10 de maio de 2020

Netflix | Eu Nunca


Título original: Never Have I Ever

Lançamento: 27 de abril de 2020

Episódios: 10

Duração média: 25 min

Criadores: Mindy Kaling e Lang Fisher

Gênero: Comédia

Elenco: Maitreyi Ramakrishnan, Darren Barnet, Jaren Lewison, Poorna Jagannathan, Lee Rodriguez, Sendhil Ramamurthy, Niecy Nash, Richa Moorjani, entre outros.

Saiba mais: IMDb - Filmow
Sinopse: A vida complicada de uma moderna adolescente indiano-americana de primeira geração inspirada na própria infância de Mindy Kaling.


Eu Nunca chegou de mansinho e causou desconfiança, afinal, precisávamos mesmo de mais uma série sobre uma adolescente querendo fazer sexo? A resposta é não, e ainda bem que, apesar de dar a entender, a nova série de Mindy Kaling está longe de ser tão superficial.

A produção vai contar a história de Devi Vishwakumar (Maitreyi Ramakrishnan), uma jovem de 16 anos que não quer que seu segundo ano no ensino médio seja como o primeiro. Como caloura, Devi enfrentou poucas e boas. Mohan (Sendhil Ramamurthy), seu pai, sofreu um infarto fulminante enquanto assistia a uma apresentação de Devi na banda do colégio. Logo depois, devido ao trauma, Devi fica paralisada durante alguns meses. É de se imaginar que a adolescente se torne o centro das atenções, algo que, em outras circunstâncias, ela adoraria.

Agora Devi quer dar a volta por cima para deixar de ser a adolescente esquisitona do primeiro ano. Seu plano infalível? Começar a namorar e perder a virgindade! Sua busca infrutífera começa a lhe deixar frustrada, até que, em um surto momentâneo, ela acaba fazendo uma proposta indecorosa para o popular Paxton Hall-Yoshida (Darren Barnet), por quem nutre uma tremenda queda.

Daí em diante, é confusão atrás de confusão! E nessa jornada maluca onde o objetivo é a perda de algo, Devi vai acabar conhecendo muito mais a si mesma, aos seus costumes, aos seus amigos e a sua família.

 
Que! Série! Deliciosa! Eu comecei a assistir Eu Nunca sem nenhuma expectativa e terminei a produção completamente apaixonada e já querendo a segunda temporada pra ontem. Não se enganem pelo trailer, pois Eu Nunca oferece muito mais do que ele deixa transparecer.

Devi é uma jovenzinha muito perspicaz e nos conquista desde sua primeira aparição. Como todo adolescente, ela quer que tudo seja feito do jeito dela e por isso acompanhá-la demanda um pouco de paciência. Devi ainda sente muita falta do pai e muitas nuances do seu comportamento refletem isso. Outra coisa que contribui para com o seu temperamento é seu difícil relacionamento com Nalini (Poorna Jagannathan), sua mãe, que a educa rigidamente segundo os costumes indianos.

Devi sente um grande conflito interno, pois apesar de sentir orgulho de sua origem tudo o que ela queria era ser comum. Muitas coisas que suas amigas podem fazer, ela não pode. Nalini a cobra muito sem compreender que, apesar de ser filha de indianos, Devi nasceu e cresceu nos Estados Unidos e é natural que ela queria se comportar como a maioria dos adolescentes americanos. Ainda seguindo este fio, destaco a certeira abordagem da cultura indiana. Tudo foi inserido de uma maneira muito fluida e pertinente, sem exageros.


Devi tem um time de peso junto com ela. Absolutamente todos os personagens de Eu Nunca são interessantes e fogem do estereótipo comum. Além disso, a diversidade e a representatividade presentes na produção são de encher os olhos. Temos indianos, chinês, japonês, negros, brancos, gays, lésbicas e até uma personagem com Síndrome de Down. E quando eu digo que os personagens fogem do estereótipo significa que eles podem ser o que quiserem ser. Os personagens negros, que em grande parte das produções são marginalizados e/ou sexualizados, aqui são psicólogos, diretores e destaque do clube de ciências. Há o asiático inteligente, mas também há a criativa aspirante a atriz. Não há promiscuidade nos personagens homossexuais nem limitação para a personagem com Down. É lindo de se ver! 😍

Devi tem duas melhores amigas, Fabiola (Lee Rodriguez) e Eleanor (Ramona Young), que são suas fiéis escudeiras. E sabe o que é melhor? Elas não engolem tudo o que Devi faz! É um exemplo de amizade saudável que sempre deveria haver nas produções juvenis, onde há a puxadas de orelha, conselhos valiosos e, quando necessário, até um afastamento. Uma outra personagem bem importante na vida da protagonista é Jamie (Niecy Nash), psicóloga de Devi. A troca das duas é sempre muito interessante e divertida, já que Jamie consegue falar com Devi de igual para igual, porém, precisa tomar cuidado para não cruzar a linha e se tornar mais uma amiga do que uma psicóloga durante as sessões. Kamala (Richa Moorjani), prima de Devi, também rende bons momentos. A personagem sempre é taxada como muito bonita e que por isso vai fazer um ótimo casamento, porém, suas aspirações são completamente diferentes. Paxton é aquela coisa: o sonho de toda adolescente. Mas há muito mais coisas escondidas atrás daquela carinha bonita e daquele abdome sarado. E por último temos meu bolinho solitário Ben (Jaren Lewison), um carinha super gente boa que esconde sua solidão por trás de uma personalidade demasiadamente irritante.


Maitreyi Ramakrishnan é um talento e tanto! A atriz disputou o papel de Devi com outras 15 mil candidatas após uma amiga lhe enviar um tweet de Mindy Kaling. Maitreyi é a própria Devi e fim de papo. Poorna Jagannathan também dá um show no papel de uma mãe que erra muito tentando acertar. Já Jaren Lewison dá um charme todo especial a um personagem que não deveria ser charmoso. É algo involuntário, mas muito bem-vindo. Suas trocas com Maitreyi são maravilhosas, o ponto alto sempre que aparecem juntos.

Eu Nunca aborda questões atuais de uma forma muito descontraída. Eu esperava tudo dessa série, menos que estaria me acabando de chorar ao término do último episódio. Mindy Kaling se baseou na própria vida ao criar Eu Nunca e talvez por isso haja tanta verdade nos dilemas de Devi Vishwakumar. Como ser comum quando todos te enxergam como algo exótico? Como pertencer a duas culturas ao mesmo tempo? Como ser uma menina irreverente dentro de uma cultura tão rígida? Como superar o luto? Em dez episódios de vinte e poucos minutos, Mindy fala sobre isso e muito mais.

Acompanhar Eu Nunca foi absolutamente delicioso. Ainda não há uma segunda temporada confirmada, mas é quase certo que isso ocorra. Dedos cruzados!


34 comentários

  1. Oi, Tamires como vai? Esta série vem agradando muitas pessoas, pois tenho lido muitos elogios à ela. Presumo ser um seriado interessante devido as questões que aborda. Nesta quarentena que não termina só piora, é uma opção. Além do mais é descontraída. Ótima análise. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma opção mesmo, nada melhor do que dar boas risadas!

      Excluir
  2. Apesar de ser uma série que parece que me agradaria, não ando muito no clima para programas teens assim kkk Tipo aquele filme do Você Nem Imagina, algo assim.... só enrolando pra assistir
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já assisti também. A pegada dois dois é bem diferente.

      Excluir
  3. Quando li no começo que era uma série de adolescente querendo fazer sexo, já tinha desanimado. Mas lendo sua resenha e vendo que vai beeeem além disso, já me chamou atenção e posso cogitar dar uma chance a ela.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  4. Oi, Tami! Tudo bom?
    Como eu tô muito na vibe de fantasia, tô guardando essa série gracinha pra um momento mais leve e precisando de romcom fofinhas HASUHUHASUHASUHA tenho certezaaaa que vou amar, tem tudo pra ser favorita. Só falta o feeling certo pra assistir.

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  5. Mano do céu esse cara é a cara do Justin de Os feiticeiros de Waverlly Place hahaha eu assisti essa série final de semana agora e gostei muito! Eu peguei o bonde andando das minhas irmãs mas me diverti, chorei e ri horrores com essas trapalhadas da Devi. Odiei ela e amei no mesmo momento, mas é uma adolescente né? Então entendemos bem sua decisões, afinal, quem nunca?
    Eu senti que o final foi tipo o da ´primeira temporada de Sex Education hahaha ansiosa para a próxima!
    Beijo! https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. O "quem nunca?" define bem nossos sentimentos em relação a ela! hahahaha

      Excluir
  6. Olá, Tamires.
    Essa série parece estar agradando todo mundo que conheço. Essa já é a terceira indicação que vejo dela só hoje hehe. Eu não sei se vou assistir porque ultimamente estou de ressaca de assistir. Não assisti nada ainda esse mês. Comecei Frozen 2 e só vi o comecinho. Mas vou anotar para assistir futuramente.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai estar lá disponível, quando você sentir que é o momento é só tentar! ;)

      Excluir
  7. parece ser ótima,nunca assisti nada com uma personagem principal de origem indiana, vou colocar na minha lista.
    Beijos,amei o post
    Vibe Da Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem eu, pelo menos não como protagonista e tendo a cultura indiana como foco.

      Excluir
  8. Oi Tami, tudo bem?
    Te confesso que, quando estreou, mal dei bola pra produção. Mas algumas resenhas, como a sua, exaltaram a questão da diversidade e do empoderamento de tipos que normalmente não têm espaço ou voz em contras produções. Capaz que eu não ia me interessar, né? Já entrou pra lista!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  9. Oi Tami! Não tinha dado muita atenção para a série até ver semana passada comentários de uma conhecida e sua opinião positiva me deixou mais curiosa. Quero conhecer. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  10. Oi
    eu gostei dessa série, não dava muito por ela e me vi super envolvida, a Devi é uma personagem interessante, que bom que também gostou de assistir.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Olá Tamires,

    Essa é uma seria que eu já pretendia assistir mesmo antes da sua critica, agora não tenho dúvidas e não vejo a hora de iniciar.


    Beijos.


    http://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Tami!

    Confesso que não me interesso muito pela série, mas só vejo comentários positivos sobre, e gostei de ver na sua resenha que a série aborda os temas atuais com leveza e que pelo jeito entretem bastante. Qualquer hora dessa quarentena arrisco e assisto um ep haha

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Oii Tami!!
    Eu amei essa sérieee!!
    Não esperava muito dela mas ela me cativou de uma forma que impressionante. Não consegui parar de ver e me emocionei em vários momentos, foi um mix de sentimentos.

    Beijinhos!!
    http://focadasnoslivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Que bom que a série supera expectativas mesmo a sinopse sendo beeem rasa e igual a tantas outras séries adolescentes.
    Amei o fato de a série trazer representatividade e evitar os esteriótipos. Mas sabe o que eu achei bem legal mesmo? Que são MENINAS NERDS ADOLESCENTES querendo perder a virgindade. Afinal, a gente sempre acaba se deparando com entretenimento que envolve MENINOS ADOLESCENTES HÉTEROS querendo fazer sexo.
    Gostei da abordagem da série e vou conferir quando tiver um tempinho.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  15. Oi Tami,

    Só estou vendo elogios a série que estou totalmente curiosa.
    Pelo enredo acho que vou me divertir muito com ela rsrs.

    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  16. Vejo muitos comentários positivos sobre a série! Mas de primeira impressão não me envolveu muito haha vou deixar isso de lado e assistir alguns eposódios só pra matar a curiosidade! <3
    Beijos

    Primavera Agridoce ♥️♥️♥️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Começa pra matar a curiosidade mesmo, duvido se você não vai até o fim! Rs

      Excluir