22 de março de 2021

Resenha | Uma Promessa e Nada Mais - Mary Balogh

Livro cedido em parceria com a editora.

Autora: Mary Balogh

Tradutora: Livia de Almeida

Série: Clube dos Sobreviventes #5

Número de páginas: 272

Ano: 2020

Editora: Arqueiro

Skoob: AQUI

Compre: Amazon

Sinopse: Ralph Stockwood sempre se orgulhou de ser um líder nato. Mas, quando convenceu os amigos a lutarem com ele nas Guerras Napoleônicas, nunca imaginou que seria o único sobrevivente.

Mesmo atormentado pela culpa, Ralph precisa seguir em frente, arranjar uma esposa e garantir um herdeiro para seu título e sua fortuna.

Desde que a participação de Chloe Muirhead na temporada de Londres terminou de forma desastrosa, ela aceitou a possibilidade de ser, para sempre, uma solteirona. Para escapar da própria família, a moça se refugia na casa da madrinha de sua mãe. Lá, conhece Ralph.

Ele precisa de uma esposa. Ela não acharia ruim encontrar um marido. Então Chloe sugere que os dois se casem, por conveniência. A condição é uma só: Ralph precisa prometer que nunca a levará de volta a Londres.

Mas, de uma hora para outra, as circunstâncias mudam. E logo fica claro que, para Ralph, o acordo foi apenas uma promessa e nada mais...


Ele tomou o rosto dela em suas mãos e perguntou a si mesmo quando as muralhas de seu coração tinham sido rompidas.

Ralph Stockwood, conde de Berwick, sobreviveu aos terrores das Guerras Napoleônicas, mas não passou por elas incólume. Nas batalhas, ele sofreu um grave ataque que lhe rasgou o rosto e parte do torso, algo que o deixou com terríveis cicatrizes. Porém, são as cicatrizes psicológicas que mais lhe doem. Ralph carrega na alma a culpa pela morte de seus três melhores amigos, Thomas, Max e Rowland, já que, por ser considerado o líder de seu antigo grupo de amigos, ele crê que foi seguido em sua decisão de ir para a guerra e por isso acredita veementemente que tem o sangue dos três em suas mãos.

Como se não bastasse tudo isso, Ralph vem enfrentando uma grade pressão por conta de sua mãe e de sua avó, visto que seu avô, o duque de Worthingham, tem estado com a saúde muito debilitada e pode falecer a qualquer momento. Sendo o próximo na linha de sucessão, Ralph herdará o ducado e precisará se casar para garantir um herdeiro. Ralph evita Manville Court, a propriedade dos avós, o máximo que pode, porém, a pedido da duquesa, ele chega para fazer uma visita, e é lá que conhece Chloe Muirhead.

Com sua exótica cor de cabelo, de um vermelho vivo e intenso, Chloe atraía a atenção de muitos pretendentes, mas nem sempre para o bem. É seu cabelo também que faz com que ela se veja, de repente, no meio de um escândalo, e por isso ela se isola em Manville Court para fazer as vezes de acompanhante não remunerada da duquesa, que era madrinha de sua mãe e melhor amiga de sua avó. 

Não havia muitas opções para as mulheres. Às vezes, na verdade, parecia não haver nenhuma, em especial para aquelas com um passado complicado - mesmo que não tivessem culpa alguma disso.

Certa noite, Chloe acaba ouvindo uma conversa entre Ralph e a duquesa, onde esta última cobrava do neto um posicionamento sobre suas futuras núpcias. Após suas duas temporadas fracassadas, Chloe não almejava mais um casamento porque achava que esta era uma realidade muito distante para ela. Acontece que a situação atual de Ralph acende nela um alerta: e se ela lhe propusesse casamento?

Ralph recebe a oferta com grande espanto, afinal, não esperava tal atrevimento vindo da contida senhorita Muirhead. Após o choque inicial, ele começa a pensar nos benefícios do acordo: um casamento por conveniência sem nenhuma cobrança sentimental, algo que para Ralph é uma característica imprescindível. Em troca, tudo o que Chloe quer é ter filhos, algo que Ralph também necessita, e a promessa de que nunca viverão em Londres, lugar que lhe causou tanto sofrimento.

O acordo é selado, as promessas são feitas e o casamento acontece. Porém, os planos dos recém-casados mudam radicalmente quando Ralph se vê obrigado a assumir responsabilidades que ele não achava que teria tão cedo. Nada de uma vida pacata no campo; agora ele precisa ir para Londres. A promessa feita para Chole precisa ser deixada de lado, e agora ela poderá se arrepender amargamente de sua proposta.

Ela o amava, embora preferisse não amar. Não queria carregar o fardo do fracasso da sua parte no acordo que ela sugerira e ele aceitara. Seria mais difícil cumprir os termos estabelecidos, agora que permitira a existência de um vínculo emocional.

••••••••••

Uma Promessa e Nada Mais é o quinto volume da querida série Clube dos Sobreviventes. Desta vez nós vamos conhecer a história de Ralph Stockwood e Chloe Muirhead. Assim como Flavian, protagonista de Uma Paixão e Nada Mais, Ralph sempre foi um membro mais contido nos encontros do clube, por isso eu ainda não tinha me afeiçoado por ele. Felizmente, sua personalidade me ganhou logo nas primeiras páginas e rapidamente me vi torcendo por seu final feliz.

Assim como todos os membros do Clube dos Sobreviventes, Ralph tem de lidar diariamente com seus demônios. Suas horrendas cicatrizes nem lhe incomodam tanto, seu verdadeiro fardo é lidar com as responsabilidades do condado de Berwick, com a iminência de herdar o ducado de Worthingham por conta da saúde frágil de seu avô e com a culpa de se achar o responsável pela morte de seus três melhores amigos. Tudo isso faz com que ele se feche e lide com a vida com muita dureza, punindo a si mesmo ao não se permitir ser feliz. 

Chloe, por sua vez, é uma jovem que teve sua cota de desilusões. Cansada de ser julgada pelas dúvidas que sua aparência levantava, ela decide se isolar e jura para si mesma que está conformada com seu destino como solteirona. Porém, a verdade é que Chloe anseia por uma família, e vê em Ralph, que precisa se casar, um meio para um fim. 

Chloe é uma personagem que causa em nós muita simpatia. Ela começa tímida, acuada, mas cresce enormemente ao longo da narrativa, tanto que é responsável por sua própria redenção e pela redenção de Ralph, mas não pensem vocês que ela faz isso lidando com os fardos dele tomando-os como seus, algo que é comum no gênero; ela na verdade o ajuda a lidar com os mesmos demonstrando sua coragem ao enfrentar suas próprias questões pessoais mal resolvidas, coisas estas que eram o motivo para que ela quisesse se manter o mais distante de Londres quanto fosse possível.

Em Uma Promessa e Nada Mais nós temos um casamento por conveniência raiz, onde o que impera é a distância emocional, a frieza e a espera de resultados, ou seja, herdeiros. Vi que algumas pessoas ficaram incomodadas com a condução do relacionamento, mas foi justamente isso o que mais me atraiu. Mary Balogh vai construindo a relação de Ralph e Chloe bem aos pouquinho, afinal, eles sequer estimavam um ao outro antes do matrimônio. Primeiro vem a estima, depois a amizade e aí sim, devagarzinho, começa a nascer o amor. A autora leva seu tempo em cada uma das fases, o que torna a história e o relacionamento ainda mais críveis.

As partes mais sensuais dos livros de Mary Balogh sempre são mais contidas e neste livro isto está ainda mais acentuado. Por conta da natureza do relacionamento, no início, as relações são mecânicas e inexpressivas. As roupas sequer são retiradas! Mas a medida que o sentimento vai surgindo, a intimidade entre eles vai ficando mais natural e verdadeira. Por conta disso, existe aquela expectativa para chegarmos numa cena onde haja química e sentimento. Eu curti bastante esse diferencial, pois fez todo sentido considerando o arranjo entre Ralph e Chloe. 

Como já é de praxe, há aparições de alguns integrantes do Clube dos Sobreviventes. As interações entre eles são ótimas como sempre, mas dessa vez destaco a maneira como Chloe foi acolhida por eles e, principalmente, por suas esposas. Há uma determinada cena envolvendo Chloe e uma tesoura que é muito boa, pois envolve questões emocionais e gatilhos muito fortes para a personagem. A forma como todas as mulheres ali presentes lidaram com a situação foi muito bonita e deixou um quentinho no coração.

Por falar em gatilhos, preciso fazer uma observação. Assim que voltou das Guerras Napoleônicas, Ralph ficou muito mal e teve constantes pensamentos suicidas. Isto é mencionado no livro algumas vezes, então estejam atentos, ok? Aproveitando para lembrar que o CVV, Centro de Valorização da Vida, está disponível 24 horas por dia, sete dias por semana. Está precisando conversar? Então entre no site ou ligue 188, o atendimento é feito sob total sigilo. 💜

Minha única ressalva para com o livro fica por conta de uma cena no capítulo dezessete onde Ralph comete um abuso. É algo muito sutil e confesso que só fui me dar conta após abrirem meus olhos em relação ao acontecido. Com a ajuda da Luiza, conferi no original e não foi erro de tradução, então vamos ler sem passar pano, né?

A leitura de Uma Promessa e Nada Mais foi feita tanto através do livro físico quanto do livro digital, durante o dia eu lia um e à noite lia o outro. Deste modo, pude constatar a qualidade de ambos. Se tratando do livro físico, temos folhas amareladas e diagramação confortável, quando o assunto é o livro digital, temos um arquivo bem formatado e de leitura agradável. A história é narrada em terceira pessoa ao longo de vinte e três capítulos e a tradução fica por conta de Livia de Almeida, que fez um excelente trabalho. Lembrando que os livros podem ser lidos fora de ordem, mas não recomendo. 👍

Uma Promessa e Nada Mais foi, no geral, uma ótima leitura. Se você gosta de Romances de Época e ainda não conhece esta série, você não sabe o que está perdendo!

Leia mais:

 Uma Proposta e Nada Mais Um Acordo e Nada Mais Uma Loucura e Nada Mais Uma Paixão e Nada Mais


18 comentários

  1. Amei a resenha. Essa série já está na minha lista e a cada resenha quero mais ler os livros. A história parece ser muito boa, mas fico com um pé atrás por causa da cena de abuso e tal.
    beijos
    https://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem sutil e acredito que foi um equívoco da autora. O modo como ela escreveu foi equivocado, foi a primeira vez que ela cometeu algo assim,o histórico dela é muito positivo, por isso eu a desculpo.

      Excluir
  2. Oi, Tami, nunca li romances de época, porque sempre passo algum outro gênero à frente. Esta série Clube dos Sobreviventes me dá a impressão de ter pano de fundo além do romance e isso me parece bom. Mas tenho de outra série para experimentar, O Duque e Eu. Abraço, Leitora Viciada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho uma boa ideia começar pelos Bridgertons, Tati. Foi o que eu fiz na época que comecei a ler o gênero.

      Excluir
  3. Que bom que a leitura foi agradável. Eu ainda não li os livros, mas já li várias resenhas e imagino que vá gostar. Meu contato com romances de época é pouco, e estou sempre adicionando novos livros na lista haha.

    Bjs

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  4. Oi Tamires,
    Essa é uma das séries que quero testar sim. Ainda não conheço a escrita da autora. Que bom que o saldo foi super positivo, me dá mais vontade de ler.
    Bjos
    Kelen Vasconcelos
    https://www.kelenvasconcelos.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, Tamires.
    Confesso que não lembro dessa cena citada, passou batido. E não vi ninguém comentando na LC que fizemos dos livros. Acho que ninguém percebeu. Mas gostei muito dos personagens, esse é um dos meus favoritos da série. E dessa coisa toda do livro realmente ser um casamento de conveniência, não os que a gente está acostumado a ler que o casal já se apaixona na noite de núpcias.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi algu muito sutil, Sil. Eu mesma não percebi, tive que ler de novo quando me falaram. E sim, o casamento por conveniência é bem real!

      Excluir
  6. Mulher, se não fosse tu, eu também nem ia me tocar da cena :( mas fora esse deslize da vovó, a Mary arrasou com mais um livro
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Olá...
    Eu ando fugindo um pouquinho de romances de época no momento, maaaas essa série tá lá naquela listinha interminável dos desejados hahaha...
    Sempre leio muitos elogios sobre essa série e, é claro, pretendo ler futuramente ;)
    Dica anotada, Tami.
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Tamires. Como vai? Que bom que a leitura do livro lhe agradou. Não é um tipo de livro que me desperte interesse por ler, e que eu leia frequentemente, mas gostei de saber que obra é sim agradável e satisfatória de ser lida. Muito boa sua resenha. Gostei da simplicidade desta capa. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Eu voltei a ler essa série esse mês e já estou ansiosa para chegar nesse livro. Amo casamentos de conveniência e saber que a proposta veio da mulher me intriga ainda mais.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir