23 de abril de 2020

Resenha | Um Romance de Inverno - Jess Michaels


eBook cedido em parceria com a editora.

Autora: Jess Michaels

Tradutora: A.J. Ventura

Série: Estações #1

Número de páginas: 269

Ano: 2020

Editora: Cherish Books

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: A viúva Rosalind Wilde está a caminho do casamento da sua amada irmã quando uma tempestade inesperada a leva a uma pousada superlotada. Lá, ela conhece um estranho tentador que a leva a uma noite de paixão inesquecível.

Grayson Danford nunca esperava uma noite com a irresistível Sra. Wilde, mas ela era uma distração bem-vinda do desagradável dever de acabar com as núpcias iminentes de seu irmão. Ele fica chocado quando descobre que sua amante apaixonada não é outra senão a irmã da noiva de seu irmão.

Agora Rosalind e Gray estão em guerra, mesmo que o desejo que sentem um pelo outro ameace transbordar. Quem ganhará essa batalha? E quem pode perder tudo?


Ela sentiu como se estivesse pegando fogo e ele foi quem a fez queimar. Mas ela também sabia que ele era o único que poderia lhe dar alívio. E precisava disso. Agora.

A jovem viúva Rosalind Wilde estava a caminho do casamento de sua irmã, Celia Fitzgilbert, com Lucien, o conde de Stenfax, quando sua carruagem foi surpreendida por uma intensa nevasca. Para evitar um acidente, ela e seus empregados param em uma estalagem a fim de esperar o fim do mau tempo. O lugar estava superlotado, mas ela consegue um dos últimos quartos vagos e quando desce para jantar acaba se sentando no único lugar disponível do local, que por sinal ficava ao lado de um charmoso homem.

Grayson Danford desejou a bela mulher desde que ela entrou no local coberta de neve. Quando ela se senta ao seu lado, ele se apresenta apenas como Gray e fica ainda mais encantado com sua personalidade. Por já ter sondado a dona da estalagem e com isso ter descoberto que se tratava de uma viúva, deixa bem claras suas intenções. Para sua surpresa e verdadeiro deleite, a dama corresponde ao flerte e, quando se dão conta, os dois já estão no quarto de Gray dividindo uma tórrida noite de paixão.

— Isso não vai ser rápido, sra. Wilde — ele garantiu entre beijos que provavam sua pele. — Não vai ser superficial.
Ela estremeceu e recostou-se no peito dele.
— O que será então?
Ele ergueu os dedos para o botão superior do vestido dela e o soltou, deixando os dedos deslizarem para a abertura que havia criado.
— Uma noite para lembrar — ele prometeu, — Para nós dois.

No dia seguinte, só resta o adeus. Ambos sabiam que seria algo de apenas uma noite; uma noite onde poderiam se entregar um ao outro sem se preocupar com nada e nem ninguém. Ambos seguem seus caminhos sem a menor ideia de que se cruzariam novamente muito em breve. Rosalind parte rumo a Alcaravia, propriedade de Stenfax em Caraway Court. Depois de chegar, de ouvir um sermão de seu estúpido avô e de colocar a conversa em dia com uma resiliente Celia, Rosalind acaba se deparando com uma surpresa chocante: Gray, ou melhor, Grayson Danford, ninguém mais ninguém menos do que o irmão de Stenfax,

Grayson fica consternado e Rosalind fica ultrajada. Por conta do sobrenome de casada de Rosalind e pelo fato de nunca tê-la visto, ele jamais imaginou que ela poderia ser irmã de Celia, já que não falaram nada sobre suas respectivas famílias na noite em que ficaram juntos. Por não conhecer o irmão de seu futuro cunhado e por ele ter se apresentado apenas como Gray, Rosalind jamais faria a associação. Depois do choque, vem a decepção, já que Grayson começa a evitá-la e pouco tempo depois Rosalind descobre o motivo: ele quer impedir o casamento de Lucien e Celia, pois acha que a futura cunhada não passa de uma caça-títulos.

Agora Grayson e Rosalind se encontram em meio a uma guerra velada, onde de um lado há aquilo que eles acham que é o melhor para seus irmãos e de outro há a irresistível atração que sentem um pelo outro. Quem será o vencedor desta batalha?

— Há uma diferença entre desejo e amor — disse Rosalind. — E dizer essas três pequenas palavras seria pedir para ser atingida no coração.
— Ou receber asas.

••••••••••

Um Romance de Inverno é o primeiro livro da série Estações, de Jess Michaels. Um romance de época ágil que facilmente pode ser lido em uma sentada só, mas que acabou não alcançando todas as minhas expectativas.

Logo de cara vou começar minhas considerações explicando o que me levou a não apreciar tanto a história, que foram as infinitas barrigas; voltas e mais voltas em torno de um mesmo plot que não tinha tanta força por conta da limitação do desenvolvimento dos personagens. Como assim, Tami? Bom, Rosalind e Grayson são bons personagens, mas seus passados, que insistem em se meter no meio da história, não são explicados de uma maneira satisfatória.

O fato de Rosalind ser viúva e de ter se libertado de um casamento sem amor, justifica seu receio quanto ao fato de Celia estar possivelmente cometendo o mesmo erro; porém, ao mesmo tempo, as paredes que ela levantou em torno de si fazem com que ela não divida com o leitor os próprios sentimentos de maneira satisfatória. Durante toda a história, senti como se ela não me deixasse entrar, não sei se faz sentido para vocês. Apesar da ressalva, Rosalind tem qualidades e uma delas é o fato de se permitir mesmo depois de tanto sofrer nas mãos de Martin, seu falecido marido.

Já Grayson é aquele típico personagem que tem os dois pés atrás com o amor. Para ele, o amor cega as pessoas e quase foi responsável por uma grande tragédia em sua família. E aqui, mais uma vez, senti uma barreira, já que achei que essa questão foi pincelada muito superficialmente, pois há muito mais caroço nesse angu do que a superfície deixa transparecer. Seu receio com o casamento de Lucien tornou-se bastante impessoal no sentido dele assumir para si uma dor que nem era dele sem ao menos se importar de machucar as pessoas no processo.

Apesar dos pesares, devo ressaltar a lealdade dos protagonistas para com seus respectivos irmãos. Por mais que errem ao agir pelas costas deles, é bonito ver que eles prezam pela felicidade de Celia e Lucien, colocando inclusive os interesses do conde de Stenfax e da jovem Fitzgilbert na frente de seus próprios, ou seja, um ao outro.

Como casal, Rosalind e Gray funcionam bem desde a primeira troca de palavras. A tensão sexual que emana deles desde o início é palpável e rende ótimos - e quentes!!! - momentos. Se não fossem minhas questões com ambos eu tenho certeza que teria aproveitado bem mais seus embates, pois a troca entre eles é sim interessante, admito. Só que é aquela coisa: ou rola, ou não rola. Comigo não rolou, mas vi que, com muita gente, sim.

Os personagens secundários são promissores e em muitos momentos eu me via muito mais interessada neles do que nos próprios protagonistas. O passado de Lucien é bastante delicado e, como falei acima, há muito mais coisas envolvidas do que este primeiro livro nos leva a crer. Acho que fiquei com essa impressão pelo fato de Um Romance de Inverno não ter uma pegada de folhetim, como, por exemplo, algumas séries de Lisa Kleypas. A questão é que Lucien tem seu próprio livro e a sinopse do mesmo é super promissora.

Celia, por sua vez, é romântica e sonhadora. Tanto ela quanto Rosalind sempre foram usadas como moeda de troca por seu odioso avô e isso fez com que ela não ousasse desejar mais do que poderia ter. Ela carrega consigo um conformismo muito triste, mas já neste primeiro volume podemos observar o afrouxamento das correntes que a mantiveram cativa durante tanto tempo. Ela também tem seu próprio livro, agora é torcer para a editora trazê-los o quanto antes.

O eBook de Um Romance de Inverno disponibilizado pela Cherish Books e lido por mim não era a versão finalizada, mas já pude captar a excelente qualidade do texto, que é narrado em terceira pessoa, tanto no quesito tradução quanto no quesito revisão.

Um Romance de Inverno tem sim seus méritos e eu super encorajo a leitura. Não é porque eu tive uma experiência mediana que o mesmo acontecerá com vocês, ok? Espero que leiam e que se divirtam!


15 comentários

  1. Oi, Tamires como vai? Sua resenha está impecavelmente perfeita, parabéns! Fiquei extasiado ao lê-la. Quanto ao livro, particularmente não sou um leitor que lê romance de época com frequência, entretanto gostei de saber detalhadamente os prós e contras dessa estória. Que chato o livro não ter lhe agradado como você esperava, mas se você o indica certamente é uma leitura agradável e satisfatória num todo. A capa é belíssima. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tami!
    Esse não é muito o tipo de livro que costumo ler. Entendo perfeitamente o que disse sobre Rosalind. Acaba que essa distância que era pra ser só entre a personagem e os demais se estende para leitor... E aí fica difícil a gente se apegar e se envolver mais.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  3. oi Tami
    muito boa a sua resenha
    voce pontuou muito bem os pros e contras do romance e o saldo final foi positivo sim
    vai acontecer mesmo de determinado romance náo ser aquela maravilha que a gente esperava
    Eu pretendo ler sim e espero sinceramente que pelos menos os romances de epoca sejam escrito em terceira pessoa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não gosta de escrita em primeira pessoa não?

      Excluir
    2. oi
      náo .eu náo gosto de escrita em primeira pessoa
      tenho a impressao de estar lendo um diario e eu acho uma leitura cansativa
      ja tentei ler um livro assim mas parei e olha que era um romance de epoca que eu tanto gosto
      agora estou tentando ler um livro da Lais Medeiros que eu ganhei e e narrado em primeira pessoa
      espero fazer a leitura em breve e ver se me acostumo com esse tipo de narrativa

      Excluir
  4. Oi
    eu acabei não solicitando ele para a leitura, mas fico curiosa com a história, pena que na sua visão ele tem barrigas, acho que se lesse me irritaria com os protagonistas, gostei da resenha.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Tami!

    Como gosto de romances de época, provavelmente vou dar uma chance pra leitura, mas com um pé atrás por conta das suas ressalvas. Ainda não li nada da editora e tenho curiosidade, a capa é muito bonita e caprichada!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia esse livro, mas acho que vou tentar dar uma conferida nele, pois fiquei curiosa com a história. Infelizmente, nem sempre os autores conseguem nos conquistar com seus protagonistas, mas ainda bem que os personagens secundários acabam salvando a pátria do livro... rsrs
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. A escrita da autora é boa, continuarei lendo os próximos.

      Excluir
  7. Olá, Tamires.
    Eu coloquei esse livro no KU desde que lançou. Mas andei lendo umas resenhas não tão positivas como a sua e acabei deixando de lado um pouco. Mas ainda quero ler porque a premissa da história é interessante.

    Prefácio

    ResponderExcluir