15 de junho de 2020

Resenha | The Dare - Elle Kennedy


ARC gentilmente cedida por Nina Bocci.

Autora: Elle Kennedy

Série: Briar U #4

Número de páginas: 354

Ano: 2020

Publicação independente

Skoob: AQUI

Compre: Amazon
Sinopse: A faculdade deveria ser minha chance de superar meu complexo de patinho feio e abrir minhas asas. Em vez disso, acabei em uma irmandade cheia de garotas malvadas. Já tenho dificuldade em me adaptar, então, quando minhas irmãs Kappa Chi lançam o desafio, não posso dizer não.

O desafio: seduzir o novo jogador de hóquei mais quente da classe júnior.

Conor Edwards é frequente nas festas da Greek Row... e nas camas das irmandades da Greek Row. É por ele que você se apaixona antes de aprender que caras como ele não olham duas vezes para meninas como eu. Só que o Sr. Popular me surpreende - ao invés de rir na minha cara, ele me ajuda ao me deixar levá-lo para o andar de cima para fingir que estamos nos pegando.

E o mais louco ainda, agora ele quer continuar fingindo. Acontece que Conor adora jogos, e ele acha divertido enganar meus aminimigos. Mas resistir ao seu charme e gostosura de surfista é quase impossível. Embora eu esteja percebendo que há muito mais na história de Conor do que seu fã-clube pode ver.

E quanto mais tempo esse ardil idiota continuar, maior o perigo de tudo explodir na minha cara.


"That was the best fake sex I've ever had."
"Esse foi o melhor sexo falso que eu já fiz."

Taylor Marsh nunca se imaginou fazendo parte de uma irmandade, mas aqui está ela, em uma das inúmeras festas da Kappa Chi, contando os minutos para ir embora. Para ela, fazer parte de uma irmandade seria uma boa experiência, mas ela não contava com os ônus que viriam junto. Comparecer aos eventos é fundamental, e eles nunca terminam bem para Taylor.

As Kappa Chi têm uma tradição, um jogo chamado Desafio ou Desafio. Não há escape, a pessoa escolhida precisa pagar a prenda determinada pelas outras irmãs Kappa Chi, seja ela qual for. Taylor é o foco principal dos comentários maldosos de Abigail Hobbes, a vice-presidente da irmandade que, sempre que pode, alfineta a jovem por conta de sua aparência. Abigail, é claro, não faria diferente desta vez, e por isso escolhe Taylor para pagar uma prenda no desafio da vez. Qual? Simples. Taylor deve levar Conor Edwards, simplesmente um dos caras mais gatos de toda a Briar, para a cama.

Conor está entediado. Estrela em ascensão do time de hóquei no gelo da Briar, o jovem já não vê mais a vida de pegador com os mesmos olhos. São sempre as mesmas meninas que querem dele apenas duas coisas: sexo e status na pirâmide social universitária. Ele só queria alguma novidade em sua vida, e é isso que a bela loira vindo em sua direção, com cara de que é a presa fugindo da caça, parece estar trazendo.

"I'm so sorry for this and you're going to think I'm a total psycho, but I need your help so please just play along," she babbles, so fast I'm having a hard time keeping up. "I need you to come upstairs with me and pretend we're going to hook up, but I don't actually want to touch your penis or whatever."
"Sinto muito por isso e você vai pensar que eu sou totalmente psicopata, mas preciso da sua ajuda, por favor, continue brincando", ela balbucia, tão rápido que estou tendo dificuldade em acompanhar. "Eu preciso que você suba comigo e finja que vamos transar, mas eu realmente não quero tocar seu pênis ou qualquer outra coisa."

Conor é muito brincalhão e nem pensa duas vezes antes de aceitar o apelo da jovem apavorada que, já no quarto, ele descobre se chamar Taylor. Lá dentro, eles passam algumas horas muito divertidas, fingindo entreter a plateia que se esconde atrás da porta. Deste dia em diante, nasce uma improvável amizade entre aquela que se enxerga como um patinho feio e o pavão nada misterioso, mas ainda assim muito formoso - desculpem, não resisti - do campus.

Alguns dias depois, Conor acaba ouvindo Abigail e seu séquito falando muito mal da aparência de Taylor. Inconformado com tanto veneno, ele decide fazer uma proposta para Taylor: eles vão continuar fingindo. Que mal isso poderia fazer? Ela é linda, eles se dão bem e se divertem juntos. Seria uma inocente brincadeira... certo? Errado.

Com o passar das semanas, os dois vão, aos poucos, cruzando a linha da amizade. Porém, mergulhar nesse sentimento é muito assustador para Taylor, já que ela tem sérios problemas de autoestima e possui também muitos complexos em relação ao seu corpo. Para ela é inconcebível que alguém como Conor sinta atração por ela, mas Conor está disposto a tudo para convencê-la.

"Your body isn't something you have to make excuses for. I know I've said this before, and I guess I'll keep saying it until you believe me, but you're smoking hot. I'd do you right now, in a heartbeat, six different ways if you'd let me."
"Seu corpo não é algo pelo o qual você precisa se desculpar. Sei que já disse isso antes e acho que continuarei dizendo até que você acredite em mim, mas você é muito gostosa. Eu transaria com você agora, num piscar de olhos, de seis maneiras diferentes se você deixasse."

Todavia, não é só Taylor que precisa lidar com suas inseguranças. Fugindo de seu passado, Conor trocou a ensolarada California pelo longínquo estado de Massachusetts quando se transferiu para a Briar. Demora um pouco, mas o passado dele o segue e faz com que ele lembre de coisas que preferia esquecer.

No fim das contas, um ajudará o outro a enfrentar os próprios medos. Muitos mal-entendidos surgirão pelo caminho, e eles precisarão enfrentar desafios muito maiores do que aquele jogo inicial se quiserem permanecer juntos.

••••••••••

Agora é oficial, chegou a hora de darmos adeus à Universidade Briar. Isso deveria ter acontecido no livro anterior, The Play, mas Conor Edwards roubou tanto a cena que as leitoras clamaram por um livro do personagem. Elle Kennedy atendeu aos apelos e agora a série Briar U, spin-off da série Amores Improváveis, finalmente chega ao fim e, felizmente, faz isso com chave de ouro. The Dare mantém aquele tom cômico-sensual com o qual já estamos acostumados, mas também segue abordando temas mais sérios e delicados.

Desta vez, Elle Kennedy criou uma protagonista mais gente como a gente, mais real e identificável. Durante toda sua vida, Taylor Marsh lutou contra a balança. Ela não se encaixa nos padrões impostos pela sociedade e isso sempre foi uma questão que lhe gerou muita insegurança. Por mais que tente emagrecer, seu biotipo é aquele e seu peso não varia muito, e daí surgem vários complexos que fazem com que ela perca muitas oportunidades no campo sentimental e social. Taylor é bonita, inteligente, sagaz, divertida, mas tantos comentários maldosos sobre seu peso fizeram com que ela levantasse um muro ao seu redor.

Elle Kennedy foi muito feliz ao criar Taylor! Eu senti uma conexão imediata com a personagem e enxerguei nela todas as minhas inseguranças. Tenho certeza que algumas pessoas vão se irritar com a autossabotagem da protagonista, mas quem passou - ou ainda passa - pelos mesmos dilemas de Taylor, vai se sentir profundamente representada. A relação que ela tem com o próprio corpo é muito problemática no começo e, caramba, como eu me enxerguei ali! Taylor é o retrato da pressão que nós, mulheres, sofremos em relação a busca pela perfeição. Até mesmo sua relação com a mãe fica um pouco prejudicada nesse processo, já que Taylor se sente indigna de tanta elegância, beleza e... magreza.

Do outro lado temos Conor. Um dos mais talentosos jogadores de hóquei no gelo da Briar, quem diria, também é cheio de inseguranças. No caso dele, tudo fica bem escondido por trás da sua boa aparência e popularidade. Durante a infância e parte de sua adolescência, Conor passou por diversos perrengues financeiros junto com sua mãe, que agora é casada com Max, um bem-sucedido empresário que, segundo Conor, o despreza. Conor chega à Briar fugindo de seu passado, sem querer encarar as consequências de suas inconsequências.

O primeiro encontro de Taylor e Conor é divertidíssimo e super descontraído. Eles transformam uma coisa que poderia ter sido super constrangedora em algo leve e engraçado. Quando é desafiada, Taylor fica mortificada, afinal, em sua concepção, não havia a menor chance de um cara como Conor querer ficar com ela, por isso ela já chega implorando ajuda. Mas a verdade é que Conor olhou bem pra ela... e a viu. Não as suas imperfeições, não seu corpo, não aquilo tudo que ela acha feio nela mesma. Ela a viu de verdade, e isso é algo que surpreende até ele mesmo, pois, não vamos ser hipócritas, ela era fisicamente bem diferente das garotas com as quais ele estava acostumado a se envolver.

Conor e Taylor se tornam bons amigos e tudo entre eles começa de uma maneira totalmente platônica. O personagem realmente quer dar uma lição nas colegas de irmandade de Taylor, que não medem esforços na hora de soltar veneno para cima da jovem, que nunca se defende. E é assim que esse namoro de mentirinha começa, mas a gente sabe como as coisas vão se desenrolar, né?!

Só que, mais uma vez, as inseguranças de Taylor batem à sua porta. Ela reluta em acreditar que Conor realmente a deseja e trava sempre que as coisas entre eles estão prestes a ir além. E não pensem vocês que Conor fica incomodado, muito pelo contrário; Conor é paciente e responsável por ajudá-la em seu processo de autoaceitação. E como um relacionamento é uma via de mão dupla, Taylor também ajuda Conor em suas inseguranças, mostrando para ele que ele tem valor e que ele é muito mais do que insiste afirmar ser.

Acompanhar o desabrochar de Taylor é maravilhoso! Aos pouquinhos, ela se permite e a gente vai sentindo orgulho de seus avanços. Tanto ela quanto Conor evoluem muito e eu achei que a condução dos dilemas de ambos não poderia ter sido melhor. Como uma mulher que foi uma adolescente super complexada com o próprio corpo e que até hoje possui alguns bloqueios aqui e ali, me senti representada e, o mais importante, respeitada!

Elle Kennedy foi esperta e The Dare não possui nenhum personagem secundário que brilha excessivamente, creio que ela não quis correr o risco de outro clamor popular! 😂 A melhor amiga de Taylor, Sasha, é a que mais chega perto de conseguir os holofotes. Em alguns momentos ela me lembrou a Hannah, protagonista de O Acordo, e até cursa Música, mesma formação da personagem principal do livro que deu origem a tudo. Não acho que isso tenha sido aleatório e ao longo da leitura pude sentir alguns tributos aqui e ali... ou talvez tenha sido a nostalgia falando em mim, quem sabe? 😅 Como já é de praxe, há participações de outros personagens da série como Summer, Hunter, Demi e Brenna, o que mata um pouquinho da nossa saudade. E, quem diria, até o treinador Jensen ganha sua própria traminha!

Li a cópia antecipada, mas mesmo ela está com uma ótima qualidade de formatação e revisão. Assim como todos os outros livros, The Dare é narrado em primeira pessoa sob o ponto de vista dos dois protagonistas. Elle Kennedy me surpreende cada vez mais com seu talento. Não sei bem como explicar, mas ao ler seus livros eu tenho a sensação de que tudo aquilo fluiu com imensa facilidade para ela, sabe? Os diálogos, as situações, os embates... tudo é muito bom!

E é com o gostinho agridoce da saudade que me despeço deste universo. Foram oito livros e alguns contos que me fizeram rir e suspirar, e personagens que foram grandes companheiros enquanto estávamos juntos durante as leituras. Foram muitos crushes, muita torcida para aquele personagem secundário ganhar um livro e muita expectativa a cada novo anúncio. Através destes livros, me tornei fã da autora, e fico aliviada de ainda não ter lido todas as suas histórias, deste modo, até o próximo lançamento, vou ter o que consumir. Agora vamos torcer para que a Paralela traga logo The Dare para cá o quanto antes, e que Elle Kennedy continue nos presenteando com seu talento por muitos e muitos anos.

Obrigada, Briar! 💜


* Sinopse e quotes traduzidas por mim.

36 comentários

  1. Oi, Tamires! A mulher sofre uma pressão descabida pela sociedade quanto ao seu coprpo, sua carreira profissional, sua vida pessoal quanto a maternidade e por aí vai. Sem contar a pressão da própria família. Enfim! Sobre o livro me parece ser muito bom, apesar de o velho clichê do jogador bonitão de algum esporte que é o popular na faculdade e ou colégio que se apaixona pela mulher com ou sem complexos em sua vida. Romances em geral são baseados e criados a partir dessa base, ou seja o clichê. Eu leria o livro, mesmo não gostando tanto assim de romance de uma maneira geral, entretanto o fato de você dizer que é um livro bem elaborado já me anima para a leitura. Muito boa sua resenha. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não ligo para clichês desde que eles sejam bem trabalhados, o que é o caso dos livros da Elle.

      Excluir
  2. Olá, Tamires.
    Eu ainda nem comecei a ler essa série e preciso só por causa desse livro. Eu com certeza vou me identificar com a protagonista porque sofri muito na minha adolescência por estar acima do peso considerado ideal. E engraçado que hoje eu lembro e vejo que eu nem estava tão acima do peso assim, mas adolescentes são cruéis. Assim que der vou ler todos.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oi, Tami!

    Li só o primeiro volume de Briar U e quero bastante ler os demais, principalmente esse quarto, porque só pela sua resenha já adorei os personagens!! Como você disse, eles tem mais cara de reais, de gente como a gente, e isso por si só já nos aproxima bastante deles.

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Tami!
    Eu me deparei com a resenha desse livro em outro blog e nem parei para ler a sinopse. Adorei a premissa e já amei a Taylor de cara haha. Gosto muito quando os autores abordam temas como inseguranças com o próprio corpo e parece ser uma história divertidíssima.

    Estante Bibliográfica

    ResponderExcluir
  5. Oi Tamires.
    Como já falei antes por aqui, eu amo a série amores improváveis e com certeza vou ler essa. Só preciso esperar lançar todos os livros, para não sofrer de ansiedade. Amei o lance da mocinha e de toda essa problemática com a autoestima, que é algo que também luto até hoje.
    Bjus

    ResponderExcluir
  6. Oi Tami
    Eu amei sua resenha, parece ser um livro muito bom e cada paragrafo que lia minha vontade aumentava. Já queria começar a série antes e depois de saber da existência desse livro quero começar para ontem. Me interessei muito.

    Beijinhos!
    http://focadasnoslivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi
    eu só li até agora a primeira série, quero ler essa também, gosto de histórias que envolve esse universo de universidade e esses personagens parecem ser bons, que bom que gostou do encerramento.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. MEU DEUS eu amo esse homem! Desde quando o Connor apareceu eu senti que a autora ia trazer algo pra ele, principalmente porque ele foi um personagem que aparentemente não tinha nada demais mas depois foi ganhando mais espaço nos outros livros da série. É tão legal que a autora trouxe uma personagem que seja plus size, porque eu não aguentava mais todos os outros aparentemente perfeitos e zero defeitos.
    Eu tô louca pra editora trazer o livro logo porque quero muito ler! Eu amo a Elle e com certeza vou sentir saudade dessa série.
    Beijo!
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Tami! Tudo bom?
    Infelizmente eu tenho preconceito com os livros da Elle porque o santo dela não bateu com a Duda e eu costumo seguir o mesmo caminho. Então prefiro me arriscar nos New Adult de autoras que confio que é pra evitar o estresse pra caso não dê certo a leitura UHASUHASUHUHASUHASUHAS
    Mas que bom tu ter curtido tanto o final da série!

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena, você deveria ler pra tirar as próprias conclusões.

      Excluir
  10. Olá...
    Eu comecei a ler essa série, mas, sou obrigada a admitir que a abandonei... Acho que me cansei desses new adults que são puro sexo, sabe?
    Mas admiro muito essa autora pela intensidade que ela consegue cativar os fãs da série.
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena que você acha que a série é puro sexo, porque está longe disso. A autora aborda assuntos importantíssimos como abuso sexual, alcoolismo, bullying... é excelente.

      Excluir
  11. Oi Tami! Eu tenho que ler o terceiro volume da série e já estou com saudades de todos mesmo antes de ler este último. Não ligaria se houvessem mais livros ambientados neste cenário. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  12. Ai eu vou sentir tanta saudades meu deus aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
    Nossa, eu me identifiquei demais com a Taylor e sabia que tu teria a mesma impressão. Eu só digo MULHERÃO DA PORRA!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  13. Oi Tami, tudo bem?
    Acompanhei algumas das suas resenhas da série e sei o quanto você gosta. Acho que com esse livro eu simpatizei mais. Gostei da pegada mais real da protagonista e achei bem engraçado o início da amizade dos dois. Que bacana que encerrou com chave de ouro!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  14. Ola Tamires
    que bom que a autora criou essa personagem fora dos padroes idealizados pela maioria das autoras e midia
    eu me senti representada e sei o quanto issso pode afetar a autoestima de alguem . tomara que as autoras sigam esse exemplo e parem de achar que so as magras tem direito ao amor
    as cheinhas tambem tem seu charme e merece sim mais respeito e atençao !
    temho alguns livros dessa serie baixados no pc mas ainda náo li .espero conhecer a escrita dela o quanto antes ..
    que bom que a serie foi concluida satisfatoriamente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comece a ler, Eli. Você vai adorar, não tenho dúvidas!

      Excluir
  15. Oiii Tami

    Todo mundo fala tão bem dessa série e que bom que o ultimo terminou com chave de ouro, é sempre maravilhoso finalizar uma série que deixará saudade. Eu gosto bastante da escrita da Elle, olha que NA nem é um gênero que leia muito, mas ela é uma das poucas autoras que me prende. Tenho essa série anotada e quero muito ler, acho que vou gostar. Li Amores Improváveis e pra mim foi uma leitura bem bacana.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A série Amores Improváveis é ótima, mas eu considero a Briar U ainda melhor!

      Excluir
  16. Mesmo não fazendo o estilo que costumo ler parece ser muito interessante, ainda mais por abordar temas femininos!! É sempre bom se aventurar em algo novo mas acho que não começaria em uma série.
    Beijoss, Primavera Agridoce ♥️♥️♥️

    ResponderExcluir
  17. Oi Tami,
    Minha próxima leitura da Elle, será The Risk!
    Estou animada, mas não queria que terminasse. Pelo menos, The Dare vai finalizar com chave de ouro com o Conor. Já quero!!!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Oi Tami,

    Eu não comecei essa nova série da autora, mas agora acho que dá para ler por ela está completa.
    Acho que vou amar essa personagem simplesmente por se identificar com ela.

    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir