Echo chega a conclusão de que para descobrir o que realmente aconteceu, será preciso observar muito mais de perto. É quando ela decide se enturmar com o mesmo grupo de amigos de Zoe, só que as coisas começam a tomar rumos perigosos.


Como não li o livro não posso opinar sobre se o filme é ou não fiel ao mesmo. Aliás, se algum de vocês o fez, me falem nos comentários, pois estou curiosa. Analisando a produção isoladamente, considero que o trabalho feito foi bem executado na medida do possível. Não há lacunas problemáticas na produção e a mesma fecha todas as aspas que abre.

Gosto muito do trabalho da Vanessa Marano desde Switched at Birth e confesso que assisti ao filme muito mais por ela do que pelo fato de ser uma adaptação literária. Vanessa continua sendo tão boa quanto eu me lembrava, dando a Zoe um ar blasé no início e acuado do final. Sua troca com Laura Marano, sua irmã na vida real, foi muito boa mesmo com a distância que o enredo pedia que existisse entre elas. Laura, aliás, me surpreendeu positivamente. A jovem atriz e cantora é super alto-astral e aqui ela se encontra super contida e retraída. Só acho que houve momentos onde sua atuação foi muito linear, pois havia oportunidade de outros clímaces antes da grande revelação.

O elenco é majoritariamente jovem e todos dão conta do recado. Destaco Giorgia Whigham no papel de Carly, que conseguiu segurar bem uma personagem cheia de vícios e desvios de caráter. Chris Tavarez, que interpreta Marc, foi uma grata surpresa. Não conhecia o ator e vi muito potencial em sua atuação, uma pena que seu personagem seja tão subaproveitado.

Em suma, Em Busca de Zoe é um filme que vale a sentada no sofá. Tenham em mente que é um filme adolescente, logo, há os clichês batidos do mesmo e até mesmo uma preguiça de criar uma maior complexidade no enredo. Não esperem muito, ok? 😉


28 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tamires como vai? Que bom que o filme lhe agradou, mesmo que não totalmente. Ne parece um filme ideal para a tarde, tipo Sessão da Tarde. A quarentena não tem fim, o jeito é assistir seriados e ler livros. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é muito Sessão da Tarde não, tem umas partes que precisariam ser censuradas. Rs

      Excluir
  3. Oi, Tami!
    Eu não tinha reconhecido a Vanessa no pôster do filme. Também gostava muito dela em Switched at birth. Na verdade, quando ela participou das temporadas finais de Gilmore Girls, ainda novinha, já era boa atriz. Vou tentar assistir nesses dias de quarentena... Toda dica é válida!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  4. Oi Tamires,

    Eu não li o livro também porque, sendo sincera, eu não gosto da escrita da autora.
    O Filme até me interessou e pretendo assistir para ver o que acho.
    Dica anotada.

    Bjs
    https://diarioelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não gostei da série Os Imortais, li somente os dois primeiros, mas gostei do filme.

      Excluir
  5. Oi Tami! Eu queria ler o livro, muita gente não gosta da autora, mas eu sempre curti suas obras e ainda não li a que esta adaptação foi baseada. Já a adaptação não tenho vontade de ver por hora. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou uma, acho a escrita bem fraquinha, pelo menos os dois da série Os Imortais que eu li foram bem ruinzinhos.

      Excluir
  6. De verdade maravilhosa resenha. Adoro filmes de mistério, assim como séries do genero. Com toda a certeza vou assistir essa semana, pois nessa quarentena esta um pouco díficil o entretenimento.

    www.chovendo-risos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Legal que as protagonistas são irmãs na vida real, isso acaba criando um laço entre as atrizes, mesmo que as personagens necessitem de certo afastamento.
    Gostei da premissa do filme, sou fã de suspenses e filmes com segredos. Quando possível vou assistir despretensiosamente esse filme.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  8. A história até me interessou, mas quando vi "Os imortais" chega bateu uma tristeza. Detestei os livros :/ Mas acho que vou dar uma olhadinha mesmo assim.

    Gravado na Memória

    ResponderExcluir
  9. Nunca tinha ouvida falar desse filme, tampouco sabia que era adaptação de um livro. Mas deixarei a dica anotada aqui para uma hora. No momento estou procurando ver filmes mais calmos e engraçados, não to querendo ativar gatilhos hahaha já basta a quarentena.

    Ótimo post!

    www.estupefaca.com.br

    ResponderExcluir
  10. OI Tami.
    Estou sabendo do filme aqui no seu blog. Gostei da premissa e de repente vou assistir um dia desses.
    Nunca li nada desta autora acredita?
    Bjus

    ResponderExcluir
  11. Não tenho boas experiências com a Alyson, mas fiquei interessada nesse filme. Eu só perdi mesmo a data que ele ia estrear kkkkkkk
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do #SorteiodaAmizade no twitter; três livros, um ganhador

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entrou lá na moita, só vi pq eu estava zapeando os filmes. Haahahh

      Excluir
  12. Oi Tamires, tudo bem?
    Eu conheço a escrita da autora, mas ainda não li esse livro. Estou curiosa pela adaptação, espero poder assisti-la em breve.

    *bye*
    Marla
    http://loucaporromances.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oiii Tami

    Também não li o livro, já me decepcionei com a escrita da autora em outro livro dela, então passo. Já o filme, esse fiquei até que curiosa em conferir, até por saber que o elenco dá conta do errado e o filme vale o que promete. Vou anotar pra assistir quando der.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente, nessa postagem não tem um fã da Alyson! Ahahhah

      Excluir
  14. Olá, Tamires.
    Eu vi uma comparação do livro com o filme e parece que mudaram bastante coisa. Eu não tenho interessem em nenhum dos dois. O livro porque achei Os Imortais uma das piores séries que li e no filme porque raramente assisto algum e quando assisto não são desse gênero.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E você foi até o final da série? Por que esse sacrifício todo? Hahaha

      Excluir
  15. Boa tarde,

    Esse é um filme que me despertou interesse e essa é a primeira crítica que eu leio dele, me animou, vamos achar um tempinho pra ele.


    Beijos!

    http://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir